Conecte-se agora

“A Dilma é mãe dos mensaleiros do PT e dos ladrões da Petrobras não dos Soldados da Borracha”

Publicado

em

O deputado Major Rocha (PSDB) propôs na manhã desta terça-feira (27), uma homenagem ao ex-senador Aluízio Bezerra (PMDB), que de acordo com ele, é o verdadeiro responsável pela conquista dos dois salários mínimos de pensão recebidos pelos Soldados da Borracha. O tucano criticou ainda o uso dos idosos por políticos “que ganharam três eleições enganando os velhinhos”.

“Estes brasileiros não tiveram reconhecimento na nação. Sequer salários tinham, contribuíram com a construção do Estado do Acre. O ex-senador Aluízio Bezzerra, esse sim, lutou pelos Soldados da Borracha. Foi Aluízio Bezerra que conseguiu o mínimo de reconhecimento, com uma aposentadoria de dois salários mínimos. Esta foi a primeira grande vitória dos seringueiros”, diz Rocha.

Segundo o parlamentar tucano, graças ao empenho e a dedicação do ex-senador, “os combatentes da floresta ganharam reconhecimento. Durante mais de 12 anos, enganaram os velhinhos. Prometeram que eles teriam um pensão justa, ganharam três eleições, mas tudo era mentira. “A Dilma é mãe dos mensaleiros do PT e dos ladrões da Petrobras não dos Soldados da Borracha”.

Para Rocha, os Soldados da Borracha teriam sido usados como “massa de manobra na mãos destes políticos mal infecionados”. Os deputado da base de governo retrucaram o tucano e afirmaram que ele se equivocou. “Toda homenagem é pouca, mas as críticas são injustas. Não fazem e ainda criticam quem faz”, disse Pereira ao defender Dilma Rousseff.

O comunista Eduardo Farias disse que Rocha estaria querendo atingir a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB). “Pegaram um senhor de 96 anos, um único que não reconheceu, para falar de Perpétua e atingi-la aqui no Acre. O que fez Fernando Henrique? Nada, absolutamente nada. A presidenta Dilma foi a única que teve a sensibilidade. Se não foram os 7 salários foi com os R$ 25 mil”.

Farias destaca ainda que Perpétua teria o reconhecimento dos mais de sete mil soldados da borracha, que autorizaram em assembleia, o fechamento do acordo com a presidente. “Estes políticos não têm argumentos e não foram éticos usam um ancião para atingir Perpétua. Isso tem um nome: chama-se covardia. Deputado vá às rua, vá discutir quem é Perpétua. Não venha com subterfugio e Covardia. Não venham defende seu senadorzinho”.

Propaganda

Cidades

Mercado financeiro reduz projeção de crescimento da economia para 2,48%

Publicado

em

A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia, este ano, foi levemente reduzida. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país – foi ajustada de 2,50% para 2,48%.

Para 2020, a estimativa de crescimento do PIB subiu de 2,50% para 2,58%. Em 2021 e 2022, a expectativa segue em 2,50% de crescimento do PIB. As projeções são do boletim Focus, publicação semanal do BC, com estimativas de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

Inflação

A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) permaneceu em 3,87%, este ano. Para 2020, a previsão para o IPCA permanece em 4%. Para 2021 e 2022, também não houve alteração na estimativa: 3,75%.

A meta de inflação deste ano, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. A estimativa para 2020 está no centro da meta (4%). Essa meta tem intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Para 2021, o centro da meta é 3,75%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual. O CMN ainda não definiu a meta de inflação para 2022.

Para controlar a inflação e alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Para o mercado financeiro, a Selic deve permanecer no seu mínimo histórico de 6,5% ao ano, até o fim de 2019. Para o final de 2020, a estimativa para a taxa é 8% ao ano, assim como a previsão para 2021 e 2022.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada nas negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro neste ano, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Dólar

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,70 no final deste ano e em R$ 3,75, no fim de 2020.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.