Conecte-se agora

Deputada reclama falta de apoio do Estado no combate às drogas

Publicado

em

lucia_02A deputada federal Antônia Lúcia (PSC-AC) está revoltada com o que ela classifica como “falta de apoio do governo do Acre no combate às drogas”. A parlamentar disse que estaria fazendo uma luta solitária para alertar o povo do Acre sobre o perigo que as drogas representam.

Antônia Lúcia afirma que encaminhou um ofício solicitando que o Estado cedesse o espaço das escadarias do Palácio Rio Branco, para realização da 10a Marcha Contra o Crack e outras Drogas, no dia 12 de abril às 15h, com participações dos levitas Lázaro e banda e André Valadão e banda, mas o governo negou.

Segundo a parlamentar, no mesmo evento seria comemorado um ano da Comunidade Terapêutica Lucimar Lucena Ramos, que faz tratamento de dependentes químicos de todo Acre. “O governador Sebastião Viana enxerga apenas bandeiras partidárias. Ele nunca apoiou nosso trabalho”, enfatiza.

A parlamentar destaca que a comunidade terapêutica fundada por ela, nunca recebeu visita de representantes do governo. “Atendemos centenas de pessoas no CT. Nenhum representante do governo jamais se interessou em fazer sequer uma visita ou conhecer o trabalho social que é desenvolvido no local”.

Para Antônia Lúcia, se o governo apoiasse sua iniciativa, o CT atenderia um número maior de pessoas que precisam de tratamento. “Não queremos aporte financeiro, queremos apenas uma parceria institucional para levar este atendimento para todas as pessoas que precisam”, destaca.

Ela finaliza afirmando que realizará a 10a Marcha Contra o Crack e outras Drogas, mesmo sem apoio do governo. “Vamos às ruas alertar nosso povo. Não vai ser a má vontade de um gestor que vai impedir que continuemos está luta que é de todos para livrar nosso Estado deste câncer que é a droga”.

Propaganda

Destaque 3

Confira a lista dos 340 comissionados exonerados por Gladson Cameli nesta quinta-feira

Publicado

em

Foi publicado na tarde desta quinta-feira, 19, uma edição extra do Diário Oficial onde o governador Gladson Cameli exonera mais de 340 cargos comissionados da Estrutura do Estado.

ACESSE A LISTA DOS COMISSIONADOS AQUI

Com as alterações realizadas na terça-feira, 17, pela Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o governo alega que será necessário a adoção de medidas austeras para resgatar o equilíbrio fiscal do Estado para o devido cumprimento do teto de gastos públicos.

Atualmente, o Estado extrapolou o limite máximo de gastos com pessoal que é de 49% e está com 55,17%. O assunto foi discutido durante uma reunião realizada entre a Casa Civil, Secretaria da Fazenda (Sefaz), Secretaria de Gestão e Planejamento (Seplag) e Secretaria de Relações Políticas e Institucionais (SRPI).

A decisão governamental ocorre devido aos vetos dos deputados estaduais referentes à proposta discutida com membros do Poder Executivo na semana passada, afetando diretamente o equilíbrio das contas públicas, uma vez que o Governo do Estado vem trabalhando no sentido de cumprir suas obrigações financeiras com a folha de pagamento, inclusive com a antecipação do décimo terceiro salário e o saneamento de dívidas da gestão anterior.

De acordo com o governador, o aumento do déficit previdenciário refletiu nas despesas com pessoal, levando o Estado a ultrapassar o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Continuar lendo

Extra Total

Governo do Acre deve exonerar mais de 340 cargos comissionados

Publicado

em

O governador Gladson Cameli deve exonerar mais de 340 cargos comissionados. A oficialização das exonerações devem correr até esta sexta-feira, 20. Com as alterações realizadas na terça-feira, 17, pela Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o governo alega que será necessário a adoção de medidas austeras para resgatar o equilíbrio fiscal do Estado para o devido cumprimento do teto de gastos públicos.

Atualmente, o Estado extrapolou o limite máximo de gastos com pessoal que é de 49% e está com 55,17%. O assunto foi discutido durante uma reunião realizada entre a Casa Civil, Secretaria da Fazenda (Sefaz), Secretaria de Gestão e Planejamento (Seplag) e Secretaria de Relações Políticas e Institucionais (SRPI).

ACESSE A LISTA DOS COMISSIONADOS AQUI

A decisão governamental ocorre devido aos vetos dos deputados estaduais referentes à proposta discutida com membros do Poder Executivo na semana passada, afetando diretamente o equilíbrio das contas públicas, uma vez que o Governo do Estado vem trabalhando no sentido de cumprir suas obrigações financeiras com a folha de pagamento, inclusive com a antecipação do décimo terceiro salário e o saneamento de dívidas da gestão anterior.

De acordo com o governador, o aumento do déficit previdenciário refletiu nas despesas com pessoal, levando o Estado a ultrapassar o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.