Conecte-se agora

EXCLUSIVO: Perícia de vídeo não confirma que Kennedy puxou uma arma do colete do policial Alexandro

Publicado

em

pm_especialista_abre

Se torna cada vez mais misterioso o caso envolvendo o jovem Kennedy Magalhães, principal acusado de tentar empreender fuga, tomar a arma e efetuar um disparo fatal contra o cabo PM Alexandro que participava da abordagem na trágica segunda-feira, do dia 15 de agosto, na Rua Parati, no bairro Novo Horizonte, em Rio Branco.

Outro documento fundamental para a fase de julgamento, a perícia solicitada pelo Ministério Público do vídeo que mostra toda a ação dos militares e do principal acusado, não revelou que a arma foi retirada do colete do CB Alexandro.

LEIA MAIS
>PM é morto com tiro na cabeça ao tentar prender suspeito no Acre
>Policial morto durante ocorrência em Rio Branco era casado e tinha três filhos
>Vídeo mostra momento em que policial é morto em Rio Branco
>Advogado diz que PM exagerou em abordagem que terminou em tragédia
>Pai de jovem acusado de matar PM diz que família está ameaçada e aterrorizada
>Especialista afirma que não houve erro em abordagem que vitimou PM

> Exame residuográfico não detectou partículas de chumbo nas mãos do acusado

video

“É possível visualizar quando o acusado Kennedy tira algo do colete do CB Alexandro, não sendo possível definir que se trata de um objeto em específico”, diz a conclusão descrita no documento que a reportagem teve acesso exclusivo, assinado pelo perito criminal Bruno Santana Lustoza, do Instituto de Criminalística da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Acre.

Segundo a perícia, “o vídeo é autêntico, não se constatou divergência de descontinuidade e/ou alteração ardil com objetivo de manipulação intencional fraudulenta a ludibriar o  desenvolvimento das ações em evidência do seu conteúdo”.

PARA ENTENDER OS FATOS

militar-morto-1No dia 15 de agosto deste ano, após uma abordagem na Rua Parati, no bairro Novo Horizonte, em Rio Branco, o Cabo PM Alexandro foi alvejado com um tiro no pescoço, após lutar com outros colegas de farda para evitar a tentativa de fuga do jovem Kennedy Magalhães durante uma rotina policial que parecia ser simples, mas que terminou com o desfecho trágico.

Após a repercussão do caso, a família de Kennedy divulgou um vídeo que mostra toda a movimentação que aconteceu em frente à casa do acusado e, a partir daí, acusação e defesa começaram a travar uma batalha apontando teses para o desfecho.

A defesa alegou que a abordagem policial foi desproporcional e que pelas dificuldades impostas pelos militares, em momento algum, seu cliente conseguiu retirar a arma do coldre frontal da vítima.

A tese da defesa foi reforçada com o resultado da primeira perícia que também é fundamental para elucidação dos fatos, o exame qualitativo de pesquisa de partículas de chumbo residuográfico, que não detectou, segundo o perito criminal Airton Ferreira de Castela, “partículas de chumbo nas mãos ou no corpo de Kennedy Magalhães”.

No dia 11 de outubro aconteceu no Fórum Criminal a audiência de instrução do caso, com as oitivas de testemunhas de acusação e defesa, entre eles, policiais que participaram da abordagem e o acusado de ser co-autor do crime, Jonathan Clarc dos Santos, além de vizinhos e amigos intimados.

4ca487a0-442f-47cc-ab0f-dce9a63a6c86

Não houve pronunciamento por parte do juiz Alesson Brás que aguardava o resultado da perícia solicitada pelo Ministério Público Estadual sobre a autenticidade do vídeo. A defesa também solicitou a perícia da arma, o advogado quer saber se a pistola Taurus PT840 nº SDS85857 pode disparar sozinha, acidentalmente.

