Conecte-se agora

Projeto no Amazonas quer difundir o Tucupi de Prateleira pelo restante do Brasil

Publicado

em

Um ingrediente muito presente na culinária amazônica e indígena, o tucupi, poderá chegar à mesa dos consumidores de uma forma diferente. Pesquisadores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifam), no Amazonas, trabalham no projeto Tucupi de Prateleira. A finalidade é enaltecer o produto regional, promover o envasamento dentro dos padrões dos órgãos de segurança alimentar e ainda aumentar a produtividade. A iniciativa é desenvolvida em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

O tucupi é uma espécie de molho feito a partir da extração do sumo da mandioca brava. Também conhecida como macaxeira ou aipim, a mandioca é descascada, ralada e prensada. A parte sólida é usada na produção de farinha, e o líquido de cor amarela é fervido por várias horas para extrair o veneno presente na planta. Depois desse processo, o tucupi já pode ser consumido e compor algum prato, como o pato no tucupi, típico da região.

Atualmente o produto é vendido em garrafas PET reaproveitadas. Segundo a estudante de tecnologia em processos químicos do Ifam e responsável pela pesquisa, Suane Costa, os produtores vendem o tucupi para os comerciantes que fazem o processo de tempero e embalagem. Com o projeto, o tucupi será comercializado em uma embalagem tipo saco plástico, com rótulo e especificações técnicas do produto.

“Hoje o tucupi, na forma como ele é comercializado, tem prazo de validade médio de 15 dias. Com a técnica que vamos aplicar, esse prazo sobe para três a seis meses. Não vamos interferir totalmente na cadeia, mas, vamos padronizar [o processo de extração] com a máquina prensa que está sendo desenvolvida que será disponibilizada ao produtor em sistema de Comodata [empréstimo gratuito]”, explicou Suane. A expectativa é que o tucupi em nova embalagem já esteja disponível no mercado amazonense até dezembro deste ano.

Prensa

De acordo com o coordenador de Culturas Industriais da Secretaria de Produção Rural do estado (Sepror), Alexandre Araújo, essa máquina de prensa, que vai ser emprestada aos produtores, vai substituir o tradicional tipiti (tecido em que se espreme a mandioca). Com isso, haverá maior aproveitamento da matéria-prima. “Vai também incentivar que os produtores passem a trabalhar mais com o próprio tucupi. O que acontece hoje é que o maior produto trabalhado como derivado da mandioca é a farinha, depois a goma. O tucupi geralmente é jogado fora sem cuidados ao meio ambiente. No momento em que você valoriza esse produto, ele passará a ser mais produzido e mais comercializado.”

O novo processo deve diminuir o custo de produção e, consequentemente, o tucupi deverá ser repassado aos comerciantes com um valor mais baixo.

Seu Jorge do Tucupi, como prefere ser chamado, trabalha com o produto há mais de 30 anos e demonstra interesse em comercializá-lo na nova embalagem. “Se vier assim, embalado e com preço menor, talvez seja melhor. Talvez a gente tenha menos despesa. Tem muita despesa para levar, trazer, comprar embalagem, rótulo”, disse o comerciante.

Lidiane Gomes vende tucupi há dois anos na Feira Manaus Moderna. Ela considera vantajosa a industrialização. “Fica bem higiênico, mais bem conservado. Pelo menos do ponto de vista da gente que trabalha com a venda, ficaria ótimo”, avalia a vendedora.

Exportação

A pesquisadora acredita que, com um prazo maior de validade, o tucupi possa ser exportado para outros estados, como o Pará, que é um grande consumidor. Segundo ela, um manual de boas práticas do processo produtivo será elaborado em parceria com os produtores de farinha e tucupi, levando em consideração a realidade local.

“O projeto está em fase de implantação da empresa que vai gerenciar todo o processo. Estamos captando recursos e também, em paralelo, estamos ainda em processo de mapeamento dos produtores, confecção de manuais, visita a fornecedores e pretensos fornecedores”, explicou Suane.

Anúncios

Acre

Bocalom reafirma fala e diz que se baseou em artigo científico

Publicado

em

Até então escondido e se manifestando por meio de porta-voz, o candidato Tião Bocalom (Progressistas) publicou um vídeo neste sábado, 28, para se manifestar acerca das declarações que deu em entrevista recente ao jornalista Washington Aquino, da TV 5, onde afirmou que as crianças não têm tanto problema com a Covid-19.

Na entrevista à TV 5, Bocalom também defendeu a imunização de rebanho para Rio Branco se livrar da Covid-19. “A gente sabe que precisamos pegar covid também pra poder ficar imunizado”, afirmou.

No vídeo deste sábado, 28, o progressista reafirmou a fala sobre a covid-19 em relação às crianças, mas destacou que se baseou em um artigo científico para tal assunto. “Eu não sou homem de fugir das minhas responsabilidades e dos meus atos. Agora eu defendo a verdade, eu falo a verdade, e essa frase do covid foi dito por mim, mas eu apenas me embasei em um artigo científico escrito por pediatras de São Paulo. E o nosso adversário, está usando a força da máquina distorcendo todos os fatos”, destacou Bocalom.

Por fim, Bocalom afirmou que nessa situação se sente vítima e que não acredita que as pessoas realmente acham que ele colocaria a vida de crianças e idosos em perigo.

“Eu estou sendo vítima, sinceramente, não posso acreditar em sã consciência, que alguém acha que eu seria a favor de colocar a segurança das nossas crianças e famílias em risco. Saúde é um tema que trato com muita responsabilidade afinal estou a mais de 5 anos lutando pela saúde da minha esposa, que se encontra na UTI além é claro de ter perdido o meu filho que tinha apenas 12 anos de idade com leucemia por tanto meus amigos, eu sei muito bem o que é lutar contra doenças”, encerrou.

video

Continuar lendo

Destaque 2

Após 2º turno, Gladson deverá repactuar espaços de partidos no governo com uns ganhando e outros perdendo

Publicado

em

O governador Gladson Cameli aguarda apenas o resultado do segundo turno das eleições em Rio Branco para realizar sua reforma administrativa e também a repactuação de espaços de partidos em seu governo. Apesar de não admitir publicamente, assessores palacianos afirmam que o chefe do executivo já trabalha com a possibilidade do candidato a Progressista Tião Bocalom vencer o pleito do próximo domingo, 27.

“Ele aguarda apenas a oficialização do resultado e deverá oferecer toda a estrutura necessária para que Bocalom possa fazer uma boa transição e iniciar uma boa gestão. Não vai existir má vontade por parte do chefe. Ele sabe que é importante ter uma boa relação com o prefeito eleito, independente de quem seja”, relatou ao ac24horas um assessor próximo.

Acusado por partidos aliados que o ajudaram a chegar ao poder nas eleições de 2018, principalmente pelo vice-governador Major Rocha, de conceder maiores fatias dos cargos e dos espaços a partidos inexpressivos, como o Solidariedade, da deputada federal Vanda Milani, Cameli deverá fazer mudanças bruscas já que não pode nomear mais pessoas devido a Lei de Responsabilidade Fiscal e por também priorizar a nomeação de concursados, como agora o cadastro de reserva da Polícia Militar.

Nos bastidores, o Solidariedade é apontado por ter mais de 150 cargos e duas secretarias, Esse tamanho seria abatido para menos da metade com o intuito de harmonizar as forças dentro do governo. O partido perderia uma das secretarias, mas é bem provável que o grupo que coordena o Instituto de Meio Ambiente do Acre seja trocado, ficando sobre a órbita da família Milan apenas a Secretaria do Meio Ambiente.

Outra mudança que deve se confirmar é a saída do médico veterinário Edivan Maciel pelo governo entender que ele não é um indicação do PSDB, mas sim por supostamente ter ligações fortes com o pecuarista Assuero Veronez, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Acre (FAEAC), tido no Palácio Rio Branco como “persona no grata”. No lugar de Edivan, existe a possibilidade do deputado Luiz Tchê (PDT) pedir licença do mandato para assumir a pasta e abrir vaga para que o suplente Gemil Junior assuma a vaga de deputado para criar mais espaços para o PDT dentro do governo. Aliás, existe a possibilidade que caso não assuma a SEPA, o PDT deverá ficar com outra secretaria, o que ainda não está definido pela cúpula do governo.

As secretarias que detêm maior poder de execução, como Sefaz, Seinfra, Sedur, Seplag continuarão sob a batuta de escolhas pessoais do governador e não deverá ter aparentemente mudanças. Outra autarquia que deverá ser alvo da caneta do governador será o Detran, que deverá passar para o comando político do deputado estadual Pedro Longo e seu grupo político.

Continuar lendo

Cotidiano

TRE-AC sorteia seções eleitorais que passarão por auditoria na votação deste domingo

Publicado

em

A Comissão de Auditoria da votação eletrônica do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC) sorteou, na manhã deste sábado, 28, as cinco seções eleitorais do município de Rio Branco, cujas urnas eletrônicas serão submetidas aos procedimentos de fiscalização e auditoria do sistema eletrônico de votação.

A finalidade da ação, segundo o Tribunal, é reafirmar a confiabilidade, a segurança e a transparência do processo eleitoral que será concluído neste domingo, 29. Presidida pelo Juiz de Direito Fernando Nóbrega, a auditoria é regulamentada pela Resolução TSE nº 23.603/2019, alterada pela Resolução TSE nº 23.624/2020.

De acordo com o resultado do sorteio, realizado no auditório do Ministério Público estadual, localizado nos altos da Galeria Cunha, centro de Rio Branco, serão submetidas à auditoria da votação eletrônica, no dia da votação (29/11/2020), as urnas eletrônicas pertencentes às seguintes seções eleitorais: 0439 (1ª ZE – Rio Branco); 0370 (9ª ZE – Rio Branco) e 0767 (1ª ZE – Rio Branco).

As outras duas seções eleitorais sorteadas para os procedimentos de verificação da autenticidade e integridade dos sistemas, cuja auditoria será realizada nas respectivas seções pelos juízes eleitorais, foram a 0101 (9ª ZE – Rio Branco) e a 0779 (1ª ZE – Rio Branco).

Participaram do sorteio, realizado de forma manual, como determina a resolução do TSE, todas as seções eleitorais do município de Rio Branco. A atividade aconteceu sob a supervisão da comissão de auditoria, do Promotor de Justiça Adenilson Sousa, na presença dos auditores externos Geverson Paulo Moreira Frota e Mariana da Silva Souza Frota.

Representantes de coligações e partidos políticos e demais entidades fiscalizadoras, embora tenham sido convocadas para o ato, não compareceram. Todos os atos da auditoria serão transmitidos ao vivo pelo canal do YouTube TRE-AC Notícias, no seguinte endereço: https://www.youtube.com/channel/UC9a9vb-wc1QAsCpBl3B5wbw.

Com informações do Portal do TRE-AC.

Continuar lendo

Cotidiano

Segundo turno das Eleições 2020 terá os mesmos protocolos contra a Covid-19

Publicado

em

Eleitores de 57 cidades em todo o Brasil, entre elas Rio Branco, voltam às urnas neste domingo (29) para escolher seus prefeitos no segundo turno das Eleições Municipais de 2020. Para garantir a proteção de todos durante a votação, O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manterá todos os protocolos sanitários e os cuidados adotados no primeiro turno, realizado em 15 de novembro.

O TSE informou que os protocolos inseridos no Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020 foram elaborados por uma consultoria gratuita formada por especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e dos hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein. O objetivo é evitar aglomerações e a disseminação do novo coronavírus nas seções eleitorais.

Assim, a orientação do TSE é para que o eleitor saia de casa, vote e retorne à sua residência sempre usando máscara facial. Antes e depois de votar, o eleitor deverá higienizar as mãos com álcool gel, que estará disponível em cada seção. Enquanto estiver na seção, ele deverá também respeitar o distanciamento entre uma pessoa e outra, definido pelos marcadores adesivos que estarão no chão.

Máscaras

O uso de máscara facial é obrigatório para que o eleitor possa entrar e permanecer na seção eleitoral. A medida também vale para os mesários, que, além das máscaras, deverão utilizar face shields (protetores faciais). Caso o eleitor se dirija à seção eleitoral sem usar máscara e insista em descumprir o protocolo sanitário, ele poderá ser impedido de entrar.

A recomendação para que o eleitor leve a sua própria caneta também continua valendo no segundo turno. Mas o uso da caneta é apenas para o eleitor assinar o caderno de votação. Ela não deve ser utilizada na cabine de votação, diante da urna, como chegou a ser erroneamente divulgado por meio da internet.

Identificação

A exemplo do primeiro turno, ao entrar na seção eleitoral, o eleitor deverá mostrar um documento oficial com foto, esticando o braço para que o mesário possa, a distância, verificar os seus dados de identificação. Nos locais de voto, não será permitido ao eleitor se alimentar, beber ou praticar ação que necessite a retirada da máscara facial.

O eleitor também deve ficar atento à proibição do uso de aparelho celular dentro da cabine de votação. A proibição tem por intuito proteger o sigilo do voto. A Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições) proíbe expressamente o ingresso, na cabine de votação, com celular, máquina fotográfica e filmadora.

Segundo informa a Assessoria de Comunicação do Tribunal Regional Eleitoral (TSE), as recomendações para a preservação da saúde de eleitores e mesários estão previstas na Resolução TSE nº 23.631/2020 e no Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas