Conecte-se agora

Prefeitos de Santa Rosa, Bujari e Plácido de Castro continuam presos na Capital

Publicado

em

enrolados_01

Os prefeitos Roney Firmino, Raimundo Ramos -Tonheiro- e Rivelino Mota, de Plácido de Castro, Bujari e Santa Rosa do Purus, respectivamente, continuam presos, segundo confirmou a Superintendência da Polícia Federal do Acre, nesta sexta-feira, 16. Ambos foram detidos na quarta-feira, 14, durante a segunda fase da Operação Labor.

LEIA MAIS:
>>Após ação da PF, sucessor de Tonheiro se recusa a assumir prefeitura do Bujari

Diferente dos demais criminosos, os suspeitos de envolvimento com um esquema que fraudava licitações públicas que visavam a contratação de empresas terceirizadas de pessoal administrativo, os prefeitos não foram encaminhados ao complexo penitenciário da Capital e estão, atualmente, reclusos no Comando do Batalhão de Operações Especiais (BOPE).

Segundo informou o delegado Frederico Ferreira, coordenador da ação, os crimes iniciaram em 2013 e a movimentação pode chegar, preliminarmente, à casa dos R$ 2 milhões. Foram apreendidas notas fiscais e relações de funcionários na sede de uma das empresas envolvidas. Os nomes dos demais presos não foram divulgados.

LEIA MAIS
Três prefeitos do Acre têm prisões decretadas por comandar esquema de fraude em licitações

O esquema funcionava da seguinte forma: após ganharem as licitações, as empresas vencedoras emitiam notas fiscais e simulavam a prestação de serviços que nunca ocorreram. Ainda que recebessem para pagar trabalhadores, as empresas não contratavam ninguém, sacava os valores no bando e, depois, repassava parte do valor aos prefeitos.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas