Conecte-se agora

Naluh defende mais rigor para prefeitos que gastam mal o dinheiro da saúde e educação

Publicado

em

A Lei de Responsabilidade Fiscal é uma legislação relativamente recente. Criada pela Lei Complementar 101, no ano 2000, ela trouxe disciplina aos gastos públicos. Isso, porém, não vem significando gestão pública de qualidade quando o assunto é educação e saúde.

Um ranking organizado pelo G1 listando o desempenho dos estados a partir de dados do Exame nacional de Ensino Médio – Enem -, divulgado no início da semana pelo Ministério da Educação e Cultura – MEC –, exclui os estados do Acre e Amapá porque nenhuma escola pública destas unidades federativas teve alto grau de participação. Relatório apresentado pelo Tribunal de Contas do Estado aponta que oito prefeituras das vinte e duas cidades do Acre, deixam de aplicar corretamente os recursos destinados à saúde.

Além desses exemplos, duas situações se repetem quase indefinidamente. Medicamentos em falta no posto de saúde e servidores públicos pedem reposição de perdas salariais, mas o Governo não pode conceder. Motivo? Limites da Lei de Responsabilidade Fiscal. As páginas de jornais e os microfones das emissoras de televisão se enchem de explicações parecidas todos os anos. Afinal, a lei “ajuda” ou “atrapalha”?

A conselheira Naluh Gouveia foi destacada pelo Tribunal de Contas para responder os questionamentos. Ela disse que os recursos para saúde e educação são carimbados. E que através da Lei de Responsabilidade Fiscal, as prefeituras pequenas passaram a receber o montante destinado às rubricas, sem que isso dependa dos Estados. “Você sabia que a prefeitura de Marechal Thaumaturgo recebe por ano mais de R$ 13 milhões para fazer saúde pública?”, questionou a conselheira.

Para Naluh, a Lei de Responsabilidade Fiscal ajuda diretamente os gestores, a palavra de ordem ditada pela conselheira foi o equilíbrio trazendo responsabilidade na gestão. Ela discorda que exista falta de informação, “falta empenho por parte dos gestores de realmente saber que importante é o povo instruído e com saúde”.

– A partir do momento que o gestor deixa de investir no desenvolvimento da educação, na formação e salários dos professores e também na saúde pública, quem perde é a população e a partir do momento que você não investe aquele valor que deveria ser aplicado, a sociedade não supera nunca mais – comentou a conselheira.

Ela foi enfática ao afirmar que falta controle interno e externo. E não livrou nem mesmo o Tribunal de Contas do Estado em sua crítica. O Ministério Público na opinião de Naluh, deveria ter um “olho mais aberto” para tudo. Como ex-sindicalista do setor de educação, ela destaca os recursos que são repassados para o Fundeb, afirmando que os municípios recebem muito dinheiro.

– Tem que tomar muito cuidado na aplicação desses recursos, inclusive no pagamento de salários dos professores. É muito dinheiro e precisa ser bem aplicado – acrescentou.

Ainda segundo a conselheira, somente a reprovação de contas e a perda dos direitos políticos é pouco como penalidade. Ela voltou a cobrar uma punição maior por parte do Ministério Público que deveria agilizar as ações cíveis e criminais.

– Infelizmente o Tribunal de Contas se limita a impedir as candidaturas, ou seja, na área técnica. É muito pouco! Os recursos mal administrados são muitos grandes. Os valores que devem ser aplicados na educação de Rio Branco, outro exemplo, são muito grandes, são compostos por uma cesta de impostos – comenta Naluh.

Para a conselheira precisa entrar na pauta de debates do governo, a qualidade da educação. Ela jogou pesado com programas de distribuição de computadores e até da construção de prédios vistosos.

– Isso não adianta se a rede não tiver professores qualificados. Doar notebooks é apenas substituir humanos por máquinas. A escola é humana não há como fugir disso! – concluiu a deputada.

Prefeitos na mira do Tribunal de Contas
Oito prefeituras estão na mira do Tribunal de Contas, por não cumprirem o que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal. São elas: Porto Walter, Epitaciolândia, Rodrigues Alves, Jordão, Xapuri, com investimentos abaixo de 15% para saúde e, Rio Branco, Tarauacá, Assis Brasil e Bujari, que investiram um pouco acima do regulamentado. Todos esses gestores já foram notificados por não cumprirem metas do Fundeb.

Jairo Carioca – da redação de ac24horas
jscarioca@globo.com

Anúncios
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Acre contabiliza 87 novos casos e mais 1 óbito por Covid-19

Publicado

em

O Acre registrou 87 novos casos de contaminação pelo coronavírus no estado, neste domingo, 25. Assim, o número de infectados subiu de 30.217 para 30.304 nas últimas 24 horas.

Segundo a secretaria de Estado de Saúde do Acre, mais 1 óbito foi registrado neste domingo, sendo do sexo masculino, cujas iniciais são J. L. S., de 90 anos. Ele deu entrada no dia 9 de outubro, no Hospital Regional do Juruá, em Cruzeiro do Sul e veio a óbito neste sábado, 24, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 suba para 687 em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 80.262 notificações de contaminação pela doença, sendo que 49.938 casos foram descartados, enquanto 20 amostras de RT-PCR estão em análise pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) e pelo Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 27.861 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 61 seguem hospitalizadas.

Continuar lendo

Acre

Candidato mostra buracos deixados em asfalto pela prefeitura

Publicado

em

O candidato à prefeitura de Rio Branco pelo Avante, o empresário Jarbas Soster, publicou um vídeo neste domingo, 25, mostrando a situação da rua Angico, localizada no bairro Chico Mendes, na capital acreana.

Segundo ele, dezenas de moradores reclamam diariamente por conta da condição da rua. Nas imagens, são mostrados vários buracos no asfalto, alguns com até 15 centímetros de profundidade, que ainda não receberam o restante dos serviços feitos pela equipe da prefeitura.

“Cavaram e faz semanas que não vem colocar o asfalto. As pessoas fazem manobras com risco muito alto de acidentes”, diz Soster no vídeo. “É assim que a prefeitura trabalha na periferia de Rio Branco”, completa.

O candidato afirma que o serviço foi largado no meio do caminho. “As pessoas aqui não tem apoio, assistência. Aqui o asfalto para chegar é a maior dificuldade do mundo”.

Soster alerta que a situação da rua oferece um perigo iminente de acidentes. “Vamos sair do centro da cidade, prefeitura, vamos para a periferia”, pede.

Veja o vídeo:

 

Continuar lendo

Acre

Casal morre ao colidir moto contra árvore em perseguição policial

Publicado

em

Um casal de acreanos morreu na madrugada deste domingo, 25, durante uma perseguição policial na cidade de Porto Velho, em Rondônia. Samuel Assis Lima de Miranda, 26, e Beatriz Aguiar trafegavam em uma motocicleta modelo Fan 160 quando uma guarnição policial flagrou o casal na contramão da Avenida Jorge Teixeira e deu ordem de parada.

Segundo a polícia, o condutor Samuel não atendeu e seguiu em alta velocidade. A jovem ainda teria gritado para o homem parar, mas ele não atendeu.

A PM fez acompanhamento e uma perseguição foi iniciada. A polícia informou que Samuel entrou na Avenida Tiradentes, ainda em alta velocidade e nas proximidades da Avenida Rio Madeira acabou colidindo a moto em uma árvore. Ambos morreram no local.

A região em que as vítimas colidiram foi isolada e recebeu a presença da perícia criminal. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML).

Continuar lendo

Acre

Belo Jardim I recebe melhoria em infraestrutura e saneamento

Publicado

em

As enxurradas de comentários nos vídeos da série de reportagens que o ac24horas vem mostrando a situação nos bairros de Rio Branco. Revela ainda o interesse que a população da capital tem quando o assunto é investimento público.

O videomaker do ac24horas, Kennedy Santos, já visitou quase dez bairros nos últimos finais de semana, e tem destacado principalmente as necessidades que as regiões mais afastadas do centro estão tendo. Falta de água tratada, esgoto sanitário e recuperação de ruas é pauta base por onde chega o ac24horas.

Desta vez, o ac24horas foi até o bairro Belo Jardim I, onde a prefeitura está trabalhando e mudando a realidade precária de anos atrás.

Assista ao vídeo:

video

 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas