Conecte-se agora

Proposta inovadora da “poupança alfabetização” diferencia Bocalom dos demais postulantes ao Palácio Rio Branco

Publicado

em

“Mas eu não disse que fizessem qualquer coisa, menos registrar 13 candidaturas para deputado federal!”. A bronca toda era por causa do número 13, que o supersticioso Tião Bocalom não quer que figure em nenhuma informação de sua campanha rumo ao Palácio Rio Branco. Sem abandonar o estilo casmurro, o ex-prefeito de Acrelândia vem com a mesma linguagem para esta campanha: maracutaia, corrupção, panelinha, em Acrelândia… são adjetivos utilizados contra o PT do Acre em qualquer minuto de entrevista que lhe é oportunizado.

SEBASTIÃO CHAMADAMas a briga não é somente com o número 13. Em uma sucessão de erros Bocalom jogou fora este ano, primeiro uma confortável candidatura a deputado federal pelo PSDB, na quebra de um acordo que ele fez com Márcio Bittar na pré-campanha de prefeito, em 2012; depois teve um novo episódio que a imprensa tratou como rasteira, desta vez com o desastrado senador Petecão. Quando todos diziam que Bocalom estava fora da disputa majoritária foi a mão amiga de Petecão – numa clara demonstração de tentar enfraquecer o grupo de Márcio Bittar – que lhe ajudou a conseguir o DEM. Depois de ser empossado como presidente do partido, Bocalom se esqueceu do pacto e lançou sua candidatura majoritária – a quarta consecutiva – e terceira concorrendo ao cargo de governo do Estado, sem a análise de melhor nome nas intenções de votos entre o dele e o de Petecão. Foi com clara intervenção dentro do DEM que acabou fazendo tudo que combatia em discurso.

Marcio ChamadaSeguindo a mesma linha de cardeais da Frente Popular do Acre – onde esteve durante o ano de 2008 ocupando cargo de secretário de agricultura – Bocalom vê como natural os conflitos lhe envolvendo com lideranças do PSDB e PSD. “Não tenho inimigos políticos, tenho adversários”, faz questão de afirmar.

Mas este não é o único assunto que consegue lhe tirar do sério. A sua suposta aproximação com o grupo do contraventor, Carlinhos Cachoeira é outra história mal explicada. A campanha de Bocalom para governo seria financiada por Thiago Fernandes Rodrigues Teixeira, sócio do advogado Neilton Cruvinel que defendeu o ex-senador Demóstenes – acusado por oito crimes de corrupção passiva, além do crime de advocacia.

Na sua pré-campanha, Bocalom confirmou em entrevista concedida ao programa Gazeta Entrevista (Tv Gazeta), que o DEM negociou a pré-candidatura de Thiago Fernandes Rodrigues Teixeira para deputado federal no Acre, em troca de ajuda financeira para a sua campanha. Thiago é lotado no gabinete do senador José Agripino com quem Bocalom esteve na última semana em Brasília e que coincidentemente é o coordenador de campanha do presidenciável Aécio Neves.

Agora Bocalom nega que esse projeto de candidatura de Thiago Fernandes tenha tido êxito. Indiferente à enxurrada de fatos contra a sua imagem, aposta no chamado recall eleitoral para vencer as eleições deste ano. Quem entra na nova sede do DEM, localizada na Avenida Nações Unidas, na capital, recebe como cartão de visita um material reproduzido em preto e branco que apresenta dados de uma pesquisa registrada no TRE-AC sob nº 023/2014 (pelo Instituto Phoenix) em que coloca o democrata em vantagem pela disputada do executivo acreano.

Na pesquisa que Tião Bocalom prefere não acreditar, feita pelo Instituto Delta em junho deste ano, os números indicam que a pecha de não cumpridor de promessa não pegou. Apenas 8% o veem assim. Ele é visto por 11,32% dos entrevistados como um político honesto e por outros 11% como bom gestor. Esta última imagem, de administrador, a equipe de campanha garante trabalhar durante o horário eleitoral. É a certeza de ouvirmos repetidas vezes o nome Acrelândia no horário nobre. A ladainha não deu certo em 2012, mas quem não abre mão dela é o próprio candidato.

Além dessa, qualidade, ética e transparência serão peças de marketing na campanha do democrata. O plano de governo registrado no TRE fala dessa disciplina para aplicar bem o dinheiro público e no atendimento as pessoas. A promessa é a de que será o governo mais transparente do Brasil já no primeiro ano de mandato, caso seja eleito. O apoio à produção, uma das marcas de seu discurso também será focado. Para o democrata, a enchente do rio Madeira fortaleceu sua tese de Produzir Para Empregar. Ele aposta no apoio da zona rural para ir ao segundo turno com Sebastião Viana (PT) ou Márcio Bittar (PSDB).

Como Bocalom vai conseguir mostrar isso em pouco mais de 120 segundos, talvez seja a maior equação que vem tirando o sono do professor de matemática. Com números reduzidos de partidos coligados (apenas PMN e PV), o ex-prefeito de Acrelândia perderá quase cinco minutos de programa de rádio e tv com relação à eleição de 2010. Deve aparecer pouco mais de meia hora na telinha da TV (incluindo as inserções partidárias).

Para tornar sua campanha mais criativa e menos jornalística, Bocalom oficializou divórcio com o marqueteiro baiano Zé Américo que lhe acompanhou desde 2006. Em fevereiro de 2013, o publicitário ameaçou entrar na Justiça para receber a última parcela do contrato firmado com o PSDB para prestação de serviços durante o 1º turno e todo o valor acertado para o 2º turno do período eleitoral de 2012. Mas o desfecho desse mal entendido acabou bem para ambos os lados.

Uma equipe de Rondônia (mesmo estado do Instituto Phoenix) foi contratada para o desafio de eleger Bocalom governador. É aí que o DEM esconde o jogo, não revela como fará para dividir o minguado tempo de rádio e tv com as aparições de Tião Bocalom e seu vice, o deputado federal Henrique Afonso que tem forte influência em Cruzeiro do Sul e no segmento evangélico..

O que a direção do partido não esconde é o arsenal que está sendo preparado contra o governador Sebastião Viana. A Coligação trabalha fortemente elementos da realidade. Pretende unir política e economia no mesmo diagnóstico. A publicidade deve permanecer em torno do escândalo G7, manter como pauta a corrupção e pontos que considera frágeis da gestão do petista Sebastião Viana, como saúde, segurança pública e geração de emprego e renda. Nesse sentido, Bocalom quer contar com o PSDB como aliado. “Eles vão ter mais tempo de televisão, o Márcio precisa bater”, receitou.

Bocalom_700_fundo

Bocalom afirma não ter medo de nada que possa ser rebatido pela Frente Popular, nem mesmo o avivamento do processo do INCRA que em 2012 o acusou por grilagem em terras destinadas à reforma agrária e falsa declaração patrimonial à Justiça Eleitoral.

Se a Frente Popular escalou o prefeito Marcus Viana para coordenar a campanha em Rio Branco, a Coligação Produzir para Empregar aposta em Henrique Afonso para reverter o quadro político em Cruzeiro do Sul, aonde Bocalom patina com 11% das intenções de votos e tem mais de 21% de rejeição (segundo pesquisa Delta). Henrique Afonso teve 47% dos votos válidos na última eleição para prefeito.

O que parece ser novo na proposta de Bocalom, identificado pelos mais críticos como “eterno candidato”, são promessas registradas em seu plano de governo que atingem grandes massas como a de Bolsa Jovem – destinada a estudantes do ensino médio e a poupança alfabetização. Este último projeto foca 118 mil analfabetos no Acre (dados do IBGE fornecidos pela coligação).

Mais rico – conforme dados de patrimônio informado ao TRE – aos 61 anos, Bocalom afirma que está preparado psicologicamente para o embate. Este ano, ele não contará com o apoio nas ruas da esposa, dona Beth Bocalom, que vem enfrentando problemas de saúde. Na semana passada também perdeu uma irmã vitima de câncer. Mas o vovô Bocalom, como é chamado carinhosamente pelas netas, afirma que isso tudo está superado. De nova moradia – uma casa alugada no bairro do Bosque -, o democrata diz que sua preparação física é feita nas ruas, para onde sai às 5 horas da manhã. Com o slogan “a mudança que o povo quer”, ele acredita que será identificado com verdadeira oposição. Mas jura que não vai agredir Márcio Bittar de quem espera apoio no segundo turno. Talvez, por isso, Bocalom ainda atenda no antigo telefone que tem 45 como prefixo, diferentemente do 13. Esse número não é permitido no seu vocabulário.

“Vou para as ruas sem ódio, mas com oposição firme que mostra os erros e as maracutaias do PT”, concluiu.

Dados de Bocalom
Nome de batismo: Sebastião Bocalom Rodrigues
Idade: 61 anos (18/05/1953)
Naturalidade: Bela Vista do Paraiso
Estado Civil: Casado(a)
Ocupação: Professor de Ensino Médio
Escolaridade: Superior completo

Urna_ BocalomCandidato a Governador Bocalom 25
Número: 25
Nome para urna: Bocalom
Cargo a que concorre: Governador
Estado: Acre
Partido: Democratas
Coligação: PRODUZIR PARA EMPREGAR (DEM / PV / PMN)

Anúncios

Acre

Casos de pessoas com sintomas gripais caem para 5,4% no Acre

Publicado

em

Caiu de 12,8% em maio para 5,4% em agosto a faixa da população do Acre que disse ter sentido algum sintoma de gripe no período. O número de pessoas que disseram ter sentido os sintomas conjugados também caiu substancialmente no período: de 3,9% para 1,3%. Os dados são do IBGE.

Já o percentual de pessoas que fizeram algum teste para detectar Covid-19 e o de pessoas que testaram positivo subiu um pouco entre julho e agosto. Quem fez algum teste eram 5,1% da população em julho e subiu para 6,0% em agosto – e quem testou positivo eram 1,3% e depois 2,0%.

A Unidade da Federação com o maior percentual de testes realizados foi o Distrito Federal, com 19,4%, seguida por Piauí (14,4%) e Roraima (12,0%). Por outro lado, Pernambuco registrou o menor percentual (5,8%), seguido por Acre (6,0%) e Minas Gerais (6,1%).

No país, praticamente não houve diferença no percentual de pessoas de homens e de mulheres que fizeram algum teste para coronavírus, 8,3% e 8,7%, respectivamente. Por grupos de idade, o maior percentual foi entre as pessoas de 30 a 59 anos de idade (11,9%), seguido pelo grupo de 20 a 29 anos (9,5%) e, entre as pessoas de 60 anos ou mais de idade, 7,3% realizaram algum teste.

Quanto maior o nível de escolaridade, maior foi o percentual de pessoas que fez algum teste, entre as pessoas sem instrução ao fundamental incompleto, 4,4% e, entre aqueles com superior completo ou pós graduação, 17,9%.

Quanto maior a classe de rendimento domiciliar per capita, maior o percentual de pessoas que realizaram algum teste para Covid-19. chegando a 18,0% para as pessoas no décimo mais elevado e abaixo de 5,0% nos dois primeiros décimos. O percentual de pessoas que testaram positivo variou 18,7% (no 10° décimo) a 26,4% (no 2° décimo).

Continuar lendo

Cotidiano

Velório de jornalista acontece a partir das 13 horas na capela do Morada da Paz

Publicado

em

A família do jornalista Tião Vitor, encontrado morto na noite desta quarta-feira, 23, informou que o velório acontecerá a partir das 13 horas na capela do cemitério Morada da Paz. O sepultamento acontece às 17 horas.

Tião Vitor era um jornalista experiente, tendo passado por diversos veículos de comunicação, com destaque para o Jornal Página 20 onde trabalhou por mais de 15 anos, onde foi repórter e editor-chefe.

Continuar lendo

Destaque 4

Quase meia tonelada de maconha é apreendida em operação conjunta em Cruzeiro do Sul

Publicado

em

Quase meia tonelada de maconha foi apreendida na manhã desta quinta-feira, 24, no Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul. A apreensão é resultado de uma operação conjunta entre as Polícias Civil, Federal, Companhia de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar e o Grupamento Especial de Fronteira (Gefron).

Ainda não há mais informações sobre prisões de suspeitos. O comandante da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, o tenente coronel Evandro Bezerra, disse que o entorpecente está sendo pesado e que por volta das 10 horas da manhã de hoje haverá uma coletiva na sede da Polícia Federal onde serão fornecidos mais detalhes da apreensão.

Continuar lendo

Destaque 4

Avô acusado de violentar duas netas é solto após 3 dias preso, denuncia mãe das vítimas

Publicado

em

Avô paterno foi solto sem uso de tornozeleira eletrônica e as vítimas estão em pânico, relata a mulher

Em Cruzeiro do Sul, a mãe de duas meninas, de 4 e 12 anos, que foram abusadas sexualmente pelo próprio avô, denuncia que o homem de 64 anos só ficou preso por 3 dias e foi solto sem tornozeleira eletrônica. Segundo ela, as meninas estão em pânico. A mulher, que é técnica de enfermagem, flagrou o ex-sogro, Raimundo Justino de Oliveira, abusando sexualmente da filha mais nova, foi à Delegacia Geral de Polícia e uma equipe prendeu o homem em flagrante.

A mais velha, de 12 anos, resolveu então contar que era abusada desde os 7 anos pelo avô paterno, o que foi confirmado por meio de exame de conjunção carnal. “O hímen da mais velha está rompido porque ele sempre agia com os dedos. Na mais nova, o exame comprovou que ele mexia sim. Um monstro porque a mais velha é neta legítima e a mais nova é por consideração. Elas estão traumatizadas e frequentando psicólogos”, conta a mãe.

Segundo ela, no dia do crime, por ser feriado, a Delegacia da Mulher estava fechada e teve de ser atendida na Delegacia-Geral de Cruzeiro do Sul pelo delegado Venicius Almeida, que prendeu seu ex-sogro em flagrante. Ela afirma que Raimundo Justino foi levado para o Complexo Penitenciário Manoel Neri no dia 3 de agosto, mas saiu no dia 6 sem tornozeleira eletrônica.

“Desde o fato minhas filhas estão com acompanhamento psicológico. Quando souberam da soltura do avô, o pânico delas aumentou. Já ele está livre e vai pra todo lugar, não pegou sequer prisão domiciliar, nem usa tornozeleira eletrônica”, desabafa revoltada a mãe das meninas.

O delegado Venicius Almeida afirma não saber o motivo de o homem ter sido liberado pela Justiça, mas acredita que seja por causa da idade, 64 anos e devido à pandemia de Covid-19.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas