Conecte-se agora

Empresários do AC estariam felizes com vendas de natal

Publicado

em

Pelo menos 73% dos empresários de Rio Branco se mostraram satisfeitos com as vendas durante o Natal do ano passado. O levantamento foi realizado junto a 150 empresários do varejo, entre os últimos dias 3 e 6 de janeiro.
Daqueles que tiveram resultado positivo, 39% creditam o pagamento do 13º salário, com circulação no mês de dezembro; enquanto 30%, pela própria tradição de consumo do Natal.

Mesmo assim, 26% dos entrevistados disseram que as vendas durante o período não foram compensatórias, apresentando um resultado inferior ao visto em 2015. Destes, 26% debitam o fato ao aumento da inflação; e apenas 1% não soube aferir sobre o alcance ou não das vendas esperadas.

Ainda de acordo com o estudo, metade dos empresários do comércio local avalia o resultado como “bom”; outros 26%, como “regular”; 11%, como “ruim”. Outros 10% definem a época como “ótimo” e 3% preferiram não se pronunciar.
Influência

Para 52% dos empresários, o desemprego, a variação da cotação do dólar e os altos juros foram relevantes para a minimização do resultado das vendas de Natal. Mesmo assim, pelo menos 15% dos comerciantes não associam o resultado das vendas a estes aspectos, mas destacam, porém, que as políticas econômicas internas seriam as causadoras dos resultados.

Além disso, a pesquisa destaca 12% dos empresários que entenderam que a inflação teve efeitos negativos para os negócios de mercado e, 12%, que o desemprego e a economia comprometeram as vendas. No mais, 6% ainda apontam os juros altos como relevantes para os resultados; 2% não souberam avaliar e; 1%, não informaram.

A pesquisa foi realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre (Fecomércio/AC) por meio do Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Acre (Ifepac).

Anúncios

Destaque 3

Acre tem mais 226 casos de Covid-19 e nova morte pela doença, totalizando 647 óbitos

Publicado

em

O boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), mostra que a incidência da Covid-19 continua alto no Acre. Nesta sexta-feira, 18, são registrados mais 226 novos casos de contaminação pelo novo coronavírus. Assim, o número de infectados subiu de 26.716 para 26.942, nas últimas 24 horas.

Mais 1 óbito foi registrado nesta sexta-feira, sendo uma mulher de 78 anos: C.R.R., moradora de Mâncio Lima, deu entrada no dia 10 de setembro no Hospital Abel Pinheiro, e faleceu no sábado, 12, fazendo com que o número oficial de mortos pela doença suba para 647 em todo o estado.

O Acre, até o momento, registra 68.548 notificações de contaminação pelo novo coronavírus, sendo que 41.572 casos foram descartados. Ainda, 34 testes de RT-PCR seguem aguardando análise pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) e pelo Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 24.130 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 84 seguem hospitalizadas.

Continuar lendo

Destaque 3

Pesquisa do IBGE revela que mais de 500 mil acreanos passaram por insegurança alimentar

Publicado

em

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira, 17, uma Pesquisa de Orçamentos Familiares “POF” com informações sobre a composição orçamentária doméstica e sobre as condições de vida da população acreana. Os dados são referente aos anos de 2017 e 2018.

O resultado apresenta a relação da situação de Segurança Alimentar (SA) ou Insegurança Alimentar (IA) existente nos domicílios acreanos com as características do orçamento doméstico e o modo de viver das famílias.

Em 2017-2018, a POF estimou um total de 234 mil de domicílios particulares permanentes no Acre. Dentre esses, 41,3% estavam em situação de segurança alimentar enquanto 58,7% domicílios (521 mil pessoas) particulares restantes estavam com algum grau de insegurança alimentar.

Neste período, a proporção de domicílios em IA leve foi de 32,5%, sendo que 13,8% dos domicílios particulares estavam em IA moderada e 12,4% em IA grave.

Considerando o nível de IA grave como a forma mais severa de baixo acesso domiciliar aos alimentos, é possível afirmar, com base nos resultados da POF 2017- 2018, que cerca de 29 mil de domicílios (12,4%), passaram por privação quantitativa de alimentos, que atingiram não apenas os membros adultos da família, mas também suas crianças e adolescentes.

“Houve, portanto, ruptura nos padrões de alimentação nesses domicílios e a fome esteve presente entre eles, pelo menos, em alguns momentos do período de referência de 3 meses”, afirmou o IBGE.

Continuar lendo

Destaque 3

Governo anuncia hoje nova bandeira da classificação de risco da Covid-19 no Acre

Publicado

em

O Comitê do Pacto Acre sem Covid fará na tarde desta sexta-feira, 18, mais um anúncio de atualização da classificação de risco da pandemia do novo coronavírus no Estado. A última coletiva ocorreu no dia 2 de setembro, quando todas as regiões do Acre permaneceram na Bandeira Amarela. No momento, o Acre se encontra com 26.716 contaminados e 646 óbitos.

A classificação define quais estabelecimentos e setores comerciais estão autorizados a funcionar durante a pandemia. De acordo com a coordenadora do grupo, a farmacêutica Karolina Sabino, o cenário não mudou muito de lá para cá.

O Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 já reiterou inúmeras vezes que, conforme o aumento no número de novos casos da doença e o índice de internações, o Acre pode regredir para a faixa laranja ou progredir para a bandeira Verde, onde todos os setores são liberados para reabertura.

São estabelecidos quatro níveis de risco: Emergência (vermelha), Alerta (laranja), Atenção (amarela) e Cuidado (verde). Para determinar em qual o Estado se encontra, são avaliados ao menos 8 indicadores: isolamento social; notificações por síndrome gripal; novas internações por síndrome respiratória aguda grave; novos casos confirmados de covid-19; novos óbitos por covid-19; ocupação de leitos clínicos por pacientes com coronavírus e ocupação de leitos de UTI por pessoas acometidas pela covid-19.

Continuar lendo

Destaque 3

Número de candidatos à prefeitura de Rio Branco cresce 75% nestas eleições

Publicado

em

O número de candidatos a prefeito de Rio Branco cresceu 75% nestas eleições em comparação ao pleito de 2016.

Estão no páreo em 2020: Tião Bocalom (Progressistas), Roberto Duarte (MDB), Minoru Kinpara (PSDB), Jamil Asfury (PSC), Jarbas Soster (Avante), Daniel Zen (PT) e Socorro Neri (PSB).

Fora Socorro Neri, nenhum dos atuais estava como cabeça de chapa na eleição passada. A eleição atual vem se mostrando bastante diferente de 2016, começando pelo distanciamento social imposto pela pandemia da Covid-19 –e naquela eleição a secretária de Empreendedorismo do Acre, Eliane Sinhasique disputou a prefeitura de Rio Branco pelo MDB e agora, mesmo que o partido tenha candidato, ela decidiu apoiar a candidata do PSB.

Na eleição passada, Sinhasique disputou com Marcus Alexandre, do PT; Carlos Gomes, da Rede, e Raimundo Vaz, do PR.

Marcus Alexandre, que tinha Socorro Neri como vice, foi o eleito com maioria esmagadora dos votos.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas