Conecte-se agora

Falta de respeito

Publicado

em

“Faltou respeito do Tião Bocalon aos seus aliados”. Foi a justificativa do deputado Jamil Asfury (DEM) para explicar sua candidatura a prefeito da Capital. Jamil disse que não podia aceitar passivamente Bocalon impor um vice do PP, sem uma discussão e de forma autoritária.

Conversas avançadas

Jamil já está em conversa avançada para uma aliança com o PRP, PPS, e ontem abriu discussão sobre a sua candidatura com o PSC da deputada federal Antonia Lúcia para uma composição.

Tira de cara

A candidatura de Jamil Asfury á PMRB de cara tira do leque de apoio da candidatura de Tião Boicalon a prefeito, o Pastor da Igreja Batista do Bosque, Agustinho, de votos e respeitável.

Certeza maior

Jamil quer fazer da sua candidatura à PMRB um polo de convergência da comunidade evangélica. Sua entrada em cena qualifica o debate político e assegura um segundo turno.

Fim do sonho

Com as candidaturas de Fernando Melo (PMDB) e agora de Jamil Asfury (DEM) a prefeito, é o fim do acalentado sonho do tucano Tião Bocalon (PSDB) de vencer a eleição no primeiro turno.

Erro primário

O problema do Tião Bocalon foi se cercar de assessores arrogantes que acham que, pela boa votação do tucano para o governo, poderiam sair descartando aliados naquela do já ganhei.

Ciscar para dentro

Em todas as pesquisas Tião Bocalon surge na dianteira, mas em disputas majoritárias, pode ser um erro fatal o clima do já ganhou e ficar ciscando para fora.

Só com intervenção

O candidato a prefeito de Tarauacá, Paulo Ximenes (PSDB), assim reagiu sobre candidaturas únicas da oposição a prefeito do interior: “só tiram minha candidatura com intervenção”.

Sem hipótese

Para Ximenes não há hipótese do PSDB sob seu comando em Tarauacá apoiar a prefeita Marilete Vitorino (PSD). “Por que eu vou encher a bola do Petecão”?, indaga furioso.

Agradecer votos

José Serra visita hoje o Acre capitaneada pelo tucano Tião Bocalon. É uma vinda de agradecimentos, afinal, na eleição presidencial, sem visitar o estado, foi o mais votado.

Sem chance

O deputado Astério Moreira (PRP) diz que em que pese o respeito pelo deputado Jamil Asfury (DEM), mesmo que faça aliança com o PRP, não entrará na sua campanha, ficará com a FPA.

Só no nome

O PTB se reuniu ontem com o candidato Marcus Alexandre (PT) para ratificar o apoio à sua candidatura. O PTB existe apenas no nome, está restrito ao Chicão Brígido e ao Osmir Lima.

Fechado em copas

O comandante da PM, coronel Anastácio, se fechou em copas e não fala sobre a perda de comando dos populares coronéis Juvenal e Paladino, da Baixada e São Francisco.

Jogo do PT

Para o deputado Werles Rocha (PSDB), a se confirmar a candidatura do deputado Jamil Asfury (DEM) a prefeito da Capital, o fato só serve para favorecer a candidatura do PT à PMRB.

Não entendi!

A ilação que tiro da afirmação do Rocha é que na oposição só não faz o jogo do PT quem apoia o Bocalon. O Petecão,  Flaviano,  Jamil, Chagas Romão, Fernando Melo, não são oposição?.

Furioso

O candidato à PMRB, Tião Bocalon (PSDB), não fez nenhum comentário sobre a candidatura de Jamil Asfury à PMRB, mas, seus aliados dizem estar ele furioso com o fato negativo inesperado.

Nada disposta

Em que pese a pressão de aliados a deputada Toinha Vieira (PSDB) não está nada disposta a disputar a prefeitura de Sena Madureira.

Mais cabrito

O prefeito de Feijó, Dindim (PSDB), está naquela de quanto mais cabra mais cabrito e diz não escolher adversário para a disputa da sua reeleição: “quem vier vou atropelar nas urnas”.

Não tem igual

Não conheço nenhum município acreano que gere mais confusão política do que Plácido de Castro. Só na oposição são seis candidatos a prefeito cada um falando mal do outro.

Não difere

A situação é similar no PT, onde grupos pró e contra o prefeito Paulinho Almeida (PT) se engalfinham para tentar sair candidato a prefeito de Plácido de Castro.

Até que ponto

É aguardar a próxima pesquisa em Brasiléia para ver como foi recebida a candidatura do ex-prefeito Messias Ribeiro (PSDC) a prefeito. Messias foi um bom prefeito.

Jogado de lado

O que é a política! Até um ano atrás Delorgem Campos era o todo poderoso da FPA em Brasiléia. Foi perder o mandato de deputado que foi jogado de lado, nem é ouvido.

Velho ditado

É o velho ditado mineiro se aplicando de novo: “político sem mandato é como boi sem chocalho, não puxa manada”.

Todos os gostos

A eleição para prefeito da Capital está ficando mais interessante do que se esperava. Só na oposição existem quatro candidaturas postas: Jamil Asfury (DEM), Tião Bocalon (PSDB), Luiz Calixto (PSL) e Fernando Melo (PMDB). E com Marcus Alexandre (PT) são cinco os candidatos. Isso é bom para a democracia, pois, amplia o leque de escolha do eleitorado.

Por Luis Carlos Moreira Jorge                                                                                                                                                   

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Blog do Crica

Fuxico levou à guerra dos vetos na Aleac

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

São nos bastidores que todas as grandes decisões políticas são tomadas. E foi assim na questão da derrubada dos vetos apresentados pelo governador Gladson Cameli a projetos aprovados na Assembléia Legislativa. Não houve nenhuma medição de forças entre o Executivo e o Legislativo, como se chegou a publicar. O que na verdade envolveu a tomada de decisão que levou á apresentação dos vetos foi uma fuxicada patrocinada por uma secretária, que passou ao governador de que, o que tinha sido aprovado havia sofrido modificação por parte do líder do governo, deputado Luiz Tchê (PDT). O fato foi revelado ontem ao BLOG DO CRICA pelo deputado Tchê (PDT). Contou ainda Tchê que, isso o levou a ter uma conversa franca com o governador, onde mostrou que o tinham induzido a um erro, já que não houve nenhuma modificação ao que tinha sido acordado pelo governo e deputados. Após ter sido desfeito o fuxico infundado, o próprio Gladson liberou a sua base na ALEAC para derrubar os polêmicos vetos. Quando houve a votação já havia por parte do governador o aval pela derrubada dos vetos. Para Tchê, o que falta é uma afinação e vontade de trabalhar de alguns secretários que sentam a bunda na poltrona e não se dão ao direito de ir ao Legislativo discutir matérias polêmicas do governo. O nome da secretária que fez o “fuxico” não foi revelado por Tchê.

NÃO SÃO DONOS DOS CARGOS

O deputado Luiz Tchê (PDT) não mente quando diz que há alguma coisa errada quando o governador Gladson Cameli passa dos 70% de aprovação, e a maioria dos seus secretários, mal chega aos 20% de aceitação nas pesquisas. Secretário tem de entender que o cargo não é seu.

NÃO SE ENGANE

E esta é uma situação nada confortável para o governador Gladson Cameli, porque o fracasso de alguns secretários pode influenciar negativamente na sua imagem, fique atento a isso.

REI NA BARRIGA

Um bom exemplo é o chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, que não deixa de atender um telefonema de jornalista para dar uma informação. Quando não atende na hora, ele retorna. Agora, a equipe econômica parece ter o rei na barriga, nunca atende celular, para um informe.

PRECISA TER UMA CONVERSA

É hora da Secretária de Comunicação, Silvânia Pinheiro, sempre solícita em atender ligações, de ter uma conversa com a equipe econômica do governo, que vive numa bolha particular.

CHUVA DE PROTESTOS

Uma chuva de protestos desabou na rede social contra nomeação para cargo de chefia do Pronto Socorro, da ex-diretora daquela unidade no governo Tião Viana, Michele Oliveira Melo, apontada como uma petista ferrenha. Santa ingenuidade: o governo está lotado de petistas.

NÃO CONHECE NINGUÉM

Mas, essa moça nomeada, não tem culpa de mesmo com ligações com o governo petista ser chamada de volta a comandar o Pronto Socorro. A secretária de Saúde, Mônica Feres, importada de Brasília, não sabe quem ralou ou deixou de ralar na campanha do Gladson.

NÃO VOU ME ADMIRAR

Nem vou de admirar se a secretária Mônica convocar o Cesário Braga para lhe auxiliar.

MANDA CHOVER E TROVEJAR

Se tem uma cabra forte neste governo, é o assessor do governador Gladson Cameli, Ricardo França. Trouxe a cunhada Mônica Feres e seus coronéis para a SESACRE e está colocando mais um afilhado para gerir a UPA de Cruzeiro do Sul. Só não tira o Cameli, porque este foi eleito.

MATERNIDADE FAKE NEWS

Para evitar que fiquem posando agora de mãe da criança deste projeto que fixa regras para o exame Revalida para médicos formados fora do Brasil; se registre que, a proposta acolhida pelo Relator da matéria, de realização de dois exames do Revalida por ano, até por universidades particulares, é de autoria do deputado federal Alan Rick (DEM). O resto é fake news.

COMANDOU A LUTA

Os registros da imprensa estão ai para provar a luta contínua do deputado federal Alan Rick (DEM) no primeiro mandato e no segundo, de buscar uma solução para regularizar a situação dos médicos brasileiros formados na Bolívia e demais países da América do Sul.

MENOS SER OMISSO

Se há algo do qual não se pode acusar o governador Gladson é de ser omisso. Tem procurado nestes nove meses de gestão em dar condições e liberdade para os seus secretários agirem. Se boa parte não justificou até o momento a sua posse, a culpa não cabe em nada ao governador.

PONTO PARA A POLÍCIA 

Ponto para os policiais que tiraram de circulação o ladrão que vinha roubando a fiação e cabos elétricos das Praças e escolas da área do Tropical. Assim como cobramos aqui ao secretário de Segurança, Paulo César; para solução do caso, registramos o êxito das investigações e a prisão.

QUEM VAI FICAR PARA APAGAR A LUZ?

Petistas históricos como o jornalista Tião Vitor, Lidiane e Conceição Cabral, saíram do PT e estarão assinando ficha de filiação no PSOL. Quem ficará para apagar a luz no diretório do PT?

NÃO PODE SER CONIVENTE

Quem omitir casos de abuso infantil pode ser condenado até a 4 anos de prisão. Projeto neste sentido foi relatado pelo deputado federal Alan Rick (DEM) e tramita na Câmara Federal.

RECURSO NÃO CAI DO CÉU

Sem sentido a crítica do vereador N. Lima ao governador Gladson Cameli, por conta das suas viagens. Tem que estar mesmo direto em Brasília, nos ministérios, em busca de liberar recursos, não pode ficar no gabinete palitando os dentes esperando o FPE chegar no tesouro.

FORA DA DISPUTA

O ex-deputado federal Henrique Afonso, está se filiando ao PSD do senador Sérgio Petecão (PSD). Henrique ainda tem base eleitoral em Cruzeiro do Sul, mas não forte o bastante para disputar uma eleição de prefeito com chance de vir a se eleger. No máximo, sendo um vice.

NA BASE DO ABANADOR

A Rádio Difusora Acreana está na base do abanador: roubaram os aparelhos de ar condicionado.

PROVIDÊNCIA URGENTE

A mesa diretora da Assembléia Legislativa tem de tomar uma providência normativa urgente. Só está tendo sessão de debates na terça e na quarta, a quinta vem sendo usada pelos deputados para marcar sessões solenes, que nada mais são que puxa-saquismo. Ou seja: estão recebendo salários por apenas dois dias de trabalho. Não é bom para a imagem da casa.

NÃO SERÁ DECORATIVA

A candidatura da deputada federal Vanda Milani (SD) a prefeita de Rio Branco não será decorativa como se imagina, mas competitiva. Teve boa votação na capital e tem ao seu lado um bom coordenador de campanha, seu filho, o secretário do Meio Ambiente, Israel Milani.

TERCEIRA VIA

Ora batendo no governo Gladson Cameli e ora na administração da prefeita Socorro Neri, o deputado Roberto Duarte (MDB) quer se consolidar como uma terceira via ao poder vigente.

MDB DÁ COMO CERTA

Em todas as conversas sobre a sucessão municipal o deputado federal Flaviano Melo (MDB), pontua sempre: não tem volta a candidatura á PMRB do deputado Roberto Duarte (MDB) e dá como certa uma aliança com o senador Sérgio Petecão (PSD) para indicar o vice da chapa.

MUITO DIFÍCIL

O BLOG tem informação de que será difícil o governo efetuar novas contratações até o fim do ano, porque se encontra no limite com gastos na folha de pessoal e se avançar, o governador pode responder por crime de responsabilidade. O que estará em jogo é o seu CPF.

PRESSÃO DA NACIONAL

O deputado Tchê (PDT) diz que, a pressão é grande da direção nacional para que, em Estados em que há segundo turno, o partido tenha candidato próprio a prefeito, como no caso da capital. Está na busca de um nome novo para disputar a PMRB.

A QUE PONTO!

A política é uma roda-viva. Quem diria ver o PT, sem candidatura própria à PMRB!

BUSCA DE PROTEÇÃO

Já aconteceu uma reunião entre o secretário de Segurança, Coronel Paulo César, e motoristas do aplicativo UBER, na busca de uma forma de dar mais proteção à categoria. O Coronel é de um do pequeno grupo de secretários do Gladson que não deixa de atender a imprensa.

Continuar lendo

Blog do Crica

Gladson é derrotado por falta de assessoria política 

Publicado

em

Foi uma derrota anunciada a sofrida ontem na Assembléia Legislativa pelo governador Gladson Cameli. Durante a semana passada já havia indícios nos bastidores de que os oito vetos do governador a vários projetos, inclusive, ao da LDO, seriam derrubados. O cenário deixou bem claro que a Secretaria de Articulação Política, lotada de assessores, não funciona dentro do que era esperado, o de dialogar com a classe política. Quando se trata de uma votação polêmica que envolve números não se vê nas discussões com os deputados também o Planejamento, a Fazenda e a Procuradoria do Estado. Essa questão da derrubada dos vetos não pode ser entendida como uma rebeldia dos deputados da base governista. O texto  da LDO foi todo formatado com a presença do governo, dos demais poderes, dentro de um grande acórdão, o que chegou até a ser elogiado por causa do consenso, não comum neste tipo de votação. Para a surpresa dos parlamentares apareceram oito vetos do governador em cima de matérias votadas de forma consensual. Não restou neste caso outro caminho para os deputados do que manter a votação original, preservando a independência do parlamento. E mesmo porque os vetos estavam fora do prazo. Se era para manter o novo texto do governo em forma de vetos as modificações deveriam ter sido acertadas no curso das discussões e não depois de votadas e aprovadas. O Gladson vai ter que dar uma afinada na sua equipe, para que não volte a ser exposto como ontem na ALEAC. Alguns falam aramaico, outros inglês e francês.

SERIA MAIS ACACHAPANTE

A derrota do governo poderia ser maior, por vinte e quatro votos, se estivessem na sessão os deputados Cadmiel Bonfim (PSDB), Maria Antônia (PROS), Josa da Farmácia (PODEMOS) e Marcos Cavalcante (PTB). É hora do Gladson, repactuar esta sua forma de fazer política.

BALA NA AGULHA

Caso os vetos do governo não fossem derrubados a oposição já estava com um “Mandado de Segurança” engatilhado, tendo como argumento o fato dos vetos terem sido apresentados fora do prazo regimental. Ou seja, ou pelo voto ou pela justiça, os vetos seriam derrubados.

PRESIDENTE DE UM PODER

E ontem, não havia alternativa ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTA), ao não ser o de colocar os vetos apresentados pelo governo em votação. Até porque ele é presidente do Legislativo, e não de um partido político.

UM LÍDER DE MÃOS ATADAS

O governo não teria alguém mais hábil para colocar na sua liderança na ALEAC. Mas o que se tem notado é que o deputado Luiz Tchê (PDT) não tem o espaço político que deveria ter para resolver casos pontuais dos deputados da base. Falta ser mais prestigiados dentro do governo.

UMA ORQUESTRA DESAFINADA

Não é demais dizer que em qualquer pesquisa que for realizada hoje o governador Gladson Cameli deve aparecer bem avaliado. Mas o mesmo não se pode dizer de alguns secretários, que até o momento não conseguiram resolver os graves problemas herdados por suas pastas.

OUTRO DETALHE IMPORTANTE

O que de concreto temos no agronegócio, além da boa intenção, dos secretários da área? Qual foi o avanço nestes 9 meses na Saúde? Por qual razão a violência voltou crescer? São assuntos, Gladson, dos quais têm de serem cobrados resultados práticos? Vamos para 1 ano.

 CANDIDATURA FORA DE COGITAÇÃO

Está fora de cogitação uma candidatura a prefeita da ex-deputada Leila Galvão seja em Brasiléia e seja em Epitaciolândia. Este anúncio deverá ser feito em dezembro. Confirmado o que a coluna já colocou: vai se dividir entre as campanhas de Xapuri, Brasiléia, Assis Brasil e Epitaciolândia, apoiando os candidatos a vereadores da sua base política. Foca em 2022.

DECISÃO SÁBIA

É uma decisão sábia do grupo da prefeita Leila Galvão, candidata a prefeita é queimação.

PRESTAÇÃO DETALHADA

O deputado Daniel Zen (PT) está pedindo do governo uma prestação detalhada de quanto foi gasto até aqui com as viagens do governador Gladson Cameli e o vice Major Rocha, com datas, valores das diárias, destinos, para que se possa ter uma noção exata sobre a importância.

NADA CONTRA

O parlamentar petista diz não ser contra viagens, acha que o governador tem mesmo que fazer quantas viagens forem necessárias no país e exterior na busca de recursos, mas ressalta que todo o contexto das viagens tem de ser explicitado numa prestação de contas.

TUDO ENCAMINHADO

O deputado Neném Almeida deverá mesmo se filiar ao PSD. Ontem, pautou todo o seu discurso na Assembléia Legislativa enaltecendo os feitos do senador Sérgio Petecão (PSD).

VIVENDO O DIA A DIA

O deputado federal Alan Rick (DEM) tem direcionado o seu mandato em ajudar as unidades de saúde de baixa e média complexidade. Destinou uma emenda parlamentar de 500 mil reais para a UPA do 2º Distrito, a maior do Estado, e onde reconhece haver avanço na nova gestão.

SEM OLHAR PARTIDO

Um ponto positivo do deputado federal Alan Rick (DEM) é que destina as suas emendas parlamentares aos prefeitos sem olhar a que partido pertencem. Acabou de liberar 200 mil reais para compra de um ônibus urbano para a prefeitura de Rio Branco.

 CASCA DE BANANA

Uma casca de banana que o governador Gladson Cameli vai ter que evitar de pisar, é a de declarar apoio a candidato a prefeito, onde houver mais de uma candidatura do seu campo político. Ele é governador de uma aliança partidária e não de um partido. Ou se queima.

PMRB É EMBLEMÁTICO

O caso da disputa da PMRB é emblemático com vários candidatos do seu campo político.

TEMPO PARA SE CACIFAR

O prefeito de Senador Guiomard, André Maia, ainda tem mais de um ano até a eleição de 2020, tempo necessário para popularizar a gestão se quiser disputar uma reeleição.

É MUITO ASSALTO

O deputado Roberto Duarte (MDB) trouxe um dado alarmante ontem ao falar na tribuna da ALEAC, o de que quase 100 assaltos já foram registrados em ônibus somente este ano. A única dedução a que se chega é que roubar ônibus virou um meio de renda cômodo dos bandidos.

PROFISSÃO PERIGO

Ser UBER passou a ser profissão perigosa. Principalmente quando o chamado vem de bairros periféricos. Os que ousam a ser afoitos a aceitar qualquer corrida acabam sendo assaltados e até mortos. Estão cobertos de razão ao recusar chamadas da periferia. A morte espreita.

UMA PERGUNTA

Leitor manda uma pergunta. Não foram tirados os servidores do DEPASA para realização de concurso? Então, por qual razão retornou para a ETA uma funcionária que tinha saído? É só por ser casada com um parente do presidente Zenil? Fica o registro das perguntas do leitor.

LADRÕES DE FIOS CONTINUAM IMPUNES

Em que pesem as denúncias, registros dos fatos, a quadrilha que rouba os fios da rede elétrica das Praças continua a agir sem uma providência conhecida da polícia a respeito. As Praças ficam escuras, a prefeita tem de repor as fiações, usando dinheiro que são nossos impostos.

VÃO TOMAR UMA PROVIDÊNCIA

No dia que roubarem a fiação do Palácio das Secretarias, talvez, tomem uma providência.

CHAPA IDEAL

O deputado Roberto Duarte (MDB) disse ontem ao BLOG DO CRICA crer que o PSD e o MDB estarão juntos na eleição municipal do próximo ano. Argumenta que o MDB esteve com o Petecão nas duas eleições para o Senado e seria a hora do senador dar a contrapartida política.

CHAPA COMPETITIVA

Para o deputado Roberto Duarte (MDB) a chapa ideal para a disputa da prefeitura de Rio Branco no próximo ano seria ele de candidato a prefeito, tendo Marfisa Galvão (PSD) de vice. “Seria competitiva”, diz. Neste caso se juntariam dois partidos fortes na capital, PSD e MDB.

DESABAFO DE UM POLICIAL

Um policial amigo comentou ontem que as leis frouxas funcionam como incentivo aos bandidos, que são presos em flagrantes, ou depois de uma diligência policial, e na maioria são soltos nas Audiências de Custódia. “Alguns saem soltos e rindo da nossa cara”, desabafou.

É BOM FISCALIZAR

A prefeitura de Cruzeiro do Sul começou a liberar o asfalto para o DERACRE recuperar as rodovias que ligam Cruzeiro do Sul a Mâncio Lima e Rodrigues Alves. Não há mais desculpa para o trabalho não ser feito pelo DERACRE. É fiscalizar para ver se a obra será de qualidade.

FRASE DO DIA

“Não existe assunto desinteressante, o que existe são pessoas desinteressadas”. Gilbert Keith Chsterton, poeta inglês.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.