Conecte-se agora

JV participa de reunião com prefeitos e bancada do Acre

Publicado

em

O senador Jorge Viana participou, nesta terça-feira,13, em Brasília, da reunião da bancada parlamentar do Acre com os prefeitos de nove municípios do Estado para discutir o encaminhamento de questões como a liberação de recursos de emendas parlamentares de 2008 e 2009, cujo pagamento está pendente pelo governo, e a execução do orçamento da União. Ele disse aos participantes ter informações de que começa em setembro uma fase importante de liberação de recursos federais.

A ideia predominante na reunião foi a de que os parlamentares e prefeitos do Acre, tanto os do governo quanto os da oposição, devem se unir para exigir prioridade de recursos para o Estado e seus vinte e dois municípios.  O senador Jorge Viana concordou com a proposta de visita de todo o grupo à Ministra de Relações Institucionais, ministra Ideli Salvatti,  e sugeriu a inclusão na pauta da questão do tratamento diferenciado para o Norte e o Nordeste no descontingenciamento de recursos, em razão das carências regionais.

O senador Aníbal Diniz, coordenador da bancada, informou que está articulando uma reunião com a ministra Ideli para discutir todas as pendências dos municípios acreanos. O grupo também aprovou a proposta de visita ao Ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, em conjunto com a bancada de Rondônia, para reivindicar a agilização do projeto de construção da ponte no Rio Madeira, no distrito de Abunã, no trecho da BR 364 que liga Porto Velho a Rio Branco.

O senador Jorge Viana também explicou aos prefeitos que a Zona de Processamento de Exportações (ZPEs) do Acre, em implementação, será da maior importância para a vitalidade econômica do Estado e achou boa a ideia de uma reunião da bancada com o governador Tião Viana para conversar sobre a extensão do projeto e as empresas interessadas em se instalar na área.

O encontro de ontem contou com a presença dos prefeitos Raimundo Angelim, de Rio Branco; Wagner Sales, de Cruzeiro do Sul;, José Maria Rodrigues (Zé Maria), de Porto Acre;   Cleidson Rocha, de Mâncio Lima;  Nilson Areal, de Sena Madureira; Randson Oliveira Almeida (Randinho), de Marechal Taumaturgo; Leila Galvão, de Brasiléia; Neuzari Pinheiro, de Porto Walter;  e Marilete Vitorino, de Tarauacá.

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

ANTT publica novas regras para cálculo do frete mínimo

Publicado

em

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou as novas regras para o cálculo do frete mínimo de transporte de cargas. Com as alterações publicadas ontem (18), a nova resolução sobre o tema prevê que o cálculo do frete mínimo passará a considerar 11 categorias na metodologia coeficientes dos pisos mínimos. A resolução também amplia os itens levados em consideração para o cálculo.

Segundo a norma, o cálculo do piso mínimo de frete levará em consideração o tipo de carga e serão aplicados dois coeficientes de custo: um envolvendo o custo de deslocamento (CCD) e, outro, de carga e descarga (CC), que levará em consideração o número de eixos carregados. A resolução determina ainda que será levada em consideração a distância percorrida pelo caminhoneiro.

A resolução da ANTT detalha a multa para quem contratar o serviço abaixo do piso mínimo. A pena a ser aplicada é de duas vezes a diferença entre o valor pago e o piso devido, sendo que é de no mínimo R$ 500 e de, no máximo, R$ 10.500. Já quem ofertar contratação do transporte de rodoviário de carga abaixo do piso mínimo pode ser multado em R$ 4.975.

No final de maio, a agência reguladora anunciou o fim da aplicação de multa aos caminhoneiros que descumprissem a tabela ou denunciassem a empresa que não paga valor mínimo do frete. De acordo com a ANTT, a aplicação de penalidades aos caminhoneiros acabava desmotivando os motoristas a denunciar as empresas que estavam pagando o preço abaixo da tabela. Com a alteração, nenhum caminhoneiro autônomo pode ser multado caso esteja transportando cargas no valor abaixo do piso mínimo de frete estabelecido.

De acordo com a ANTT, a medida estabelecida na resolução desmotivava os motoristas a denunciar as empresas que estavam pagando o preço abaixo da tabela, pois eles recebiam o mesmo tipo de punição aplicada às empresas embarcadoras. Com a alteração, nenhum caminhoneiro autônomo pode ser multado caso esteja transportando cargas no valor abaixo do piso mínimo de frete estabelecido.

A ANTT informou ainda que vai aprofundar, até janeiro do próximo ano, os estudos para tratamento de cargas especiais – vidros, animais vivos, guincho para reboque de veículos, produtos aquecidos, logística reversa de resíduos sólidos, granéis em silo, entre outros -; tratamento específico de cargas fracionadas e para transporte dedicado voltando vazio. A agência vai analisar ainda o destaque do diesel na fórmula do piso mínimo.

Continuar lendo

Acre

Artesãos acreanos faturam mais de R$ 400 mil em Pernambuco

Publicado

em

Dez artesãos de Rio Branco participaram da 20ª edição da Fenearte, que ocorreu em Olinda (PE), no período de 3 a 14 de julho. A equipe do Acre foi destaque da feira, comercializando 3.904 peças com o faturamento efetivo de R$ 326.224,00 e R$ 75.684,00 em encomendas, totalizando R$ 401.908,00.

O artesanato acreano apresentado na Fenearte conquistou vários lojistas nacionais e internacionais. Os profissionais receberam encomendas do Museu de Artes de São Paulo (Masp) e da Ucrânia.

A coordenadora estadual do artesanato acreano, Suelany Paiva, está satisfeita com o resultado da feira. “O grupo está se fortalecendo ainda mais, trabalharemos para que o Acre continue sendo destaque com seus produtos que conquistam o mercado”, enaltece Suelany.

Para a secretária de Estado de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique, o artesanato acreano tem um alto valor agregado, pois, usa produto madeireiro e não madeireiro da floresta acreana, além da criatividade dos artesãos. “Isso faz com que as peças sejam mais valorizadas no mercado nacional e internacional. Precisamos que mais pessoas desenvolvam suas habilidades artesanais, já está comprovado que um bom artesanato gera renda e é um trabalho rentável financeiramente”, destacou.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.