Postado em 23 de abril de 2014

Intolerância política

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Desde 2012 tramitava na Assembléia um projeto do deputado Werles Rocha (PSDB) que beneficiava portadores de autismo. Ficou na gaveta. Recebeu o ultimato do deputado Eduardo Farias (PCdoB): se não desse a autoria a um deputado da base do governo não seria aprovado. Ontem, foi para as mãos do deputado Lira Moraes (PEN). Condenável a intolerância política.

Coisa pequena
Não importa que o projeto fosse da lavra de um deputado de oposição, pela sua relevância teria de ser aprovado pelos 24 deputados, não interessando fosse do Rocha a sua autoria.

Pau seco
Na política, pau seco cai e derruba quem tiver ao redor . Por isso, o deputado Eber Machado (PSDC) se cuide: o fraco prefeito de Capixaba, Vareda, lhe tira mais votos do que lhe dá.

Nenhum inocente
Quem vai a uma Financeira pegar empréstimos vai de livre vontade. Então não me somo aos deputados que querem transformar os clientes dessas instituições em inocentes enganados.

Querem dar calote?
O servidor vai na Financeira ou mesmo num Banco, pega um empréstimo, gasta, e agora alguns deputados não querem que eles paguem? Isso conheço por outro nome: calote.

Cantar em outra freguesia
Os candidatos do PSD levaram na ironia a proposta da vereadora Eliane Sinhazique (PMDB) de se formar um chapão à Aleac, na oposição. Mandaram ela cantar samba em outra freguesia.

Só tem o tamanho
Sinhazique é pequena só no tamanho, mas não é besta. Quer escadas para ajudar lhe eleger. Esqueceu que figuras como Alércio Dias (PSD) e Luiz Calixto (PSD), são tudo, menos burros.

Fora do chapão
O PSD quer distância de uma aliança para a Aleac com o PMDB e o PSDB.

Queriam o que
Ninguém monta um negócio para ter prejuízo. A Petrobrás aumentou em 10% o valor da gasolina, em Cruzeiro do Sul. Os deputados queriam que não repassassem ao consumidor?.

Pura pirotecnia
Até entendo o protesto de alguns deputados, mas como pirotecnia política, não como racional.

“Só para o Flaviano”
O senador Sérgio Petecão (PSD) acha que sua mulher, Marfisa Galvão (PSD), na oposição, só perde para o Flaviano Melo (PMDB) para deputada federal, o restante ela deixa na poeira.

Vamos deixar claro
Não adianta o esperneio e reclamação, aqui, neste espaço político não diz o que deve ou não deve sair. Posso até errar num comentário, mas erro sozinho, sem aceitar qualquer imposição.

Prepare a mudança
Amigo da oposição comentava ontem: “o Márcio Bittar atolou, se perder para o Tião Bocalon e não for ao segundo turno, vou me esconder na Foz do Breu de vergonha”.

Reconhecimento público
Até em artigos, os dirigentes da oposição reconhecem que o governador Tião Viana foi um gigante na crise da cheia do Madeira. Para não elogiar dizem: “cumpriu com o seu dever”.

Pauleira braba
Tivesse o Tião Viana uma atuação bisonha na crise, a pauleira estaria braba em cima dele.

Político calejado
Conheço o Vagner Sales há mais de 30 anos. Sabe ser difícil uma vitória do Márcio Bittar (PSDB) e que se colocar a mulher Antonia Sales (PSDB) de vice pode queimá-la politicamente.

Reeleição tranquila
Antonia Sales (PMDB) é uma das deputadas que tem uma reeleição mais que garantida.

Cabo-eleitoral forte
A ex-deputada federal Regina Lino (PTB) terá um cabo-eleitoral forte na sua campanha para a Câmara Federal, a simpática Beth Lino, ex-mulher do deputado federal Flaviano Melo (PMDB).

Passando do tolerável
O deputado Walter Prado (PORS) fez ontem uma observação que já é registrada no noticiário policial: cresceu o número de mortes por execução na Capital e com as mesmas características.

Nem conversa
Os pequenos partidos da oposição não querem nem ver o deputado Gilberto Diniz (PTdoB) perto das suas chapas. Se o Diniz quiser terá que ir para a coligação PMDB-PSDB.

Opção correta
E é uma opção correta dos nanicos, o PTdoB só tem o deputado Gilberto Diniz na chapa.

Esquema pesado
Todo o esquema de cargos comissionados da Secretaria de Educação está sendo direcionado para apoiar a candidatura a deputado estadual do ex-secretário Daniel Zen (PT).

Acabou o tabu
Morreu aquele tabu que o Juruá não vota no PT. As últimas eleições acabaram com esse mito. Tião Viana foi o mais votado. E nesta campanha sua presença está muito mais forte na região.

Funcionava no isolamento
O tabu existia quando Cruzeiro do Sul era isolada e reagia no voto. Hoje, você pega o carro de manhã cedo e de tarde já está no município. E há muitos mais investimentos que antes.

Cada centavo
O prefeito de Senador Guiomard, James Gomes (PSDB), é um dos atuais prefeitos que conseguiu contornar a crise financeira, fiscalizando cada centavo aplicado e cortando gastos.

Plantando votos
Pelos acordos feitos o deputado Élson Santiago (PEN), deverá vir com uma votação expressiva de Cruzeiro do Sul. E com os votos do Vale do Acre, ele tem uma reeleição bem encaminhada.

Chapa apertada
O chapão do PT é o mais forte da eleição à Aleac: os nomes: deputados Astério Moreira (PEN), Élson Santiago (PEN), Jamil Asfury (PEN), Helder Paiva (PEN), Ney Amorim (PT), Geraldo Pereira (PT), Jonas Lima (PT), Walter Prado (PROS), Maria Antonia (PROS), Edvaldo Sousa (PSDC), Eber Machado (PSDC), Denilson Segóvia (PEN), ex-secretários José Reis (PT), Daniel Zen (PT), Louro (PT), e ex-prefeitos Itamar de Sá (PT), Leila Galvão (PT), Francimar (PT) e Nilson Areal (PSL).

 

Postado em 22 de abril de 2014

Denise: Sinônimo de rigidez

Por Luis Carlos Moreira Jorge

A desembargadora Denise Bonfim será a “Juíza da Propaganda Eleitoral”. Significa que, candidatos que costumam extrapolar e burlar a lei, podem esperar dela, reações rígidas. O problema é que os candidatos ao serem julgados nos tribunais se munem de um batalhão de bons advogados e são absolvidos. E assim, raro é o candidato que acaba perdendo o mandato.

Ou bola ou burica
O senador Sérgio Petecão (PSD) vai dar uma cartada perigosa nesta eleição, tentar eleger a sua mulher Marfisa Galvão (PSD) a deputada federal. A candidatura está decidida. A chapa na qual vai estar elegerá no máximo três deputados federais. Marfisa terá que derrotar ou Flaviano Melo (PMDB), ou Márcia Bittar (PSDB) ou Antonia Lúcia (PSC). Parada dura. Pode-se aplicar neste caso a máxima: Marfisa é a melhor candidata dentro do PSD para ganhar. Mas, também, a pior para perder. Explica-se: se ganhar, Petecão se fortalece. Se perder, esqueça a reeleição e tente voltar à Aleac, porque o desgaste será inevitável. Mas, como o risco que corre o pau corre o machado, tudo bem.

Não tirem de tempo
É bom não darem como “boi morto” a candidatura a deputado federal do jornalista Alan Rick, tem conseguido furar apoio fora dos muros evangélicos, onde está muito bem posicionado.

Seria interessante
Vamos ter várias rodadas de debates entre os candidatos a governador. Seria interessante também debates com os candidatos a senadores, para saber o que pensa cada um deles.

Muita mais disputada
Até porque acho que a “mãe de todas as batalhas” será travada pelos candidatos a senadores e não para o governo, que já se apresenta com um quadro mais consolidado que o do Senado.

Ares de autoritarismo
“Não sei por que não dei ordem de prisão?” Declaração indignada feita ontem pelo deputado Werles Rocha (PSDB) contra o diretor da Penal, por ter sido impedido de filmar a sua visita.

Desde quando
Quem manda prender é o Juiz. Foi o que aprendi na Faculdade de Direito. A não ser num flagrante de crime que qualquer um do povo pode fazê-lo. Deputado não tem a prerrogativa.

Tem normas
Mesmo sendo uma missão oficial da Aleac, um presídio tem normas de segurança que não podem ser expostas a uma gravação de vídeo e o diretor tem o direito de vetar a filmagem.

Peça de campanha
E qualquer neófito sabe que a gravação seria uma peça futura da campanha da oposição.

Não abre mão
O prefeito de Capixaba, Vareda (PCdoB), não abre mão de apoiar a candidatura do deputado Eber Machado (PSDC) e tem deixado claro sua posição, nas conversas com a direção do PCdoB.

Tinel, o “bebe chorão”
Empresários passaram a denominar o subsecretário de Fazenda, Tinel Macedo, de “bêbe chorão”, porque sempre que pedem a liberação de créditos diz que a situação está preta.

No céu e na terra
O secretário de Esportes, Pelezinho, e o Missionário José, da Casa da Benção, se parecem fisicamente. A diferença: o Missionário promete o céu e o Pelezinho empregos na terra.

Jamil paz e amor
O deputado Jamil Asfury (PEN) perdeu sua péssima mania de querer dar lição de moral na oposição, na tribuna. Continua a fazer a defesa dura do governo, mas, sem perder a ternura.

Até hoje não entendi
Até hoje não entendi o motivo de se ter no governo uma Secretaria da Juventude. Não se conhece uma ação (se existe não divulgaram) dos seus ocupantes para justificar o cargo.

Lista rápida
Ontem, com um colega jornalista fizemos uma lista de evangélicos candidatos a deputado estadual. Rapidamente chegamos a trinta nomes. Tem mais boca gulosa do que pirão.

Maestro
Quem vai coordenar a candidatura de Léo Brito (PT) a deputado federal é o grupo do assessor petista Nepomuceno Carioca, que já está montando núcleos em todos os diretórios petistas.

A primeira pedra

Fala-se só que as prefeituras da oposição estão um desastre financeiro. As do PT e dos demais partidos da FPA não ficam atrás. Ninguém pode atirar pedra na outro. É o sujo e o mal lavado.

Chapa peso- pesado
É sem dúvida alguma, uma das chapas mais fortes que a Frente Popular conseguiu montar para a disputa da Câmara Federal, desde sua fundação. É só mirar nos nomes, nenhum preá: Regina Lino (PTB), Raimundo Angelim (PT), Leo Brito (PT), Alan Rick (PRB), César Messias (PSB), Dr. Julinho (PSB), Idésio Frank (PT), Mâncio Cordeiro (PT), Marileide Serafim (PSL), Moisés Diniz (PCdoB), Sibá Machado (PT), Luiz Tchê (PDT) e Raimundo Vaz (PRP). Não tem um bobo na lista.

Postado em 22 de abril de 2014

O jogo esquenta e Gladson Cameli vai ter que suar a camisa se quiser ganhar

Luis Carlos Moreira Jorge

Duarte_crica2O governador Tião Viana aparou todas as arestas, no PT, no apoio à candidatura de Perpétua Almeida (PCdoB). E trabalha para unificar os demais partidos da FPA em torno da candidata. A meta é chegar na convenção com a FPA unida e apoiando a candidatura da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) ao Senado, inclusive, os parlamentares ainda hoje renitentes em lhe dar apoio..

Aposta errada
A oposição fez uma aposta errada mais uma vez: que o governador Tião Viana sairia da crise com a cheia do rio Madeira, fragilizado. Pelo contrário, saiu fortalecido e com o nome em alta, pelo enfrentamento que deu aos problemas. É o que se ouve nas ruas. Até de adversários. Uma pesquisa atual registraria que ele saiu politicamente por cima. Até os mais renitentes oposicionistas não arriscam a criticar a sua atuação na crise e acabou tendo o reconhecimento positivo da população.

Agora dá para entender
Antes, a oposição era comandada por alguém do porte do Nabor Junior. Hoje, pelo desgastado ex-prefeito de Brasiléia, Aldemir Lopes. Explicadas, então, essas constantes derrotas para o PT. Assim você tem uma idéia exata do motivo de sucessivas derrotas da oposição. Tendo um Aldemir como parâmetro de “líder” (sic), como é que queriam uma candidatura única da oposição ao governo e a senador? Aldemir é líder dele mesmo.

É na adversidade
O bom administrador público se conhece na adversidade. Governar com o cofre cheio todo mundo governa. Por isso, não me comove a choradeira de prefeitos por falta de recursos.

Enfrentando a crise
O prefeito de Epitaciolândia, André Hassem, não ficou no choro, foi inteligente: reduziu de nove para cinco as secretarias, em 50% os nomeados por portarias e em 20% o total de servidores terceirizados. É melhor cortar na carne agora que depois não pagar os fornecedores e funcionários.

Salário mínimo
Acabou ainda com as gratificações e nivelou todo mundo no salário mínimo. “Ou fazia isso ou não pagaria a folha dos funcionários e nem teria dinheiro para investimentos”, explicou André.

Vai para o pau
E o prefeito que não rezar por este tipo de cartilha não vai pagar a folha dos funcionários.

Não dá conta, entrega!
A equação é muito simples: não está dando conta do recado, entrega a chave da prefeitura.

No máximo dez
Em torno de 14 a 13 dos deputados devem voltar à Aleac. Não esperem uma renovação de grandes proporções. Por isso deverão estar abertas entre 10 a 11 vagas aos candidatos novos.

O impossível aconteceu
A ex-prefeita de Assis Brasil, Eliane Gadelha (PT), fez uma gestão desastrada. Deixou a prefeitura em frangalhos. Pois bem, para se ter uma idéia como anda a administração do prefeito Dr.Betinho (PSDB), já tem gente na cidade gritando: “volta, Eliane!”. O impossível aconteceu.

Começa preocupar
Bateu a preocupação no comando da campanha do candidato ao governo, Márcio Bittar (PSDB), por não conseguir decolar e tampouco superar a candidatura do Tião Bocalon (DEM).

Os tempos são outros
Não adianta se colocar um monte de medalhões políticos ao lado e pensar que isso pode render votos. Não rende nada. Os tempos são outros. E para governador se vota no nome.

Não conheço outros
A ex-deputada federal Regina Lino (PTB), deputada Marileide Serafim (PSL), Márcia Bittar (PSDB), deputada federal Antonia Lúcia (PSC), são os nomes de mulheres de maior relevância até o momento, postos, como candidatas ás vagas na Câmara Federal.

Uma correção
O vereador Juracy Nogueira (PSB), candidato a deputado, integra a FPA e não a oposição.

Nada de chapinha
Os deputados Eber Machado (PSDC) e Edvaldo Sousa (PSDC), como o blog tinha antecipado, deverão disputar a reeleição no chapão do PT, e ambos, com chance concreta de sucesso.

Risco desnecessário
Se fossem disputar a reeleição por uma chapa própria do PSDC, um dos dois iria sobrar.

O máximo que consegue
Ontem, se discutia em um churrasco a situação do PMDB, no Acre, que já foi o maior partido do Estado e há várias eleições, o máximo que consegue é indicar candidato a vice-governador. O PMDB encolheu seus quadros, está restrito a um Flaviano Melo (PMDB) no Vale do Acre e ao Vagner Sales (PMDB) na região do Juruá. São os únicos políticos do PMDB com expressão. O restante é piaba política. Muito pouco para um partido que ditava os rumos políticos do Acre. E que tinha na ativa, nomes como Ruy Lino, Geraldo Fleming, Osmir Lima, Raimundo Melo, Adalberto Ferreira, Said Filho, Edson Cadaxo, Nabor Junior, Aluisio Bezerra, só para citar esses. A maioria morreu, outros saíram do partido, e o PMDB não se renovou, estagnou politicamente no tempo. E quem ficou de importância e se rebelou, como o ex-deputado federal João Correia (PMDB), é tratado como um pária no partido.

Ficar calado
O prefeito de Sena Madureira, Mano Rufino, compromete quase 70% dos recursos com a folha de pagamento. Não pode nem reclamar da pindaíba. O inchaço da folha foi a saída do ex-prefeito Nilson Areal para lhe eleger, já que a sua candidatura não estava conseguindo decolar. Não pode nem brigar com o ex-prefeito. É segurar no pincel sem reclamar até o fim do mandato.

Não é das piores
A chapa do PSD para a Assembléia Legislativa não é essa coca-cola toda, mas também não é das piores. Tem bons nomes como os dos ex-deputados Alércio Dias e Luiz Calixto e o da ex-prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino. E com algo em comum: são nomes qualificados.

Candidatura confirmada
Quem ligou foi a ex-deputada federal Regina Lino (PTB) para dizer que está organizando algumas coisas em Brasília para voltar ao Acre e entrar de cabeça na briga por uma das vagas para a Câmara Federal.

Postado em 18 de abril de 2014

Nem coitadinhos, nem vítimas

Por Luis Carlos Moreira Jorge

O deputado Moisés Diniz (PCdoB) deixou aflorar ontem sua veia de ex- seminarista e transformou os prefeitos acreanos em vítimas e coitadinhos. Citou Jordão, Capixaba e Assis Brasil como quebrados. São quase todos. Defende uma pressão na Dilma para refinanciar as dívidas dos municípios ou os prefeitos entregam as chaves. Justifica o caos com a cheia do Madeira.

Tudo e muito mais
Quando se fala de quebradeira das prefeituras, poucas escapam. Não por causa da cheia do Madeira, mas porque os prefeitos foram gestores perdulários, omissos e incompetentes.

Coitadinhos, não!
Coitadinhos, perseguidos, vítimas dos ex-prefeitos, sim, mas também incompetentes.

Nenhum enganado
Primeiro que não tem nenhum prefeito enganado. Todos sabiam os abacaxis que iam pegar, mas, mesmo assim na campanha prometeram solução para todos os males das prefeituras.

Farra municipal
Alguns chegaram promovendo carnaval fora de época, feira agropecuária, entupiram as prefeituras de afilhados, namoradas, pagando salários milionários a assessores e por aí.

Nem isso sabiam
Pensavam que o repasse do FPM seria perene e surfaram nos repasses dos três primeiros meses. Gastaram o que não tinham. Veio a queda do FPM, caíram na real e quebraram.

Não perdoa
As dívidas com fornecedores acumularam, não quitaram, não pagaram os tributos federais e a Receita Federal não perdoa e começou a apreender agora os valores mensais dos repasses.

Questão de incompetência
Estou com o deputado Geraldo Pereira (PT) que diz que quebraram as prefeituras por má gerência, por incompetência mesmo, gastaram sem previsão financeira e estão pagando a conta das farras.

Um oásis na incompetência
Mas existem oásis neste deserto de incompetência. Os prefeitos de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, de Rio Branco, Marcus Alexandre, e James Gomes, de Senador Guiomard, dão um show.

Outros que  agem
Tem ainda o prefeito de Epitaciolândia, André Hassem, que escapa da safra desastrada de novos prefeitos.

Corte raso
O prefeito André me contou ontem que houve uma reunião com sete prefeitos e chegaram à conclusão: se não demitirem agora não pagam a folha salarial dessas prefeituras, neste mês.

Nem saber
E não tem saída, ou cortam na carne ou vão atrasar a folha de pagamento e será um Deus nos acuda.

Souberam se planejar
É porque  alguns prefeitos são diferentes? Não, é porque são sumidades em gestão pública, mas porque souberam se planejar e não gastaram além do que tinham em caixa.

Perda de tempo
Sabe quantas vezes a presidente Dilma vai perdoar as dívidas dos prefeitos como querem os deputados Moisés Diniz (PCdoB) e Luiz Tchê (PDT)? Nunca, outros municípios teriam direito.

Vai ser ainda
Todo quadro negro de hoje das prefeituras  é resultante de fato antes da cheia do Madeira. O rescaldo vai vir agora: vai cair a arrecadação do governo e o repasse do ICMS às prefeituras.

É bem capaz
É um sonho se pensar que a presidente Dilma perdoará as dívidas dos municípios por causa da cheia do Madeira. Teria que fazer a gracinha com outros municípios brasileiros e não há caixa.

Como pode dar certo?
A prefeitura de Assis Brasil deve a Deus e ao mundo e não tem como pagar. E o prefeito Beitinho paga um assessor que só lhe atrapalha, o mesmo salário seu. Como dar certo?.

Previsão do maia
O deputado Geraldo Maia (PT) fez na quarta feira na Aleac uma previsão: na batida que vão os atuais prefeitos muitos vão acabar na cadeia. Pereira, na verdade, não está sendo exagerado.

Nem dúvida
Pelo que tenho escutado não tenho nem dúvida que boa parte dos atuais prefeitos terá problemas futuros com a justiça.

Alguma posição
A Prefeitura de Rio Branco tem que ter alguma posição: é verdade ou não que estão substituindo médicos brasileiros por cubanos, nas unidades municipais? Não podem é fazer ouvido de mercador.

Safra fraca
É fraca a safra de candidatas a deputadas estaduais. Depois reclamam que na Assembléia Legislativa as mulheres são minoria. E vão continuar sendo na próxima legislatura.

Após a Copa
Não esperem nada além do rame-rame do que está acontecendo na política, porque a campanha para valer só começa após o fim da Copa do Mundo. As pesquisas feitas até o momento são apenas o retrato atual. A pesquisa que vai começar a balizar de fato quais os candidatos ao governo e para senador na dianteira será a que for feita de julho em diante, quando a campanha já começou. Com os candidatos nas ruas é que poderá ser ter uma real avaliação.

Postado em 15 de abril de 2014

Empresários querem que consumidor pague pelos prejuízos da cheia do Madeira

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Super Peixe_ABRE_NOVOAlguns grandes empresários estão querendo se recuperar dos prejuízos sofridos com a cheia do rio Madeira, onde tiveram ajuda do governo para manter seus estoques, tirando o couro dos consumidores. Subiram quase tudo. Ou pensam que o consumidor é tapado e não nota? Para comprovar basta ir a qualquer dos supermercados para notar a subida maluca dos preços. 

Oposição desarticulada
A oposição de Brasiléia precisa freqüentar aulas de matemática. Não tinha votos suficientes para atingir o prefeito de Brasiléia, José Everaldo (PMDB), entrando na  Câmara Municipal com um pedido de afastamento do prefeito. E em cima de um fato em apuração no MP: desfalques acontecidos na secretaria municipal de Saúde. Acho que o MP tem mesmo que apurar a fundo esta história mal contada, em Brasiléia. Como é que alguém de segundo escalão transfere 400 mil reais á sua conta sem a secretária saber?

Na cabeça de otário
Só cabe na cabeça de um otário que este rapaz tenha dado desfalque tão grande sem apoio.

Novas denúncias que exigem explicações
Chegaram novas denúncias à coluna – e não posso me furtar em publicar- de que a secretária municipal de saúde da PMRB, Alexandrina, já demitiu no último dia 11 de abril as médicas que tinham contrato com a prefeitura. E no contrato previa um aditivo por mais dois anos. E algumas, inclusive uma brasileira formada em Cuba, serão substituídas por médicos cubanos. Soube só agora que as demissões já aconteceram. Ou seja, o primeiro ato de uma ópera-bufa, que poderá servir de uma bela bandeira para a oposição está sendo desfraldada pela própria PMRB. Agora se durma com esse barulho: O programa “Mais Médicos” do governo federal, e no qual se incluem os médicos cubanos tem como objetivo suprir com médicos onde não existe e acrescer onde já existe. E não o inverso, substituir os atuais médicos lotados nas unidades de saúde do município por médicos cubanos. A PMRB tem que explicar isso, está algo mal contado nesta historieta de muito mau gosto. Com a palavra, a secretária Alexandrina.

Bem que avisou
O deputado Luiz Tchê (PDT) diz que foi o único na Aleac a e alertar colegas deputados investidores que, o Telexfree era uma pirâmide financeira. Acabou acontecendo o previsto.

Resolva de vez, Dra.Thais
A Telexfree dos Estados Unidos já quebrou. A do Brasil está encrencada na justiça. O que se espera da Juíza Thais Kallil e que mande liberar os valores dos investidores sob sua cautela.

 Belo exemplo
Sem oposição é ditadura. Mas há oposição e oposição. O Flaviano Melo (PMDB), por exemplo, faz oposição ao governo do PT, no Acre, de forma dura, mas não entra, jamais, no pessoal.

Combate-se o projeto
E por esta postura de equilíbrio que entra eleição e finda eleição e o Flaviano se reelege bem votado. A oposição do ataque à pessoa, do achincalhe, não tem mais espaço no debate político.

As urnas são cruéis
As urnas têm sido cruéis com aqueles que trocam o debate de idéia pela oposição estabanada.

Isso é certo
Por tudo o que está se assistindo em algumas prefeituras do interior, uma coisa é certa: vão encerrar os mandatos com ações de improbidade no MP e encalacrados no TCE e TCU.

Marqueteiro conversado
Já aconteceu a primeira conversa com o marqueteiro que vai conduzir a campanha do médico Carlos Beirute (PRP) ao Senado, o que mostra que não é balão-de-ensaio, a coisa é para valer.

Mãe de todas as batalhas
Pelos nomes postos, Perpétua Almeida (PCdoB), Gladson Cameli (PP), Roberto Duarte (DEM) e Carlos Beirute (PRP), a disputa do Senado será mais acirrada e eletrizante que para o governo.

Entrou na briga
Quem entrou na briga apoiado por grupo de votos para deputado estadual foi o Paulo Ximenes (DEM).

Mais um quebrado
O deputado Jamil Asfury (PEN) fez um relato das dificuldades financeiras pelas quais passa o prefeito de Porto Acre, Carlinhos da Saúde (PSDB). Pelo relato, mais um prefeito a quebrar.

Defesa consistente
Falando nisso, o Jamil parece que pegou o rumo. Foi o que se deduziu do seu discurso de ontem na Aleac. Fez uma bela defesa do governo Tião Viana sem aquela bajulação pessoal.

Jogo para a plateia
O deputado Gilberto Diniz (PTdoB) reapresentará na terça-feira seu projeto que acaba com a pensão de ex-governador. É só jogo para a platéia, a oposição não tem votos para aprovar.

Resposta óbvia
O deputado  Tchê (PDT) perguntava ontem  por qual razão Rondônia se desenvolveu e o Acre não? Rondônia soube usar os seus recursos naturais e não criar reserva até para perereca.

Fim do porco espinho
O governo já teria desativado a problemática compra de bicicletas elétricas chinesas, descartáveis, como tudo da China. Se foi isso, tirou um porco espinho político do seu colo.

Primeiro desalento
Os ex-secretários candidatos a deputado estadual já sentiram o primeiro desalento, saíram por completo da mídia, onde estavam quase diariamente. É que “ex” em política nunca é notícia.

Não convenceu
Na primeira conversa com o presidente do PSDC, José Afonso, o governador Tião Viana não o convenceu a rever a decisão partidária que liberou seus candidatos a ficarem livres ao Senado.

Nomes da oposição
Normando Sales (DEM), Romário Tavares (PSDB), Emerson Leão (DEM), Mailza Gomes (PSDB), Eliane Sinhazique (PMDB), Juracy Nogueira (PSB), Calixto (PSD), Alércio Dias (PSD),alguns nomes da oposição para a Aleac.

 

Postado em 15 de abril de 2014

Seria um descalabro

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Recebi de um amigo que tem uma filha formada em Medicina, em Cuba, a grave denúncia que o prefeito Marcus Alexandre está trocando profissionais brasileiros por cubanos. Ouvi do prefeito que os contratos dos médicos atuais da Prefeitura de Rio Branco venceram em abril. E espera parecer da PROJURI para renovar. E prepara um concurso para preencher em definitivo estes cargo.

Merece respeito
O  Marcus Alexandre me merece credibilidade. Se não merecesse diria. Mas, vai a pergunta: qual a diferença em contratar um médico cubano e uma médica brasileira formada em Cuba?.

Muito mais direito
A médica acreana formada em Cuba tem prevalência sobre os cubanos, porque saiu do Acre para se formar em Cuba, com todos os problemas que e o de morar num país estrangeiro.

Acompanhar o caso
Exatamente por esse aspecto é que vou acompanhar de perto se vão tirá-la ou recontratá-la.

Qual o problema?
Qual é o problema do governador Tião Viana receber uma doação de campanha de uma empresa, registrar no TRE e TSE, às claras, e depois esta empresa é acusada de ilegalidades?

Muito mais que isso
Não será com este tipo de bobagem que mancharão a honra do Tião Viana. E até porque todos os políticos brasileiros, Dilma, Aécio, Marina e etc, receberam doações na campanha.

Pé no Juruá
Não poderia ser melhor á campanha do candidato ao governo, Tião Bocalon (DEM), o início de semana. Com Henrique Afonso (PV) como seu vice, coloca um pé no populoso reduto do Juruá.

Político inatacável
Sem falar que o deputado federal Henrique Afonso (PV) é um político de moral inatacável. Tudo que Márcio Bittar (PSDB) não queria era deixar Tião Bocalon (DEM) forte no Juruá.

Para escapar da morte
O dirigente do PP, José Bestene, está propondo uma coligação para Federal entre PP-SOLIDARIEDADE-PR, PSD-PPS, para fugir da chapa da morte com PMDB-PSDB-PSC.

Pensando no PP
O ex-deputado José Bestene acha que a coligação faz dois federais e uma vaga é do PP.

Sem hegemonia
Nenhum candidato a governador vai ter nesta eleição a hegemonia do voto evangélico. Ainda assim, as denominações mais tradicionais deverão apoiar a reeleição de Tião Viana.

Abastecimento normalizando
O abastecimento nos supermercados da Capital está se normalizando, já se via ontem nas prateleiras verduras, legumes e frutas. O problema é o prejuízo que ficou dos comerciantes.

Não é o perfil
Não se chega a ser surpresa a manifestação do prefeito de Feijó, Merla Albuquerque (PT), de que não disputará a reeleição. O Merla é um profissional liberal, a política não é a sua praia.

Péssimo negócio
O certo é que ser prefeito de município do interior, que não tem quase receita própria, virou um masoquismo, sem falar na política fiscal cruel do governo federal para com as prefeituras.

“Dindim simpático”
É como é chamado entre os colegas o prefeito de Xapuri, Marcinho Miranda (PSDB): o Dindim e ele são dois gestores desastrados, só que o Dindim era cara dura e Marcinho é todo afável.

Tem que se adequar
Mas, o bom gestor se conhece na crise. O prefeito de Senador Guiomard, James Gomes (PSDB), por exemplo, cortou na carne, reduziu as secretarias, salários, para ter controle.

Cortou até seu salário
James Gomes reduziu o seu salário, dos secretários e de todos os cargos de confiança.

Era para comemorar
Os comunistas eram para estar comemorando a briga com o prefeito de Capixaba, o Vareda (PCdoB), queimado na população ele virou um pau seco, quem encostar nele, cairá junto.

Não pode reclamar
O prefeito de Sena Madureira , Mano Rufino, não pode reclamar do antecessor Nilson Areal. Areal foi seu cabo-eleitoral e boa parte dos problemas financeiros existentes é sua herança.

Bajola  furada
O prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, joga com os números, não entra em bajola  furada. Quer ver as pesquisas até junho para deliberar sobre quem vai indicar a vice de Márcio Bittar.

Cenário de derrota
Num cenário que indique possível derrota não vai indicar a mulher e deputada Antonia Sales (PMDB) de vice.

Nem que a vaca tussa
O candidato ao governo, Márcio Bittar (PSDB), se irrita quando alguém puxa o assunto da candidatura da mulher Márcia Bittar (PSDB) a Federal. Diz mal humorado: “isso tá decidido”.

Questão de fé
Fé não se discute. A deputado Marileide Serafim (PSL) crê que se elegerá para a Câmara Federal porque os profetas evangélicos que segue tiveram esta visão política.

Voltando ao normal
Após a cheia histórica do rio Madeira as coisas vão se normalizando na capital acreana, acabou desabastecimento .Um fato precisa ser comentado neste contexto, se ouve na oposição, na população de modo geral, que se não fosse o pulso forte e a ação do governador Tião Viana a crise teria tido contornos cruéis, como a falta de alimentos e de combustível. Tião surfou na crise, não se pode dizer que foi cem por cento, mas, mais do que fez não poderia ser feito.      

 

Postado em 12 de abril de 2014

Números da quebradeira

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Nesta quebradeira das prefeituras, raro será o prefeito a chegar ao fim do mandato com governabilidade. Vamos pegar a prefeitura de Sena Madureira: tem 10 milhões de dívidas com fornecedores, deve 2 milhões de energia elétrica e deve 5 milhões de reais ao INSS, que já bloqueou os repasses. Como é que num quadro destes uma administração poderá dar certo?.

Outro exemplo
Em Epitaciolândia, o ex-prefeito José Ronaldo, caiu no conto da Liminar fajuta, de espertos advogados de fora, deixou de pagar o INSS e a bomba explodiu no prefeito André Hassem.

Como tocar?`
Para piorar, o INSS inscreveu em 5 milhões de reais o município na Dívida Ativa,  sequestrou 212 mil reais da receita municipal de cerca de 500 mil reais. Em suma: inviabilizou a prefeitura.

Só Deus sabe
E nem parcelar a dívida pode porque passou o prazo de parcelamento. Se agora em abril, o prefeito André Hassem, não conseguir o parcelamento, em maio, é meter a chave na porta.

É bom lembrar
No início do ano passado, o senador Jorge Viana, que já foi prefeito, alertava em entrevista que se os novos prefeitos não regrassem os gastos as prefeituras iriam quebrar. Dito e feito.

Acabou a água
No próximo mês não tem mais este repasse extra. Boa parte dos prefeitos não vai pagar a folha, porque a receita será inferior aos valores. E se pagar paralisa qualquer investimento.

Caminha para isso
Só que a população não quer saber: ela quer obras, ruas sem buracos e sem mato e outros serviços. Assim, a maioria dos prefeitos será na eleição um estorvo aos candidatos ao governo.

Virou galhofa
O PV perdeu o respeito da opinião pública, por conta de seus dirigentes, que toda semana soltam uma versão diferente sobre onde vão ficar. A última é que podem voltar para a FPA.

Importância mínima
Alguns dirigentes do PV dão ao partido uma importância política, que não tem no Acre, tendo apenas o deputado federal Henrique Afonso (PV) com mandato importante, o resto é piaba.

Defensor maior
O petista Abrahim Farhat, o maior adversário que não fosse a Perpétua Almeida (PCdoB) a candidata ao Senado, é hoje um de seus mais ardorosos defensores dentro e fora do PT.

Vindo para campanha
A ex-deputada federal Regina Lino (PTB) está só resolvendo assuntos particulares, em Brasília, para se fixar no Acre e tocar a sua campanha por uma das vagas da Câmara Federal.

Cota dos qualificados
Regina Lino está na pequena cota dos candidatos com qualificação que disputarão mandato.

Bancada do batom
Disputam vagas na “bancada do batom”, na Aleac: Maria Antonia (PROS), Eliane Sinhazique (PMDB), Antonia Sales (PMDB), Telma Chaves (PRP), Leila Galvão (PT), Toinha Vieira (PSDB) e Mailza Gomes (PSDB).

Isso é certo
Mais uma vez as mulheres serão amplamente minoritárias na Assembléia Legislativa.

Mais perigoso
O ex-secretário José Reis, dos Pequenos Negócios, é visto pelos deputados como o mais “perigoso” da “turma do governo”: é jeitoso, fez milhares de favores e fez o sucessor.

Torcer para isso
O PCdoB deverá priorizar a reeleição do deputado Eduardo Farias (PCdoB). Chico Viga (PTB) tende ficar com a segunda vaga. Nem a direção do PCdoB vê como lógico eleger mais de dois.

Sombra perigosa
Mas, há uma sombra perigosa para os dois nomes acima, a candidatura à Aleac do radialista Washigton Aquino (PCdoB), cuja votação é uma incógnita: pode estourar ou ser um fracasso.

Apoios importantes
O vereador Artêmio Costa (PSDC), montou uma estrutura azeitada e poderosa de campanha: Mâncio Cordeiro, Tinel Mansour e toda estrutura da Secretaria da Fazenda lhe apóia.

Não tirar de tempo
Por isso é bom não tirar de tempo e dar a candidatura do Artêmio como boi morto.

Nem com escopeta na cabeça
Os candidatos a Federal da oposição esqueçam a saída de Márcia Bittar (PSDB) da chapa. Seu marido, o deputado federal Márcio Bittar, não tira seu nome nem com escopeta na cabeça.

Tudo menos burro
Márcio Bittar pode ser tudo, menos burro, sabe ser de alto risco a sua candidatura ao governo e quer pelo menos um mandato de deputado federal na família, com a mulher Márcia Bittar.

Não era isso
O senador Sérgio Petecão (PSD) pode até não revelar, mas, no reservado está arrasado: ser simples cabo-eleitoral do Márcio Bittar (PSDB) na campanha não estava no seu cenário.

Pressão grande
O deputado federal Flaviano Melo (PMDB) continua exercendo uma pressão forte para que o PP venha para a coligação de Federal junto com PMDB-PSDB-PSC, que precisa de legenda.

Cabo-de- guerra
Junho (mês das convenções) está próximo para saber quem vence o cabo-de-guerra. O ex-deputado José Bestene garante que não vai levar o PP ao suicídio de entrar na coligação.

 

Postado em 10 de abril de 2014

Vai passar baixo

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Com o pacote de denúncia entregue por adversários aos órgãos de fiscalização estadual e municipal, o prefeito de Assis Brasil, Dr. Betinho, terá sérios problema com a justiça. Tem cada coisa…

É um brincalhão ..
Não conhecia a veia de brincalhão do calado deputado Chico Viga (PTB) ao dizer a um colega que não sabe desta história de coligação com o PCdoB. Só quer enganar ele mesmo e querendo criar um suspense de polichinelo. O acerto foi feito numa conversa entre o secretário e homem forte do PCdoB, Edvaldo Magalhães, o governador Tião Viana e com a presença do próprio deputado Viga. É bobagem querer esconder um fato que já é de domínio público. Chico, você já devia ter aprendido que Rio Branco é terra de muro político baixo.

O inimigo mora ao lado
O prefeito de Brasiléia, José Everaldo (PMDB), abra o olho com quem delegou poderes ditatoriais na prefeitura. Quem assina é você e como tal o responsável jurídico. Este mesmo muy amigo é quem vem dando corda na cúpula do PMDB, para que force a sua renúncia e assuma o vice Jorge da Fazenda, num conluio que você não vê porque não quer. Abra o olho! Coloque na sua cabeça que quem foi eleito foi você. Você não tem idéia como sua aliança com uma figurinha manjada do PMDB lhe queimou na cidade. Ou se livra deste peso ou afunda.

O filho da coruja
A corujinha acha a mãe de olhos pequenos e o mais belo pássaro do mundo. Por isso, não tiro a razão do deputado Eber Machado (PSDC) ao elogiar o prefeito de Capixaba, Vareda (PCdoB). Afinal, ele apoiará a sua reeleição. Mas, a moeda verdadeira mostra um prefeito truculento, despreparado, que não consegue ter diálogo com o contraditório e prima por ser arrogante.

Não estava preparado
Quando dá para o seu partido PCdoB lavar as mãos com o prefeito Vareda é porque na verdade não estava preparado emocionalmente para ser um gestor que mexe com o público.

Rompimento certo
Com o apoio declarado à reeleição do deputado Eber Machado (PSDC) a tendência do PCdoB será mais na frente tirá-lo dos seus quadros. Se o fizer é com razão, pois, bancou sua eleição.

Situação complicada
E os números mostram o Vareda pessimamente avaliado pelos moradores de Capixaba. E que por isso é bom os candidatos a governadores e senadores tê-lo bem longe dos seus palanques.

Paia da criança
Para ser justo e para que não apareça outro pai da criança: o deputado Edvaldo Sousa (PSDC) foi o único que brigou para que, a invasão “Novo Cruzeiro”, fosse regularizada pelo governo.

Fim do transtorno
Ao mandar regularizar a área, o governador Tião Viana leva a paz a 160 famílias de invasores que estavam bom tempo na área. Mas, tem de fazer uma triagem para evitar espertalhões.

Só palpitou
Interessante esta ONG que criticou o governo acreano por desativar o abrigo dos haitianos e senegaleses. Só deu palpite até agora, nunca fez nada de concreto para ajudar os refugiados.

Está certo
Certo agiu o governo do Amazonas que acabou com a rota de migração de haitianos e senegaleses pelo território amazonense: cortou o fluxo não dando abrigo para ninguém.

Quem pariu Mateus…
Não tivesse a Secretaria de Direitos Humanos do governo do Acre incentivado e tratado com churrasco e pudim as primeiras levas, não estariam tendo problema com o fluxo desordenado.

Não compra tamborete
O PMDB está exigindo que o PP venha para a coligação da chapa de deputado federal. Quer legenda. E para isso usa o velho e surrado ditado: quem tem escada não compra tamborete.

Todos engolidos
Havendo a coligação esta chapa de cobrinhas do PP será engolida pelas cobras grandes.

Não deixem fora de tempo
É bom não darem como carta fora do baralho a candidatura a deputado estadual do vereador Artêmio Costa (PSDC), ele está se articulando bem nos bairros e na comunidade evangélica.

Virou crente
É comum quando se aproxima a campanha política alguns candidatos virarem fervorosos evangélicos. É o caso do ex-deputado Iderley Cordeiro, onde anda é gritando aleluia! Aleluia!.

Não morderam
Desta feita a bancada do governo não deu a corda que o deputado Werles Rocha (PSDB) queria: apostar o mandato como a BR-364 não seria asfaltada até o fim do governo Tião Viana.

Levaram na brincadeira
Levaram tudo na brincadeira e o assunto, que o Rocha esperava render, murchou por falta de debate.

Maldade política
Os pedintes que todo o dia estão na Aleac têm recebido como resposta dos deputados: “procurem os ex-secretários do governo candidatos à Aleac, eles estão dando até emprego”.

Telefones
Ontem, um deputado que fez a manobra deu a vários pedintes os números dos celulares dos ex-secretários Reis, Daniel Zen, Louro e Mâncio Cordeiro. Prometem agir assim na campanha.

Briga anunciada
E tenho ouvido mais, a existência de um “pacto” entre os deputados para fazer o máximo de denúncias possíveis à justiça eleitoral de ex-secretários. Essa é uma briga que promete ser boa.

É a volta do anzol
A ex-prefeita de Brasiléia, Leila Galvão (PT), consta, tem recebido muita porta na cara quando vai pedir votos. É uma represália clara a quem não recebia populares em seu gabinete.

Conversa franca
O presidente do PRP, Julinho, vai chamar a candidata à deputada Telma Chaves, que estaria dizendo que vai usar o partido só para se eleger e cavar a expulsão para voltar ao PT.

Corrente forte
Por conta disso já há uma corrente forte no PRP que quer lhe negar legenda. E a coisa se complica porque é tida como uma das fortes candidatas na chapa de deputado estadual.

Todo um trabalho
O governador Tião Viana tem agido para aparar arestas políticas dentro do PT e de outros partidos para que a FPA entre coesa na campanha da candidata ao Senado, Perpétua Almeida (PCdoB).

Social e de votos
Um trabalho que renderá votos ao governador Tião Viana é o da regularização fundiária, são milhares de títulos na área rural e urbana, sendo entregues, num trabalho do INTERACRE.

O que está salvando
Isso só não é reconhecido por idiotas radicais. A cheia do rio Madeira não está tendo uma influência devastadora em Rio Branco, provocando um caos total de desabastecimento, porque o governador Tião Viana tem conseguido que vôos diários da FAB tragam alimentos. E que se compre gasolina do Peru. Não fosse esta a sua ação estaríamos vivendo num clima completo de falta do gênero alimentício ao combustível. Foram ações como essas que evitaram que a crise se agravasse e se perdesse o controle da grave situação, com a cheia do Madeira.

 

Postado em 10 de abril de 2014

Vai virar um caos

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Nunca mais do que agora as forças políticas do Acre devem esquecer as rusgas e se unir. Se o DNIT interditar a BR-364 no trecho de Porto Velho para recuperação o Acre vai virar um caos.

Não interessa ninguém
É a interdição não beneficia a oposição, porque os acreanos como um todo serão prejudicados.

Da maior canalhice
E é da maior canalhice ver alguns políticos da oposição se aproveitar dos problemas da cheia do rio Madeira para politizar um assunto que é social e dos mais graves para o povo do Acre.

Lente invertida
O deputado Astério Moreira (PEN) ironizou ontem as pesadas críticas feitas pelo deputado Werles Rocha (PSDB) à problemas em trecho da BR-364 e de outros setores do governo Tião Viana. “Acho não, tenho certeza que o Rocha está tendo problema de visão, precisa ir a um oculista, nada que o governo realiza no Acre presta, quem de fora ouve o Rocha falando, deve imaginar que o Acre é um Estado devastado, onde nada funciona, Tudo com ele é negativo”.

Olhar para o umbigo
Para Astério Moreira (PSDC), devastados estão os municípios governados pela grande maioria dos prefeitos da oposição, e do PSDB, notadamente, os gestores da fronteira do Vale do Acre.

“Meu grande líder”
O deputado Walter Prado (PROS) só é tratado pelos deputados da oposição, na Aleac, como “meu grande líder”, devido a artilharia pesada que Prado vem direcionando contra o governo.

Maldade de estádio
De um torcedor gaiato, no Arena da Floresta, após a derrota do Rio Branco para a Chapecoense: “o Estrelão é como o Márcio Bittar, já entra sabendo que vai perder”.

Nem em sonho
O dirigente do PSDC, Osmir Lima, diz que o partido não cogita apoiar Tião Bocalon (DEM)  e nem o Márcio Bittar (PSDB): “nem em sonho”. Diz que o PSDC apóia a reeleição de Tião Viana.

E falando de PSDC…
 Forças poderosas vão entrar em campo para convencer os deputados Eber Machado (PSDC) e Edvaldo Sousa (PSDC) a apoiarem a candidata ao Senado da FPA, Perpétua Almeida (PCdoB).

Apostando na internet
Esta eleição vai ter uma batalha eleitoral à parte, nas redes sociais. O candidato ao Senado, Gladson Cameli (PP) está trazendo especialistas no assunto para palestrar para o seu grupo.

Salvação da lavoura
Marcus Alexandre (Rio Branco), Vagner Sales (Cruzeiro do Sul), James Gomes (Senador Guiomard) e André Hassem (Epitaciolândia) são os que se salvaram na última poesquisa.

De fazer dó
Pelos números, os demais prefeitos estão com índices de aprovação baixíssimos.

Ainda bem
Fernando Melo virou assessor especial do governo. Ainda bem. Se fosse para a SAPROF como previsto, ia querer voltar com o projeto de abastecer os carros do Brasil com álcool de mandioca.

Acabar de vez
O deputado federal Henrique Afonso (PV) deveria acabar com as especulações sobre seu futuro. Dentro do PV, um grupo diz que voltará à FPA e outro que apoiará Tião Bocalon (DEM).

Outra preocupação
Já Tião Bocalon tem de ter outra preocupação, tucanos de alta plumagem trabalham, em Brasília, para que a direção nacional do DEM lhe tire a legenda para disputar o governo.

Não se acostumam
Os tucanos não se acostumam com a idéia de ter Tião Bocalon (DEM) disputando o governo.

Quem foi o gênio
Quer dizer que transferiram o alojamento dos haitianos em Brasiléia para Rio Branco? Quem foi o gênio da lâmpada da idéia? É o mesmo que trocar um problema de lugar sem resolver.

Estava incontrolável
Brasiléia tinha virado uma Sodoma: senagaleses e haitianos faziam sexo nas praças, urinavam e defecavam em qualquer lugar, enfim, seus moradores comemoram o fim do abrigo na cidade.

Limitar o acesso
Ou o governo limita o acesso dos haitianos e senagaleses ao local onde vão ficar na Capital, afinal, são refugiados, porque se começarem invadir o centro de Rio Branco terá problemas.

Este agiu certo
O prefeito de Epitaciolândia, André Hassem, agiu certo: buscou apoio no MP, vigilância sanitária, e desativou um abrigo improvisado de senagaleses mantidos por um coiote.

Vai quebrar
Mudando de assunto. Se o prefeito André Hassem não conseguir renegociar a dívida astronômica deixada pelo ex-prefeito José Ronaldo (deixou a prefeitura acabada, não pagava o INSS) será o fim: em maio o município de Epitaciolândia vai perder 4 milhões de reais por culpa da incúria do ex-prefeito, se os orgãos federais não aceitarem o parcelamento proposto pela prefeitura de Epitaciolândia, esta vai quebrar financeiramente. E o José Ronaldo está palitando os dentes.

Porta fechada
O PSB está de portas fechadas para qualquer coligação, vai de chapa própria para a disputa da Assembléia Legislativa. O deputado Manoel Moraes (PSB) não é de criar cobras para lhe picar.

 Preço do voto
Os deputados Eber Machado (PSDC) e Edvaldo Sousa (PSDC) estão pagando o preço de serem parlamentares tidos como reeleitos com boa votação. Por isso são vetados nas coligações.

Tratamento igualitário
Sobre nota da coluna, o candidato a deputado federal Raimundo Angelim ligou para dizer que se seu cunhado Pereira disputar a reeleição ele terá tratamento igual aos candidatos do PT.

 

Postado em 9 de abril de 2014

Vamos deixar de politicagem

Por Luis Carlos Moreira Jorge

A melhor proposta para os soldados da borracha era a pensão de pouco mais de 7 mil reais para a categoria, de autoria do senador Anibal Diniz (PT). Mas, morreu por não ter apoio do governo federal. A pensão de 2 salários mínimos e os 25 mil reais de abono foi o exeqüível. A oposição precisa deixar de politicagem com os velhinhos ao prometer que vai rever os valores.

Força de um mosquito
Se os parlamentares federais da oposição tivessem a força que alardeiam para os velhinhos, teriam conseguido a aprovação da proposta do senador Anibal Diniz (PT), chega de enganação.

PCdoB consciente
O deputado Eduardo Farias (PCdoB) comentava ontem que uma vaga da coligação PCdoB-PTB é do deputado Chico Viga (PTB). E que para ter a outra vaga terá que ser o primeiro do PCdoB.

Ninguém faria melhor
Ontem, numa roda da oposição o papo era a cheia do rio Madeira. E todos reconhecendo que, ninguém faria mais do que já fez até aqui o governador Tião Viana, se desdobrando desde o início.

Opinião das andanças
Na avaliação do deputado Walter Prado (PROS), num segundo turno para o governo, quem enfrentará o Tião Viana será Tião Bocalon (DEM). “É bem mais povão que o Márcio Bittar”, diz.

 Diferença básica
Para Prado há uma diferença básica entre os candidatos ao governo pela oposição: “O Márcio Bittar penetra mais nas elites, já o eleitorado do Bocalon é o povão, tenho visto isso nas ruas”.

Matemática difícil
Como a aliança DEM-PV-PMN terá chapa de deputado federal, o atrapalho para a chapa da coligação do PSDB será grande. É improvável que a coligação do PSDB eleja mais de dois.

Venhamos e convenhamos
E elegendo dois deputados federais, dificilmente, uma vaga não será de Flaviano Melo (PMDB) e a outra vaga não fique com a Márcia Bittar (PSDB), em que o marido Márcio jogará pesado.

Não vejo alternativa
O PSDC não tem uma chapa com nomes para eleger dois deputados estaduais. Não vejo outro caminho aos deputados Eber Machado (PSDC) e Edvaldo Sousa (PSDC), que não seja o chapão.

Será um suicídio
Se a direção do PSDC insistir em chapa própria ou vai degolar o mandato do deputado Edvaldo Sousa (PSDC) ou do deputado Eber Machado (PSDC). E aí esqueçam eleger dois deputados.

Um agravante
E qual é o candidato que vai querer entrar numa chapa que tem os deputados Eber Machado, Edvaldo Sousa e o vereador Artêmio Costa, sabendo que vai entrar para perder a eleição?

Chapa mais redonda
Quem conseguiu montar a chapa mais redonda de todos os partidos nanicos é o PDT. Mas, também só conseguiu isso porque não tem um deputado entre os seus integrantes.

Núcleo duro
Leonardo Brito (PT) é o candidato do chamado “núcleo duro do PT”, comandado pelo Nepomuceno Carioca (PT). O grupo petista tem como questão de honra lhe eleger.

Fora de cogitação
Depois da briga pela escolha do candidato ao Senado, é certo que o senador Anibal Diniz (PT) não apoiará a candidatura de Leonardo Brito, devendo fazer a opção por Sibá Machado (PT).

Saíram de ponta
Após toda a confusão para a escolha do candidato ao Senado, o senador Anibal Diniz (PT) ficou de ponta com Leonardo Brito, Carioca, Ermício Sena, que trabalharam contra sua candidatura.

Votos fictícios
Quem escuta o ex-superintendente do INCRA, Idésio Frank (PT), pelo seu relato otimista, sai com a sensação que ele terá todos os votos a deputado federal de Brasiléia e Epitaciolândia.

Todo mundo amarrado
Na eleição os candidatos a deputado federal ficarão todos amarrados para deixar o Idésio Frank (PT) pedir votos no Vale do Acre? Conta agora aquela piada do papagaio, caro Idésio.

Na FPA não difere
Não são só os prefeitos da oposição que estão mal avaliados nas pesquisas. Mano Rufino (Sena Madureira), Rodrigo Damasceno (Tarauacá) e Merla (Feijó), estão com os índices baixíssimos.

Trabalha para dois
O PSB trabalha para eleger dois deputados estaduais. Manoel Moraes, Juracy Nogueira, professor Roger e o vereador Marcelo Jucá estão entre os seus nomes mais fortes.

Conquista a ser explorada
A secretaria de Saúde, Suely Melo, era para ter ocupado todos os espaços nos programas de entrevistas para falar do primeiro transplante de fígado no Acre, uma conquista do governo.

Não foi um implante dentário
Além de que, foi o primeiro transplante de fígado na Região Amazônica, algo inédito e para ficar na história.

Rodou a baiana é um perigo
O ex-prefeito de Sena Madureira, Nilson Areal, vai disputar uma vaga de deputado estadual no chapão do PT. É um candidato perigoso. Depois que o Nilson roda a baiana, saiam da frente.

Cosmo e Damião
Raimundo Angelim (PT) para deputado federal e Geraldo Pereira (PT) serão o Cosmo e o Damião desta campanha, onde atuarão em simbiose. Angelim e Pereira são cunhados.

Corrigindo informações
É do bom jornalismo. Por isso, não tem problema algum em corrigir informações. A Delegada Adjunta da Receita Federal, Maíra da Silva Nery, mandou e-mail ao blog, explicando: não houve pressão alguma para a liberação de sete carretas com combustível vindo do Peru, como foi dito. O que ocorreu é que as carretas não tinham documentação para a mercadoria ser liberada. Como a internet em Assis Brasil é problemática, o despacho teve que ser feito em Brasiléia. E já na segunda as carretas foram liberadas. Diz no texto que a demora de liberação é de um dia e não de dez. E que já na segunda-feira também outras carretas foram desembaraçadas. E desconhece Medida Provisória do Ministério da Fazenda com novas instruções. Bem, fica, então, feito o registro.

Página 1 de 6312345678910...Última »

Notícias Acre Classificados AC