Para o delegado Carlos Bayma, que presidiu o inquérito, e o Ministério Público, não existem dúvidas, a denúncia oferecida foi acatada pela Justiça e Kennedy se transformou em réu em tempo recorde, no dia 06 de setembro do mesmo ano.

xxxx-5-1Novas provas – A perícia responde pelo menos a uma pergunta importante do Ministério Público e que vinha sendo alvo de vários questionamentos da sociedade que acompanha a elucidação do caso. Como a pistola Taurus voltou em direção ao Cabo PM Alexandre em movimento circular após o disparo?

Segundo a perícia, “a arma não fora jogada ao chão, na verdade ocorre o retorno do tensionamento do ‘fiel’ da pistola que era presa ao colete do CB Alexandro”. Ainda de acordo o documento técnico, a arma chega a se chocar contra a cabeça do militar caído ao chão após ter sido atingido por um disparo no pescoço. Essa parte importante é registrada com 00:01:59,09s do vídeo que tem tempo total de aproximadamente 09 minutos.

Novos questionamentos – O advogado do acusado, Romano Gouveia questiona porque a perícia técnica não respondeu aos questionamentos apresentados pela defesa. “É como se o contraditório não existisse, um desrespeito à Constituição” disse Romano.

Para o defensor de Kennedy, o laudo do vídeo é “inconclusivo, não demonstra em nenhum momento seu cliente como claro autor do disparo fatal, o que já tinha sido evidenciado em outra perícia de resíduo de pólvora nas mãos e no corpo do meu cliente”, acrescentou.

Ainda de acordo Romano, o vídeo não foi analisado em sua totalidade, deixando de mostrar o momento em que o pai de Kenedy é agredido com um tapa por um dos policiais que participaram da ação.

Romano pediu para ser incluído no processo de julgamento, vídeos e farto material que mostra acidentes com a arma Taurus especificamente no modelo vendido a diversas Polícias Militares no Brasil.

O advogado aposta ainda em dois fatos importantes solicitados à justiça: a reconstituição do suposto crime e a plenitude de defesa que é admitida no Tribunal do Júri. “Tenho certeza de que vamos conscientizar os jurados de que Kenedy deve ser julgado pelo grau de sua culpabilidade, sempre defendemos isso. A especificidade tem que ser concludente e não subjetiva”, concluiu.

 

Anúncios

Cidades

Parada há quase 2 anos, balsa de travessia no Rio Juruá passará 90 dias em reforma

Publicado

em

A balsa Comandante Deodato, que realiza a travessia de moradores entre as cidades de Cruzeiro do Sul e Rodrigues Alves, ancorada no Rio Juruá, está com os serviços parados para passar por uma manutenção. A embarcação será entregue reformada em aproximadamente 90 dias, na mesma data em que será inaugurada a via de acesso ao porto de Rodrigues Alves.

Hoje, está ancorada na margem esquerda do rio Juruá, em Cruzeiro do Sul. Segundo o gerente do Deracre-Juruá, Luciano Oliveira, a balsa está parada desde o governo passado e outra embarcação a substituí, promovendo a travessia da população nos dois sentidos do rio Juruá.

A recuperação da balsa Comandante Deodato deve oferecer economia ao Estado, pois a que está em uso atualmente tem um custo bastante elevado.

Continuar lendo

Cotidiano

Governo parabeniza Sena Madureira lembrando investimentos no município

Publicado

em

Nesta sexta-feira, 25, a terceira maior cidade do Acre, comemora 116 anos de história. Com uma população estimada em 46.511 pessoas, Sena Madureira só perde em quantidade de habitantes para Rio Branco e Cruzeiro do Sul.

Foi fundada pelo general Silveira de Meneses, que chegou no dia 25 de setembro de 1904 às terras do Seringal Santa Fé, às margens do Rio Iaco, onde fundou Sena Madureira. O nome da cidade é uma homenagem ao coronel do Exército Brasileiro Antônio Sena Madureira, que participou da Guerra do Paraguai.

O governador Gladson Cameli, por meio de um vídeo, parabenizou a população de Sena Madureira, lembrando ações que estão sendo realizadas pelo seu governo como a ponte do 2º Distrito e a reforma do Hospital João Câncio Fernandes.

Veja o vídeo:

Continuar lendo

Cotidiano

“Saudades né, minha filha?”: retorno de shows ao vivo terá roda de samba na capital

Publicado

em

Após a liberação do funcionamento de restaurantes e bares no Acre, o samba é um dos ritmos que marcam a retomada da música ao vivo nesses estabelecimentos. O sambista Bruno Damasceno segue com seu projeto ´Samba no Seringal´ com o tema “saudades né, minha filha? Voltamos!” neste domingo (27) a partir das 17 horas no Seringal Beer.

Os shows devem ocorrer ainda com percentual de 50% da capacidade total do estabelecimento que sedia o evento. O coordenador do grupo de enfrentamento à Covid-19 em Rio Branco, Osvaldo Leal, disse que as regras serão monitoradas.

A volta dos shows musicais ao vivo é uma decisão recente do Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19, tomada na última quarta-feira, dia 23. O retorno da música ao vivo em bares e restaurantes foi publicado no Diário Oficial desta quinta-feira, 24. O documento autoriza no máximo seis músicos por apresentação, além de estabelecer o limite de horário das atividades até às 22 horas.

De acordo com o protocolo elaborado pelo Estado, o volume de som deve ser reduzido em 20% do total de decibéis permitidos, conforme licenciamento ambiental. Também fica proibido o uso de instrumentos de sopro, além do distanciamento mínimo de quatro metros entre cantor, grupo musical e os clientes.

Ficam os estabelecimentos responsáveis ainda por ajustar a área restrita que acomodará o grupo musical e, também, pela fiscalização do cumprimento. “Estamos com muita saudade e esperando todos vocês. Lógico, cumpriremos todas as normas de segurança, mas estamos ansiosos demais”, diz Bruno.

Continuar lendo

Cotidiano

Renovação automática de alvarás sanitários é elogiada por empresários do Acre

Publicado

em

Após divulgação no Diário Oficial do Estado dessa quinta-feira, 24, comerciantes acreanos não precisarão renovar alvarás sanitários e de prevenção e proteção contra incêndios, além de alvarás expedidos pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (IDAF) até o dia 31 de dezembro de 2020. Para o Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/AC, esta é uma boa notícia às empresas que dependem desses documentos para darem continuidade aos seus negócios.

Os empresários que dependiam da renovação dos alvarás de prevenção contra incêndios, aqueles expedidos pelo órgão de vigilância sanitária do Estado e os de funcionamento emitidos pelo IDAF e, estavam vigentes em 20 de março deste ano, ficam renovados automaticamente até o final do ano. A Fecomércio afirma que esta é uma boa notícia para aquelas empresas que dependem de tais alvarás para darem continuidade em seus negócios, como: bares, restaurantes, salões de eventos, açougues, supermercados e mercantis que manipulam produtos animais entre outros.

Ainda segundo Garó, o momento tem sido flexível quanto às necessidades empresariais por conta da pandemia do novo coronavírus. “Permitindo seu funcionamento mesmo com os alvarás vencidos, prorrogando seus vencimentos, o que garante a geração de emprego, a manutenção dos existentes e a geração de renda para os trabalhadores”, finalizou.

O decreto faz parte da política de ações de enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da pandemia. De acordo com o decreto, “os Alvarás de Prevenção e Proteção Contra Incêndios (APPCI), alvarás sanitários expedidos pelo órgão de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde, assim como os alvarás de funcionamento emitidos pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal – IDAF, vigentes na data de 20 de março de 2020, consideram-se renovados automaticamente até 31 de dezembro de 2020, dispensada, para tanto, a emissão de novo documento de Alvará, devendo ser mantidas em plenas condições de funcionamento e manutenção todas as medidas de segurança contra incêndio e de proteção sanitária já exigida”, afirma Egidio Garó, assessor da Fecomércio.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas