Conecte-se agora

Fim de conversa

Publicado

em

Murchou o “acordo secreto” com lideranças do PT pelo qual o PCdoB lançaria o candidato a prefeito de Tarauacá. O deputado Luiz Tchê (PDT) comunicou ontem ao deputado Eduardo Faria (PCdoB) que fechou questão e lançará o vereador Chico Hulk (PDT) candidato a prefeito.

Sem aval

Na conversa, presenciada por mim, Tchê disse que nada fará o PDT recuar, e aproveitou para desabafar: “não queremos a companhia do deputado Moisés Diniz (PCdoB) no palanque”.

Para nada

Ante um absorto Eduardo Faria, Tchê completou: “o PDT quer distância do Moisés Diniz”.

Chega de bondade

Coube ao deputado Walter Prado (PDT) anunciar na tribuna da Aleac a formação da “Frente Trabalhista”, composta pelo PSC-PDT-PHS-PSDC-PTC-PHS, em apoio à candidatura de Hulk.

Outros tempos

A jornalistas, Prado disse que acabou o tempo que o PT e o PCdo B diziam o que o PDT deveria fazer em Tarauacá. E completou: “eu tive o dobro dos votos do Moisés Diniz para deputado”.

Resposta rápida

O MPE tem que dar uma resposta rápida sobre a denúncia que alguns vereadores de Manuel receberam de mimo para aprovar o projeto para novas placas de táxis, algumas de presente.

Caveira de burro

Aquele município onde enterraram caveira de burro, não tem sorte com prefeito.

Falando só

O deputado Jamil Asfury (DEM) não está tendo sucesso na formação de alianças para apoiar sua candidatura à PMRB. O PTdoB, PRB e o PSC, não o acompanharão na nova empreitada.

Cara irônica

A deputada federal Antonia Lúcia (PSC) faz cara de desdém sobre apoiar Jamil a prefeito.

Apenas ético

Jamil não quer externar de público para não ser acusado na oposição de “desagregador”, mas está profundamente irritado com o fato de perder a indicação do vice de Bocalon para o PP.

Sem defesa

O presidente do DEPASA, Gildo César, apanhou ontem da oposição na Aleac mais que cachorro de índio, e sem que uma voz na base do governo o defendesse.

Até que ponto?

Fica difícil saber até quando o professor Airton Rocha (PPS) levará sua candidatura à PMRB, por um fato: o PPS é uma espécie de capitania hereditária do deputado Márcio Bittar (PSDB).

Manda quem pode

Com o Márcio Bittar o tratamento com os aliados é na base do manda quem pode e obedece quem tem juízo: forçou e a deputada Toinha Vieira disputará prefeitura de Sena Madureira.

Escovando o paletó

Contente está o primeiro suplente Luiz Gonzaga (PSDB), se ela ganhar assume na Aleac.

Guilhotina armada

A prefeita de Assis Brasil, Eliane Gadelha (PT), joga tudo no seu julgamento do TCE do próximo dia 22, se não reverter a rejeição da sua prestação de contas não poderá disputar a reeleição.

Contas rejeitadas

No primeiro julgamento do TCE teve suas contas rejeitadas por uma série de irregularidades.

Sem nome

Fora Eliane Gadelha, o PT de Assis Brasil não tem outro candidato do seu cacife eleitoral.

Casa de caba

A oposição vai escolher o nome a prefeito de Plácido de Castro em pesquisa. Os candidatos vão acatar? Na última pesquisa, não pagaram o pesquisador por não aceitarem o resultado.

Nada simpático

Vem dos “irmãos” de igreja a revolta com a imposição da candidatura de Marcos Lima, filho do Pastor da Assembleia de Deus, Luiz Gonzaga, a vereador da capital.

Não desiste?

O ex-deputado Franesi Ribeiro (PSDB) insiste em ser candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul.

Validade vencida

Franesi é daquela cota de políticos com validade vencida, que perderam o encanto do eleitor.

Fora do jogo

O deputado Élson Santiago (PP) foi comunicado pelo comando do PT não haver chance de seu afilhado, João Lessa (PT), novo no partido, disputar a prefeitura de Plácido de Castro.

Máxima militar

No PT, a máxima militar que antiguidade é posto, é aplicada ao pé da letra.

Marcando colado

O deputado Helder Paiva (PR) comunicou à mesa diretora que se faltar algumas sessões é porque a partir de agora estará integrado á agenda do governador Tião Viana.

Situação complicada

Os vereadores Raimundo Vaz (PRP) e Elias Campos (PRP) ficarão numa situação séria se o PRP se aliar a um candidato de oposição, não poderão pedir votos para Marcus Alexandre (PT).

Infidelidade partidária

Como a eleição é municipal, se não seguirem o partido, cometem infidelidade partidária.

Cutucando o tucunato

“O Serra deve mais à minha campanha, á do Flaviano Melo, da Antonia Lucia, do que propriamente ao PSDB por ser o mais votado no Acre”. Frase do senador Petecão (PSD).

Toda prosa

O ex-governador Orleir Cameli está toda prosa. Sua empresa acaba de ganhar as obras do programa “Ruas do Povo” para Cruzeiro do Sul. É um pacote de 23 milhões de reais para pavimentar com tijolos 31km de ruas.

Pé atrás

Por outro lado, Cameli tem externado a amigos a sua preocupação com o fato da gerência da BR-364 ter saído das mãos do estado para ficar sob o comando exclusivo do DNIT, o que o deixa temeroso de continuar trabalhando na rodovia, dado a burocracia do DNIT para pagar pelas obras realizadas.

Pesquisa na rua

O PT encomendou uma pesquisa em Rio Branco sobre a corrida eleitoral, a primeira com todas as candidaturas postas. A DATA-CONTROL, que trabalha há mais de 10 anos para a “Companhia de Selva”, que faz o marketing do governo, será a encarregada de fazer o trabalho de campo.

Escolha acertada

O governador Tião Viana acertou na escolha do ex-superintendente da Caixa Econômica Federal, Aurélio Cruz, para a Secretaria de Habitação, onde se concentrarão suas grandes ações habitacionais. Aurélio sabe como e onde encaminhar os projetos nesta área.

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Blog do Crica

Gladson convida Bocalom para Emater e garante que Wadt fica na Agropecuária

Publicado

em

Atendi hoje pela manhã (10.30 horas) um convite do governador Gladson Cameli para um café político no seu gabinete no Palácio Rio Branco, onde passou a despachar. Voltou a reafirmar que, em hipótese alguma vai demitir ou remanejar o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, como quer a deputada federal Mara Rocha. “Estou satisfeito com o seu trabalho e não vou tirar o que está dando certo”, assinalou. Não escondeu a chateação com Mara Rocha, com quem diz que tentou falar por três vezes e não foi atendido, logo após a sua declaração no ac24horas de que tinha saído da base de apoio do governo.

“O máximo que consegui falar foi com o seu marido”, revelou. Gladson voltou a dizer estar decidido a não mais aceitar pressão política de ninguém.

Estava alegre na conversa, citando a reação das redes sociais ao seu favor, acerca de seu endurecimento político. Aproveitou para dar em primeira mão ao BLOG DO CRICA que a Emater-Acre está de portas abertas para receber o ex-prefeito Tião Bocalom, caso queira participar do governo. “O Bocalom só não está ainda participando do governo porque não quis”, disse. Aproveitou para adiantar que esta semana vai acontecer uma enxurrada de demissões em cargos de confiança da Saúde, muitos indicados por políticos. BLOG DO CRICA.

Continuar lendo

Blog do Crica

Mazinho Serafim: “o MDB nunca entrou no governo”

Publicado

em

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, ligou ontem para colocar mais gasolina na fogueira política e dizer ao BLOG DO CRICA de que, o governador Gladson Cameli se engana quando fala que o MDB tem cargos no governo. “As secretárias Eliane Sinhasique e Maria Alice não representam o MDB. São escolhas pessoais do governador. O MDB nunca se reuniu para discutir a indicação de qualquer secretário. E os que estão em outros cargos de confiança e são do MDB, também não foram escolhidos por decisão partidária. O MDB não pode sair de um governo no qual nunca entrou”, pontuou Serafim. Aproveitou para rebater o vice-governador Major Rocha que costuma citar a irmã Mara Rocha como a mais votada deputada federal para justificar a ocupação de espaços na administração. “Isso só vale para ela? Não vale para minha mulher Meire Serafim, que foi a deputada estadual mais votada do Acre na última eleição e não indicou um vigia”? Indagou o prefeito com uma dose de ironia. Para Mazinho, caso o Gladson queira o apoio integral do MDB tem que sentar com os seus dirigentes para discutir uma aliança com a participação na gestão. “Sem isso, o MDSB não tem compromisso de lhe dar apoio na Assembléia Legislativa”, avisou. E assim continuará sem compromisso na ALEAC.

O BURACO É MAIS EMBAIXO

O Jorge Viana é a maior liderança do PT e uma das maiores do Acre. Não se discute este perfil. Mas o seu prestígio político não está mais no ápice. Tivesse, ele teria atropelado todos os percalços da última eleição e seria eleito senador. Não acredito, pois, que vá entrar numa eleição arriscada para prefeito, a rejeição ao seu partido ainda é muito grande na capital.

PROBLEMA PARA O FUTURO

Jorge Viana é um dos políticos acreanos mais sagazes que conheço. Sabe que se perder uma eleição para prefeito de Rio Branco queimará seu filme para uma disputa do Senado em 2022.

A POLÍTICA É DINÂMICA

Nos dois primeiros anos do seu mandato o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, aparecia nas pesquisas como o “pior prefeito do Acre”. Virou o jogo e é hoje uma das administrações municipais em maior ascensão popular. A política é algo dinâmico.

UMA NOVA CARA

Ilderlei virou o jogo. Reconhecido até pelos adversários. Neste verão já vai com mais de 15 kms entre pavimentação e recapeamento, alcançando 25 ruas. Seu projeto é continuar trabalhando mesmo no inverno e chegar ao fim do ano com pelo menos 100 kms de vias pavimentadas.

AVANÇOS IMPORTANTES

A gestão do prefeito Ilderlei tem avanços importantes. Na Saúde, pulou de 100 mil exames para 220 mil exames por ano. Os pacientes da hemodiálise são buscados e deixados em casa por Van da prefeitura. Registre-se: muito se deve à secretária Ildecleide Cordeiro, que arrumou a casa administrativamente, deixando o prefeito liberado para comandar as ações.

HORA DE ESMURRAR

Chegou a hora do governador Gladson esmurrar a mesa e, dizer que, quem governa é ele. Caso fique a aceitar pressões para colocar ou tirar este ou aquele secretário passará à opinião pública uma imagem de um gestor fraco e ficará na sua administração refém de políticos. A hora é essa. O poder é para ser exercido na plenitude. O governador precisa entender isso.

CONCILIADOR, ATÉ CERTO PONTO!

É natural que os políticos que estiveram ao seu lado na campanha tenham espaço no seu governo. A questão é que alguns têm muitos cargos, outros poucos ou nenhum. Definido este espaço tem de usar a autoridade. O CPF em jogo é o seu, o futuro político em jogo é o seu. Nada justifica um partido tem espaços no governo e não dar a contrapartida. A caneta é sua.

ACOMPANHANDO TUDO

Com o advento das redes sociais a população acompanha todos os passos do seu governo.

COLOCAÇÃO INFELIZ

O deputado Luiz Tchê (PDT) foi infeliz ao afirmar que na liderança do governo tem que se comportar como uma “mãe” que dá comida (cargos) para os filhos (no caso os deputados da base do governo), e depois se sobrar cargos dá para o PDT. Esta é a nossa política, ora, pois!

NÃO TEM O PERFIL

Com todo respeito ao secretário Alysson Bestene, mas ele não tem perfil para ser o articulador político do governo. Quem tem este perfil, mas não quer a função, é o deputado José Bestene.

SEMPRE NA DELE

Um político que não dá problema para o governador Gladson Cameli é o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), quando assume a sua vaga, e na condução dos trabalhos na ALEAC.

QUAL A RAZÃO?

Por qual razão a Hospital Regional do Juruá está funcionando a contento e o HUERB, não?

FORA DA ARTICULAÇÃO

O vice-governador Major Rocha não quer participar da articulação política do governo e acha que o escolhido tem que antes de tudo ter poder de resolver problemas ou fracassará.

NÃO PODE ACONTECER

Cirurgias ortopédicas foram marcadas, anunciadas à imprensa pela direção da Fundação Hospitalar, os pacientes foram preparados e o anestesista escalado não compareceu. Por isso que as coisas não funcionam na Saúde. Só falta não aplicar uma punição séria ao profissional.

EM PLENA CAMPANHA

O professor Minoru Kinpara fez no fim de semana um verdadeiro comício numa FM da cidade, como se estivesse no horário eleitoral. Não demora e espalhará cartazes seus pela cidade pedindo votos para prefeito. E estará na esquina fazendo bandeiraço.

MANTER A PALAVRA

O governador Gladson Cameli ficou sem saída depois que anunciou que não demitirá o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, porque se voltar atrás ninguém acreditará mais no que prometer daqui em diante. Na política, a palavra empenhada tem que ser mantida a todo custo.

TRABALHAR PARA O PT

Até aqui já foram anunciados como candidatos a senadores Jéssica Sales (MDB), Mara Rocha (PSDB), Ilderley Cordeiro (Progressistas) e ainda tem como candidata nata a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS). Ou se entendem em uma candidatura única ou o JV papa a vaga.

É PARA ACHAR GRAÇA

Depois de anunciado que a licitação da nova ponte sobre o Rio Acre, ligando Epitaciolândia à Brasiléia, seria aberta, apareceram alguns políticos com a cara mais dura da vida, reivindicando a obra. Mente quem disser o contrário, a ponte é conquista exclusiva do governo do Gladson.

TIRANDO A BURCA

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) apresentou requerimento convidando a secretária de Saúde, Mônica Feres, que desde que assumiu vestiu uma burca e não deu um pio sobre seus planos para o setor, para ser inquirida na Comissão de Saúde da ALEAC. Que seja aprovado.

PRESTÍGIO EM ALTA

Pelo que se tem lido na mídia nacional, aonde chega o Ministro da Justiça Sérgio Moro, é ovacionado. Quem esperava que, ele sendo levado ao Senado para ser questionado acabaria com a sua imagem, quebrou a cara. Sua ação na Lava Jato tem um amplo apoio da população.

FLAVIANO MELO NA BERLINDA

O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, está na berlinda com as cobranças do governador Gladson Cameli de que não aceita mais o MDB ter secretarias, cargos de confiança, e não dar cem por cento de reciprocidade na Assembléia Legislativa. O MDB só quer o bônus.

SEMPRE NA DELE

O senador Sérgio Petecão (PSD) é que está certo em ficar longe do tiroteio político, não exercendo nenhuma pressão sobre o governador brigando por cargos. E teria moral para isso, afinal, ele foi o mais votado da última eleição. Simplesmente não perturba por mais espaço.

VOTOU AO NORMAL

O Atlético Acreano voltou ao normal. Foi goleado por 4 a 0 pelo lanterna Luverdense.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.