Conecte-se agora

Prefeitura de Cruzeiro do Sul amplia número de séries em escolas da zona rural

Publicado

em

No início do mês de outubro, o secretário municipal de educação de Cruzeiro do Sul, Ivo Galvão, participou de uma solenidade de formatura de dez estudantes da Escola Pantaleão Bussons, localizada em uma comunidade do Rio Valparaíso, afluente do Rio Juruá. O grupo de adolescentes concluiu o ensino fundamental.

Durante a solenidade era visível a alegria dos pais que pela primeira vez estavam tendo a oportunidade de ver os filhos concluindo o ensino fundamental na própria comunidade.

“Quando iniciamos o trabalho na gestão do prefeito, Vagner Sales, o ensino nesses locais só era oferecido até a quarta série. Para continuar estudando, as crianças tinham que sair das casas de seus pais para morar com parentes na cidade. Muitos se dirigiam para Porto Walter, Mâncio Lima ou Cruzeiro do Sul, onde passavam a morar com parentes ou conhecidos. Isso gerava transtornos tanto para as crianças, como para os pais, sem contar que muitos paravam de estudar. Na formatura desses dez estudantes no Rio Valparaíso, a gente pôde perceber a felicidade dos pais que puderam acompanhar e participar da vida dos filhos nesse período tão importante da vida escolar”, comenta o secretário, Ivo Galvão.

Por conhecer a fundo os problemas enfrentados pelos ribeirinhos de Cruzeiro do Sul, o prefeito Vagner Sales que deixou o seringal com 14 anos e analfabeto, pediu a equipe da Secretaria Municipal de Educação, que fossem criadas as condições necessárias para que as crianças das comunidades rurais pudessem completar o ensino fundamental. Até agora, 20 escolas de comunidades rurais que só atendiam até a quarta série, já estão oferecendo vagas do sexto ao nono ano. “Onde encontramos dez alunos ou mais que pararam de estudar após a quarta série criamos uma nova turma. Não podemos permitir que nossas crianças possam crescer sem perspectiva de futuro”, diz o prefeito.

Em algumas dessas escolas o trabalho é realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Educação, por meio do Programa Asas da Florestania que trabalha do sexto ano nono ano. Segundo o secretário Ivo Galvão, nessa metodologia, apenas um professor trabalha todas as disciplinas, uma de cada vez e em apenas dois anos e meio, o estudante completa a etapa do sexto ao nono ano.

A ampliação do número de séries tem exigido novos investimentos na contratação de pessoal, compra de material, construção e ampliação de escolas e toda uma logística necessária. “O mais importante é que nós estamos cumprindo com a nossa meta de garantir a educação e combater o analfabetismo”, conclui o secretário Ivo Galvão.

 

Anúncios
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Acre terá aduana de fiscalização na fronteira com Peru e Bolívia

Publicado

em

O Ministério da Agricultura irá implantar em alguns meses a aduana de fiscalização agropecuária na região de tríplice fronteira do Acre, segundo assegurou nesta quinta-feira (22) a ministra Tereza Cristina ao vice-governador Major Rocha.

“A ministra também garantiu para os próximos meses o funcionamento da aduana na fiscalização na região da tríplice fronteira, destacando técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Acre para atuarem na região”, disse Rocha.

Autoridades peruanas tem especial interesse nessa medida, e já pediram empenho das autoridades brasileiras quanto ao funcionamento da aduana no lado brasileiro, que em algumas ocasiões funciona apenas uma vez por semana.

Continuar lendo

Acre

Rio Branco atinge mais de 11 mil infectados pelo novo coronavírus

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

A cidade de Rio Branco atingiu nessa quarta-feira, 21, mais de 11 mil pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Desde o mês de março deste ano, quando foram confirmados os primeiros casos da doença no estado, a capital acreana contabiliza no momento 11.090 exames com resultado positivo para Covid-19.

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela secretaria estadual de Saúde, a cidade também já teve mais de 32 mil notificações para o vírus. Deste total, 21. 228 notificações por exames foram descartadas para coronavírus.

Rio Branco é atualmente a 18ª cidade no ranking de incidência da doença por número de habitantes no Acre, ficando atrás de dezenas de cidades do interior do estado.

A capital acreana é a que mais acumula casos e número de mortes decorrentes da Covid-19. Até essa quarta-feira, 426 óbitos constavam entre rio-branquenses. Na cidade, a taxa de letalidade da Covid-19 está em 3,8% e a de mortalidade do vírus em 104,6%.

Continuar lendo

Acre

Prova de vida de aposentados segue suspensa até 30 de novembro

Publicado

em

A exigência da prova de vida anual de servidores aposentados, pensionistas e anistiados políticos civis está suspensa até o dia 30 de novembro de 2020. O Ministério da Economia publicou nesta quinta-feira, 22, a instrução normativa º 103, que estabelece o novo período.

Anteriormente, o recadastramento estava suspenso até o fim deste mês. Segundo o Painel Estatístico de Pessoal, estão nessa situação em torno de 700 mil pessoas.

A prova de vida anual obrigatória deixou de ser exigida desde o dia 18 de março de 2020, como medida de proteção no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. A medida, no entanto, não afeta o recebimento de proventos e pensões.

Aqueles que, excepcionalmente, tiveram o pagamento suspenso antes do dia 18 de março de 2020, podem solicitar, conforme Instrução Normativa nº 29, de 1º de abril de 2020, o seu restabelecimento. Para isso, é preciso acessar o Sistema de Gestão de Pessoas (Sigepe) e selecionar, em Requerimento, o documento “Restabelecimento de Pagamento – Covid-19”. O beneficiário receberá um comunicado do deferimento ou não do seu requerimento por e-mail, que é enviado automaticamente pelo Sigepe.

Segundo o ministério, após esse procedimento, a Unidade de Gestão de Pessoas de cada órgão e entidade da Administração Pública Federal, a partir da confirmação do deferimento, deverá realizar o restabelecimento excepcional, obedecendo ao cronograma mensal da folha de pagamento.

A Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia, órgão central da gestão de pessoas da Administração Pública Federal, informa que definirá, posteriormente, prazo e forma para realização da comprovação de vida daqueles que foram contemplados na suspensão da Prova de Vida anual, assim como dos que tiveram o pagamento excepcionalmente restabelecido por solicitação via requerimento do Sigepe.

Fonte: EBC

Continuar lendo

Acre

Acre apresenta piores taxas de sobrevivência de empresas no país

Publicado

em

Das 1.326 empresas nascidas em 2008 no Acre, apenas 17,1% estavam em funcionamento em 2018, uma das piores taxas de sobrevivência de CNPJs no país.

No primeiro ano de funcionamento, a situação é igual: a sobrevivência chega a 68,9%, taxa que ganha apenas da de Roraima, com 66,6% e Amazonas (67,7%).

Os dados constam do estudo Demografia das Empresas, divulgado nesta quinta-feira, 22, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrando que em 2018 a taxa de sobrevivência das empresas foi de 84,1% no Brasil.

Essa taxa representa 3,7 milhões de empresas permanecendo ativas no Brasil (de um total de 4,4 milhões) e foi ligeiramente inferior à de 2017 (84,8%). Já a taxa de entrada de novas empresas, em 2018, foi de 15,9%, enquanto a taxa de saída ficou em 17,4%. Com isso, o saldo de empresas ativas foi negativo (-65,9 mil) e representou uma perda mais acentuada que a de 2017 (-22,9 mil empresas).

Entre 2008 e 2018, a taxa de entrada recuou de 21,8% para 15,9% (-5,9 pontos percentuais), com máximo valor de 22,2% em 2009. Já a taxa de saída, está em patamar semelhante ao de 2008 (17,7%), tendo atingido seu máximo em 2014 (20,7%) e, desde então, encontra-se acima da taxa de entrada.

O período analisado pelo IBGE contrasta com os dados do Mapa das Empresas, do Ministério da Economia, que mostra que mais empresas vem sendo abertas que fechadas no Acre mesmo com a crise da Covid-19.

No 2º quadrimestre de 2020 foram abertas 2.214 e fechadas 547 empresas no Acre. O saldo é de 1.667 CNPJs em atividade no período, segundo o ME.

Há 43.051 empresas em atividade no Acre, onde até ser totalmente viabilizada, uma empresa precisa de três dias e 10 horas para ser aberta. A Junta Comercial prevê que em 2021 o tempo será reduzido para 24 horas.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas