Conecte-se agora

Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco não consegue atender demanda e sem leitos e material, acumula seus doentes nos corredores

Publicado

em

Maus tratos, falta leitos e péssimas condições estruturais. Esta é a situação do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco, que durante o sábado, 17, foi alvo de denúncias de parentes de pacientes revoltados com o caos na unidade de saúde. O descontentamento dos pacientes foi amparado por profissionais da área médica.

Mesmo pedindo para que suas identidades não fossem reveladas pela reportagem, alguns médicos falaram da falta de estrutura da unidade de emergência. Segundo esses profissionais médicos, o esforço dos funcionários é coletivo, mas a estrutura disponibilizada pelo Estado não é a adequada para atender o grande número de pacientes em Rio Branco.

Atualmente o Huerb dispõe de cinco centros cirúrgicos, mas de acordo com o afirmações dos médicos que ali trabalham, apenas dois estão funcionando. Mais de 70 pessoas estariam na fila das cirurgias consideradas de urgencia, alguns dos pacientes com até 20 dias de internamento, nos corredores da unidade de saúde, por falta de leitos e materiais utilizados nos procedimentos.

A reportagem de ac24horas teve acesso no sábado, início da noite, a um dos corredores do Huerb, onde cerca de 10 pacientes eram medicados. No local, a falta de higiene era visível. Os pacientes e acompanhantes se alimentavam sentadas nas macas, com os lençóis desgastados e sujos de sangue e restos de alimentos. Por uma questão seguranças, a reportagem vai tratar as pessoas apenas pela letras iniciais de seus nomes.

Com o filho internado há cinco dias no Huerb, a servidora pública, M.J.C.A, faz um depoimento da peregrinação que fez nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), até chegar ao hospital de urgências. R.C.A. teria sofrido um acidente de moto no dia 04 deste mês, e já teria passado por todos os hospitais públicos da capital sem receber atendimento.

“No primeiro dia meu filho ficou em uma enfermaria. Já no dia seguinte, as enfermeiras  levaram ele para o corredor, onde está há três dias”, declara a funcionária, que fez questão de eximir alguns funcionários, que segundo ela, se esforçam para prestar um bom atendimento, que não acontece pela falta de estrutura.

A servidora denunciou a falta de leitos e péssimas condições de atendimento, inclusive para um grande número de pacientes no setor de traumatologia. Segundo M.J., os pacientes estão sendo colocados nos corredores, sem nenhum tipo de conforto que uma pessoas enferma precisa. “Não existe condições de ligar nem um ventilador. Os pacientes estão ficando mais doentes, desdatrados…”.

SITUAÇÃO ESTRUTURAL

Macas velhas com colchões desgastados pelo tempo, corredores lotados, pacientes tomando soro sentados em qualquer coisa  e acompanhante perambulando pelos setores médicos pela falta de acomodação adequada, além dos corredores desgastados, com paredes sujas, cumulando bactérias e fungos dos mais variados e perigosos possíveis. Este o cenário do setor conhecido como “trauminha”, no Huerb.

M.J.C.A. comparou o Huerb a uma obra de urbanização. “Não é querer fazer oposição, ou querer queimar o governo; até trabalhei para o PT balançando bandeiras nas esquinas, mas o Huerb, só tem uma bela fachada, depois da entrada isso aqui mais parece um depósito mal organizado, com pacientes espalhadas por todos os cantos”.

Um dos médicos que falou com a reportagem, disse que o projeto de reforma não adequou o setor de emergência para atender a demanda crescente de Rio Branco. A sala de emergência, segundo esse médico, só tem capacidade para atender 4 pacientes. “A sala é um perigo para saúde dos pacientes. Não tem sequer, uma janela”, diz o servidor.

O governador Tião Viana (PT), teria conhecimento da situação, de acordo com o médico. “Isso aqui é um absurdo. Se fosse minha mãe ou parente meu que fosse cair aí, Deus me livre. Isso é um depósito de gente. Trabalhamos com condições mínimas”, revela.

Os relatos sobre os problemas estruturais impressionam. A maioria dos respiradores artificiais da unidade de saúde estaria quebrada. De acordo com os servidores do Huerb, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), não atende as necessidades. Outra denúncia seria na medicação dos pacientes da ala masculina.

Segundo outro médico que falou com a reportagem, o colega que é responsável pela ala masculina estaria apenas copiando as prescrições médicas do primeiro atendimento, levantando suspeitas, que durante todo o internamento de alguns pacientes, a medicação é repetida pelo período em que ele permanece internado.

E olha que esse atendimento já melhorou muito…

A reportagem tentou manter contato com a direção do Huerb, mas não obteve retorno, provavelmente devido ao horário.

Ray Melo, da redação de ac24horas – raymelo.ac@gmail.com

Anúncios
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Trabalhador tapa buraco na chuva após ter prejuízo com carro

Publicado

em

Um trabalhador que atende pelo nome de Márcio ganhou as redes sociais neste sábado, 31, ao compartilhar um vídeo que aparece com dois amigos fazendo um “recapeamento” com barro e restos de tijolo na rua Manaus, localizada no Residencial Iolanda.

No vídeo, Márcio relata que o buraco vem ocasionando prejuízos a população e dispara críticas à prefeita Socorro Neri.

“Esse buraco aqui é onde eu bati o carro da minha empresa estourou o pneu e eu tive um prejuízo doido. Cadê que você em plena época de campanha, cadê que olha pelo povo. Você teve os seus dois anos para olhar pelo povo e não olhou. Estamos aqui tampando o buraco. Estamos aqui numa rua principal”, afirmou.

O vídeo do Márcio foi compartilhado pelo internauta Thiago Oliveira, em suas redes sociais.

“Quando o poder público não se faz presente é o cidadão que tem que fazer o que os seus impostos deveriam lhe proporcionar”, afirmou.

 

Continuar lendo

Acre

Acre está há cinco dias sem registrar focos de queimadas, diz INPE

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas 

De acordo com o banco de dados do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Acre não registra focos de queimadas detectados pelo satélite de referência AQUA Tarde desde a última segunda-feira, 26.

Este ano, o Acre teve o pior mês de outubro da série histórica do INPE, iniciada em 1998. Foram 1.652 registros contra apenas 354 do ano passado. O acumulado de 2020 (9.053 focos) é o terceiro maior da história, atrás apenas dos anos de 2003 e 2005.

Os municípios com os maiores registros de queimadas em outubro foram Xapuri (320), Brasiléia (296), Sena Madureira (217), Epitaciolândia (144) e Rio Branco (140). No ano, Feijó (1.552), Sena Madureira (1.086), Tarauacá (1.014), Xapuri (735) e Rio Branco (714) são os campeões do fogo.

Com 444 focos de queimadas registrados apenas em outubro, o que representa 87% do total de todas as outras unidades de conservação federais no Acre, a Resex Chico Mendes chegou a 1.111 focos de queimadas detectados entre janeiro e outubro deste ano – 67% do total das demais UC’s no estado.

Chuvas

Outro dado relevante diz respeito à chegada das chuvas, que apesar de terem ficado abaixo da média climatológica para o mês de outubro, tiveram elevação considerável a partir da segunda quinzena. Plácido de Castro (179,10mm) e Marechal Thaumaturgo (173,20mm) são os municípios com os maiores acumulados do mês e Rio Branco (21,80mm) com o pior.

Em seguida, com relação aos índices pluviométricos, estão Cruzeiro do Sul (170,60mm), Feijó (161,40mm), Tarauacá (153,40mm), Jordão (118,60mm), Sena Madureira (110,40mm), Manoel Urbano (106,00mm), Xapuri (102,00mm) e Assis Brasil (81,20mm), relacionadas apenas as estações de monitoramento que possuem série climatológica.

De acordo com o Boletim de Monitoramento Hidrometeorológico divulgado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) na última quinta-feira, 29, para o período de 29/10/2020 a 04/11/2020, o prognóstico do Satélite NOAA/NCEP-GFS/USA indica previsão de chuva com volume acumulado na semana de até 75 mm.

A região Oeste do estado deverá concentrar até 75 mm de chuva prevista para a semana, indicando anomalia positiva, onde as chuvas deverão ficar acima da normalidade para o período.

O Leste do estado deverá concentrar até 50 mm de precipitação acumulada, indicando anomalia negativa, onde as chuvas deverão ficar abaixo da normalidade para o período.

Nos municípios de Bujari, Porto Acre, Rio Branco e Senador Guiomard, a quantidade de precipitação deverá ser ainda menor do que nos outros municípios da região, indicando anomalia negativa, chegando à um acumulado de até 25 mm de precipitação.

Continuar lendo

Acre

Com Zen crescendo, Marcus e Jorge vão às ruas da Baixada da Sobral

Publicado

em

A pesquisa Ibope da última quinta-feira, 29, mostrou que o pelotão de frente na disputa pela prefeitura de Rio Branco deu uma embolada, alguns candidatos se mantiveram estáveis, outros caíram e outros subiram, principalmente, Tião Bocalom. Houve o crescimento do candidato petista Daniel Zen que saiu de 5% para 7%.

Apesar de ter poucas chances de ir ao 2º turno, o candidato à prefeitura de Rio Branco pelo Partido dos Trabalhadores, Daniel Zen iniciou pela manhã deste sábado, 31, mais uma caminhada com o apoio da militância e de várias lideranças do partido, na Baixada da Sobral.

A visita foi compartilhada nas redes sociais pelo candidato e pelos ex-prefeitos Marcus Alexandre e Jorge Viana. Marcus Alexandre afirmou que se trata de “caminhada” e não “carreata” e destacou que esse é o jeito do PT de fazer campanha nas ruas.

“Estamos devidamente protegidos com álcool gel e máscaras e iremos passar de porta em porta para levar as nossas propostas para a população. Contamos com você!”, afirmou Zen.

Continuar lendo

Acre

Acre vacinou 77,8 mil pessoas contra o sarampo, diz saúde

Publicado

em

O estado do Acre vacinou, até o momento, cerca de 77,8 mil pessoas contra o sarampo na faixa etária de 20 a 49 anos, o que corresponde a 23,8% do público-alvo, que é de 327 mil pessoas em todo o estado. A mobilização nacional contra o sarampo terminou nesta sexta-feira (30). Dados preliminares das secretarias estaduais de saúde apontam que, desde o início da ação (16/3) até o dia 29 de outubro, foram vacinadas 11,7 milhões de pessoas nessa faixa etária em todo o país, o que corresponde a 13% do público-alvo.

A estratégia de vacinação, em parceria com estados e municípios, faz parte dos esforços do Ministério da Saúde contra a doença, para alcançar a meta do Brasil livre do sarampo, no contexto do Movimento Vacina Brasil.

A vacinação é a principal medida de prevenção e controle do sarampo. Para viabilizar a estratégia de vacinação, foram enviadas 4,3 milhões de doses da vacina, além do quantitativo para atendimento de rotina. O Ministério da Saúde tem alertado a população quanto à importância da vacinação, respeitando as diretrizes e orientações de segurança para evitar o risco de transmissão da Covid-19. O sarampo é uma doença grave e de alta transmissibilidade. Uma pessoa pode transmitir para até 18 outras pessoas. A disseminação do vírus ocorre por via aérea ao tossir, espirrar, falar ou respirar.

A vacinação contra o sarampo é uma estratégia do Ministério da Saúde para interromper a transmissão e eliminar a circulação do vírus no Brasil. As duas primeiras etapas ocorreram em 2019, com a realização de ações nacionais, em outubro, para crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade. E, a segunda etapa, foi realizada em novembro para a população de 20 a 29 anos. A terceira etapa, que ocorreu entre 10 de fevereiro a 13 de março deste ano, teve como público-alvo a população de 5 a 19 anos.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas