Conecte-se agora

Apesar do Inverno ações da Prefeitura de Cruzeiro do Sul não param.

Publicado

em

Mesmo com o inverno rigoroso que se abateu sobre Cruzeiro do Sul, as ações da Secretaria de Obras da Prefeitura não param. Apesar das dificuldades com maquinário, pessoal e insumos para atender as mais variadas demandas que aumentam significativamente no período invernoso, várias são as frentes de trabalho que estão em plena execução. Recuperação e colocação de bueiros em trechos críticos de várias ruas, operação tapa-buracos em vários bairros e roçagem e limpeza de ruas, além da coleta de lixo.

A frente da Secretaria de Obras desde o inicio de Dezembro, o Secretário Interino, Mauri Barbosa, o Sinhô, como é conhecido, não tem medido esforços para atender a determinação do Prefeito Vagner Sales que é de fazer chegar os benefícios da administração àqueles que dela mais precisam. Segundo ele não tem sido fácil mais é preciso fazer o serviço andar: “é um grande desafio. O serviço não pode parar, apesar das dificuldades que o inverno impõe. Neste período muitas máquinas entram em manutenção e os problemas aumentam.

São muitas as reivindicações da população e a gente tem feito o que pode para corresponder a confiança do Prefeito e a expectativa do nosso povo”, disse. Sinhô explicou que”apesar da nossa programação, tem momentos que temos que dar prioridade aos casos mais críticos que surgem”, finalizou. Em Brasília o Prefeito Vagner Sales, na peregrinação por recursos, sabe que o município está em boas mãos: “o nosso vice Mazinho Santiago e os nossos Secretários, sabem qual é o meu pensamento. Por isso, eu estando em Cruzeiro do Sul ou não, temos um compromisso com o nosso povo e temos que dar o melhor de nós para que as ações cheguem a todos,” concluiu o prefeito.

(Da assessoria)

Anúncios
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Com salários atrasados, terceirizados protestam na Educação

Publicado

em

Inconformados com o atraso de salários, funcionários da empresa terceirizada Maia Pimentel realizaram uma manifestação na manhã desta terça-feira, 22, na sede da Secretaria Estadual de Educação do Acre, em Rio Branco. A empresa é contratada para prestar serviços de limpeza e dezenas de escolas na capital acreana.

Agora em setembro, os servidores irão para o terceiro mês sem ver a cor de seus salários. “Eles sempre pagam a gente atrasado. É sempre assim, pagam um mês e deixa dois dentro. Isso não é justo. Nós somos trabalhadores que ganhamos um salário mínimo. Ninguém merece ver um filho pedindo algo e você não poder comprar tendo dinheiro para receber”, diz uma das servidoras que prefere não se identificar.

A informação dada aos funcionários é de que a Secretaria de Educação garantiu que não há atraso e os repasses para empresa estão em dia. De acordo com os manifestantes, são cerca de 80 profissionais com os salários em atraso.

“Tem uma moça que trabalha comigo que foi despejada porque não conseguia manter o aluguel em dia. Pagava um mês e atrasava outro. A gente não tá pedindo favor, só queremos receber em dia, que eu acredito ser um direito do trabalhador”, diz outro funcionário da empresa.

A Maia Pimentel foi procurada, mas o ac24horas não conseguiu contato com seus representantes. O espaço está aberto para posicionamento da empresa.

Continuar lendo

Acre

Gerlen rebate Edvaldo: “sua choradeira não tem argumento”

Publicado

em

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Gerlen Diniz (Progressista) condenou a postura do deputado do PCdoB, Edvaldo Magalhães, quanto à nomeação do novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

O progressista elencou os passos dados para a decisão da Assembleia Legislativa quanto à rejeição de Maria de Jesus para ocupar a vaga no TCE. “Essa sua reclamação não tem fundamento”, disse Diniz.

“Pare de atribuir a nós parlamentares qualquer culpa. Que saia justa é essa? Estamos aqui aguardando um nome indicado pelo Poder Executivo iremos avaliá-lo mais uma vez”, explicou. “Sua choradeira não tem fundamento” frisou Diniz.

O comentário do líder foi referente ao comentário de Magalhães que afirmou que a Aleac passa por uma saia justa ao ter rejeitado o nome de Maria de Jesus para vaga de conselheira.

Decisão

A desembargadora Regina Ferrari, do Tribunal de Justiça do Acre, deferiu parcialmente o pedido de liminar do mandado de segurança coletivo impetrado pela Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas (Audicon) que pleiteava a suspensão dos efeitos do decreto legislativo e também de proibir a indicação de qualquer pessoa estranha para o cargo de Conselheiro por parte do Governador Gladson Cameli e da Assembleia Legislativa do Estado do Acre.

Em sua decisão interlocutória na tarde desta segunda-feira, 21, a magistrada determina que a Assembleia Legislativa do Acre não realize qualquer aprovação de candidato, atual ou futura, para ocupar a 6ª vaga de cargo de Conselheiro junto ao Tribunal de Contas do Estado do Acre, até a análise meritória Colegiada, que deverá ser analisada pelo Pleno do Tribunal de Justiça, composto por 12 desembargadores.

Continuar lendo

Acre

Edvaldo diz que Aleac vive saia justa por causa da vaga do TCE

Publicado

em

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) usou o grande expediente da sessão virtual da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 22, para fazer referência à decisão da desembargadora Regina Ferrari, quanto a escolha do novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

“Isso não pode passar como se nada tivesse ocorrido. Só para lembrar: o TCE tomou uma decisão por unanimidade em torno do nome da conselheira Maria de Jesus para ocupar a vaga de José Augusto. Encaminhou sua decisão ao governador do Estado, que concordou e remeteu o pedido para a Aleac apreciar”, comentou Magalhães, completando que na hora da apreciação houve um “cavalo de pau” político no entendimento do poder e uma série de mobilizações foram feitas na véspera da votação e no dia da apreciação a maioria absoluta votou pela rejeição do nome da conselheira.

Segundo o comunista, a situação põe a “Aleac em uma saia justa”, pois segundo a decisão da magistrada, o Poder Legislativo não pode decidir nada até que o Pleno do TJAC julgue o mérito da ação.

Decisão

A desembargadora Regina Ferrari, do Tribunal de Justiça do Acre, deferiu parcialmente o pedido de liminar do mandado de segurança coletivo impetrado pela Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas (Audicon) que pleiteava a suspensão dos efeitos do decreto legislativo e também de proibir a indicação de qualquer pessoa estranha para o cargo de Conselheiro por parte do Governador Gladson Cameli e da Assembleia Legislativa do Estado do Acre.

Em sua decisão interlocutória na tarde desta segunda-feira, 21, a magistrada determina que a Assembleia Legislativa do Acre não realize qualquer aprovação de candidato, atual ou futura, para ocupar a 6ª vaga de cargo de Conselheiro junto ao Tribunal de Contas do Estado do Acre, até a análise meritória Colegiada, que deverá ser analisada pelo Pleno do Tribunal de Justiça, composto por 12 desembargadores.

Continuar lendo

Acre

Daniel Zen diz que Socorro Neri virou as costas aos aliados

Publicado

em

O deputado estadual e candidato do PT à Prefeitura de Rio Branco, Daniel Zen, usou as redes sociais nesta segunda-feira, 21, para falar a respeito do que aconteceu entre o PT-PCdoB-PSOL e o PSB de Socorro Neri.

Zen afirmou que todos eram aliados, mas com a derrota de Marcus Alexandre (PT) nas eleições de 2018, o PT viu Socorro Neri mudar e virar as costas aos aliados. Em sua argumentação, o petista falou acerca da extinção de secretarias importantes criadas pelo ex-prefeito e que foi varrida com reforma administrativa de Socorro Neri (PSB).

O petista contou que em duas oportunidades, uma com os partidos aliados e outra ele em reunião com Neri, ouviu dela que não a esperasse e que não discutiria política naquele momento. Nesse meio tempo, a imprensa noticiava uma aproximação dela com o governador Gladson Cameli.

“O que a prefeita fez com o PCdoB, foi o mesmo que já havia feito com nós do PT. A diferença é que ao perceber que já não éramos bem-vindos, nós pedimos pra sair. O PCdoB permaneceu fiel à coligação que ajudou a eleger, até que ela demonstrou que também não os queriam por perto”, argumentou Zen.

O candidato petista disse que escolher com quem quer caminhar é normal, mas “o que não dá é agir de forma sorrateira, com deslealdade e ingratidão”.

“Se negar a conversar e dizer que não quer a aliança ou romper com aliado fiel faltando minutos para iniciar uma convenção, isso aí foi uma grande falta de respeito”, afirmou Zen.

 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas