Conecte-se agora

Deixemos de hipocrisia

Publicado

em

Paremos com a hipocrisia do bonzinho. Há que se colocar impedimentos a entrada de novas levas de haitianos em Brasiléia, que com os 500 chegados nas últimas 48 horas, já atingem os 1.400. Tão miseráveis como eles são os moradores da periferia de Brasiléia e Epitaciolândia.

Barril de pólvora

Brasiléia, uma cidade pobre, sem estrutura, virou um barril de pólvora que pode explodir a qualquer momento e a manutenção dos haitianos fica cada dia mais caro para o Poder Público.

Olhar os acreanos

A questão é humanitária? É. Mas, em que País você chega a vai entrando sem um controle?.

Na cara de todos

Quem quer saber o que é miséria passe nos bairros periféricos de Brasiléia e Epitaciolândia, aonde centenas de família vivem na linha abaixo da pobreza, e não se ouve vozes a seu favor.

Ted Fogueiteiro 3x Dudé 0

Foi um duelo sensacional o pipocar de fogos do Tede Fogueteiro, na BASE, com a turma do Dudé e do governo na Amadeu Barbosa. O do Dudé acabou e a do Ted ainda ficou 3 minutos.

Hora de definições

Chegamos ao ano eleitoral. A partir de agora é só política. De definições das candidaturas e montagem da chapa completa com o vice. Até junho, mês das convenções, é puro conchavo.

Filão de votos

O PSDB procura um vice com trânsito e prestígio no eleitorado evangélico. Um nome visto como ideal e o da pastora batista Sandra Asfury, mas esta não tem se mostrado disposta.

Posições contrárias

O pastor da Igreja Batista, Agustinho, e o deputado Jamil Asfury (DEM), seu marido, são contra.

Sonho de consumo

No PMDB, o sonho de consumo é que o deputado federal Gladson Cameli (PP) traga o seu partido para se somar numa coligação, que já tem o PSD, e indicar o candidato a vice-prefeito.

Não é consenso

Não há consenso no PP a favor dessa aliança. O deputado José Bestene, um dos dirigentes do PP, tem a simpatia por uma coligação com o PSDB para indicar o nome a vice de Tião Bocalon.

 

 

Guerra aos mouros

O ex-deputado federal João Correia (PMDB) promete até o dia da convenção municipal, em junho, fazer uma guerra dos cruzados contra os mouros, para vir ser o candidato à PMRB.

Convenção certa

João Correia diz que ir à convenção disputar a candidatura do PMDB à PMRB contra o ex-deputado federal Fernando Melo (PMDB) é questão de honra, sem possibilidade de acordo.

Vale o gosto

João não tem votos para ganhar a convenção, mas, um gosto vale mais que um vintém.

Ganharia mais

Segundo lideranças de partidos da FPA, o PT ganharia mais em Brasiléia se deixasse fora dos comícios a prefeita Leila Galvão (PT), com um alto desgaste entre os políticos do município.

Horror aos políticos

Leila Galvão se limitou a fazer uma gestão técnica e a tratar com desdém os políticos.

De uma vez

Em política, as decisões mais duras têm que ser tomadas logo para não se ampliar as divergências, por isso, o PT demora anunciar Marcus Alexandre como candidato à PMRB.

Caso superado

Até porque as divergências internas estão superadas, mas o mesmo não se pode dizer das relações com um grupo do PCdoB, que insiste na candidatura da comunista Perpétua Almeida.

Erro de estratégia

É um erro de estratégia estender o impasse, por isso deixar o eleitorado da FPA com dúvidas.

Não assimilo

Não consigo assimilar a insistência da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB), conhece cada índio, cada taba da aldeia da FPA, sabe estar só é que o candidato é o Marcus Alexandre.

Planos fracassados

Os apoiadores do ex-prefeito de Tarauacá, Wando Torquato (PP), viram seus planos fracassados, de vê-lo retornar ao mandato, e com a máquina fazer o seu sucessor.

Outra história

Uma coisa é o Wando apoiar um candidato a prefeito estando no poder e o outro fora dele.

 

Único nome

A oposição comete um ato de burrice se lançar mais de um candidato a prefeito de Feijó: não é preciso nem ser expert em política para se saber que só o prefeito Dindim (PSDB) derrota o PT.

Mero participante

O empresário Abner , se insistir em disputar a prefeitura pelo PMDB, é só para fazer número.

Boa passagem

Ao meu amigo Wincler Collier, que morreu na virada do ano, boa passagem e que Deus o acolha.

Não decola

A candidatura do ex-deputado Mazinho Serafim (PMDB) a prefeito de Sena Madureira só decola se tiver como aliada a deputada Toinha Vieira (PSDB), sem isso, não sai do chão.

Péssimas pagadoras

As empresas prestadoras de serviço, na região de Feijó, estão sendo péssimas pagadoras: há meses  não recolhem um centavo do que é devido à prefeitura, como se não tivessem essa obrigação.

 

Quadro pronto

Não esperem nenhuma surpresa, o quadro de candidatos a prefeito da Capital está pronto, faltando apenas os vices, meros acessórios. Pela FPA sairá o engenheiro Marcus Alexandre (PT), o PMDB já se definiu pelo advogado Fernando Melo (PMDB) e os tucanos pelo professor Tião Bocalon (PSDB). O PSL virá de Luiz Calixto. Qualquer outro nome será mero figurante.

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Blog do Crica

Devo não nego, mas só pago quando puder

Publicado

em

Diz um ditado político que, no poder tudo pode. Na verdade, o contexto da frase significa que quando você tem a chave do cofre na mão tudo se torna mais fácil. A derrota fragorosa do PT, a maior dos últimos 20 anos no Acre, é um episódio que está longe de ter sido o último capítulo para o partido. A ressaca da derrota ainda está por vir. A cobrança pública do marqueteiro petista das duas últimas décadas, David- Sento-Sé, repleta de ironias, querendo receber do PT e dos ex-candidatos majoritários pela campanha do ano passado, é um sintoma da pindaíba que o partido vai começar a enfrentar daqui em diante. Os empresários amigos dobram a esquina, não estão mais no governo para fazer arranjos financeiros, e o marqueteiro David terá mesmo que esquecer o Whisky americano Jack Daniels e continuar bebendo a cachaça Ypióca, porque não vai receber o dinheiro tão cedo. Ficou claro na declaração do presidente do PT, Cesário Braga, ao BLOG DO CRICA, ontem, a respeito desta cobrança: “Desde que assumi direção do PT não fui procurado por ele, porém nunca o procurei também”. Diz que vai pagar, mas ressalva: “Não vou saber precisar agorinha o valor, e nem com qual empresa dele é, mas está devidamente registrado junto ao TRE”. Pode ser traduzido da seguinte forma: eu devo, não nego, mas pago quando puder. O certo é que o PT tem que ir se acostumando que terá que disputar a eleição do próximo ano sem as benesses do poder, sem recursos fartos para dar aos candidatos, sem cargos para oferecer, e, pelo visto, terá de procurar outro marqueteiro. Os novos tempos políticos serão de pindaíba para o PT, sem banquete, no máximo, no menu, cachorro-quente. E implorando para montar as suas chapas.

VÃO SENTIR A BARRA

Os dirigentes do PT já vão sentir a barra pesar já na eleição do próximo ano. Antes, no poder, estalavam o dedo e chovia de candidato a vereador, porque em troca sempre tinha um cargo para oferecer em caso de derrota, agora, sem pau para dar no gato, o buraco é mais embaixo. 

PELOS ARES DO ACRE

Um leitor me fez no fim de semana uma observação real: “Estão criticando o Gladson Cameli pela contratação de um jatinho. Nada novo. Esquecem os críticos que, o ex-governador José Augusto comprou um avião DC-3 para o Estado e batizou de “Dim Araújo”, e o Flaviano Melo, quando governador, contratou um jato Lear-Jet que ficava à sua disposição no aeroporto”.

PS, PRÉDIO NOVO, PRÁTICAS VELHAS

Duas situações divulgadas semana passada no Face, e que retratam que o Pronto Socorro não mudou. A de um cidadão que chegou 1 hora no PS com dores abdominais e não foi atendido pela falta de um clínico-geral, que só chegaria às 7 horas da manhã, e a de um médico otorrino que fez um atendimento humanitário para atender uma criança, porque no PS não resolveu.

NÃO CAIU A FICHA

Foram rejeitados nas urnas, saíram do poder como o governo mais impopular dos últimos vinte anos, e ainda se acham com o direito de apontar rumos? Agora, só em 2022.

O QUE MELHOROU DE CONCRETO?

Fora o seu esforço em inaugurar o novo PS, cujas obras se arrastavam há 10 anos e a compra programada de 74 milhões de reais de medicamentos, cabe uma pergunta ao governador Gladson Cameli: o que mudou para melhor no atendimento, com a vinda da médica Mônica Feres para ser a sua secretária de Saúde? Nada! Continua tão ruim como no governo passado.

DIFÍCIL DE SER BATIDO

O deputado federal Flaviano Melo (MDB) fez uma observação ao BLOG DO CRICA, sobre a eleição municipal do próximo ano em Sena Madureira: “será muito difícil que os adversários consigam derrotar o prefeito Mazinho Serafim, não tenho dúvida de que ele será reeleito”.

ATAQUE LIBERADO

Conversei com o deputado federal Flaviano Melo (MDB). O que observei claramente é que deu carta-branca para os ataques do deputado Roberto Duarte (MDB) ao governo do Gladson Cameli. Quando perguntei se os ataques tinham seu aval, desconversou e riu. Alguma dúvida?

SEM LEGENDA

O deputado federal Flaviano Melo (MDB) adiantou ao BLOG DO CRICA que, a aliança do vereador Rogério Pontes (MDB-Brasiléia) com a prefeita Fernanda Hassem (PT), a persistir, vai redundar no partido lhe negar legenda para disputar a reeleição e nem facilitar a sua saída.

CASOS RECENTES

O MDB já conseguiu recentemente na justiça a cassação dos mandatos dos vereadores Cruzeirenses Marivaldo da Várzea e Lucila Brunetta, com base na infidelidade partidária.

O PREJUÍZO SERÁ CERTO

A prefeita Socorro Nery ainda não disse se disputará a reeleição no próximo ano. Mas caso entre na disputa deve ficar atenta, para um fato: se colocar no seu palanque figuras do governo passado o seu prejuízo político será certo, pela transferência de desgaste.

IMAGEM DESCOLADA

O seu melhor caminho é manter uma imagem descolada do governo passado e construir uma rota política própria, que tenha a sua cara. Principalmente, com a sua imagem popular melhorada em muito com a sua intervenção na cidade, que recebeu com as ruas esburacadas.

NEM MAIS E NEM MESMO

Todos os anos nesta época o ar da capital fica tomado pela fumaça das queimadas. Não é nenhuma novidade. Nem mais nem menos do que aconteceu em anos anteriores. Não foi a patuscada do IMAC e Secretaria do Meio-Ambiente de prometer facilidades ambientais, anistia de multas, que causou isso.

POSIÇÃO CORRETA

Os governadores da Amazônia Legal, inclusive o Gladson Cameli, estão certos ao não endossar a posição do presidente Jair Bolsonaro de ironizar o corte de recursos da Noruega e Alemanha para a preservação ambiental. O Acre, um Estado pobre, não pode dispensar os recursos.

MESMA BATIDA

O deputado federal Alan Rick (DEM) fez um produtivo primeiro mandato. No segundo mandato segue a mesma batida de liberar recursos aos municípios sem olhar partidos.

MDB SE ARTICULANDO

O MDB já tem alguns nomes definidos para disputar prefeituras no próximo ano. Roberto Duarte em Rio Branco. Francisco Tavares em Plácido de Castro, em Sena Madureira o Mazinho Serafim. Falta definir nomes em Cruzeiro do Sul e Brasiléia. O Glorioso estará ativo em 2020.

O ACRE É UM ESTADO POBRE

O Diretor da EMATER-ACRE, Tião Bocalom, indaga quais os benefícios concretos dos 90 milhões de reais recebidos pelo Acre de países como Noruega e Alemanha. Se não teve resultado é passado, o certo é que o Acre, um Estado pobre, não pode abrir é mão de recursos na ordem de 70 milhões de reais. Bocalom, o PT já era: é hora de esquecer o retrovisor.

VAMOS PARAR COM O CHORO

Que os últimos quatro anos do governo do PT foram um fracasso, as urnas confirmaram, lhes impondo uma derrota histórica. O que o acreano quer saber o que o atual governo vai fazer para desenvolver o Acre. Bocalom, quem casa com a viúva, cria os filhos. Chega de choro.

QUEREMOS VER A PRODUÇÃO

O que queremos ver é a revolução prometida para o campo, o produzir para empregar.

 VINGANÇA, UM PRATO QUE SE COME FRIO

O culpado por este processo eleitoral que condenou o ex-prefeito Vagner Sales e o prefeito Ilderlei Cordeiro, é o vice-governador Major Rocha, que armou a gravação de um diálogo com um candidato a vereador de compra de votos, para ajudar o seu então candidato a prefeito, Henrique Afonso, na época do PSDB. Por isso, o Rocha não espere de ambos, apoio em 2022.

SONHO DO MDB

O sonho dos dirigentes do MDB é formar uma chapa para a disputa da prefeitura da capital, no próximo ano, tendo o Roberto Duarte (MDB) para prefeito e a Marfisa Galvão (PSD) de vice.

VEIA HUMORÍSTICA

O deputado federal Flaviano Melo (MDB) tem uma veia humorística. Com o governador Gladson Cameli apanhando de chicote de couro do deputado Roberto Duarte (MDB) na ALEAC, e assim mesmo ainda acha que o Duarte será o candidato ao governo. Só se for masoquista 

CONSOLIDAÇÃO NA ÁREA RURAL

Os 94 milhões de reais que estavam quase perdidos estão garantidos pela Caixa Econômica Federal para a recuperação de ramais. Se o governo selecionar os ramais mais produtivos, fizer um trabalho de vergonha nestas vias, vai se consolidar na zona rural. Se pulverizar se queima.

MUDANDO DE BASE

O casal Dêda e deputada Maria Antônia (PROS), ao que indica, em 2022 não ficarão restritos ao colégio eleitoral de Rodrigues Alves, que sempre foi o seu reduto principal. Estão investindo pesado politicamente em Brasiléia, Acrelândia e Epitaciolândia, formando novas bases.

Continuar lendo

Blog do Crica

Um político acima de qualquer suspeita

Publicado

em

O ex-senador Nabor Junior (foto no dia da posse, com Iolanda Fleming de vice), uma das figuras mais respeitáveis da política acreana, ícone do MDB, lançará no dia 4 de setembro em Tarauacá e, dia 6 em Rio Branco, um livro com a sua biografia retratando todas as etapas nas quais viveu ao longo de sua vitoriosa carreira de 40 anos de mandatos, como deputado estadual, deputado federal, senador e governador do Acre. Nabor é um daqueles políticos que se pode dizer sem temor algum de errar ser um cidadão acima de qualquer suspeita. A sua vitória mais emblemática aconteceu na eleição de 1982 ao governo, como candidato azarão do MDB, quando venceu o favorito Jorge Kalume (ARENA). E mais emblemático ainda foi o fato de que sua vitória se cristalizou no maior reduto político do adversário, Cruzeiro do Sul. Nabor nunca teve grupo, sempre esteve acima de todos e, exatamente, por isso conseguia ser o pólo agregador de todas as correntes do MDB, das quais se destacavam o grupo do deputado federal Geraldo Fleming, o grupo do deputado federal Ruy Lino, o grupo dos Melos e a Tendência Popular, do Aluízio Bezerra. Nabor é um exemplo para os mais jovens, não se conhece contra ele nenhuma denúncia de desvios financeiros durante a sua administração. Entrou limpo e saiu limpo do governo. E quem acompanhou sua trajetória sabe que jamais se desviou da conduta ética e moral. Nestes tempos bicudos de Lava Jato é bom ressaltar isso.

REVIVENDO A HISTÓRIA
A vitória do MDB no Juruá tem nome: Geraldo Pereira Maia. A convenção para a escolha do candidato da ARENA acabou empatada, entre Nosser de Almeida e Jorge Kalume. Kalume foi escolhido por ser mais velho. Isso desgostou o poderoso grupo do Geraldo, que levou todo o seu pessoal no Juruá a apoiar Nabor Junior. Maia saiu candidato e foi o mais votado do MDB. Foi o responsável principal pela vitória de Nabor no Juruá e da eleição para o governo.

MANIFESTO DO MESQUITA
O ex-governador Geraldo Mesquita, que queria o Nosser de candidato ao governo, também se rebelou contra a candidatura Kalume. Lançou um manifesto, assinado por ele, pelo médico Mário Maia (se elegeu senador nesta eleição), e outros, pedindo aos amigos votos no Nabor.

VITÓRIA ESMAGADORA
Neste contexto é bom também lembrar que o governador na época era o Joaquim Macedo, cujo candidato ao governo era o Nosser Almeida. Macedo, não quis apoiar Kalume, não só cruzou os braços, mas nos bastidores trabalhou a favor da candidatura do Nabor Junior.

PARA A POSTERIDADE
Era secretário de Comunicação do governo Macedo o jornalista Eduardo Mansour. Eu era o Coordenador de Comunicação. Na semana anterior à votação o Dadinho, amigo que está em outro plano, me chamou no gabinete e disse: “calados, vamos todos votar no Nabor Junior”.

 VITÓRIA COMEMORADA
Lembro do dia seguinte da eleição. Vou subindo as escadarias do Palácio Rio Branco e encontro com o chefe do gabinete civil, Elias Mansour, e este me deu um abraço, e comovido, disse: “vencemos!”.  Elias foi um dos articuladores políticos mais inteligentes que conheci.

DASABAFO COM SENTIDO
O desabafo do professor Elias Mansour tinha sentido político. Durante a campanha foi distribuído pelos kalumistas um panfleto com a cópia de uma entrevista do general Silvio Frota, linha dura do regime militar, no jornal O ESTADÃO, com os nomes dos “comunistas” lotados em cargos importantes nos governos estaduais, o do Elias Mansour estava lá.

FOI UMA LAVADA
Além do governador Nabor Junior, na eleição de 1982 foi eleito o senador Mário Maia; e o Juruá, que era reduto dos kalumistas, foi tomado pelo MDB, que elegeu cinco deputados estaduais: Jader Machado, Geraldo Maia, Edson Cadaxo, Francisco Taumaturgo e Rezene Lima.

CONVITE OFICIAL
O deputado federal Flaviano Melo (MDB) disse que vai pessoalmente, na próxima sexta-feira, convidar a ex-deputada Leila Galvão (PT), que foi vereadora pelo MDB, para que prestigie com a sua presença a convenção do MDB, em Brasiléia. “É uma forma de homenagem”, disse Melo ao BLOG.

CANDIDATO PRÓPRIO
Numa conversa ontem no ac24horas, o presidente do MDB, Flaviano Melo, garantiu que o MDB terá sim um candidato a prefeito de Brasiléia. Não quis entrar em detalhes, mas revelou ser um nome novo com peso para enfrentar de igual a prefeita Fernanda Hassem (PT).

APOSTANDO SUAS FICHAS
Perguntei na ocasião ao Flaviano Melo (MDB) quem seria o candidato do partido a prefeito da capital. Foi taxativo que será o deputado Roberto Duarte (MDB). E ainda acrescentou: “com o apoio do Gladson”.  Não sei em que está se baseando, mas acho muito improvável de ocorrer.

GENERAL E CORONEL
A secretária de Saúde, Mônica Feres, pode não ter trazido nenhuma melhoria no atendimento da pasta, tem se notabilizado pela arrogância com que trata os subalternos, mas está transformando a SESACRE num quartel. Mandou buscar mais um Coronel e um General aposentados. Nesta batida o Gladson terá que bater continência quando chegar na SEASACRE.

PERDERAM A VALENTIA
Os valentes sindicalistas que tanto cobravam eficiência na Saúde na gestão passada do PT, alguns com cargos no governo, estão assistindo este filme maluco na SESACRE, caladinhos.

 BANDEIRA DE CAMPANHA
Não foi bandeira de campanha do Gladson, nomear secretários arrogantes, ele trata bem as pessoas, com que direito uma secretária que veio de fora, não segue o seu exemplo? A dona Mônica ainda vai trazer muita confusão política para dentro do seu governo. Pode esperar.

MISTÉRIO A SER DESVENDADO
Quem é o padrinho da dona Mônica? Veio fazer o que? É testa-de-ferro de alguma empresa de terceirização? Todas as suas decisões até aqui foram confusas. É tudo muito misterioso.

NÃO PEDIU SEGREDO
Na última conversa que tive com o Gladson Cameli, este me disse acreditar que o professor Minoru Kinpara não se filiará no PSDB e que, ele e o vice-governador Major Rocha marcharão juntos com outra candidatura de consenso. A política, já se diz, é a arte do impossível.

A NÃO SE QUE FILIE
Colocando na balança, o PROGRESSISTA não tem um nome de densidade eleitoral que possa ser candidato a prefeito da capital com chance de vitória. Se o partido do governador vai ter candidato próprio à PMRB, então terá que filiar alguém de outra sigla.

VISITA AGRADÁVEL
Recebi ontem em casa para um papo o cidadão do mundo Chagas Freitas, que é hoje o Consul brasileiro em Cobija. Veio com um amigo cubano. Foi um papo agradável e de aprendizado.

OLHADA NO PANORAMA
O deputado federal Flaviano Melo (MDB) pediu ontem que a coluna registrasse um apelo à prefeita Socorro Neri, para que entre com uma frente de tapa-buraco na estrada do Panorama até o antigo Chalé. Pedido registrado. Flaviano mora por aquelas bandas.

DIFERENÇA DE ESTILO
Enquanto o ex-senador Jorge Viana deu uma entrevista com estilo, em alto nível, na Rádio ALDEIA FM, o presidente do PT, Cesário Braga, que estava comedido, escreveu um artigo com adjetivação chula contra o governo Cameli. Nada contra a crítica, mas contra o palavreado.

FALANDO EM CRÍTICA
Esta ida do ex-senador Jorge Viana à Aldeia FM, uma emissora oficial, foi uma mostra de respeito ao contraditório e à liberdade de expressão, diferente de como agiram os governos do PT. Entre os defeitos do Cameli não está o de não respeitar a liberdade de expressão.

MELHOR NÃO EXPLICAR
Melhor é a Defensoria Pública não ficar se explicando, porque o pedido que fez a justiça para não se mostrar cara de bandido vai cercear o trabalho da imprensa. Isso é ponto pacífico.

FRASE DO DIA
“O tolo nem perdoa e nem esquece, o ingênuo perdoa e esquece, o sábio perdoa, mas não esquece”. Thomas Szasz, escritor húngaro. Um bom final de semana para todos.

 

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.