Conecte-se agora

Designer gráfico peruano acusa Ilderlei Cordeiro de calote; candidato diz que denúncia é “armação do maldito”

Publicado

em

O designer gráfico, Ricardo Reynaldo Bellido Galvez denunciou na tarde desta terça-feira (23), que teria levado um calote do candidato a deputado federal Ilderlei Cordeiro (PR), que nega a dívida e se defende dizendo tudo não passa de “uma armação do maldito” para prejudicar sua campanha eleitoral.

O peruano Ricardo Bellido disse que chegou em Rio Branco, no dia 25 de julho, em busca de trabalho na área de marketing, quando foi indicado para Ilderlei Cordeiro, por um dono de uma empresa de plotagem. O candidato fez um acerto de R$ 1,2 mil por toda a arte de campanha, mas cordeiro teria pagado apenas R$ 300.

“Ele aproveitou que eu não conhecia as leis brasileiras e fez um acordo verbal. Fui levado para uma gráfica, onde ele adiantou R$ 300 – depois que entreguei as artes, ele sumiu. Encontrei ele numa igreja, mas ele apenas debochou de mim. Um assessor do Ilderlei mandou eu procurar meus direitos”, diz Bellido.

O designer gráfico revela que estaria passando por sérias dificuldades financeiras. “Quero receber este dinheiro para voltar para o meu país. Acredito que uma pessoa que quer representar um estado não pode agir desta maneira. Sou um trabalhador, quero receber o fruto de meu trabalho”, enfatiza.

Peruano_02

ilderlei_01Procurado pela reportagem, o candidato Ilderlei Cordeiro, que é evangélico fervoroso, iniciou a conversa tratando a questão pelo ponto de vista religioso: “meu amigo, isso é uma armação do maldito para prejudicar minha campanha. Eu não devo nada para este rapaz, meu acerto foi com a gráfica onde foi tudo pago”.

Questionado pelo valor do adiantamento que o designer afirma ter recebido, Ilderlei Cordeiro reconheceu que Ricardo Reynaldo Bellido, teria trabalhado para ele, “mas abandonou o serviço antes de terminar, nós tivemos que contratar outra pessoa. Resultado, o serviço saiu mais caro do que o esperado”.

O designer nega que tenha abandonado o serviço. “Eu estou no Brasil em busca de trabalho. Como é que eu poderia abandonar a fonte de meu sustento? Meu erro foi fazer um acordo com um pessoa sem palavra. Já procurei o Ministério Público, o juizado especial, mas ninguém pode me ajudar sem um contrato”.

O candidato Ilderlei Cordeiro, se comprometeu em procurar o dono da gráfica onde o serviço foi feito para agendar uma conversa com Ricardo Reynaldo Bellido. “Eu tenho minha consciência tranquila que não tenho nenhum débito com este rapaz. Se há alguma dívida é da gráfica”, finaliza Cordeiro.

 

 

 

 

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas