Conecte-se agora

Os herdeiros políticos da Telexfree no Acre

Publicado

em

faraos

Pelo menos dois políticos que irão disputar as eleições de 2014 têm uma grande identificação com os divulgadores da Telexfree no Estado. Eles encamparam a “causa” como bandeira de luta. O deputado estadual Moisés Diniz (PC do B) está até fazendo parte das inserções dos plantões da empresa Ympactus na internet. O pré-candidato comunista a deputado federal orienta os investidores num momento difícil em que a Telexfree sofreu seguidos golpes nos Estados Unidos e foi considerada ilegal. São feitas comparações com o Titanic e Jesus Cristo. (https://www.youtube.com/watch?v=LEN0ARz36mA&feature=youtu.be).

O outro é o pré-candidato ao Senado, Roberto Duarte (PMN) que advogou para a empresa depois da crise que começou em abril de 2013 com a proibição das operações da Telexfree no Acre. Duarte tem grande prestígio junto ao proprietário nacional, Carlos Costa. Agora, para que essa ligação dos dois políticos com a “causa” seja revertida em votos é preciso saber o quê vai acontecer nos tribunais nos meses que antecedem as eleições. Se o dinheiro dos pequenos investidores for liberado os dois terão muito que comemorar. Mas se acontecer ao contrário a frustração pode se virar contra os “defensores” da causa.

PRB ficará na FPA
O apresentador de TV, Allan Rick (PRB), me ligou para informar que os problemas do PRB com a FPA foram resolvidos. Depois de uma conversa com o governador Tião Viana (PT) o PRB resolveu permanecer na coligação governista.

Melhor “projeto”
Segundo o pré-candidato a deputado federal o PRB entende que o “projeto” da FPA é o melhor. “Vamos vestir a camisa e cair em campo para ajudar na reeleição de Tião Viana (PT),” disse ele. Quanto a disputa ao Senado, Allan entende que terão dificuldades de convencer alguns setores evangélicos do nome de Perpétua Almeida (PC do B). “ Mas vamos apoiá-la com empenho também,” garantiu.

Pedreira
Allan Rick sabe que a chapa que integrará na disputa é bastante forte. Mas tem confiança no apoio de setores evangélicos. Lembra das vitórias sucessivas de Henrique Afonso (PV) com pouco estrutura. Allan também tem a seu favor o fato de ser muito conhecido pela mídia.

Confusão doida
Essa história de partidos que são base de apoio da presidente Dilma (PT) no Congresso Nacional, mas oposição no Acre confunde os eleitores. Lá eles apoiam os projetos governistas e aqui lutam contra. E ninguém nunca tentou aplainar esses caminhos.

Reviravolta à vista
Se o PSDB nacional resolver colocar alguém do DEM como vice do pré-candidato à presidência Aécio Neves (PSDB) a confusão vai ser grande no Acre. Nesse caso, Aécio teria dois palanques, o de Márcio Bittar (PSDB) e do Bocalom (DEM).

Questão de ordem
Por enquanto, a tendência é que Bocalom (DEM) apoie para a presidência o candidato do PV, Eduardo Jorge. Um médico sanitaristas com ideias bem liberais em relação a aborto, casamento gay e descriminalização da maconha. Afinal, o vice de Bocalom, Henrique Afonso (PV) é do partido de Eduardo Jorge.

Entusiasta
Um dos mais empolgados na campanha ao governo de Márcio Bittar (PSDB) é o deputado federal Flaviano Melo (PMDB). O ex-governador do Acre acredita que a população do Acre nunca desejou tanto mudanças como nesse momento.

Palanque dividido na inauguração da Cidade do Povo
O anúncio de que a presidente Dilma Rousseff (PT) não virá para a entrega das primeiras 392 casas da Cidade do Povo poderá gerar uma calça justa política para o governador Tião Viana (PT). Quem vai representa-la é o ministro das cidades Gilberto Occhi, que pertence aos quadros do PP do deputado federal Gladson Cameli (PP), pré-candidato ao Senado. Inclusive, Gladson virá no mesmo avião com o ministro e deverá participar da inauguração como convidado do seu correligionário. Tudo indica que Gladson e a pré-candidata da FPA, Perpétua Almeida (PC do B) terão um encontro marcado no palanque nesse dia.

Anúncios


Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas