Conecte-se agora

“Política no Acre é comandada por coronéis que violam democracia”, diz Bittar

Publicado

em

O deputado federal e presidente do PSDB no Acre, Márcio Bittar, disse que a divulgação do grampo telefônico no comitê do partido em 2010 é uma comprovação de algo que os líderes da oposição no estado sempre desconfiaram. “Infelizmente, a política no Acre é comandada por ‘coronéis’ que violam os princípios do Estado Democrático”, afirmou o parlamentar.

Segundo informações divulgadas pelo jornal O Estado de S. Paulo, as linhas telefônicas do comitê do PSDB no Acre em 2010 foram grampeadas pela Polícia Federal. A ação tinha como objetivo, segundo a PF, monitorar a deputada Antonia Lucia (PSC), mas acabou por registrar mais de 360 horas de conversa entre os dirigentes da campanha do PSDB no estado.

Bittar disse também que circulam, no Acre, CDs e DVDs em que há outras gravações de conversas telefônicas entre dirigentes do PSDB local. “O fato é que o grampo nos telefones do PSDB no Acre virou uma prática constante. Na minha avaliação, isso nos leva de volta ao tempo das cavernas, acaba com o sentimento de democracia”, disse.

Senado

Líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR) definiu a realização dos grampos como uma “violência”.

“Um grampo telefônico sem autorização judicial é uma afronta à Constituição. Trata-se de uma arapongagem, uma prática fascista”, declarou.

Para Dias, é preciso que a PF esclareça o episódio do Acre – até mesmo pela preservação da própria reputação. “A Polícia Federal é uma instituição respeitada. Quando há autorização judicial, quando ela atua na legalidade, presta importantes serviços ao país. Mas infelizmente existem casos onde há excessos”, disse.

O PSDB cobra explicações do Ministério da Justiça e da Polícia Federal sobre o episódio.


Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Coronel assume subcomando geral do Corpo de Bombeiros no Acre

Publicado

em

O Coronel Charles da Silva Santos assume oficialmente nesta quarta-feira, 21, como subcomandante geral do Corpo de Bombeiros Militar no Acre. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje. De acordo com o órgão, Santos estava há oito meses como Coordenador Estadual do Fundo de Segurança Pública e Coordenador Operacional do CIOSP da Secretaria de Estado e da Segurança Pública. Ele já foi Comandante Operacional de Rio Branco e do interior e chefiou o gabinete do Comandante-geral.

O novo subcomandante é bacharel em Ciências Contábeis, com pós-graduação em administração pública e Segurança pública. Agora, irá conduzir a corporação ao lado do comandante-geral, Coronel Carlos Batista.

Coronel Charles garante que está preparado para a nova missão. “Darei irrestrito apoio as demandas do Comandante-geral e consequentemente da corporação. Junto com os Oficiais, praças e funcionários civis, faremos uma administração boa para todos, visando nosso público mais importante que é a comunidade acreana”, disse o novo Subcomandante.

Com informações da Assessoria

Continuar lendo

Acre

Gladson Cameli torna sem efeito promoções de PM’s e Bombeiros

Publicado

em

Após a reportagem do ac24horas, na qual o Ministério Público do Acre (MPAC) recomendava a revogação das promoções de agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Acre pelo cometimento de ato improbidade administrativa, o governador Gladson Cameli (Progressistas) acatou a recomendação do Ministério Público e tornou sem efeito o Decreto nº 3.161, na manhã desta quarta-feira, 21, por meio do Diário Oficial do Estado do Acre (DOE).

RELEMBRE O CASO – Em suma, o MPAC pedia a revogação das promoções de agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Acre e advertia ainda da necessidade de readequação dos gastos com pessoal, uma vez que tal decisão gera impacto nas contas públicas. O MPAC havia estipulado um prazo de 15 dias para manifestação do governador.

Tal decisão, infligiu a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e desconsiderou o que prevê o Artigo 12 do Decreto nº 114/1975, no qual determina que as decisões envolvendo promoções devem se dá “mediante proposta do Comandante Geral da Corporação, ouvido o Estado Maior do Exército, através da IGPM”. Gladson descumpriu e ignorou tal determinação.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.