Conecte-se agora

Provocado, Messi acorda e salva estreia da Seleção da Argentina no Maracanã

Publicado

em

Bicampeã mundial e sempre candidata ao título, a Argentina atraiu milhares de torcedores aoBrasil para sua estreia na Copa do Mundo, diante da Bósnia e Herzegovina, neste domingo. Mas nem Lionel Messi garantiu um bom primeiro tempo no Maracanã, ainda que tenha saído de seu pé esquerdo a cobrança de falta que deu origem ao gol contra de Kolasinac, aos dois minutos. Messi acordaria depois do intervalo, marcando um golaço, logo depois de ser provocado por brasileiros. No final, Ibisevic ainda descontou para a Bósnia, mas o placar não passou de 2 a 1.

Foi aos 19 minutos, segundos depois de ouvir o nome de Neymar, seu companheiro de Barcelona e principal jogador da Seleção Brasileira, que Messi desencantou. Já vinha dando bons passes no começo da segunda etapa, mas, principalmente naquele instante, provou o porquê de ter sido eleito quatro vezes o melhor do mundo e de ser a principal esperança de sua torcida para levar o país ao terceiro título mundial. Ele fez uma tabela envolvente, deixou dois marcadores para trás e contou com ajuda da trave para balançar a rede.

No próximo sábado, o time treinado por Alejandro Sabella enfrenta o Irã, no Mineirão, em Belo Horizonte. No mesmo dia, a Bósnia disputará sua segunda partida em Copas do Mundo, enfrentando a Nigéria, na Arena Pantanal, em Cuaibá.

Neste domingo, logo aos dois minutos, uma falta cobrada por Messi pelo canto esquerdo do campo teve desvio de cabeça do lateral esquerdo argentino Marcos Rojo, no meio da área, e tocou em seguida nas pernas do zagueiro bósnio Kolasinac, tirando qualquer reação do goleiro Begovic no lance. Aberto tão cedo o placar, a expectativa não seria outra senão a de uma goleada histórica.

Não foi isso o que se viu antes do intervalo. Com três zagueiros (Campagnaro, Fernández e Garay), uma formação extramente cautelosa para enfrentar um adversário estreante e de pouca expressão internacional, a Argentina jogou bem abaixo do que se imaginava, muito em função da dificuldade na saída de jogo, cuja segunda etapa ficava a cargo de Mascherano. Mais marcador do que técnico, o volante errou passes perigosos na tentativa de achar Messi, e a marcação bósnia se aproveitou.

messi_03

Aos 12 minutos, em um dos bons momentos de Misimovic, camisa 10 da Bósnia, Hajrovic recebeu lançamento por cima da defesa e saiu cara a cara com Romero. Para sorte do goleiro argentino, o atacante dominou mal a bola e permitiu que ele chegasse a tempo de afastá-la da pequena área. A jogada inflamou a torcida, sustentada principalmente por brasileiros, que viram outra boa chance de gol no minuto seguinte. Pjani, porém, acertou a cobrança de uma falta frontal diretamente na barreira.

A afobação inicial dos bósnios, ampliada no começo do jogo devido ao gol contra de Kolasinac, foi passando aos poucos. Na metade do primeiro tempo, uma longa troca de passes rendeu gritos de “olé” e enervou os argentinos da arquibancada e talvez os que estavam em campo – pouco depois da provocação, uma entrada dura de Rojo em Mujdza rendeu cartão amarelo ao lateral. Batida a falta, a Bósnia assustou o goleiro Romero, que viu a bola ser afastada da área com dificuldade por seus zagueiros.

Messi tentava responder individualmente, mas quase sempre se via obrigado a recuar a bola novamente para Mascherano, dada a distância entre ele e seus companheiros do sistema ofensivo, Di María e Aguero. Nas poucas vezes em que carregou a bola ao seu estilo em direção à área, o ex-melhor do mundo passava por alguns marcadores até, isolado, ser desarmado. A saída era arriscar de longe, como fez Mascherano, aos 31 minutos. Begovic espalmou para frente, e a zaga completou o serviço.

Principal aposta do lado bósnio, Dzeko tentou o mesmo um minuto depois. Ele disputou bola na meia-lua, de costas para o gol, girou e chutou por cima. O empate quase saiu aos 40 minutos. Após cobrança de escanteio pelo lado direito, Lulic cabeceou no canto esquerdo baixo, e Romero se esticou para mandar a bola de volta pela linha de fundo. Na nova cobrança, o goleiro argentino fez boa defesa após arremate rasteiro de longa distância.

No retorno do intervalo, apesar de o técnico Alejandro Sabella ter sacado Campagnaro e Maxi Rodríguez para colocar Gago e Higuaín, foram mais oito minutos de equilíbrio ou superioridade europeia. Até Messi acordar. A partir dali, em um desenho tático mais ofensivo, o camisa 10 chamou o jogo para si e distribuiu ótimos passes para seus companheiros de ataque. Mas, como nem Di María nem Aguero aproveitaram suas assistências, ele próprio tentou decidir. Aos 18 minutos, bateu uma falta da meia direita, muito longe do gol, e ouviu a torcida brasileira insultá-lo e gritar “Olê, olê, olê, olá. Neymar! Neymar”.

Não deu um minuto para Messi responder à provocação vinda da arquibancada, a qual fazia alusão ao seu companheiro de Barcelona e principal jogador da Seleção Brasileira. Ele recebeu passe na meia direita, avançou com liberdade e tabelou. Ao receber de volta, driblou dois marcadores e, da entrada da área, chutou rasteiro e forte. A bola tocou a trave direita e entrou, para delírio dele próprio, que correu ensandecido para comemorar junto à bandeirinha de escanteio, e para igual delírio da torcida argentina, que imediatamente devolveu a provocação dos brasileiros, cantando “Olê, olê, olê, olê. Messi! Messi!”.

A empolgação pela vantagem quase trouxe prejuízo aos argentinos. Aos 38 minutos, Ibisevic recebeu pelo lado esquerdo da área e tocou a bola entre as pernas de Romero. Mas não houve tempo suficiente para o empate, a despeito do apoio incansável – e irritante, para os argentinos – dos brasileiros até o apito final.

Anúncios

Destaques Esporte

Vasco e Plácido empatam sem gols na Arena da Floresta

Publicado

em

Num jogo de poucas emoções e sem gols, Vasco da Gama e Plácido de Castro empataram neste sábado (27), na Arena da Floresta. O confronto foi válido pela segunda rodada do Campeonato Acreano 2016.

Os goleiros André (Vasco) e Robson (Plácido) foram os responsáveis pelo grito de gol guardado, pois ambos tiveram atuações de destaque.

Com o empate, o Plácido de Castro chegou a vice-liderança, com quatro pontos ganhos, dois a menos que o líder Atlético Acreano. Por outro lado, o Vasco da Gama, com o ponto conquistado, assumiu a quinta posição na tabela de classificação.

Próximos jogos

As duas equipes retornam a campo no próximo domingo (6). O Plácido enfrenta o Andirá, às 16h.  Em seguida, às 18h, o Vasco-AC terá pela frente o Galvez. Os dois jogos serão disputados no estádio Arena da Floresta.

 

Continuar lendo

Destaques Esporte

Mirando a ponta da tabela, Galvez pega o Andirá

Publicado

em

Na briga pela liderança do Campeonato Acreano 2016, o Galvez retorna a campo na tarde de hoje, às 16h, para medir forças contra o Andirá EC. O técnico Paulo Roberto deve fazer três medicações na equipe que estreou com vitória frente ao Alto Acre por 2 a 0. O zagueiro Reginaldo Júnior pode ceder lugar para o estreante Victor Hugo, enquanto volante Araújo Goiano ganha uma chance entre os titulares na vaga de Thiago. Outra mudança planejada será a saída do meia Zagalo para a entrada do rápido Léo. O meia Douglas, recuperado de forte gripe, participou do coletivo-apronto da última sexta-feira (26) e pode ficar como opção do técnico Paulo Roberto Oliveira.
 
A boa novidade no clube no coletivo-apronto foi a presença do volante Kássio na equipe reservas, após um bom tempo no departamento médico. Porém, o jogador deve seguir fora da equipe para o compromisso da tarde de hoje.
 
 Para o confronto contra o Morcego, o Imperador não poderá contar com o atacante Renan Plácido, que sofreu uma lesão muscular durante a semana e faz tratamento médico para voltar aos treinos. O provável time do Imperador para enfrentar o Morcego será o seguinte: Máximo, Layo, Victor Hugo, Gato, Antônio Marcos; Araújo Goiano, Wilson, Olliver (Douglas), Léo, Careca; Tonho Cabañas.
Continuar lendo

Destaques Esporte

Testinha deve desfalcar o Rio Branco contra a Amax

Publicado

em

Na busca da segunda vitória consecutiva no início do Campeonato Acreano 2016, o Rio Branco tem compromisso agendado para a tarde de hoje, às 16h, no estádio Álvaro Felício Abrahão, em Xapuri, a 188 km da capital, contra a Amax. O maestro alvirrubro Testinha continua sendo dúvida para a partida e a expectativa é que seja poupado do compromisso.

No meio da semana e até véspera do confronto contra o Azulão xapuriense, o meia foi poupado das atividades, mas irá seguir com a delegação alvirrubra para a cidade de Xapuri. De acordo com fisioterapeuta do Estrelão, Leandro Brasil, a decisão da participação do meia na partida da tarde de hoje será da comissão técnica.

Mesmo querendo contar com o meia para o segundo compromisso do clube na disputa do estadual, o técnico João Carlos Cavalo vai avaliar as condições do gramado do estádio Álvaro Felício Abrahão, assim evitando que a recuperação total do atacante seja prejudicada.

Nas próximas cinco semanas, o Rio Branco terá cinco compromissos pelo estadual e outros dois pela Copa Verde. Com isso, a comissão técnica estuda a possibilidade de não arriscar na escalação do meia, mas sim poupá-lo para outros jogos mais importantes da temporada.

Caso o maestro Testinha seja vetado para o compromisso de hoje, Cavalo deverá optar pela escalação de Wagner Libano. Outra novidade na equipe estrelada para o confronto contra o Azulão xapuriense será a estreia do lateral esquerdo Cristian, após situação regularizada na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O provável time estrelado para hoje será: Fernando Pompéu; Ley, Tiago Índio, Cácio e Cristian; Roberto Dinamite, Tárta, Wagner Libano e Neném; Romarinho e Lucas Goiano.

 
Continuar lendo

Destaques Esporte

Blog aponta Rei Artur como o maior ídolo do Clube do Remo

Publicado

em

O atacante acreano Artur, 46 anos, popularmente conhecido pela torcida azulina como Rei Artur, foi eleito na enquete promovida pelo blog campeão como o maior ídolo da história do Clube do Remo. O acreano recebeu 82 votos (33.47%), posicionando-se à frente de outros nove jogadores de grande relevância na vida do clube. O gigante Alcino foi o segundo colocado, com 77 votos (31.43%) dos votos. O “azougue” Mesquita recebeu 25 votos (10.2%), ficando em terceiro lugar. Bira, grande artilheiro do clube, é o 4º, com 19 votos (7.75%).

Agnaldo, que hoje integra a comissão técnica do Leão, foi o quinto colocado, com 15 votos (6.12%). Ageu Sabiá é o sexto mais votado, com 11 votos (4.49%). Amoroso, ídolo nos anos 60, foi lembrado com 5 votos (2.04%). O goleiro Dico teve também 5 votos (2,04%). Gian vem a seguir com 3 menções (1.22%), mesma votação recebida pelo artilheiro Dadinho. Ao todo, 245 internautas participaram da enquete, realizada entre 13 e 21 de fevereiro.

Hoje, o ex-jogador residente em Rio Branco, onde além de funcionário da Secretária de Esporte e convidado especial da TV Gazeta (Record) para comentar os jogos do Campeonato Acreano. No ano passado, Artur de Oliveira, após começa o ano dirigindo o Vasco da Gama-AC, levou o Galvez ao vice-campeonato estadual.

 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas