Conecte-se agora

Mesa diretora tenta acabar com os ratos na Assembléia Legislativa do Acre

Publicado

em

“Não vai sobrar nenhum rato para contar história”, disse um dos trabalhadores que realizaram a desratização e dedetização do prédio da Assembleia Legislativa do Acre na sexta-feira (19), quando o expediente foi suspenso na Casa do Povo, para que a ameaça da presença animais roedores e isentos fosse combatida.

O anuncio da dedetização do prédio da Aleac coincidiu com o período do protesto solitário que o candidato a deputado estadual Salomão Matos (PP) fez ao estacionar seu “carro ratoeira” na frente do prédio, pedindo a “desratização urgente da Casa do Povo, que para ele virou o lugar dos ratos”.

mesa_02O trabalho de dedetização começou nas primeiras horas de sexta-feira. Os trabalhadores começaram pela cobertura e terminaram nos pequenos jardins no hall de entrada da Aleac. Um dos funcionários da empresa de dedetização informou que o veneno utilizado vai manter o prédio limpo por alguns meses.

Estranhamente, o movimento intenso de pretensos políticos e pessoas que procuram os parlamentares em busca de “favores” não aconteceu. Os candidatos que vão à Casa diariamente também ficaram longe da sede do Poder Legislativo. No hall de entrada, só um pedinte permaneceu sentado.

Apenas dois servidores da Aleac ficaram na portaria durante a desratização e dedetização. O serviço de combate às visitas indesejáveis de roedores e isentos não permitiu que os servidores cumprissem expediente. Os deputados também tiveram direito a um final de semana prolongado, longe do cheiro do veneno.

A medida de combate aos animais roedores é uma clara demonstração que os membros da Mesa Diretora da Aleac estão empenhados em acabar com os ratos no Poder legislativo, nem que seja por alguns meses, enquanto durar a garantia do trabalho de desratização da empresa de dedetização.

mesa_03

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas