Conecte-se agora

Bocalom e Roberto Duarte testemunham escalada da violência no Bairro Chico Mendes

Publicado

em

Durante a caminhada da caravana dos candidatos Tião Bocalom (DEM) ao governo do Acre e Roberto Duarte (PMN) ao Senado, no Bairro Chico Mendes, os candidatos da coligação Produzir para Empregar, estiveram com vítimas da onda de violência que vem sacudindo a cidade de Rio Branco, nos últimos meses.

Uma senhora, que tem um comércio na Rua da União, perdeu o marido durante um assalto, ocorrido há cerca de um mês. A duzentos metros do local, outro comerciante, Jair Goulart Freire do Vale, depois de ter sido assaltado seis vezes, mostrou as marcas de um tiro de escopeta disparado por um assaltante. Com medo de represálias, o homem não quis aparecer.

“Esta comunidade está vivendo sob o domínio da violência. Os constantes assaltos, arrombamentos, brigas de gangues e o tráfico de drogas nesta região deixaram as pessoas como muito medo. A população acreana vive uma sensação de insegurança”, disse Bocalom ao pedir para a equipe de reportagem não expor a imagem das vítimas.

boca_02

Bocalom garantiu que vai ampliar e fortalecer o efetivo da Polícia Militar, caso seja eleito, contratando 3,2 mil novos profissionais, dotando-os com equipamentos modernos. Disse também que sua intenção é  reestruturará as delegacias, melhorando as condições de trabalho dos policiais civis, investindo em inteligência.

“Enquanto não diminuirmos os problemas econômicos e sociais, principais causas da violência, vamos combater firmemente esse que é um dos principais problemas a serem enfrentados”, garantiu o candidato, afirmando que vai criar a Polícia da Família, caso seja o escolhido para comandar o Estado.

Morador do bairro há 20 anos, o comerciante Francisco de Paiva Andrade, que trabalha em uma mercearia cercada por grades, já foi assaltado três vezes. “Estou trabalhando para os bandidos”, ironizou ele, afirmando que, “além de nunca terem construído um box da PM no bairro, a ronda policial é praticamente inexistente”.

Os comerciantes Raimundo da Costa Brava, Dílson Miranda da Silva, José Oliveira Pimentel e Joselmo Souza Santos também relataram casos de assaltos e arrombamentos em seus estabelecimentos.

Para conter a escalada da violência, o candidato ao Senado, advogado Roberto Duarte, defende a mudança do Código Penal, destacando a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, o que, em sua opinião, desestimularia a impunidade.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas