Conecte-se agora

Seminário para discutir projeto da FPA vira evento contra métodos políticos da oposição

Publicado

em

Ray Melo,
da redação de ac24horas
raymelo.ac@gmail.com

A luz vermelha está acesa na Frente Popular do Acre. O ciclo de oito seminários que serão promovidos pela coligação foi aberto neste sábado, 21, no auditório da Secretária de Educação. O evento revelou a preocupação da cúpula petista com a oposição e com o distanciamento dos políticos da coligação, das comunidades de Rio Branco.

O primeiro seminário, que seria para aprofundar os debates sobre o projeto político da FPA e o papel estratégico dos municípios, descambou para um tipo de reflexão sobre os supostos erros cometidos na caminhada do projeto encabeçado pelo PT. Os petistas, já admitem que é preciso “se refazer para permanecer no poder”.

O ciclo de seminários denominado O Novo Momento de Rio Branco, que seria para avaliação das políticas públicas municipais além da construção de propostas para vencer os novos desafios, foi aberto pelo presidente da executiva municipal petista, André Kamai, que admitiu que Rio Branco teria dois prefeitos.

Segundo a programação original, o governador Sebastião Viana, o senador Aníbal Diniz e prefeito Raimundo Angelim, todos do PT, fariam as palestras, mas o protocolo foi quebrado e todos os líderes dos 10 partidos que integram a Frente Popular, discursaram e pediram empenho da militância na campanha de Marcus Alexandre.

Os líderes da FPA reconhecem que é preciso “calçar as sandálias da humildade”, já que para eles, a campanha deste ano será uma luta da militância no convencimento da população que o projeto da coligação continua representando os anseios da população. Os petistas reconhecem que é preciso voltar a fazer visitas de casa em casa.

“Vamos ser guerreiros. Vamos ser generais, mas vamos de sandálias de pescador, não vamos usar tarrafa, mas um anzol. Vamos deixa o sapato alto, vamos deixar a arrogância para trás. Vamos fazer de conta que estamos começando, que não temos um governo e uma prefeitura. Vamos fisgar um voto de cada vez”, disse Raimundo Angelim.

O prefeito de Rio Branco batizou a chapa majoritária da FPA, de “dupla MM”. “Marcus Alexandre não é o candidato de Sebastião Viana e, não é de Angelim nem do Eduardo ou do Francisco, mas um candidato que está se fortalecendo, indo as casas, conversando com os moradores e conhecendo de perto os problemas das comunidades”, destacou Angelim.

O oba oba da oposição

Os partidos, líderes partidários e pré-candidatos da oposição não escaparam dos discursos da cúpula da FPA. Para eles, as cinco candidaturas da oposição demonstrariam a falta de compromisso do bloco, com os problemas de Rio Branco. “Eles [a oposição] quer dividir a prefeitura em cinco pedaços, para cada candidato ter um pedaço do poder”, disse Kamai.

Para o deputado Eber Machado (PSDC), “os lobos da oposição vão dormir com fome novamente ao perderem mais uma eleição. Os nomes de Petecão (PSD), Tião Bocalom (PSDB), Gladson Cameli (PP) e Márcio Bittar (PSDB), foram citados na maioria dos discursos.

O governador Sebastião Viana pediu o engajamento da militância petista na campanha de Marcus Alexandre e fez criticas a oposição. “Quando vejo sair da boca de um Bocalom, de um Petecão, de um Luiz Calixto ataques contra a honra e a dignidade da Frente Popular, eu chego a imaginar o tanto que é primitivo ainda o debate da verdade”.

O senador Aníbal Diniz disse que “assim, com este oba oba, de Petecão e Bocalom, a cidade poderá marchar para o precipício”.

Campanha aberta nos bairros

As lideranças petistas deixaram evidente que a campanha eleitoral, já iniciou. O governador Sebastião Viana declarou que o pré-candidato do PT, Marcus Alexandre, mesmo no exercício de suas funções no Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre) tem feito visitas aos bairros de Rio Branco, para saber quais as reivindicações dos moradores.

Anúncios
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

MPAC divulga premiação da 11ª edição do Prêmio de Jornalismo

Publicado

em

A 11ª edição do Prêmio de Jornalismo do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) acontecerá de forma virtual em 2020. A Diretoria de Comunicação, que coordena a execução do concurso, divulgou nesta segunda-feira, 28, os valores das premiações.

Os prêmios variam de R$ 5 mil a R$ 3 mil para profissionais, e pela primeira vez, acadêmicos de Jornalismo, como também de Publicidade, que antes ganhavam troféu e certificado, também irão receber prêmios em dinheiro, no valor de R$ 1 mil.

O concurso, que este ano tem como tema “O papel do MP no combate ao coronavírus” contemplará trabalhos veiculados por web sites, jornais e emissoras de rádio e televisão e também nas mídias sociais, de 17 de março a 30 de novembro de 2020. Podem participar profissionais e acadêmicos de comunicação.

As inscrições vão até o dia 30 de novembro, e podem ser feitas no site premiodejornalismo.mpac.mp.br. Cada profissional poderá inscrever até três trabalhos cujas pautas estejam relacionadas com a defesa dos interesses da sociedade e que envolvam a Instituição.

Além da inclusão de novas mídias, como podcasts e trabalhos publicados em redes sociais, outra novidade desta edição é a premiação em dinheiro para os destaques acadêmicos.

O 11º de Jornalismo do MPAC é realizado pela Associação do Ministério Público do Acre (Ampac), Associação dos Servidores do MP do Acre (Assempac), e conta o patrocínio do Banco Cooperativo Sicoob, Assembleia Legislativa do Acre, Lab Norte, Top Mídia e Unimed Rio Branco.

Veja os valores das premiações:

1° Lugar – R$ 5.000,00

2° Lugar – R$ 4.000,00

3° Lugar – R$ 3.000,00

Destaque acadêmico em jornalismo – R$ 1.000,00

Destaque acadêmico em publicidade – R$ 1.000,00

Continuar lendo

Acre

Acre passa dos 28 mil infectados e não registra mortes pelo 2º dia

Publicado

em

O Acre registrou 145 novos casos de contaminação pelo novo coronavírus no estado, nesta terça-feira, 29. Assim, o número de infectados subiu de 27.885 para 28.030, nas últimas 24 horas.

De acordo com o Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), nenhum óbito foi registrado nesta terça-feira, fazendo com que o número oficial de mortos permaneça em 657, em todo o estado. Este é o segundo dia na semana que o Acre não tem mortes provocadas pela doença.

Até o momento, o Estado registra 71.956 notificações de contaminação pela doença, sendo que 43.919 casos foram descartados. Ainda, 7 testes de RT-PCR seguem aguardando análise pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) e pelo Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 25.041 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 83 seguem hospitalizadas.

Continuar lendo

Acre

Policiais descobrem túnel que dá acesso à esgoto fora do FOC

Publicado

em

O trabalho preventivo de vigilância dos policiais penais impediu mais uma fuga do Complexo Penitenciário Francisco de Oliveira Conde. Nesta terça-feira, 29, os operadores da segurança descobriram na cela 20 do pavilhão K, onde estão 18 detentos, um túnel que vinha sendo feito camuflado na pedra.

O buraco dava acesso à galeria de esgoto que jogo os dejetos na parte externa da unidade. Graças ao correto monitoramento, nenhum preso conseguiu escapar.

Forças de segurança vão ganhar stand de tiros e casa tática para treinamento em Rio Branco.

Continuar lendo

Acre

Fagner Sales diz que seu valor de bens é de R$ 1,3 milhão

Publicado

em

O candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, Fagner Sales (MDB), afirmou que houve um erro de digitação na declaração de bens que ele encaminhou ao Tribunal Regional (TRE) e que o valor informado, de R$ 105 mil, incluindo quotas de capital de uma firma, de R$ 60 mil, uma casa de alvenaria no valor de R$ 45 mil e um terreno de R$ 900, está errado. O valor real, segundo ele, é de R$ 1,3 milhão.

A casa, ao invés de R$ 45 mil, custa R$ R$ 450 mil. O terreno, em vez de R$ 900, vale R$ 900 mil. Só o valor das quotas foi informado certo. Fagner disse que vai encaminhar a correção do valor ao Tribunal. “Todos sabem que aqui em Cruzeiro do Sul não há casa de alvenaria de R$ 45 mil, mas estamos corrigindo no TRE”, afirmou.

O ac24horas fez levantamento do patrimônio declarado dos 3 candidatos a prefeito de Cruzeiro do Sul, que somava quase R$ 2 milhões. Com a retificação do valor junto ao Tribunal Regional Eleitoral, o valor passou para R$ 3,1 milhões.

O sargento Adonis Souza, policial e comerciante declarou ter patrimônio de R$ 1,1 milhão em terrenos e 90 cabeças de gado. Na declaração de Zequinha Lima contam R$ 705 mil de bens em carros, um terreno, uma casa de pouco mais de R$ 430 mil.

Em 2016, quando foi candidato a vice de Ilderlei Cordeiro e foi eleito para comandar Cruzeiro do Sul por 4 anos, Lima declarou ter uma casa apenas de R$ 250 mil, um veículo Siena de R$ 28 mil e uma Honda Biz no valor de R$ 3 mil, totalizando R$ 281 mil, ou seja, em um mandato o candidato quase triplicou o seu patrimônio. O único candidato que afirmou ter erro na declaração de bens foi Fagner Sales.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas