Conecte-se agora

Governo do Acre reconhece atraso em obras nas regiões isoladas e acusa Banco

Publicado

em

O governo do Estado reconheceu, através do Depasa, o atraso no cronograma de obras do município de Porto Walter (Ac) e disse que previsão para retomadas dos investimentos é no verão deste ano. O prefeito Zezinho Barbary disse em entrevista para o ac24horas, que “o governo acabou com as ruas que tinham em Porto Walter”.

20160118104541 (1) - Copia

Barbary relatou quem em 2012, Sebastião Viana foi com uma equipe de engenheiros para a cidade e anunciou investimentos do Banco Mundial no valor de R$ 22 milhões. A pavimentação seria de 9 km de ruas. Ainda de acordo Barbary, as máquinas tiraram a pouca pavimentação que existia e após as eleições daquele ano nenhum trabalho foi feito.

A situação das ruas com o forte período invernoso que atinge a região do Juruá ficou critica. O prefeito chegou a ameaçar decretar estado de emergência por causa da situação. “A população tem me cobrado com razão, mas sabe que a responsabilidade por essa situação é do governo do Estado que deu as costas para Porto Walter” acrescentou.

No início da semana o prefeito Zezinho Barbary vistoriou ao lado do senado Gladson Cameli (PP-AC) a primeira avenida da cidade: a Dom Luiz Herbeth. A obra recebeu recursos de emendas individuais do senador no valor de R$ 1,2 milhão. Segundo o prefeito, é a única rua pavimentada do município exatamente por ter ficado fora do pacote do programa do Banco Mundial. “Está pavimentada de barranco a barranco”, destacou Barbary.

De acordo com a estatal de notícias do governo, no dia 2 de fevereiro de 2012, o Depasa enviou insumos para a cidade de Porto Walter. Imagens de balsas transportando tijolos, cimento e outros materiais ilustraram a informação. A mesma notícia falava do objetivo do estado “vencer a barreira do isolamento e traçar rotas alternativas de logística” para levar infraestrutura aos locais mais isolados.

Equipes do Banco Mundial e do BNDES estiveram no Acre para fazer uma vistoria técnica e monitoramento de obras financiadas pela instituição. Durante três dias, os técnicos estiveram em Sena Madureira, Manoel Urbano, Feijó, Tarauacá, Rodrigues Alves, Mâncio Lima e Cruzeiro do Sul. Porto Walter foi o único município que não foi visitado.

O OUTRO LADO:

Procurada a Assessoria do Depasa informou o que todos já sabem, que “o município faz parte do Programa de Saneamento Integrado financiado com recursos do Banco Mundial e não faz parte do escopo inicial do programa Ruas do Povo”. Ainda de acordo a assessoria, o projeto é voltado para atendimento dos quatro municípios isolados: Santa Rosa do Purus, Jordão, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo.

O governo acrescentou que somente para Porto Walter o investimento previsto é de R$ 17 milhões para serem aplicados em implantação do sistema de esgotamento sanitário, ampliação da rede pluviais, abastecimento de água, pavimentação e aterro sanitário.

Salientou que as obras de drenagem e implantação da rede de água e esgoto foram iniciadas em 2013 e 2014, mas paralisadas devido a problema com o atraso no repasse dos recursos. A previsão de retomada das frentes de trabalho é para o verão de 2016.

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas