Conecte-se agora

Para “amenizar” a crise com PMs, Civis e bombeiros, Governo do Acre deve documentar proposta de restituição de etapa alimentação

Publicado

em

As atividades do movimento contrário à proposta de suspensão da etapa alimentação de policiais militares, civis e bombeiros previstas para acontecer nesta quarta-feira (14) foram canceladas diante da sinalização do governador Sebastião Viana de documentar até a próxima sexta (16), a proposta de restituição da etapa alimentação retirada temporariamente.

A informação partiu da Associação dos Militares do Acre (AME). O comando da Policia Militar é quem vem intermediando a crise junto ao Palácio Rio Branco. No último dia 5, o governo enviou um recado para a categoria que não iria pagar a etapa alimentação aos policiais militares, civis e bombeiros aposentados a partir deste mês de dezembro.

A medida causou grande impacto junto as tropas. A redução nos salários dos militares atingidos em cheio pela medida, chega a R$ 855. A economia prevista pela equipe econômica do estado é de mais de um milhão de reais por mês. Ao todo são 1.824 pais de famílias que terão cortes nos salários.

“Vamos aguardar até sexta para ver se o governo cumpre com essa promessa de documentar a restituição do benefício, já temos assembleia conjunta marcada para a próxima terça-feira para deliberarmos sobre as próximas estratégias que estarão embasadas naquilo que o Palácio Rio Branco propor”, disse Joelson Dias, presidente da AME.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas