Conecte-se agora
Fechar

Após luto pela morte de Orleir, Gladson Cameli retoma atividades no Acre

Publicado

em

Gina Menezes, da Agência ContilNet

Duas semanas depois do funeral  do ex-governador do Acre, Orleir Cameli, o deputado federal Gladson Cameli (PP), considerado o herdeiro político do tio, voltou às atividades políticas no estado.

Na primeira entrevista após o drama familiar, o deputado federal falou ao jornalista Jorge Said, em seu programa na Rede Vida (Canal 27) sobre suas lembranças  familiares, o capital político de Orleir Cameli e admitiu, pela primeira vez, que é pré-candidato ao Senado. “Hoje sou pré-candidato a Senado da República”, afirmou.

Deputado Gladson Cameli (PP) durante entrevista ao programa do jornalista Jorge Said - Foto: Assessoria

Deputado Gladson Cameli (PP) durante entrevista ao programa do jornalista Jorge Said – Foto: Assessoria

A gravação da entrevista que foi ar na noite desta quinta-feira, 23, revelou um Gladson mais resignado com a perda familiar que assolou a família Cameli. Ao contrário da fragilidade que mostrou nos primeiros dias de luto, ele aparenta ter tomado para si a herança política e a responsabilidade de tocar para frente a involuntária veia política da família.

“Ele (Orleir) sempre achou que nós acreanos somos todos uma grande família”, comentou ao falar sobre a personalidade do tio que governou o Acre entre 1995 e 1999.

Um Orleir forte e corajoso

“Em nenhum momento ele entregou os pontos, estava sempre dizendo que iria continuar lutando e que ficaria curado. Foi um exemplo de resistência desde o diagnóstico da doença em outubro de 2012 até o falecimento, em 08 de maio de 2013”, diz.

Gladson contou durante a entrevista momentos pitorescos e pouco conhecidos de sua biografia, como por exemplo o fato de que não foi incentivado por Orleir Cameli a entrar para a vida pública.

“No primeiro momento ele foi contra a minha decisão de ser candidato (em 2006, quando disputou pela primeira vez a cadeira de deputado federal), porque ele ainda tinhas as lembranças amargas dos maus momentos que passou. Mas, quando viu que eu iria levar adiante ele me disse para fazer o dever de casa e honrar os votos que recebesse. Assim tenho feito”, diz o deputado federal, que está no segundo mandato consecutivo.

Ainda permeando a entrevista com episódios sobre a memória do tio recém-falecido, o deputado progressista lembrou do sonho que embalou Orleir até os últimos dias, o de ver a BR-364 concluída. “ Ele só falava nisto nos últimos tempos. Era, de fato, o grande sonho dele”, diz.

O retorno ao parlamento

Gladson Cameli, a exemplo do tio Orleir, que sempre procurou se manter em Cruzeiro do Sul, viveu os sete primeiros dias de luto juntos aos cruzeirenses, e somente depois da Missa de Sétimo dia tomou um avião de volta à Capital Federal onde retomou sua intensa agenda de trabalho.

“Ele sempre achou que nós todos, acreanos, somos uma grande família, e eu quis ficar junto com essa família nos primeiros dias “, diz.

Ainda de luto, porém já recomeçando seu trabalho legislativo para honrar a promessa que fez ao tio de que daria valor a cada voto conquistado nas urnas, Gladson conseguiu o feito de empenhar quase 2 milhões de reais  para municípios acreanos.

O recurso é oriundo do Ministério da Defesa – Projeto Calha Norte, depósito de emendas de sua autoria, no valor de 1 milhão de reais para o município de Cruzeiro do Sul, 400 mil reais para Acrelândia e 250 mil reais para Porto Acre. “Iremos conseguir liberar recursos para outros municípios também”, acrescenta.

Gladson chegou à Capital acreana nesta quinta-feira (23) para dar continuidade a agenda de trabalho. Na agenda desta sexta-feira (24) estará em pauta é a ameaça de demissão dos mais de 11 mil servidores acreanos.

O deputado progressista é um dos parlamentares federais da bancada acreana a unir forças para procurar uma solução para o caso. “Não é uma situação fácil. Estamos aqui para ouvir o que o executivo tem a dizer e juntos procurarmos uma solução”, declarou.

De forma direta, Gladson manifestou a preocupação de algumas pessoas tirarem proveito político da situação dos servidores ameaçados de demissão, criando expectativas ilusórias. “Precisamos de respostas esclarecedoras, mas sem criar falsas esperanças’, diz.

Projeto da oposição e escândalo do G7

Questionado sobre o projeto político da oposição e quem apoiaria para o governo do Estado em 2014, Gladson Cameli afirmou que irá apoiar o candidato que for escolhido em consenso e que representar o melhor para o projeto político do Acre. “ Vai ser uma escolha de consenso. O nome que o grupo escolher eu apoiarei”, diz.

A respeito da operação G7 desencadeada no último dia 10 e que culminou na prisão de 15 pessoas entre empresários e assessores do governo, Cameli defendeu o trabalho da Polícia Federal e disse que recrimina toda e qualquer tentativa de desqualificar a instituição.

Segundo ele, o governador Tião Viana não pode se eximir de culpa. “Se ele sabia, ele é culpado porque não impediu, e se não sabia ele também é culpado por não saber, afinal de contas é o chefe do Estado”, declarou.

 

 

 

 

 

Mais Informações

Acre

Empresário Luiz Morais morre aos 75 anos por insuficiência respiratória em Rio Branco

Publicado

em

Faleceu no final da tarde desta quinta-feira (23) em Rio Branco, aos 75 anos, o empresário Luiz do Nascimento Morais. Pioneiro na área de construção civil do Acre, proprietário da L. Morais, Consbrás e Costrubrás, Morais era natural do município de Sena Madureira, onde trabalhou como seringueiro.

No início da década de 70, Morais veio para Rio Branco e iniciou sua vida empreendedora, organizando sua empresa no ramo de Construção Civil. Uma das primeiras obras que ele participou foi na construção da Ponte Coronel. Wanderlei Dantas.

Depois, Morais construiu prédios como o Shopp Center Daniele, no centro da capital e trabalhou em obras públicas na construção dos Centros de Juventude dos bairros Rui Lino, Esperança e Estação Experimental.

O empresário deu entrada no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco, no início da semana. Diagnosticado com pneumonia, ele foi liberado pela equipe médica do HUERB.

Com menos de 24 horas que teve alta, a quadro clínico do empresário se agravou e ele foi atendido pelo Serviço Móvel de Urgência, e em seguida, internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Sobral.

“Foi quando iniciamos várias tentativas de transferência do pai para o Huerb, onde ele precisava fazer drenagem nos pulmões. Esbarramos na tal regulação, apelamos para todas as autoridades da saúde e meu pai não foi transferido, vindo à óbito por volta das cinco horas por insuficiência respiratória. Ele foi levado para a emergência da UPA já morto”, relatou Elizângela Morais, filha que acompanhou os últimos instantes de vida do pai na UPA.

A família reúne documentos e vai entrar com processo contra o Estado, acusando negligência médica desde a entrada no HUERB.

O Corpo do empresário está sendo velado na Capela Morada da Paz, no Calafate, onde ocorrerá o sepultamento às 14h30 de sexta-feira, 24.

Continuar lendo

Acre

Cabo de alta tensão se rompe, mata capataz e 30 cabeças de gado na Transacreana

Publicado

em

A queda de um cabo de alta tensão no ramal Rio Branco da Capela, no km-100 da Transacreana, na manhã desta quinta-feira, 23, resultou na morte de um homem, 30 cabeças de gado, um cavalo e um cachorro em um propriedade rural da região. A vítima é o capataz Kelvin de Souza dos Santos, de 26 anos, que havia saído em seu cavalo para buscar o rebanho no pasto.

As Imagens foram registradas por moradores da região, que narraram o cenário da tragédia.

“Está não é a primeira vez que acontece isso naquela região. A Eletrobrás está com um sistema de iluminação precário, com fios cheios de remendo e que vez ou outra cai na estrada. Outros fazendeiros já perderam gado da mesma forma. Agora o fazendeiro perdeu um trabalhador que deixou dependentes, perdeu gado e a família quem vai indenizar?”, disse Jorge Neto, que mora no ramal.

A reportagem tentou ouvir a Eletrobrás, mas ninguém atendeu atendeu o telefone na empresa.

Continuar lendo

Acre

Polícia Civil prende em flagrante traficante quando realizava entrega da droga

Publicado

em

Agentes de Polícia de Civil da Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE) prenderam em flagrante delito, na tarde desta quinta-feira, 23, Jean Carlos Lopes de Souza, 33 anos, vulgo “Jacaré” acusado de tráfico de drogas.

A prisão de “Jacaré” foi realizada após a especializada receber denúncia anônima dando conta de que o acusado estaria comercializando droga em um posto de combustíveis nas proximidades da Via Chico Mendes.

As ações do acusado já vinham sendo monitoradas e no momento em que realizava a entrega do produto, recebeu voz de prisão sendo conduzido a delegacia para ser lavrado o auto de flagrante.

Em posse do acusado foi encontrado um quantia em valor de R$ 738,00 além de 14 invólucros (produto usado na embalagem do entorpecente) contendo cocaína.

“Estamos intensificando nossas ações no sentido de identificar e prender essas pessoas que insistem em comercializar droga”, disse delegado Pedro Resende.

De acordo com a autoridade policial, o acusado será indiciado pelo crime de tráfico de drogas previsto na lei de Nº 11.343/2006 com pena prevista de 5 a 15 anos de reclusão.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas