Conecte-se agora

Produção florestal brasileira cresce e soma R$ 14,7 bilhões em 2010, diz IBGE

Publicado

em

A produção primária florestal somou R$ 14,7 bilhões em 2010, R$ 1,1 bilhão a mais que em 2009. Os dados fazem parte da Pesquisa da Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS) 2010, divulgada hoje (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foram analisados 38 produtos oriundos do extrativismo vegetal (exploração de recursos vegetais nativos como madeira, látex, frutos e raízes) e sete da silvicultura (reprodução de florestas visando a produção de madeira, resinas, carvoejamento, proteção ambiental etc).

A participação da silvicultura respondeu por 71,8% (R$ 10,7 bilhões) do valor gerado pela produção florestal em 2010, enquanto a extração vegetal teve participação de 28,2% (R$ 4,2 bilhões). Em 2009, 66,3% (R$ 9 bilhões) dos produtos florestais eram oriundos da silvicultura e 33,7% (R$ 4,6 bilhões) do extrativismo vegetal.

O estudo sugere que a maior participação da silvicultura na produção e a queda do extrativismo vegetal são consequências da forte atuação dos órgãos fiscalizadores e ambientais e da demanda por produtos florestais que não para de crescer.

Os produtos madeireiros na extração vegetal renderam R$ 3,4 bilhões (81,5% de participação) e os não madeireiros, R$ 778,2 milhões (18,5%). Por outro lado, dos produtos madeireiros do extrativismo, quatro dos cinco estudados tiveram queda na produção: carvão vegetal (-8,7%), lenha (-7,9%), madeira em tora (-17%) e nó de pinho (-11,3%).

Dos sete produtos originários da silvicultura, seis tiveram aumento em suas produções, com exceção das cascas de acácia-negra (-3%), devido ao baixo preço do produto. Na silvicultura, os quatro produtos madeireiros somaram R$ 10,5 bilhões (98,7% de participação) e os três não madeireiros R$ 139,7 milhões (1,3%).  Dos produtos não madeireiros, a produção de folhas de eucalipto, utilizada na fabricação de óleo essencial (eucaliptol), concentrada no Sudeste e Sul, apresentou  o maior aumento (51,2%) na comparação com 2009, impulsionado pelo bom preço praticado.

Ainda segundo a pesquisa, em 2010, cerca de 90% da madeira em tora era originária da silvicultura e 9,9% da extração vegetal. Na silvicultura, 60,3% da madeira foi destinada para papel e celulose. A participação do extrativismo vegetal ganha maior peso na produção de lenha, com 43,8% da produção nacional.

Das quase 5 mil toneladas de carvão vegetal produzidas, 69,6% eram oriundas das florestas plantadas e 30,4% da extração vegetal. O carvão vegetal da silvicultura teve aumento de 1,6% em 2010 em relação a 2009.

De acordo com o IBGE, os produtos não madeireiros do extrativismo vegetal mais produzidos em 2010 foram os mesmos de 2009: coquilhos de açaí (R$ 179 milhões); amêndoas da babaçu (R$ 154,8 milhões); fibras de piaçava (R$ 117,7 milhões); erva-mate nativa (R$ 100,5 milhões); pó de carnaúba (R$ 86,2 milhões) e castanha do pará (R$ 55,2 milhões). Juntos, eles representaram 89% de tudo o que foi produzido no extrativismo vegetal não madeireiro.

Em comparação com 2009, 16 produtos extrativos não madeireiros tiveram aumento de produção em 2010, com destaque para frutos de açaí (7,3%), castanha-do-pará (7,7%); erva-mate (4,3%) e pinhão (10,9%).

O estudo mostrou também que, em comparação a 2009, a extração das fibras de piaçava caiu 11,1% devido a menor demanda, bem como a de amêndoas de babaçu (-2,9%), que além da menor demanda também porque a população de baixa renda que extraía o produto abandonou a atividade para realizar outras. Já a erva-mate nativa teve aumento de 4,3% em 2010 frente ao ano anterior, sobretudo, devido a uma demanda maior e ao bom preço do produto no mercado.

Anúncios
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Cotidiano

Exibição de programas com alusão ou crítica a candidatos está proibida até 29 de novembro

Publicado

em

Começou na última quinta-feira (17) até o dia 29 de novembro o período em que emissoras de rádio e televisão deverão observar uma série de restrições ao conteúdo que transmitem sobre candidatos, partidos políticos e coligações ou que revele a posição política de eleitores.

As restrições estão previstas na Lei das Eleições e fazem parte do calendário eleitoral 2020. O não cumprimento das regras pode acarretar a cassação do registro da candidatura, ou do diploma de eleito, por uso indevido dos meios de comunicação.

Durante a vigência do período eleitoral, as emissoras estão livres para organizar debates políticos ou citar candidatos, partidos ou coligações em programas jornalísticos. Mas a exibição de qualquer conteúdo que os mencione ou favoreça – como peças de propaganda política ou novelas, filmes e séries, por exemplo – não é permitida.

Os programas de rádio ou TV que tenham o nome de um candidato ou façam menção a ele não poderão mais ser transmitidos até depois do segundo turno das eleições. Os próprios candidatos que atuavam como apresentadores já estão afastados dos programas desde o dia 11 de agosto.

Continuar lendo

Cotidiano

Motoqueiros armados sofrem acidente ao avançar sinal e colidir em carro

Publicado

em

A colisão entre uma motocicleta e um carro modelo Classic deixou o motociclista Lucélio Nunes Nascimento, de 22 anos, e outro homem não identificado, feridos na noite dessa quinta-feira, 17, no cruzamento da Avenida Nações Unidas com a rua Pernambuco, no bairro Bosque, em Rio Branco.

De acordo com informações da polícia, o condutor do veículo Classic estava trafegando na Nações Unidas e ao passar pelo cruzamento, o condutor da motocicleta modelo Titan, de cor preta, avançou o sinal vermelho em alta velocidade e colidiu com o carro.
Com o impacto, Lucélio e seu amigo caíram no asfalto. A dupla carregava uma caixa de cerveja e uma arma de fogo artesanal. O amigo de Lucélio, mesmo ferido, ainda conseguiu fugir do local.

A ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada e os paramédicos prestaram os primeiros atendimentos a Lucélio e o conduziu em estado de saúde estável ao Pronto-Socorro de Rio Branco.

A área foi isolada pela Polícia Militar para os trabalhos de perícia. A Polícia acredita que a arma estava sendo usada para praticar roubos na Capital.

A moto não possui restrição por roubou ou furto, e foi removida do local e encaminhada ao pátio do Departamento de Trânsito. A arma de fogo foi apreendida e encaminhada a Delegacia de Flagrantes (Defla) para os devidos procedimentos.

Continuar lendo

Cotidiano

Maior feira online do agronegócio da Amazônia começa na próxima terça (22)

Publicado

em

A Conecta Sebrae – Agrolab Amazônia é a maior feira online voltada para o agronegócio, organizada pelos Sebraes dos estados que compõem a Amazônia Legal. No Acre, além do Sebrae, o evento conta com parcerias do Governo do Estado, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e das Federações da Indústria (FIEAC) e da Agricultura e Pecuária (FAEAC). A feira acontece de 22 a 24 de setembro, gratuitamente, em um ambiente 100% digital, gamificado, e em plataforma 3D.

A proposta surgiu junto ao aumento do uso de ferramentas digitais em propriedades rurais, e busca auxiliar na expansão dos mecanismos de inovação e tecnologia da produção. A feira visa promover negócios entre empresas, além do compartilhamento de conhecimentos no âmbito da cadeia do agronegócio na Amazônia.

Durante o evento haverá estandes virtuais para exposição de empresas, produtos, marcas e tecnologias para o meio rural, apresentação de um conjunto de palestras, fóruns e debates sobre temas de importância para o agronegócio na Amazônia, leilões de gado e rodadas de negócio de diversos produtos do agronegócio.

Na Agrolab Amazônia os participantes irão sentir como se estivessem dentro de uma feira presencial, podendo interagir com expositores por meio de chats, ver imagens de produtos, assistir a vídeos e ler documentos como catálogos e folders comerciais, assistir palestras e debates. Tudo isso de forma remota usando um computador pessoal, celular ou tablet.

Para fazer uma inscrição, basta acessar https://agrolabamazonia.com/.

Continuar lendo

Cotidiano

Colono é atingido com tiro de escopeta nas costas em frente de casa, em Porto Acre

Publicado

em

O colono Cleison de Souza Sussuarana, de 44 anos, foi vítima de uma tentativa de homicídio após ser ferido com um tiro nas costas na noite dessa quinta-feira, 17, em frente de sua residência. O crime aconteceu no Projeto de Assentamento Tocantins, situado na Vila do V, no município de Porto Acre, no interior do Estado.

De acordo com informações da família, Cleison estava com uns amigos em sua casa. Na saída, ao deixá-los no portão, durante o fechamento do portão, virou as costas uma pessoa não identificada e, como estava no escuro, esta efetuou um tiro de uma escopeta na direção de Cleison.

A vítima foi atingida nas costas. Mesmo ferido e para não receber outro tiro, o colono conseguiu correr para dentro de sua casa. Após a ação, o criminoso fugiu do local.

Familiares acionaram a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Os paramédicos prestaram os primeiros atendimentos e conduziram o ferido ao Pronto-Socorro de Rio Branco em estado de saúde gravíssimo.

Policiais Militares estiveram no local e fizeram patrulhamento na região em busca de encontrar o autor do crime, mas ninguém foi preso. A tentativa de homicídio contra o colono será investigada pelos Agentes de Polícia Civil da Delegacia de Porto Acre.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas