Conecte-se agora

Expoacre 2012 movimenta comércio de 100 ambulantes

Publicado

em

Cerca de 100 ambulantes cadastrados estão comercializando seus produtos dentro do Parque de Exposições. Os ambulantes com seus doces, sorvetes, crepes, maçãs do amor, brinquedos, balões personalizados e demais produtos circulam pelas ruas, esquinas e pracinhas da Expoacre chamando atenção dos visitantes. Agindo como verdadeiros artistas de rua, os ambulantes despertam o interesse dos consumidores. Eles cantam, brincam e se reinventam todos os dias. E como bons artistas, o apelo emocional torna-se o forte atrativo, principalmente quando o público alvo é o infantil.

Durante os nove dias de Expoacre, grandes e pequenos negócios aquecem a economia local. Com espaço interno mais valorizado e público para todos os gostos, os ambulantes conquistam consumidores, sem brigar pela concorrência.

Conhecida como Selma, Elzira Maria, enfeita uma das esquinas do Parque com seus algodões doces feitos com amor, por R$ 3,00. Enquanto ela enrola o algodão doce no palito, as crianças concentram o olhar para a máquina como se só avistasse nuvens doces de algodão.

De dia, dona Maria faz serviços domésticos em casas de família, à noite enrola encantos doces para festas de aniversário. Há quatro anos, ela resolveu apostar no comércio ambulante da Expoacre. “Com eventos grandes, só trabalho na Expoacre mesmo. Aqui, arrecado mais do que em um mês de trabalho”, disse Maria, que espera manter a meta do ano passado de vender R$ 400 a R$ 500, por noite. Durante a feira ela conta com o apoio da amiga Luzenira da Silva.

Na esquina vizinha, Girlane Ferreira e o esposo Ivonei Mambrine põem a mão na massa para fazer os churros recheados com doce de leite. Todo período de Expoacre, o carrinho com churros e bananinhas parte da Praça da Bandeira para o Parque de Exposições. “Uma noite trabalhada aqui, não se compara a um dia trabalhado lá. Então, a expectativa é grande. A festa tem evoluído bastante, a cada ano parece que aumenta”, comentou Girlane, que sai do Calafate à tarde e só volta na madrugada do outro dia, após ter vendido tudo.

Em meio aos grandes negócios encontra-se um pequeno grande negócio, ‘Pizza da Hora’, do autônomo José Ricardo Lima de 42 anos. Ele trabalha desde os 14 anos de idade como ambulante, e na Expoacre há mais de 10 anos.  “Esse ano melhorou bastante, principalmente o espaço da Feira. É o 13º ano que eu trabalho na Expoacre. E a procura é grande, porque as famílias querem um lanche rápido e mais barato”, explicou o Ricardo. A produção da ‘Pizza da Hora’ varia de 300 a 400 pizzas express por noite, os sabores são de calabresa e frango, com palmito e outras combinações. Além das pizzas, José vende refrigerante e água, todos estes produtos custam R$ 3,00, base de preço seguido pela maioria dos ambulantes.

A Expoacre acontece até o dia 29 de julho, até lá o comerciante Raimundo Pinho da Costa de 56 anos, morador do bairro Recanto dos Buritis, espera ter um bom lucro com a venda dos bombons, chicletes, cigarros. “Trouxe minhas coisas pra vender na Expoacre desde o início. É uma renda de apoio no final do mês. Este ano foi mais difícil investir, tomara que o lucro seja melhor”, declarou Raimundo, que aposta no disparo das vendas para os dias frenéticos dos shows de artistas nacionais.

Roberta Marisa

Propaganda

Acre

Calegário é convidado a sair da reunião da base do governo

Publicado

em

Pode se dizer que o deputado Fagner Calegário (sem partido) entrou de gaiato no navio. É que ele chegou no meio da reunião dos deputados da base com o vice-governador Major Rocha e o secretário de Articulação, Alisson Bestene. Por não fazer parte do bloco e não ter cargos no governo, ele foi convidado a deixar o ambiente.

A saída de Calegário se deu sem traumas. Alisson Bestene o chamou, colocou o braço no ombro e disse que precisava tratar de um assunto importante lá fora. Calegário respondeu que estava “entendendo tudo” é foi embora.

Continuar lendo

Acre

Bestene bate na mesa e declara que está rompido com Gladson

Publicado

em

O encontro a portas fechadas entre o vice-governador, Major Rocha, o secretário de articulação Alisson Bestene e o líder do governo Luis Tchê com deputados revoltados com a perda de cargos está na base de tapas na mesa.

Pode-se ouvir claramente a voz do deputado José Bestene, do partido do governador, bastante revoltado. Por ele, a Mesa Diretora emite uma nota dura contra o governo e a base rompe o apoio.

Outros deputados também estão falando muito alto. Consideram uma falta de respeito a atitude do Executivo que concordou com a derrota dos vetos, mas reagiu de outra forma no dia seguinte.

Transtornado, Bestene abandonou a sala de reunião sem falar com a imprensa. Questionado na saída do elevador, o parlamentar afirmou: “estou rompido com esse governo”.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.