Conecte-se agora

Morador da colocação Cantinho, no Projeto Antimary entra com processo contra a Laminados Triunfo

Publicado

em

O morador da colocação Cantinho, na Floresta Estadual do Antimary, Francisco Ferreira dos Santos entrou com processo na 4ª Vara Cível contra a empresa Laminados Triunfo. Ele reclama o pagamento de R$ 120 mil referente à exploração de 100 hectares com produção de 1.000 m³ de madeira, entre elas, as espécies: angelim, cumaru ferro, cedro e cerejeira. O extrativista diz que a exploração aconteceu de forma predatória e sem a autorização de sua família.

Em mãos, Francisco carrega uma declaração dos presidentes das Associações AUFEA e ASFEA, atestando a exploração madeireira de 1.000 m³. Assinam a declaração os senhores: Raimundo Nonato Leôncio da Costa e Agenor Nascimento Barreto.

Pai de cinco filhos, o extrativista diz ainda que foi coagido e obrigado a retirar-se da área que morava há mais de 21 anos com sua família. Desde 2010 ele vem procurando a Secretaria de Estado de Floresta [SEF] que é gestora da Unidade de Conservação do Antimary, para lhe ajudar a receber o dinheiro referente à exploração da empresa Laminados Triunfo.

– Tive conversas com o secretário que me garantiu que quando eu saísse da área ele me pagaria o dinheiro da madeira explorada, o que não aconteceu até hoje – reclama o extrativista.

Cansado de esperar por uma solução ele resolveu entrar com uma ação na 4ª Vara Cível contra a empresa citada, pedindo indenização por dano material e responsabilidade civil. Conforme processo de nº 0025245-26.2011.8.01.0001.

– Estou passando necessidades e dificuldades para manter até os meus filhos no colégio. Espero que as autoridades tenham sensibilidade com meu caso.

Francisco diz ainda que não tem mais vontade de voltar para a sua colocação, a exploração predatória acabou com a caça e o seu principal meio de sustento que era a coleta de castanha, que lhe dava uma renda de R$ 15 mil/ano.

– Isso tudo virou quiçaça! Tem um resto de floresta em pé, mas morta – concluiu o extrativista.

A reportagem tentou falar com o secretário de florestas, João Paulo Mastrangelo, mas segundo a secretária de gabinete que se identificou como Cristina, o mesmo está viajando para Curitiba. Na Laminados Triunfo, a gerente que se identificou como Tatiane, ficou de consultar o senhor Jandir Santi e dar um retorno para a reportagem.

Jairo Carioca – da redação de ac24horas
[email protected]

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Cotidiano

Programa Nacional de Crédito Fundiário deverá ser implantado no Acre

Publicado

em

O Programa Nacional de Crédito Fundiário poderá ser implantado e entrar em operação até o final do ano no estado do Acre. O primeiro passo foi dado nesta sexta-feira, 19, na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em reunião do Secretário de Produção e Agronegócio do Acre, Paulo Wadt, o representante do Estado em Brasília, Ricardo França, e o diretor da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Incra, Carlos Everardo Mendes e com a técnica Andréia Connoly.

O programa de Crédito Fundiário é complementar à reforma agrária e, desde sua implantação em 2003, já beneficiou mais de 142 mil famílias. Os trabalhadores rurais sem terra ou com pouca terra podem adquirir imóveis rurais para exploração em regime de economia familiar, através de financiamento em até 25 anos e com um valor que pode chegar a 140 mil reais.

O secretário Paulo Wadt explicou ao diretor do Incra que uma das metas do governo estadual é dar condições para que os jovens permaneçam na terra, depois de adquirir uma formação agrícola. Atualmente, segundo Wadt, os jovens podem ter formação agrária em Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Xapuri e Rio Branco, porém sem perspectivas de aproveitamento do que aprenderam. Com a possibilidade de poderem adquirir seu próprio pedaço de terra e produzir, esses jovens terão mais oportunidades de se manter na área rural.

Os próximos passos que viabilizarão a implantação do programa será a oficialização da intenção por meio de documento que enviado pelo governador Gladson cameli à ministra Tereza Cristina, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA, o que deverá ser feito já no início da próxima semana. Após isso, uma unidade técnica estadual será montada com servidores da Secretaria da Agricultura, capacitados por técnicos do Incra.

Outro ponto ressaltado pelo diretor Carlos Everardo é o fortalecimento da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), que será o principal elo entre o programa e o homem do campo. Nesse sentido, Ricardo França frisou como sendo prioridade do Governo do Estado a reestruturação da Emater e o fortalecimento dos programas agrários no Acre.

Com informações da Agência de Notícias do Acre

Continuar lendo

Cotidiano

Gladson lança nova etapa do Programa Ramais do Acre no município de Epitaciolândia

Publicado

em

O governador Gladson Cameli lançou na manhã desta sexta-feira, mais uma etapa do Programa Ramais do Acre para beneficiar 70 famílias que compõem a Associação de Produtores Rurais Esperança, que fica a 42km da cidade de Epitaciolândia. A primeira fase ocorreu em Epitaciolândia e Brasileia – cidades separadas apenas pelo Rio Acre –, que teve início ainda no início de junho passado.

Em Epitaciolândia, o repasse de R$ 410 mil pelo Estado, por meio do Ramais do Acre, possibilitou à equipe do prefeito Tião Flores comprar 12 pneus de máquinas pesadas, fazer os reparos de tratores e caminhões parados por falta de manutenção, e adquirir 40 mil litros de diesel para abastecer as retroescavadeiras que hoje trabalham plenamente na recuperação dos ramais, facilitando o transporte escolar e o escoamento da produção de hortifrutigranjeiros, além do rebanho suíno que abastece o frigorifico Dom Porquito e do plantel de aves fornecido para o abatedouro Acre Aves. Ambas as empresas são instaladas em Brasileia, sendo que a Dom Porquito é exportadora de carne suína para países como o Peru e o Equador, dentro do continente, e para a China, na Ásia, por meio dos portos peruanos via Oceano Pacífico.

Para o governador Gladson Cameli, com mais esta etapa o governo mostra que tem compromisso com as prefeituras e com seus trabalhadores rurais. “Queremos oferecer mais qualidade de vida às pessoas que estão produzindo, dentro dos nossas colônias, de nossos projetos agroextrativistas, porque eles merecem ser valorizados. E torno a falar que nosso governo não olha para bandeiras partidárias, mas é pautado pelo respeito às pessoas de todos os nossos municípios, independente do prefeito ser do partido ‘A’ ou ‘B’”, afirmou Cameli para trabalhadores rurais, professores, lideranças rurais e funcionários públicos estaduais e municipais e de várias pastas.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.