INSTALE NOSSO APP
Postado em 22 de maio de 2015

Ilustres do PCdoB do Acre não terão legenda para eleições em 2016

Luis Carlos Moreira Jorge

 

Cabeças vão rolar no PCdoB
A foice, um dos símbolos do PCdoB, não ficará só como uma logomarca, mas será usada para degolar filiados infiéis ilustres. Está em fase final o processo de expulsão do prefeito de Capixaba, o folclórico Vareda (PCdoB) e do vice-prefeito de Rodrigues Alves, Jailson Amorim (PCdoB), que na eleição passada apoiaram candidatos de outros partidos. Vareda apoiou o deputado Eber Machado (PSDC) e Jailson o deputado Josa da Farmácia (PTN). Serão chamados para ouvir a decisão: – vocês não terão legenda para serem candidatos a nada pelo PCdoB.

Porta na cara
Vão bater com a porta na cara quem pretender manobras para tirar o ex- deputado Luiz Tchê da presidência regional do PDT. Tchê é muito próximo do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, com que além da amizade, goza de prestígio político. Esqueçam derrubar o Tchê. É muito forte.

Fica registrada a versão
O secretário de Habitação, Jamil Asfury, negou ontem autoritarismo ao não receber o líder do PT, deputado Lourival Marques (PT), em sua secretária. Explicou à coluna que no momento do pedido do encontro tinha um compromisso agendado. Fica assim a sua versão. E ponto final.

Ou migram ou vão para o suicídio
Acabando a coligação proporcional os deputados federais Alan Rick (PRB) e César Messias (PSB) terão que se abrigar em partidos como o PT, se eles quiserem disputar a reeleição. Ou então enfrentar a difícil missão de montarem uma chapa própria para Federal em seus partidos.

Cobertos de razão
O ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB) e o senador Sérgio Petecão (PSD) estão com razão em estar furiosos com o senador Gladson Cameli (PP) por ter detonado a “CPI da BR-364”. Principalmente o Petecão, que jogou pesado para o deputado Jairo Carvalho (PSD) assinar. Ou alguém ousa imaginar que o Nicolau Junior (PP), cunhado do Gladson, teria tirado a sua assinatura sem o aval do senador Gladson Cameli (PP)?. Só um ingênuo pode pensar contrário.

Este foi o problema
O maior problema foi o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) ter montado uma CPI para chamar de sua, surfar politicamente, sem atentar que traria para o olho do furacão pessoas ilustres da oposição. Em política não se dá um passo sem medir as conseqüências do ato praticado.

Leila, a destrambelhada
Se a deputada Leila Galvão (PT) fosse uma Maria Mané, despreparada, até se dava um desconto, mas ocorre que não é, é uma política culta, preparada, foi vereadora, prefeita, por isso é imperdoável que venha se caracterizando para jornalistas que cobrem a Aleac, como a dona de um dos discursos mais enervantes da Casa. Consegue misturar dez assuntos em poucos minutos e não dá foco em nenhum. Assim é melhor ficar calada. Ganharia mais.

Começaram as cobranças
Estive em Brasiléia e pelo visto acabou a lua de mel da deputada Leila Galvão (PT) e os moradores da cidade, que só vêm palavras, promessas e nenhum ato concreto dela para ajudar as famílias desabrigadas pela última cheia do Rio Acre. Na política, nem tudo são flores.

O tempo mostrou quem mentia
Márcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalon (DEM) passaram toda a campanha tendo como bandeira que o governador Tião Viana não daria continuidade à Cidade do Povo, hoje uma realidade, com praças de esportes, UPA, Delegacia de Polícia, mercado público, escolas, água tratada, enfim, uma bela realidade para quem antes morava em áreas alagadiças. Ontem, Tião Viana entregou mais de 240 casas. O tempo mostrou quem estava mentindo nesta história.

Não pode falar nada
Leio o prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, criticando o prefeito da Capital, Marcus Alexandre, por buracos na cidade. Aí está uma crítica que o Vagner não podia fazer, tal como a Capital, Cruzeiro está castigada por buracos. Com uma diferença: na última pesquisa bancada pela oposição, Vagner Sales aparece em baixa popular e o Marcus Alexandre ainda em alta.

Tacacá quente na cara
Quem for à Sena Madureira favor não convidar para o mesmo tacacá o prefeito Mano Rufino e o ex-prefeito Nilson Areal, de aliados viraram inimigos políticos. Se convidarem vai ter tacacá fervendo na cara do outro.

Não esperem este desfecho
A experiência me ensinou em não crer em rompantes. Por isso não dei nenhum destaque que deputados de partidos nanicos poderiam assinar a CPI da BR-364. Isso é tão improvável como eu ser convocado para a seleção brasileira pelo treinador Dunga.

Até porque não se manda
O prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno (PT), diz que não sabe se será candidato à reeleição no próximo ano. Claro que ele não sabe: quem pensa por ele é o tio Raimundinho Damasceno, que dá as cartas do que deve ou não deve ser feito na Prefeitura.

Não tem bandalheira
Se for colocado na balança o prefeito de Manuel Urbano, Ale Anute, por certo estará entre os dois piores prefeitos do Acre. A cidade parece que foi atingida por um terremoto, abandonada. Mas, num quesito o prefeito Ale tem algo a favor: na sua administração não teve bandalheira.

Candidata a deputada federal
Perpétua Almeida (PCdoB) deve voltar em 2018, como candidata à Câmara Federal. Perpétua foi sim uma das melhores parlamentares federais do Acre na legislatura passada.

Situação difícil
O prefeito de Assis Brasil, Betinho (PSDB), está numa situação política deplorável. O próprio presidente do seu partido, deputado federal Werles Rocha (PSDB), não o quer disputando a reeleição, tal é o tamanho do seu desgaste junto à população.

Em pauta na terça-feira
Deve entrar na pauta de votação da próxima terça-feira o Projeto de Resolução do deputado Nelson Sales (PV), que acaba com a farra de sessões solenes nos dias de sessões ordinárias. Vinha se tornando um abuso, só nesta semana aconteceram três sessões para troca de elogios.

Está sendo usado
Alguém precisa chegar ao prefeito de Brasiléia, Everaldo Gomes (PMDB), e lhe dizer que está sendo usado, que não vai conseguir estes 50 milhões de reais para recuperar Brasiléia. Nem o Marcus Alexandre, com toda força do PT consegue. Principalmente nestes tempos de vacas magras. É também uma ingenuidade crer que o 7º BEC tem verba para ajudar a cidade.

Uvas verdes
Depois de ter levado uma bruta rasteira política da deputada Jésica Sales (PMDB), que indicou o novo dirigente do Ministério da Pesca, no Acre, o PRB agora diz que não faz caso. Como na fábula, as uvas que eram maduras, de uma hora para outra viraram verdes.

Vem piracema
Posso adiantar que está a caminho uma piracema que não é de peixes, mas o desfecho das investigações sobre o derrame de carteiras falsas de pescadores, distribuídas na última campanha. Teve gente que não distingue uma malhadeira de uma tarrafa que virou pescador em troca de votos.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

Postado em 21 de maio de 2015

Alan Rick dançou ao perder a pasta da pesca para o PMDB

Luis Carlos Moreira Jorge

Sutileza de um elefante
O episódio da CPI da BR-364 na Assembléia Legislativa mostrou mais uma vez que, quando se trata de atuar unida e ler corretamente a política, a oposição tem a sutileza de um elefante em uma casa de louças. A trapalhada foi geral. O único nome que a oposição tem para disputa do governo em 2018 é o do senador Gladson Cameli (PP), e a CPI traria para o olho do furacão justamente a família Cameli, com desgaste que o atingiria por tabela. Nem isso foi avaliado. A CPI destrambelhada do deputado Luiz Gonzaga (PSDB) mostrou também que a oposição continua um saco de gatos. A CPI foi implodida justamente pela desunião da oposição.

Foi de fazer inveja aos “Os trapalhões”
A tentativa de implantar a CPI foi uma trapalhada atrás do outra. O deputado Jairo Carvalho (PSD) se negou assinar, mas depois assinou. E quando se dava como certa a sua implantação o deputado Nicolau Junior (PP), da oposição, retirou a assinatura e matou a CPI. A CPI do Gonzaguinha foi de fazer inveja aos “Os Trapalhões” – com Dedé, Didi, Mussum e Zacarias, nos seus bons tempos da televisão. Aliás, desorganização tem sido a máxima da oposição acreana nos últimos anos.

Jogo da política
A nomeação de dirigentes de órgãos federais no Acre por indicação da bancada federal do PMDB é um fato normal na política. O vice-presidente Michel Temmer é do PMDB. E politicamente as nomeações têm apenas valor simbólico, os órgãos federais são mais burocráticos do que políticos. E no atual contexto econômico sem verbas para tocar projetos.

Alan Rick dança de tamanco
No caso da representação do Ministério da Pesca, no Acre, o nome indicado pela deputada federal Jéssica Sales (PMDB), destrona o atual dirigente, que era da cota do PRB e do deputado federal Alan Rick (PRB), que nesta dançou de tamanco na festa da parlamentar peemedebista.

Virando brincadeira
O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Ney Amorim (PT), tem que agir logo e abolir  esta farra desenfreada de deputados promovendo “sessões solenes” em dias de sessões ordinárias, acabando com os debates na Casa. Só esta semana foram três sessões solenes, que servem só para trocas de elogios entre os deputados e os convidados. Basta colocar em votação o Projeto de Resolução do deputado Nelson Sales (PV) que breca esta esbórnia.

Pensando no futuro
O presidente do PTN, Francimar Asfury, pensa certo quando diz que os partidos nanicos têm que estar atentos para a Reforma Política e começar a pensar em uma fusão no futuro, para que não acabem na próxima eleição. Não dá mais para se discutir o imediatismo, diz Asfury.

Todos enquadrados
A partir de agora todos os deputados dos partidos nanicos para votar em projetos polêmicos têm que antes discutir com a executiva regional, sob pena de serem enquadrados na lei de infidelidade partidária e perderem os mandatos. Nada mais acertado, o mandato pertence aos partidos e não aos deputados. E partido que não tem disciplina vira Casa de Mãe Joana.

É candidato a prefeito
O Delegado de Polícia, Sérgio Lopes, que foi o mais votado para deputado estadual em Epitaciolândia será candidato a prefeito na eleição do próximo ano. A informação que não aceitou compor a chapa do prefeito André Hassem (PSDB) como seu vice foi confirmada à coluna ontem por uma fonte confiável.

Invertendo a lógica
O diretório municipal do PRB vetou a entrada do ex-deputado Astério Moreira no partido, por uma razão que chega ser cômica: “Astério tem votos e poderia tomar a vaga do vereador Manoel Marcos (PRB)”. Pelo pouco que entendo de política, um partido é formado com quem tem votos, se for formado por quem não tem votos, não elege ninguém, isso é óbvio.

Nada de pressão
O presidente do PDT, deputado Luiz Tchê, diz que a medida adotada por todos os demais presidentes não se trata de pressionar o governo por cargos, mas fortalecer os partidos. Não está inventando nada, no PT, por exemplo, nenhum deputado vota sem ouvir o comando político.

Tirado a limpo
Ontem, encontrei na Aleac o deputado Lourival Marques (PT) e o dirigente petista Nepomuceno Carioca, e perguntei: “Lourival é verdade ou não o que a coluna publicou que, o secretário de Habitação, Jamil Asfury, não o recebeu fora de um agendamento?”. Resposta do parlamentar: “é verdade, Carioca”. O Carioca só achou graça.

Colocando nos seus devidos lugares
 Em tempo: secretário Jamil Asfury, ninguém do governo tem ingerência sobre o que publico ou deixo de publicar. Portanto, não adianta procurar o pessoal do governo para reclamar. Reclame diretamente na fonte, esta coluna sempre exerce o contraditório. Meu celular e e-mail sempre estão à disposição. Nada pessoal, jamais; só que, como jornalista, eu não brigo com a notícia.

Vai ver o que é bom para a tosse
A vereadora Graça da Baixada está deixando o PSDC para se filiar ao PT. Um erro político. Nas eleições o PT joga tudo nos antigos filiados. Petista novo nunca chega pegando a janela no ônibus, e tem que sentar na última poltrona. A Graça vai ver o que é bom para a tosse na próxima eleição municipal. Não pense ela que vai chegar no PT sendo prioritária.

Funcional e bonita
A remodelação do Mercado do 15, obra executada pelo prefeito Marcus Alexandre, ficou bonita e funcional. Aliás, tudo que a equipe de urbanistas da PMRB faz é com zelo e plasticidade. O Mercado do 15 é um marco na história de um dos mais tradicionais bairros do Acre.

Fechando conversa
O prefeito de Sena Madureira, Mano Rufino, abriu conversa com o deputado Manoel Moraes (PSB) para se filiar ao PSB, por onde pretende disputar a reeleição no próximo ano. Conseguir isso é algo quase certo, o problema do Mano não é partido, mas decolar a sua administração, que patina e não consegue sair do lugar. A última pesquisa mostrou isso. Foi mal avaliado.

Adversários internos
O PT de Brasiléia tem posições políticas que ninguém consegue entender. A melhor candidata do partido para disputar a prefeitura é a vereadora Fernanda Hassem (PT), mas seus principais adversários não são só os da oposição, isso é até normal, mas os políticos petistas, que traçam uma rede de intriga contra sua candidatura. Devem estar pensando que já ganharam a eleição. É bom não apostarem muito nisso, o ex-prefeito Aldemir Lopes (PMDB), articula bem numa campanha e não é para ser tratado com desdém. É só mirar no segundo turno para o governo, onde o PT perdeu no município.

Não esqueceu as origens
O deputado Heitor Junior (PDT), antes de ser deputado, sempre foi um lutador a favor dos portadores de hepatite. Heitor se elegeu, mas, ele não se esqueceu dos que padecem do mal, sempre está buscando que o Estado dê um melhor atendimento aos pacientes da doença.

Desafio aceito
O deputado Eber Machado (PSDC) me disse ontem que se for uma indicação coesa dos partidos nanicos a indicação do seu nome para ser o vice na chapa do prefeito Marcus Alexandre, na eleição do próximo ano, ele aceita. “Mas teria que também ser um consenso de toda a FPA”, pondera. Eber se diz afinado com Marcus e não veria problema ser seu vice.

Voltaram a bater o pé
Os dirigentes dos partidos nanicos reunidos ontem na Assembléia Legislativa voltaram a bater o pé e afirmar que não aceitarão em hipótese alguma que o vice de Marcus Alexandre seja alguém do PT. “Não teria sentido existir a FPA”, dispara o presidente do PDT, Luiz Tchê.

Favas contadas
Em coluna publicada em junho do ano passado coloquei que o MPE trabalhava ativamente para apresentar Denúncia por crime de seqüestro e torturas, tendo como acusado o prefeito de Acrelândia, Jonas da Farmácia. A aceitação agora da Denúncia do MPE pelo Tribunal de Justiça, torna Jonas em Réu e só veio confirmar o que a coluna deu em primeira mão.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

Postado em 20 de maio de 2015

Louro não foi recebido por Jamyl na Sehab e ficou magoado

Luis Carlos Moreira Jorge

Henrique Afonso é nome tucano para o Juruá
O presidente do PSDB, deputado federal Werles Rocha, já tem um nome para disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul: o ex-deputado federal Henrique Afonso, que se filiará ao PSDB. Segundo Rocha,  foi colocado para o Henrique as opções de ser candidato a prefeito da Capital ou de Cruzeiro do Sul e ele optou pela segunda alternativa. Para mim está definido, afirmou.

Não tem acordo
Rocha diz que espera fechar uma aliança com o prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (PMDB), para a disputa de sua sucessão, mas ressalva: “se o Vagner vier com o nome do Jonathan Donadoni a prefeito, ai  teremos então dois candidatos a prefeito pela oposição.

Até no STF
Sobre a CPI da BR-364, o deputado federal Werles Rocha (PSDB) promete ir até o STF, caso a Comissão de Constituição e Justiça da Assembléia Legislativa impeça a sua instalação, sob o argumento jurídico de falta de competência para investigar recursos federais, o que caberia a deputados federais e senadores. Rocha acha que o assunto vai desembocar nos tribunais.

Não tem que livrar ninguém
Na sua ótica a CPI não tem que livrar governadores, ex-governadores, empresários que trabalharam na obra e não importa que eles sejam da oposição ou ligados a políticos da  (PP)oposição. “Se é para investigar todo mundo, que se investigue todo mundo, independente de partido”, defende o tucano, naquela de pau que bate em Chico bate em Francisco.

Delírio de malária
Mas, tudo não passou de delírio de malária, porque o deputado Nicolau Junior (PP), cunhado do senador Gladson Cameli (PP), retirou a sua assinatura da CPI, alegando ora “Razão de fórum íntimo” e ora que atendeu “pedido de dona Bety Cameli”, esposa do ex-governador Orleir Cameli, que não queria ver a família Cameli envolvida em um episódio político que poderia lhe trazer desgastes.

Aval do senador Gladson Cameli
A implosão da “CPI da BR-364” não teve o dedo do governo ou de algum deputado do PT ou da FPA, mas teve o aval do senador Gladson Cameli (PP), cunhado do deputado Nicolau Junior (PP), e sobre quem tem influência política. Ou seja, foi a própria oposição que acabou com a “CPI da BR-364”, porque sentiu que a CPI seria um tiro no pé.

Gonzaguinha só faltou chorar
O deputado Luiz Gonzaga (PSDB), autor do pedido de CPI, que viu sua manobra ruir vítima de um companheiro de oposição, andava ontem desolado pela Assembléia Legislativa, visivelmente abatido, e acabou por retirar da mesa diretora o seu pedido, já que ficou com apenas sete assinaturas, precisava de oito para implantar a CPI. “É culpa do governo, culpa do governo”, lamentava, sem atentar ser o deputado Nicolau Junior (PP) da oposição.

Post fúnebre
O deputado Ghelen Diniz (PP) postou na sua página da internet: acaba de ser enterrada a CPI.

Líder do PT barrado no próprio baile
O deputado Lourival Marques, líder do PT na Assembléia Legislativa, andava ontem pela Casa com cara de barrado no próprio baile. Por incrível que possa parecer não conseguiu ser atendido pelo secretário da Habitação, Jamil Asfury, que alegou estar com a agenda cheia. Marcou outro dia e o parlamentar não se submeteu à empáfia do Jamil e não apareceu no encontro. Um colega seu de parlamento chegou a dar a fórmula para a imprensa de como ser recebido na mesma hora: “era só ter dito que tinha autorização do Pastor da Igreja Batista do Bosque, Agustinho Gonçalves”. Se o Louro, que é líder do governo, não conseguiu ser atendido pelo secretário Jamil, imagine alguém do povão!.

PT desmonta CPI
O prefeito de Manuel Urbano, Ale Anute, se salvou da implantação de uma CPI para apurar a sua desastrada administração graças a uma mãozinha do PT. Faltava um voto para a matéria ser aprovada na Câmara Municipal, quando a vereadora Selma Almeida (PT) resolveu votar contra a CPI. Mudou de idéia após um misterioso café da manhã com o prefeito Ale.

Ele voltou brabo
O ex-deputado Raimundo Sales e hoje vereador do PMDB em Sena Madureira, voltou brabo ao parlamento. Ao ser chamado de “aliado” pelo vereador Clayton (PT), que tinha saudado a entrada do deputado Nelson Sales (PV) na base do governo, ficou louco e disse que não ia chafurdar na lama do PT. Raimundo e Nelson são parentes. Isso que é uma família unida!.

Quadro complicado
O quadro em Sena Madureira se mostra complicado para a FPA, porque os nomes que estão postos até o momento se mostram irredutíveis a fazer uma composição em torno de uma candidatura única. É o caso dos ex-aliados e hoje adversários, o x-prefeito Nilson Areal e o prefeito Mano Rufino. Um problema que se mostra como sendo incontornável.

Convites na mesa
Falando em Sena Madureira que vem recebendo convites para entrar em partidos, alguns oferecendo a presidência do diretório municipal, é a publicitária Charlene Lima, nascida na cidade e que vem ocupando espaços com as ações que vem desenvolvendo no município.

Isac lima
É o nome definido para disputar a prefeitura de Mâncio Lima pelo PT. Isac é irmão do deputado Jonas Lima (PT), com base forte no município, onde sempre teve boa votação.

Palco cômico
Conhecendo como conheço as CPIs que foram instaladas até hoje na Assembléia Legislativa tenho que prever que será mais uma CPI para encher egos e que não vai dar absolutamente em nada. Mesmo porque todas as obras da BR-364 já foram auditadas pelos órgãos federais de fiscalização. É piada pensar que é o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) quem vai acrescentar alguma coisa ao que já foi fiscalizado. Se for instalado (tenho dúvidas) será mais um palco cômico.

Fora da disputa
O presidente do DEM, Tião Bocalon, deverá participar de atos políticos na eleição municipal do próximo ano na Capital, mas é bem provável que não será candidato a prefeito, sua dedicação é exclusiva à sua esposa que não está bem de saúde. Não tem clima emocional para ser candidato.

Rabo de jumento
Se o PRB do deputado federal Alan Rick espera crescer em Acrelândia com a filiação da eterna candidata Francisca Basílio, o único crescimento que pode ter é como rabo de jumento, no rumo do chão.

 Dinheiro jogado fora
Esta “Marcha dos Prefeitos” à Brasília é mais uma de tantas já realizadas e que nada se conseguiu de conquistas. Os prefeitos acreanos que choram miséria vão gastar com passagem, hotel alimentação, só para passear. Depois ficam reclamando que não há dinheiro para fazer nada.

Pesquisa só confirmou
A pesquisa que o PP mandou fazer em cinco prefeituras para ter uma noção da popularidade dos prefeitos veio com um resultado que já era esperado: quase todos com rejeição acima dos 60%. O prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, que sempre teve uma alta aceitação aparece também com números baixos. Quem se salvou foi o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, que ficou num patamar aceitável. E se a pesquisa fosse feita em todos os municípios o resultado seria o mesmo: alta rejeição dos prefeitos.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

 

Postado em 19 de maio de 2015

Daniel Zen: “numa CPI, nenhum governo da oposição será poupado”

Luis Carlos Moreira Jorgd

Daniel Zen: “numa CPI, nenhum governo da oposição será poupado.”
O líder do governo na Assembléia Legislativa, deputado Daniel Zen (PT), alerta que a oposição não está avaliando a dimensão do que será uma CPI da BR-364. “Nenhum governo da oposição será poupado, os diretores do DERACRE da época, empresários que trabalharam na obra, serão intimados a depor. Está enganado quem pensar que, esta CPI será restrita aos governos do PT”, disparou Zen, e avisando que, se a proposta for apresentada e tiver dentro da legalidade a própria base do governo poderá assinar. Para Zen, a oposição deu um tiro no pé.

Admissibilidade jurídica
Com oito assinaturas, a “CPI da BR-364” deu entrada ontem. A matéria vai agora para a Comissão de Constituição de Justiça onde será analisada a sua admissibilidade jurídica, se é ou não constitucional. Pode a Assembléia Legislativa investigar a aplicação de verbas federais, que cabe ao TCU e ao Ministério Público Federal?. É a pergunta que faz o líder do governo, deputado Daniel Zen (PT).

Brincando de CPI
Encontro o ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado, advogado José Eugênio Leão Braga, o “Macapá”, que me pergunta se os deputados de oposição estão brincando de fazer CPI. E acrescenta: “a Assembléia Legislativa não é competente para investigar a aplicação de verbas federais no Acre. Será que os deputados não sabem disso”? E a pergunta que deixou antes de se despedir.

É muita ingenuidade política do gonzaguinha
O deputado Daniel Zen (PT) faz uma leitura real do que poderá ser esta CPI. Quem vai dar o tom da CPI será a base do governo, que por ter ampla maioria indicará o presidente e o relator da CPI. Ou alguém acha que a FPA vai abrir um destes dois cargos para ser ocupado por algum deputado da oposição?  Os dois cargos serão ocupados por parlamentares governistas. É muita ingenuidade política o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) pensar que poderia montar uma CPI para chamar de sua.

 Pergunte ao Gonzaga
Fui parado ontem na Aleac por um deputado da base do governo, que me chamou a um canto e perguntou: “Luis Carlos, o deputado Luiz Gonzaga tem raiva, alguma mágoa da família Cameli?”. Disse que não sabia responder. E retrucou: “O Gonzaga só pode ter algum problema com os Camelis, para tirar o empresário Eládio Cameli dos seus muitos afazeres em Manaus e o Linker Cameli do seu trabalho no Juruá para virem depor na CPI, virarem manchetes na imprensa regional e amazonense, serem sabatinados sob os holofotes da imprensa, numa exposição negativa para as suas imagens”. Sugeri que perguntasse ao próprio Gonzaga

Pau que bate em chico
Acompanhei várias CPIs. Quando se trata de confronto tudo pode acontecer. Ninguém descarte se no curso dos depoimentos for decretada a prisão de alguns dos empresários depoentes, como troco político, mesmo que horas depois o detido consiga um Habeas-Corpus, naquela de que o pau que bate em Chico, também bate em Francisco. Tudo pode acontecer numa CPI. Não descartem nada. Pelas informações privilegiadas que tenho nada é descartado.

Não será uma tarefa fácil
Fosse a escolha em outro momento político, não haveria problema. Mas, no atual momento de crise será muito conflituoso o PT tentar indicar o vice na chapa do prefeito Marcus Alexandre para a disputa eleitoral do próximo ano. Para ocorrer terá que ser num parto demorado, que precisa a ser costurado com muita cautela e conversa com os aliados.

Ao armando o que é do armando
O governador Tião Viana foi muito sensato e político ao manter o secretário de Saúde, Armando Melo, porque eram muitos os protestos contra a sua saída, no seio dos servidores da Saúde, na classe política, com os quais o atual secretário mantém uma relação aberta, democrática e afinada. Ao Armando o que é do Armando. Quando o administrador recua de uma decisão para acertar, mostra acima de tudo sabedoria administrativa. Ponto para o Tião. E não se muda o que está dando certo.

Dá visibilidade
A deputada Eliane Sinhazique (PMDB) não resolve absolutamente nada colocando seu gabinete com uma mesa na rua. Escuta e fica por isso mesmo. Até porque não tem poder de decisão. Mas dá uma maior visibilidade ao seu mandato. E ao político isso é que importa.

O jogo bicho e a política
No Jogo do Bicho vale o escrito. Na política a palavra dada. Mas, no segundo caso,  nem sempre acontece. É o caso do ex-prefeito Nilson Areal, que criticou o deputado Nelson Sales (PV) por ter colocado a assinatura na CPI da BR-364, retirado, e atribuiu a sua vinda para a base do governo para conseguir vantagens, e a órgão de comunicação de Sena Madureira (não se sabe o motivo, temor talvez, porque Nelson foi seu secretário de Saúde) diz que não fez a crítica. Exatamente por isso que Areal é conhecido por não ter a palavra como seu forte.

Saudades do Padeirinho
O ex-prefeito do Bujari, Padeirinho (PSB), sempre foi um político grosseiro no trato com terceiros, um xucro no sentido exato da palavra, mas era trabalhador. Por ter sido um gestor austero e realizador é que o Padeirinho (PSB) aparece como favorito para vencer a disputa pela prefeitura do município no próximo ano. Também, ganhar eleição do prefeito Tonheiro (PT), altamente desgastado, não é para contar vantagem tal é a sua fragilidade política.

Acrelândia não é novidade
Acrelândia aparecer com nota zero no portal da transparência da Controladoria Geral da União – CGU, não é novidade com o prefeito que tem. Jonas da Farmácia faz uma gestão fraca, atrapalhada e cheia de problemas jurídicos. A novidade é o aparecimento de Feijó, já que o prefeito Merla Albuquerque recuperou as finanças do município. Mas esqueceu de dar transparência. Os tempos são outros, mas tem gestor que não entende.

Nada contra, mas o parlamento é para debates
Os Defensores Públicos são figuras essenciais para não deixar a camada mais humilde da população sem defesa jurídica. Mas, parar a sessão da Aleac para ouvir discursos redundantes, desvirtua o papel do Parlamento, porque breca os debates da Casa. O Projeto de Resolução do deputado Nelson Sales (PV), que proíbe sessões solenes em dias de sessões ordinárias, deveria ser colocado o mais rápido possível em votação. Ou daqui um dia vão acabar os debates na Aleac. E isso não é bom para a democracia.

Colocação justa
A deputada Eliane Sinhazique (PMDB) fez ontem um questionamento justo ao perguntar por qual motivo as famílias que foram retiradas do barranco da EMBRATEL, que tiveram suas casas demolidas por estarem em área de risco, não ganharam uma residência na Cidade do Povo, já que estão na cota dos prioritários. Não cabem mais explicações, desculpas, até porque não vão viver eternamente do chamado aluguel social, que nem sempre é liberado no dia aprazado. Não é isso, meu caro secretário de Habitação, Jamil Asfury?.

 Melhor ter ficado calado
Quando não se tem explicação convincente para um ato melhor é ficar calado. Foi o caso do deputado Jairo Carvalho (PSD), ao justificar ontem na tribuna da Aleac, por qual motivo resolveu assinar a CPI da BR-364, que prometeu que não assinaria por ninguém mandar no seu mandato. O senador Sérgio Petecão (PSD) mostrou que manda. E a emenda do Jairo saiu pior do que o soneto

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

Postado em 18 de maio de 2015

Márcia Regina precisa ficar calada ou governo não vai resistir a piada

Luis Carlos Moreira Jorge

Menos, Márcia, menos!
A Chefe do Gabinete Civil do Governo, Márcia Regina, diz que o Acre virou “modêlo de desenvolvimento” até para países como China, Estados Unidos e Alemanha. O Acre começou de fato a trilhar na gestão Tião Viana um bom caminho, buscando sair da economia do contracheque, mas entre isso é ser exemplo para potenciais mundiais é irônico, melhor só uma piada de papagaio para barrar esta piada oficial. A Márcia Regina pense e repense antes de dar uma declaração deste porte, pois, um governo resiste a críticas, denúncias, maledicências, mas não resiste quando vira assunto de piadas. Conhecia o lado competente da Márcia, esta sua veia cômica para mim é novidade.

Fim da credibilidade
O deputado Jairo Carvalho (PSD) deu várias declarações de que não assinaria a “CPI da BR-364”, mas circula a notícia de que após uma conversa com o senador Sérgio Petecão (PSD) estaria voltando atrás. Se voltar atrás a sua credibilidade vai para zero, ninguém vai mais crer no que falar a partir do momento que assinar o documento. Na política vale sempre a palavra.

Hipótese zero
O secretário municipal Jairo Cassiano, uma das figuras mais próximas do prefeito de Sena Madureira, Mano Rufino, me disse ontem que, é cedo para se falar em sucessão, mas descarta a hipótese do grupo que integra de apoiar a candidatura do médico Alan Areal à prefeitura de Sena Madureira. É um bom nome, se vier é para somar, mas nunca foi nem discutida a hipótese do prefeito Mano Rufino lhe apoiar, destacou Jairo, lembrando que por estar no cargo, Mano será o candidato natural à reeleição no próximo ano.

O julgamento será no próximo ano
Jairo Cassiano não quis entrar em polêmica sobre as críticas do ex-prefeito Nilson Areal contra a gestão do prefeito Mano Rufino, mas ressaltou na defesa da atual administração que, o prefeito Mano será julgado pelo que fizer no próximo ano, quando acha que terá revertido as dificuldades encontradas hoje para deslanchar os seus projetos e crescer na avaliação popular.

Avaliação pessoal: não sairá do balão de ensaio
Sobre o nome do médico Alan Areal, supostamente convidado pelo governador Tião Viana para ser o candidato do PT a prefeito de Sena Madureira, a minha avaliação é ser improvável que venha a ser ungido, porque fica difícil se chegar junto no prefeito Mano Rufino e dizer que não pode ser ele candidato. Por isso, a hipótese do Alan ser candidato único da FPA não sairá do balão de ensaio.

Em franca articulação
O senador Gladson Cameli (PP) está em franca articulação silenciosa nos municípios preparando candidaturas a prefeito pelo PP. Joga tudo nisso. Quer formar uma base no interior para 2018, quando pode disputar o governo. Em Porto Acre está filiando o pecuarista Daniel Nogueira, em Brasiléia tem o vereador Joelso Pontes e trabalha para tirar o vereador Neldo Lopes, o Nildinho; do PT, para disputar a prefeitura de Assis Brasil. Em Sena Madureira tentará viabilizar o deputado Ghelen Diniz (PP) como candidato único da oposição a prefeito.

Belo exemplo de vida
Quem leu a entrevista do médico José Furtado de Medeiros no Ac24horas viu o que é um belo exemplo de vida. Poderia ser um grande fazendeiro, estar muito rico, após tantos anos de medicina no Acre, mas preferiu se dedicar a ajudar os pobres, sabendo que nenhuma riqueza se leva deste mundo. O Dr. Medeiros, um médico iluminado, nunca deixou de atender a uma criança se o pai não tivesse dinheiro. O abraço da minha família a esta bela figura humana de luz.

Que coisa impressionante
Chega a ser impressionante o isolamento político a que chegou o prefeito de Assis Brasil, Betinho, o desgaste da sua administração chegou a tal nível que nem o PSDB, seu partido, o quer como candidato. E todos por um motivo: ele não tem a mínima chance de ser reeleito.

Jonas e o dízimo
O deputado Jonas Lima (PT) é o mais ferrenho defensor e fervoroso participante da realização de um culto evangélico nas quintas-feiras em uma das dependências da Assembléia Legislativa, onde acontece farta unção de óleo nos participantes. Ninguém se admire se qualquer dia começar a cobrança de dízimo durante os cultos.

Pedido pessoal
Amigo próximo do empresário Mario Maffi me revelou ontem que pelo que tem ouvido dele não há muito interesse em ser candidato a prefeito de Epitaciolândia no próximo ano, mas ressalva que não terá como deixar de atender a um pedido pessoal do governador Tião Viana.

Conversa para boi dormir
Vez por outra surgem comentários de que o prefeito de Brasiléia, Everaldo Gomes (PMDB), e seu guru Aldemir Lopes estão brigados. Eu nunca acreditei nisso. É igual às lutas livres marmeladas em que tudo é combinado. Aldemir é o criador e o Everaldo a criatura, por isso não irão brigar por nada neste mundo. Aldemir pode ser tudo, menos burro de se afastar do poder e das suas benesses.

Colecionando partidos
O ex-deputado federal Henrique Afonso se transformou num colecionador de partidos. Foi do PCdoB, do PT, do PV e agora vai se filiar ao PSDB. Em política, quem muito pula de galho leva chumbo nas urnas.

Comentário da fronteira
Político de Plácido de Castro e aliado do prefeito Roney Firmino (por isso omito seu nome) comentava ontem comigo no térreo da Assembléia Legislativa que o Roney conseguiu o que parecia ser impossível, fazer um governo pior do que o antecessor, o ex-prefeito Paulinho Almeida (PT).

Não tem tu, vai tu
Como diz o ditado acima, foi por isso que se deu a escolha do deputado federal Sibá Machado (PT) para ser o líder do partido na Câmara Federal. As cabeças mais preparadas do PT preferiram ficar nos bastidores para evitar a queimação que é hoje defender a presidente Dilma. O Sibá não está nem ai, defender Mensalão, Petrolão, Aloprados é com ele mesmo.

Garantia de candidatura
O ex-deputado federal Henrique Afonso só vai se filiar ao PSDB por ter a garantia do futuro presidente, deputado federal Werles Rocha (PSDB), de que ele será o candidato do partido a prefeito de Rio Branco. O PSDB não abre mão de ter um nome próprio disputando a PMRB.

Fora de cogitação
A oposição ter um candidato único a prefeito de Rio Branco está cada dia mais fora de cogitação. A tese majoritária entre os presidentes de partidos oposicionistas é de lançar várias candidaturas para depois se unirem num eventual segundo turno.

Para os netos dos netos
Esta ferrovia que a presidente Dilma deve anunciar numa parceria com a China, e que passará pelo Acre, é coisa para os netos dos netos, mente quem aparecer dizendo que a sua conclusão, que leva aos portos do Pacífico, no Peru, e que passa pelo Acre, se dará a médio prazo.

CPI da BR-364
Seria mais uma das muitas CPIs que não deram em nada. Na verdade foi mais uma jogada para promoção pessoal e política do deputado Luiz Gonzaga (PSDB). Não conheço uma CPI formada na Assembléia Legislativa que não serviu só para gastar dinheiro e se fazer salamaleque.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

Postado em 16 de maio de 2015

Nilson Areal detona Nelson Sales: “É um aproveitador. Faz um papel ridículo ao assinar CPI da BR”

Por Luis Carlos Moreira Jorge

O ex-prefeito de Sena Madureira, Nilson Areal, é uma figura política cheia de nuances. Vai do céu ao inferno e vice-versa, na mesma rapidez. É um gato de sete vidas. Quando se pensa que está acabado ressurge. Uma hora é procurado pela justiça, não outra consegue se safar das acusações de ilegalidades praticadas quando era prefeito. Há meses calado, no ostracismo, eis que, Areal resolveu sair da toca, conversar com a coluna, abrir o verbo contra os adversários e sacramentou o fim da unidade da FPA na eleição de Sena Madureira.

Prefeito Mano Rufino
-Não há mínima chance de estar no mesmo palanque do prefeito Mano Rufino na eleição do próximo ano. A hipótese de uma aliança é zero. O Mano acabou com a cidade, faz uma das piores administrações de todos os tempos. Então não temos conversa, estaremos em lados diferentes. Quanto mais distância dele melhor.

Candidatura própria
-Estou estudando a possibilidade de ser candidato a prefeito de Sena Madureira. Estou mantendo contato para alianças. Vou trabalhar para isso. Estou livre das amarras nos tribunais e posso legalmente ser candidato na eleição do próximo ano. O povo sente saudades da minha administração. É só comparar o que era a cidade quando eu fui prefeito e a péssima gestão do prefeito Mano Rufino. Sena Madureira acabou. É só buraco, lama e mato.

Duas figuras mal cheirosas
-Volto a dizer que é zero a possibilidade de apoiar o prefeito Mano Rufino. Além de ter acabado com Sena Madureira terá como vice o Gilberto Diniz (ex-deputado é um dos adversários mais ferrenhos do Tião Viana na Assembléia Legislativa). A FPA não terá um candidato único. Posso garantir isso. O Mano Rufino e o Gilberto Diniz são duas coisas mal cheirosas. Aquilo que fede. Você sabe o que eu estou dizendo. Deram certo um com o outro. Pedido nenhum me fará voltar atrás de ficar distante deste desastre que é o Mano. É a casa e botão da mediocridade. Estarei em outro palanque.Nelson e Nilson_in

Deputado Nelson Sales
-É um aproveitador. Fez um papel ridículo ao colocar a sua assinatura na CPI da BR-364 e depois retirar. Na verdade quis com isso tirar vantagem do governo. Não foi por outro motivo que entrou na base do governo. É outro com quem não quero conversa. Muito menos como aliado. Se elegeu batendo no governador Tião Viana e agora virou seu aliado depois de eleito. Quer cargos em troca deste falso apoio. Só passou para o lado do governo para conseguir boquinhas. Ele terá que se explicar aos eleitores de Sena Madureira a sua troca da oposição para o governo logo após se eleger deputado.

Derrota eleitoral
-A derrota do governador Tião Viana em Sena Madureira nos dois turnos na eleição para o segundo mandato foi uma resposta da população ao apoio que lhe deu o prefeito Mano Rufino. O povo se vingou do Mano não votando no Tião. No momento em que o Mano abriu a boca para pedir votos ao Tião Viana deu a vitória para a oposição. E se o Tião Viana na eleição municipal for para o seu palanque vai se queimar. Quando eu era prefeito o PT não perdeu uma eleição majoritária em Sena Madureira porque eu conversava com a população e não deixei a cidade liquidada. O Mano Rufino é hoje o pior cabo eleitoral do governo em Sena Madureira. Se o PT se aliar ao Mano será seu fim em Sena. Só quem irá para o seu palanque será meia dúzia de puxa-saco.

A cidade da vergonha
-Dá vergonha para qualquer um visitar hoje a cidade de Sena Madureira. Está tudo acabado. Não tem prefeito. O abandono é geral. Diferente de quando eu era prefeito, nunca deixei a cidade ficar neste estado abandonado em que se encontra. Mas coloque que o Nilson Areal se articula, não está morto politicamente, estou conversando muito, e vou reaparecer no cenário político de Sena na eleição do próximo ano. Podem aguardar isso. O Nilson Areal está mais vivo do que nunca e a caminho dos palanques em 2016.

Quadro geral para 2016
Com as colocações acima do prefeito Nilson Areal pode se chegar à conclusão que a unidade da FPA na eleição municipal de Sena Madureira foi para o espaço. Teremos as candidaturas do prefeito Mano Rufino (FPA), do candidato da oposição (Toinha Vieira, Mazinho Serafim e Ghelen Diniz será uma dessas opções), do Nilson Areal (FPA) e buscando consolidação como uma via alternativa, a publicitária Charlene Lima, ainda sem partido. Um quadro confuso e nada alentador para o prefeito Mano Rufino. Mas com a divisão da FPA, a chance do prefeito Mano Rufino se reeleger diminui de tamanho.

Para que palanque?
Uma pergunta que cabe neste emaranhado é: em qual palanque o governador Tião Viana e o PT estarão, na campanha do próximo ano em Sena Madureira?. No do Nilson Areal, seu mais antigo aliado? No palanque do Mano Rufino?

Sempre foi um blefe publicitário
A rodovia que liga o Acre aos portos peruanos no Oceano Pacífico sempre foi um blefe. Por isso está se anunciada a construção de uma ferrovia em parceria com a China. Por não permitir o tráfego de caminhões com alta tonelagem a atual estrada para o Peru se tornou inviável economicamente para a escoação de grãos e outros produtos do centro-oeste. No máximo virou uma estrada para um passeio em turismo com a família. Mas, em relação à ferrovia, é coisa para décadas até a sua conclusão.

Movimento grande
Recebi informação ser muito intenso entre os funcionários o movimento para que o secretário de Saúde, Armando Melo, continue no cargo. Mostra que conseguiu em pouco tempo o carinho dos servidores de uma das pastas mais complexas, que é a da Saúde.

Que coisa mais atrasada!
Quando todo mundo defende uma Reforma Política para mudar o sistema eleitoral, eis que aparece o deputado federal Alan Rick (PRB) defendendo uma das maiores imoralidades políticas do atual sistema, que é a coligação proporcional. Coligação proporcional só serve para um monte de partidos de aluguel se juntar para eleger um vereador ou deputado. Me estranha um parlamentar preparado como o Alan Rick (PRB) remar contra a modernidade. Ainda bem que a sua idéia é minoria. E o argumento é o mais tosco possível: o fim das coligações proporcionais prejudica os pequenos partidos. Prejudica as negociatas de partidos nanicos, isso sim. E só isso.

Como exigir coerência?
Em Brasília o senador Sérgio Petecão (PSD) vota sempre com o PT da presidente Dilma. No Acre é oposição ao PT. Como quer exigir coerência política do deputado Jairo Carvalho (PSD)?.

Postado em 15 de maio de 2015

FPA poderá lançar uma mulher para disputa da prefeitura de CZS

Luis Carlos Moreira Jorge

É o cipó da aroeira voltando ao lombo de quem deu
Tive uma informação privilegiada de dentro do PT de que a “CPI da Agiotagem” visa sim um político do Juruá e que vai começar fervendo, com denúncias de quatro vítimas do principal nome a ser investigado, que prometem desnudar todo o esquema que acontece há anos na região. Por mais que a coluna insistisse o nome do principal alvo da CPI não foi revelado. Como a base do governo tem a maioria na Casa, pode instalar a CPI e nomear o seu presidente e Relator, sem precisar da oposição. Os próximos dias prometem ser quentes na Assembléia Legislativa. A fonte da coluna fechou a informação com a frase: -“é o cipó de aroeira voltando para o lombo de quem deu”. Para a imprensa será um prato cheio, vai fugir do trivial da tribuna: Vovô viu a uva.

Político tem que ter posição
Na boa política se deve sempre fazer as coisas com convicção. Não ser pau mandado. É melhor ter um deputado como Jairo Carvalho (PSD) com posições próprias, que parlamentar do tipo Maria vai com as outras.  Se o deputado Jairo entendeu que a “CPI da BR-364” – que morreu antes de nascer- não vai chegar a lugar algum, é mera cena política para os holofotes, por qual razão lhe condenar? Não pode ter entendimento próprio?  Tem que ser marionete? O deputado Jairo não chega a ser brilhante, mas também não é omisso, tenho visto vários pronunciamentos seus criticando o governo, cobrando, então, não lhe cabe a pecha de governista por adotar a postura de não assinar a CPI. Quem é puxado pelo beiço é boi de carroça.

Troféu bajulação
“Se o governador Tião Viana não for para o céu eu é que não vou”. Esta frase do Padre Asfury, dita num ato de inauguração de uma escola da “Cidade do Povo”, é séria candidata ao “Trofeu Bajulação”. Acho muito improvável que alguma outra frase venha lhe destronar até o final do ano.

Bom quadro, mas tem de criar raiz
O João Marcos Luz, que assinou ficha de filiação no PMDB é um bom quadro político, só tem de não ficar pulando de partido ao sabor dos fatos. Tem que se fixar e buscar ter um mandato, porque político sem mandato tem peso zero em qualquer situação partidária.

Nome simpático
O ex-deputado federal Henrique Afonso deverá mesmo se filiar ao PSDB, como a coluna tinha antecipado. Henrique é um nome muito simpático ao futuro presidente regional do PSDB, deputado federal Werles Rocha (PSDB), para disputar a prefeitura de Rio Branco.

Cassino do juruá
Jonathan Donadoni (PMDB), que sonha em disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul, se declara um ás do jogo digital Xbox. O prefeito de Marechal Taumaturgo, Aldemir Lopes (PT), que deve disputar a reeleição é conhecido como o “Rei do carteado”. Assim teremos na eleição municipal no Juruá uma dobradinha da jogatina: o homem do Xbox e o homem das cartas. Se nenhum dos dois não ganhar, eles podem montar em sociedade o “Cassino no Juruá”.

Tião enigmático
Perguntei ao governador Tião Viana, que no frigir dos ovos é quem vai dar as cartas na escolha do candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, no próximo ano, se já tinha um nome para a disputa. Resposta enigmática: “tenho. Será uma mulher e vamos ganhar a eleição”. E nada mais disse e nem lhe foi perguntado.

Cautela e caldo de galinha
Por causa dos buracos que tomaram conta de toda a cidade se a eleição para a PMRB fosse hoje o prefeito Marcus Alexandre seria um alvo fixo e fácil para a oposição bater nos palanques. Acontece que a eleição será no próximo ano e dentro de outro contexto, portanto, é bom não colocarem a cerveja na geladeira. Campanha política é momento. Por isso, cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém. E quem morre de véspera é peru. As duas máximas são sempre aplicáveis em qualquer disputa eleitoral.

Nas pegadas da mãe
A deputada federal Jéssica Sales (PMDB) vem cumprindo um mandato como a cópia fiel da mãe, a ex-deputada Antonia Sales (PMDB), atuando na camada mais carente da população, nos grotões. É nos chamados “grotões políticos” que os Sales vêm ganhando eleições e se mantendo no poder no Juruá. Na classe mais esclarecida da população de Cruzeiro do Sul nunca conseguiram montar um reduto de votos. Sempre tiveram dificuldades neste nicho.

Sair no dia de são nunca de tarde
O deputado federal Raimundo Angelim (PT) quer uma Reforma Política “discutida com a população”. É a típica frase de quem não quer que se mude o sistema eleitoral. Quem tem de decidir é o Parlamento, que vem empurrando a decisão com a barriga há mais de 10 anos. Que se acabem as coligações proporcionais, que venha o voto distrital misto, votação para a escolha do suplente de senador e que ganhe o mandato o candidato mais votado. Se esta mudança não acontecer com o obstinado presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB), não sairá com mais ninguém, talvez, só no dia de São Nunca de Tarde.

Barrado no baile
O vereador Joelso Pontes (PP) esqueça qualquer possibilidade de se filiar ao PMDB e ser candidato único a prefeito de Brasiléia no próximo ano. E por um motivo: o deputado federal Flaviano Melo (PMDB) não quer nem ouvir falar na hipótese de fritar o prefeito Everaldo Gomes (PMDB). O Flaviano tem os seus defeitos, mas é partidário como poucos.

Conversa para boi dormir
O senador Sérgio Petecão (PSD) faz jogo de cena contra o deputado Jairo Carvalho (PSD). Não vai partir para retaliação coisa alguma por conta do deputado não ter assinado a CPI da BR-364. Se a sua mulher Marfisa Petecão (PSD) for candidata à prefeita de Senador Guiomard, Petecão é quem vai precisar do Jairo e não ele do senador. Esqueçam então levar a lambança de punição a sério.

Nova casa e em casa
A partir do dia 1º de Junho a “Coluna do Crica” – com mais de 40 anos, vendo entrar e sair governador, deputado, vereador, prefeito, estará nas páginas do jornal “OPINIÃO”. Um novo desafio sempre é bom. Estarei em uma nova casa e em casa, já que o “OPINIÃO” e o Ac24 horas têm feito parcerias jornalísticas, cada qual na sua linha editorial própria. O jogo é jogado.

Sem dinheiro o boi não dança
Dei uma rodada ontem pelas ruas de Brasiléia e cheguei a uma conclusão óbvia: estão acabadas. É buraco disputando espaço com buraco. O prefeito Everaldo Gomes (PMDB) precisará mais do que boa vontade para dar outra cara para a cidade, precisará de muito dinheiro, e nesta crise econômica nacional não será fácil conseguir recursos em grande monta. E como diz o ditado: sem dinheiro, o boi não dança..

Já era tempo de perder a ingenuidade
A deputada Eliane Sinhazique (PMDB) foi quem mais ficou atônita em ver murchar a “CPI da BR-364”. E murchou dentro da própria oposição. O mais irônico foi acreditar que o deputado Jenilson Lopes (PCdoB) pudesse assinar a CPI. Já era tempo da Eliane perder a ingenuidade política.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

 

Postado em 14 de maio de 2015

A CPI da BR-364 morreu na casca do ovo graças a própria oposição

Luis Carlos Moreira Jorge

Morreu na casca do ovo
A “CPI da BR-364”, que ia ser apresentada pelo deputado Luiz Gonzaga (PSDB) na Aleac, morreu ontem na casca do ovo, com a retirada da assinatura do deputado Nelson Sales (PV) do pedido de abertura da investigação. Com sete assinaturas a CPI não pode ser apresentada. Precisaria  oito. A decisão de Sales deixou os deputados da oposição impotentes e frustrados.

Apelo da base
Nelson Sales, que também anunciou a sua entrada na base do governo, justificou que atendeu a posição da direção do PV, partido que integra, e que faz parte da FPA, e os seus apoiadores.

Não deveria ter assinado
Nada contra sua ida para a base do governo, esta é uma decisão pessoal, mas errou num ponto: se já trabalhava com a hipótese de entrar na FPA, não deveria assinar o documento.

Morreria no plenário
E de qualquer maneira esta CPI não seria aprovada, ainda que tivesse conseguido as oito assinaturas regimentais. Seria derrotada no plenário, onde a base do governo é maioria.

Alvo principal
A CPI da BR-364 visava, principalmente, desgastar o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, levando-o a depor por ter sido diretor do DERACRE durante a construção da estrada.

Fato político negativo
Com a estratégia queriam criar um fato negativo e explorar na eleição do próximo ano.

Interesse nada relevante
Está enganado quem pensar haver algum interesse relevante, como fazer apuração sobre a aplicação da verba usada na BR-364, o interesse é tão somente político e eleitoreiro e só.

Mudando de assunto
O DETRAN faz uma campanha positiva de abordagem dos motoristas sobre direção defensiva. Este tipo de ação vale mais do que as blitz malucas feitas pelo órgão às 6 horas da manhã.

Candidatura única
O deputado Ghelen Diniz (PP) diz que a oposição terá um candidato a prefeito de Sena Madureira e colocou o seu nome à disposição para a discussão com os outros postulantes.

Outras opções
Mazinho Serafim (PMDB) e Toinha Vieira (PSDB) são outros nomes disponíveis na oposição.

Brigando pela vice
Quem está brigando para ser o candidato a vice-prefeito na chapa do prefeito de Sena Madureira, Mano Rufino, é o ex-deputado Gilberto Diniz (PTdoB), que aderiu ao petismo.

Acabou a mordomia
Gilberto Diniz tem reclamado a amigos que está sendo um suplício voltar a ser bancário e ter que cumprir expediente. Mas, diz também trabalhar para disputar a eleição à Aleac, em 2018.

Nome mais forte
Conversando ontem com quem conhece bem o panorama político de Senador Guiomard, ouvi que, a FPA não tem um melhor nome a apoiar para prefeito que o do vereador Ney do Miltão.

Fato curioso
Ney do Miltão foi o vereador mais votado do município pela oposição, mas rompeu com o prefeito James Gomes e deve se filiar em breve a um dos partidos da Frente Popular.

Não pode nem criticar
O senador Sérgio Petecão (PSD) não pode nem falar em coerência partidária ao deputado Jairo Carvalho (PSD) por não assinar a CPI da BR-364. Petecão é Dilma em Brasília e oposição no Acre.

Convite em estudo
O ex-deputado Astério Moreira diz que estuda com carinho um convite para se filiar ao PRB. Espera apenas ver como ficará o quadro com a Reforma Política para tomar uma decisão.

Vai bancar o desgaste?
Com a entrada do prefeito de Acrelândia, Jonas da Farmácia no PT, que foi um tiro no pé dado pelos petistas, o partido vai bancar sua candidatura à reeleição com todo o seu desgaste?.

Caiu na real
Chega a notícia que o deputado Nicolau Junior (PP) também retirou sua assinatura da CPI da BR-364. Sua família é ligada aos Camelis. Não havia sentido expô-los ao constrangimento.

Jogando para a platéia
O líder do governo, deputado Daniel Zen (PT), joga para a platéia quando diz que a base do governo assina a CPI se a oposição conseguir 8 assinaturas. Fala porque sabe que não consegue.

Inimigo número um
A CPI não vai sair, mas uma coisa ficou cristalina neste episódio: a partir de agora o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) passa a ser considerado pelo governo como inimigo número um.

CPI é convencimento
Não há agora porque atacar o deputado Jairo Carvalho (PSD) por não ter assinado o pedido de CPI, como queria o senador Sérgio Petecão (PSD). Só se assina uma CPI com convencimento.

Não é bom negócio
E se a Marfisa Galvão (PSD) for candidata a prefeita de Senador Guiomard, não é bom o Petecão trombar com o Jairo, que tem um eleitorado concentrado naquele município.

Ai ainda conseguiria
Leio que o prefeito Mano Rufino foi ao diretor geral do DERACRE, Procurador Cristovão Moura e pediu ajuda na recuperação de ramais. Se fosse um parecer jurídico ainda conseguiria.

Tem que medir os passos
Na política você tem de medir os passos antes de avançar. Avaliar bem o que vai fazer. Faltou isso ao deputado Luiz Gonzaga (PSDB), que com sua CPI atingiria empresários amigos do Juruá.

Mandato único
A deputada federal Jéssica Sales (PMDB) tem dito a amigos ser este seu mandato único, que  cumpre bem. Seu objetivo é como médica, se dedicar integralmente ao exercício da medicina.

Ele é o Cara!
O secretário de Habitação, Jamil Asfury, fez uma postagem ao lado do Pastor da Igreja Batista do Bosque, Agostinho Gonçalves, dizendo que está no cargo graças a sua ajuda. Égua! E eu que pensei que quem nomeava as pessoas para cargos de confiança era o governador Tião Viana. É vivendo e aprendendo!. Depois o Pastor Agustinho não gosta quando se diz ser ele o Cara.

Outro nível
Os deputados federais Werles Rocha (PSDB) e César Messias (PSB) bateram boca na Câmara Federal. Acho que pensam que estão ainda no Legislativo acreano falando para a paróquia. Na Câmara Federal se exige outro nível, estão falando para o Brasil. Menos, pessoal, menos!

Obrigado, Silvio Martinello!
Após longos anos deixo a GAZETA, minha casa no jornalismo, para enfrentar novos desafios profissionais. Foi uma decisão difícil.  Mas, inevitável. Nada é eterno. Saio por decisão pessoal amadurecida e pela porta da frente deixando amigos. Quero dizer ao Silvio Martinello que continuo tê-lo na conta de amigo, de um grande profissional, ponderado, honesto, hoje mais amadurecido, com o qual travamos várias batalhas jornalísticas e de posições perigosas juntos, sem ter uma discussão na redação. Bons tempos! Agradeço também á Ivete Martinello e ao jovem Tiago Martinello, que parece ter herdado o equilíbrio do pai, até na fala mansa. No mais, saúde à família e sucesso empresarial. E, vida longa à GAZETA! Vocês merecem isso.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

 

 

 

Postado em 13 de maio de 2015

Caso CPI da 364 pegue vento, empreiteiros serão convocados

Luis Carlos Moreira Jorge

Atirou na paca e acertou na onça
O deputado Nicolau Junior (PP) ao assinar a “CPI da BR-364”, apresentada pelo deputado Luiz Gonzaga (PSDB), atirou na paca e acertou na onça. Com a sua assinatura a CPI chegou ao número necessário de oito apoiadores, e com isso trará para o olho do furacão, a família Cameli. Os empresários Eládio Cameli; dono da ETAM, e Linker Cameli, da COLORADO, terão que depor na CPI. Eládio é pai do senador Gladson Cameli, e este cunhado de Nicolau Junior.

Atingirá indiretamente
Não existe meio termo: a CPI atingirá ainda que indiretamente o senador Gladson Cameli (PP). Será que o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) fez a CPI com este propósito? É a dúvida que fica.

Não têm como evitar
E caso a CPI passe mesmo a funcionar todos os empresários que trabalharam na BR-364 serão chamados a depor na Assembléia Legislativa e em audiências abertas para toda a imprensa.

Força judicial
E não há nem como se recusar vir a depor se convocado for pela CPI, uma convocação tem força judicial. Tem força até de determinar a prisão de um depoente se assim entender.

Sabe-se como começa
E toda CPI, já dizia o saudoso Ulisses Guimarães, se sabe como começa e não como termina. Quem vier depor na Aleac vai ficar exposto aos holofotes da imprensa e aos questionamentos

Nem com telefonema
O deputado Jairo Carvalho (PSD), mesmo sendo da oposição não assinou a CPI. Foi em vão um telefonema do senador Sérgio Petecão (PSD), do seu partido, para que assinasse o documento.

Soltando fumaça
Quem ficou soltando fumaça nos bastidores contra o deputado Jairo Carvalho (PSD) foi a deputada Eliane Sinhazique (PMDB): “eu esperava que o Nelson Sales não assinasse, não ele”.

Boa causa
Esta Frente Parlamentar na defesa da Defensoria Pública, proposta pelo deputado Eber Machado (PSDC) é por uma boa causa. É a Defensoria que defende os humildes na justiça.

Casos de abandono
E há casos de abandono da Defensoria Pública em muitos municípios, funcionando precariamente. E a Defensoria é a única ponte entre os pobres e a justiça.

Se arrependimento matasse……..
O Tião Bocalon (DEM) poderia ser hoje um deputado federal se olhudo não fosse. Preferiu disputar o governo com liso e deu com os burros na água. Se arrependimento matasse….

 

Dobradinha da pesada
Se Tanízio de Sá, uma liderança da região, se unir ao vereador Jeferson Magalhães (PHS), e formarem uma chapa para disputar a prefeitura de Manuel Urbano será difícil de ser derrotada.

Que falta faz o Pereira!
É unanimidade entre os jornalistas que cobrem os trabalhos da Assembléia Legislativa que, o ex-deputado Geraldo Pereira (PT) faz uma falta danada como líder do partido na Casa.

Quem muito se abaixa…….
O deputado Antonio Pedro (DEM) tem de perder a mania de ficar se humilhando ao líder do governo, deputado Zen (PT), para que apadrinhe os seus pedidos, é tão deputado como ele.

É dona de horta?
Pela enésima vez a deputada Leila Galvão (PT) faz defesas inflamadas pela realização de Feiras Regionais nos municípios. Posso  estar errado, mas a impressão que passa é ser dona de horta.

Obra de Deus
Quem mais se indignou com a CPI foi o deputado Manoel Moraes (PSB), que considerou uma heresia, por a BR-364 ser uma “Obra de Deus”. E qualificou a ação da oposição de “nefasta” ao Acre.

Erro de estratégia
Ao pensar que pode atingir o governador Tião Viana com a CPI, o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) atinge diretamente os empresários que trabalharam na BR-364 e de forma indistinta.

Está no ato contratual
Está em todos os contratos assinados entre o governo e as empreiteiras, que estas são responsáveis pelas obras, mesmo depois de construídas, caso surjam problemas técnicos.

Já ajudou até demais
Somo-me ao senador Jorge Viana (PT) que a cota de ajuda do governo aos haitianos acabou e agora é a vez do problema ficar com quem deveria sempre ter ficado, com o governo federal.

Primeiros aos nossos
Iguais aos haitianos existem centenas de famílias na periferia dos municípios abaixo da linha de pobreza que merecem uma ajuda prioritária do governo acreano, primeiro os nossos.

Reivindicação antiga
O vereador Clodoaldo Rodrigues (PTN) luta há muito pela instalação de uma unidade do PROCON em Cruzeiro do Sul. É uma vergonha o órgão não funcionar no município.

Pauta negativa
O governo vem de uma pauta positiva com a vinda do Lula e agora vai entrar numa pauta negativa com a CPI, que pode não dar em nada, mas causa desgaste na opinião pública.

Nada positiva
Uma CPI neste momento de crise econômica no Estado não é nada bom para o governo.

Papel da oposição
O deputado Luiz Gonzaga (PSDB) não pode ser crucificado pela iniciativa, afinal, foi eleito pela oposição para questionar, a base do governo é que tem de se virar para dar as explicações.

Apenas por isso
A CPI não foi apresentada ontem porque o deputado Chagas Romão (PMDB) está fora do Estado, mas chegando é uma assinatura certa e o pedido dará entrada na mesa diretora.

Surpresa geral
A assessoria do governador Tião Viana foi tomada de surpresa com a notícia da CPI, esta possibilidade nunca esteve nas suas possibilidades mais remotas.

Assinaturas no limite
Como o pedido tem o número mínimo de assinaturas – oito como prevê o Regimento Interno  – o governo agora trabalha para que um dos deputados da oposição retire a sua assinatura.

MP da maldade
A chamada MP da maldade da Dilma, que tira direito dos trabalhadores, teve os votos a favor dos deputados federais da oposição Flaviano Melo e Jéssica Sales . Só o Rocha votou contra.

Precisa mais que boa vontade
O prefeito de Sena Madureira, Mano Rufino, precisará mais do que boa vontade para disputar a reeleição no próximo ano com chance. E por um motivo simples:  a cidade está acabada.

É um gozador, não é?
O prefeito de Manuel Urbano, Ale Anute, reconhece que a sua cidade está abandonada, mas ressalta que não aceita reclamação de ninguém: “ninguém vem aqui me ajudar”. Égua! Não foi ele quem foi eleito para ser prefeito? É um gozador, não é?. Quem não pode com o pote não pega na rodilha.

Querem saber para que serve?
Querem saber para que serve uma CPI na Assembléia Legislativa? Para nada. A não ser gastar dinheiro do Legislativo com a sua instalação. Não conheço uma CPI instalada na Aleac que chegou até hoje a algum resultado. E não será esta que pode redundar em algo. Servirá para o desfilar de egos e nada mais que isso.

Foi longe demais
A acusação do deputado federal Werles Rocha (PSDB) de que a equipe médica escolhe para medicar os menos graves e deixa os mais graves sem medicamento é atribuir à direção do Hospital do Câncer um crime inominável: a eutanásia. Não conheço nenhum médico daquele hospital, mas sem medo de errar: não creio que um médico que se formou para salvar vidas, adote este tipo de postura. A denúncia, a crítica, tem e deve ser feita por quem faz oposição, mas com responsabilidade política. O que convenhamos, não é o caso do Hospital do Câncer.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

Postado em 12 de maio de 2015

Deputados classificam Sawana Carvalho como “burocrata bitolada”

Luis Carlos Moreira Jorge

Raimundinho e os ratos
Em 1993, o então repórter de “O RIO BRANCO”, Chico Araújo, fez uma matéria que mostrava ratos passeando no Pronto Socorro. E já se vão mais de 20 anos. E ainda assim, o deputado Raimundinho (PTN), insiste em lembrar o episódio quando um deputado critica a Saúde. O que deve se discutir são os avanços e o que ainda precisa ser feito na atualidade na área da Saúde.

Vamos parar com essa história
Vamos discutir em cima dos argumentos atuais, dos avanços conseguidos,  não em cima da realidade de década passada. Este argumento valia nos primeiros anos de governo da FPA.

Fazendo jogo de cena
Para dar pinta ante os enfermeiros que foram ontem à Aleac, a deputada Eliane Sinhazique (PMDB) exigiu do governador Tião Viana a mandar um projeto aumentando a verba da Saúde.

Faltou falar o principal
Só faltou dizer onde buscar estes recursos nesta crise econômica. Mas, vai uma colaboração: pedir ao deputado federal Flaviano Melo (PMDB), que destine suas emendas para a Saúde.

Absolutamente certa
Mas, num outro ponto a Eliane está certa: não tem de revitalizar o estádio Naborzão, em Tarauacá, mas cobrar de quem recebeu 2 milhões de reais para reforma e deixou abandonado.

Muito cômodo
É muito cômodo ao deputado Jenilson Lopes (PCdoB) exigir o funcionamento do estádio de futebol Naborzão, sem querer saber onde foi parar a verba liberada para a sua recuperação.

Justificativa perfeita
O deputado Nelson Sales (PV) foi perfeito ao apresentar um Projeto de Resolução, proibindo que se façam sessões solenes nas terças, quartas e quintas, dias dos debates em plenário.

Burocrata bitolada
Fiquei ouvindo ontem na Aleac a discussão de colegas sobre a ida da Sawana Carvalho para a Saúde. Foram unânimes que, por ser uma “burocrata bitolada”, ela não dará certo no cargo.

Vou me reservar a esperar
Vou me reservar a esperar as suas ações. Mas, ela engrosse o couro para ser criticada como nunca foi nos órgãos que passou. A Saúde é um alvo principal das cobranças da oposição e do povão. E por melhor que for a sua gestão sempre haverá brechas para críticas e denúncias. Gerir a Saúde é como entrar dentro de um liquidificador ligado.

Nunca quis conversa
Vamos colocar as coisas nos lugares nesta questão da dengue em Cruzeiro do Sul: por ser turrão, o Vagner Sales achou que podia combater a doença sem apoio do governo e não conseguiu.

Caminho para 2018
Não tenho nem dúvida que o secretário de Habitação, Jamil Asfury, voltará a ser deputado em 2018. Já está fazendo política. Promoveu uma grande festa para as mães na “Cidade do Povo”.

Contra a improvisação
Araruta tem dia de mingau. A deputada Leila Galvão (PT) acertou ao defender que o governo não renove os contratos dos servidores provisórios e chame todos os aprovados em concurso.

Uma explanação franca
A secretária de Saúde, Sawana Carvalho, poderia começar sua gestão ouvindo a gravação dos relatos feitos ontem, na Aleac, pelos enfermeiros sobre as carências nas unidades de saúde.

Precisam ser corrigidas
As queixas refletem as carências da categoria e as queixas dos usurários do sistema de Saúde.

Muito atuantes
Se nos debates do plenário a atual legislatura da Aleac é bem mais fraca que a passada, nas comissões parlamentares os atuais deputados são bem mais ativos que os antecessores.

Meu pirão primeiro
Márcio Bittar (PSDB) para a PMRB e Marfisa Galvão (PSD) de vice. Defende o senador Sérgio Petecão (PSD). Ao defender o nome da mulher, Petecão advoga em causa própria.

Fica difícil
É por causa deste tipo de arranjo familiar que a oposição é sempre olhada de banda pelo eleitor, bate na trave e não ganha eleição.

Bom trabalho
Com quem conversei ouvi sempre que o Armando Melo vinha fazendo um bom trabalho à frente da Secretaria de Saúde. Se ele pediu para sair, tudo bem. Caso contrário é um erro.

Com argumento e com ternura
O que tem levado o deputado Daniel Zen (PT) se sair bem na liderança do governo e rebater os argumentos da oposição com argumentos sólidos e sem gritos histéricos. Sem perder a ternura.

Alto acre
O PT tem uma chance excelente de fazer o prefeito de Assis Brasil, tem uma candidata muito competitiva em Brasiléia, mas é em Epitaciolândia que, o PT terá mais dificuldades na eleição.

Quadro geral
Sendo o ex-prefeito Manoelzinho candidato em Assis Brasil, o PT ganha a Prefeitura. Em Brasiléia, Fernanda Hassem (PT) é forte, mas terá uma eleição dura. Em Epitaciolândia é onde o PT terá mais dificuldades. Falta nome.

Sério problema
Se o prefeito James Gomes pudesse ser candidato à reeleição não seria fácil batê-lo. Não pode. E para agravar não tem um bom nome para apoiar. A sorte é o PT ser bem fraco no município.

Não é lugar de culto
O deputado Jairo Carvalho (PSD) tem todo o direito de ser um evangélico fiel e ferrenho. Só que, a tribuna da Assembléia Legislativa é para debates e não para fazer pregação religiosa.

Perde para um poste
Ontem, perguntei a um deputado da base do governo como via a situação política no Bujari. Foi bem curto: “o prefeito Tonheiro (PT) está tão fraco que ele perde a eleição para um poste”.

Vamos colocar os pés no chão
Quem primeiro falou em uma ferrovia ligando o Acre ao Oceano Pacífico foi o empresário Zamir Texeira há 20 anos, num dos seus muitos rompantes. Depois o então senador Aluisio Bezerra (PMDB) andou defendendo a obra. A idéia volta agora com a presidente Dilma , tendo como torcedor principal o senador Jorge Viana (PT). Mas é bom se colocar os pés no chão: um projeto deste porte, saindo por Assis Brasil ou por Cruzeiro do Sul é coisa para mais de década. Não se faz uma ferrovia da noite para o dia. Só um detalhe: se achavam a ferrovia mais prática do que uma estrada asfaltada (e não deixa de ser), por que razão o governo federal gastou mais de 1 bilhão de reais com a BR-364 para o Juruá?. São coisas que só acontecem no Brasil.

Grande engano
Não sei se procede a notícia de que o deputado Heitor Junior está deixando o PDT e indo para a oposição. Acho difícil. Não impossível. O problema do Heitor foi pensar que por ter um belo currículo como ele tem, valia alguma coisa na Assembléia Legislativa para projetar o seu nome. Esqueceu de uma coisa, o Legislativo é uma casa política, onde vale mais a atuação do parlamentar do que o monte de diplomas que possa ter. Se o Heitor Junior esquecer esta história de currículo e passar mais ativamente dos debates na área de Saúde, que conhece muito bem,  pode crescer, sem isso ele não cresce. E será mais um no meio da multidão no plenário da Aleac.

Intolerância religiosa é crime
O deputado federal Léo Brito (PT) tem tido posições coerentes nesta questão da intolerância religiosa. Tem que se respeitar quem é católico, ateu, evangélico, islamita, umbandista e etc.. Cada um que professe a sua fé como bem entender. É um direito garantido na Constituição Federal. O Léo tem sido didático na sua página na rede social ao dar o caminho para as providências para quem sofreu intolerância religiosa.

Sena Madureira virou enclave da oposição
Será em Sena Madureira onde, se a oposição se unir, tem ampla chance de fazer o prefeito na eleição do próximo ano. Ganhou nos dois turnos para o governo. A oposição fez dois deputados estaduais. A FPA nenhum. E ainda por cima a FPA está rachada ao meio: de um lado o prefeito Mano Rufino e do outro o ex-prefeito Nilson Areal. Se unida já seria difícil ganhar a eleição, dividida mais difícil se torna. Em suma: a oposição só perde em Sena para ela mesmo.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Este conteúdo é publicado e autenticado diretamente por Luis Carlos Moreira Jorge. Para falar com o blog do Crica o e-mail – lulajorge@hotmail.com

Página 1 de 8212345678910...Última »

Sobre o Autor

Luís Carlos Moreira Jorge, 65, formado em Direito, milita há 40 anos no jornalismo político, foi Diretor de Divulgação dos Governos Geraldo Mesquita e Joaquim Macedo, secretário de Comunicação dos governadores Nabor Junior, Iolanda Lima, Romildo Magalhães e dos prefeitos Mauri Sérgio, Flaviano Melo e Isnard Leite. Trabalhou em O RIO BRANCO, O JORNAL, na Difusora Acreana, TV-ACRE, TV-GAZETA e Jornal GAZETA, onde escreve hoje uma coluna política e faz o Blog do CRICA no Ac-24horas. É um dos nomes mais respeitados do jornalismo acreano.

Notícias Acre Classificados AC