Postado em 22 de agosto de 2014

Terreno na lua

Por Luis Carlos Moreira Jorge

O mal do candidato ao governo, Márcio Bittar (PSDB), é pensar que no horário eleitoral fala para um público tapado e que por isso pode engolir qualquer promessa mirabolante. Sabe que não há orçamento para dar o 14º salário aos servidores da Saúde e pagar um salário mínimo aos alunos da rede pública que passarem de ano. É como prometer doar um terreno na lua.

Medida acertada
A decisão do Juiz Eleitoral Leandro Gros, proibindo aos Pastores evangélicos candidatos de continuar usando os cultos com forma de promoção política foi, antes de tudo, moralizadora.

Era uma pouca vergonha
Muitos desses candidatos usavam o nome de Deus nos cultos para pedir votos aos fiéis.

Bem articulado
Quem está com uma campanha redonda, e que se torna mais forte porque a chapa do seu partido, PSD, não é essa coca-cola, é o candidato a deputado estadual Roque da Publicidade.

Apoio colado
Quem declarou apoio à candidata a deputada federal Regina Lino (PTB) foi o candidato a deputado estadual Paulo Ximenes (DEM), com seu reduto político em Tarauacá.

Não suficiente
Leuda Areal (PSL), mulher do ex-prefeito Nilson Areal, é apontada por quem conhece o colégio eleitoral de Sena como a mais votada do município à Aleac, mas isso não garante sua eleição.

No mínimo 5 mil
Pode chegar, no máximo, em Sena Madureira a 2.500 votos, na melhor das hipóteses. Muito pouco para uma chapa como a do PSDC-PSL, onde terá que se ter uma média de 5 mil votos.

Colando a imagem
O candidato ao governo, Tião Bocalon (DEM), está colando sua imagem no programa eleitoral no candidato ao Senado, Roberto Duarte (PMN), para tentar lhe transferir votos.

Teria pouca chance

A deputada Marileide Serafim (PSL) deixou a campanha de deputada federal por problemas de saúde, mas, numa chapa como a da FPA, de cobras criadas, as suas chances seriam diminutas.

Acho positivo
Considero positivo o PSOL, sem estrutura ter candidato a ao Senado e ao Governo. Dá um exemplo a partidos grandes como o PMDB, que há seis eleições não tem candidato majoritário.

Lógica da política
Na política, parido que não tem candidato majoritário a tendência é definhar seus quadros.

Foi constrangedor
No lançamento de sua candidatura à Aleac, esta semana, a ex-prefeita Leila Galvão sofreu um constrangimento de reprovação, ao tentar justificar o apoio à candidatura Léo Brito (PT) a Federal.

Ficou sem graça
Quem estava presente conta que a Leila Galvão ficou atordoada ao ter como resposta a maioria dos presentes gritando o nome do candidato a deputado federal Idésio Frank (PT).

Não se sabe o milagre
Não se conhece o milagre que levou Leila Galvão a abandonar a candidatura de Idésio Frank (PT) para embarcar na candidatura de Léo Brito (PT). Mas, não foi por mera ideologia.

Número alto
A pesquisa da Vox Populis registrou em 51% o índice de aprovação do governo Tião Viana, em Cruzeiro do Sul, um número alto e que mostra que caiu por terra a rejeição ao PT, no Juruá.

Caiu por terra
Caiu por terra a bandeira política que o governo do Acre paga mal os seus servidores. É o nono maior do Brasil. E 1 real a menos que o valor pago pelo rico Estado do Paraná.

É um homem honrado
Pode-se ter motivos para questionar as bandeiras políticas do candidato ao governo Tião Bocalon (DEM), surradas e eleitoreiras, mas tem de se reconhecer que é um homem honrado.

Não se conhece
Entra campanha e sai campanha e não se conhece uma denúncia de deslize do Bocalon.

Única certeza
Dessa disputa a única certeza que se pode ter no momento é que a decisão se dará na Capital.

Voltando para casa
Tamir Sá, ex-prefeito de Santa Rosa, voltou para a FPA e é um dos coordenadores da campanha do governador Tião Viana naquele município.

Só faltam se estapear
Os candidatos a deputado pelo PT, Jaciara e Francimar Fernandes, só faltam se estapear em Feijó, porque as agressões verbais se sucedem e são impublicáveis. Melhor para o candidato a deputado estadual Kieffe (PP), que vai surfando na confusão e conseguindo votos. Dá para se fazer a seguinte leitura: Jaciara e Francimar vão morrer abraçados brigando e nenhum dos dois se elege, estão dividindo um bolo pequeno, que é o eleitorado de Feijó.

Reta final
A candidatura de Raimundo Vaz (PRP) a deputado federal pegou vento e na atualidade está muito bem. É o que ouço até de seus adversários na chapa da FPA. Mas, se não tiver café no bule para os últimos 15 dias pode jogar todo um duro trabalho fora. Assim é o jogo.

Fator fundamental
O prefeito Marcus Alexandre tem se mostrado ético como coordenador da campanha de Tião Viana na Capital. Só faz campanha após o horário de expediente e aí não tem hora para terminar. Pelo seu prestígio político com a população será um fator decisivo na eleição em Rio Branco. Não é qualquer candidato que tem um cabo-eleitoral do seu prestígio.

Estou fora
Aqui neste espaço faço questão de passar bem longe das baixarias que estão rolando pelas redes sociais. Não entendo agressão pessoal como política. Sou do debate. Duro quando necessário, sem recuar e nem temer. Mas sempre passei e vou passar longe neste espaço de ofensas a honra de qualquer candidato. Agora, não abro mão de fazer críticas e de dizer o que penso, não importando se este ou aquele candidato vai gostar ou deixar de gostar.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Para falar com Luís Carlos Moreira Jorge use o e-mail [email protected]

Postado em 21 de agosto de 2014

Começou mal

Por Luis Carlos Moreira Jorge

O candidato ao governo Márcio Bittar (PSDB) começou ontem muito mal a sua campanha no rádio. Usou indevidamente a voz dos apresentadores do Jornal Nacional, Willian Bonner e Patrícia Poeta, num programa antigo, falando sobre o G-7. O Blog tem informação que a Rede GLOBO está entrando com uma ação de indenização, que pode chegar a 500 mil reais.

Material coletado
Também usou o material nas suas inserções na televisão. E não será assim que o candidato Márcio Bittar (PSDB) conseguirá recuperar no programa eleitoral a desvantagem nas pesquisas.

Mancada infantil
Se os marqueteiros do Márcio Bittar (PSDB) tivessem feito antes da edição uma consulta ao seu setor jurídico, por certo não teriam dado a mancada, que pode render boa indenização.

Boa abertura
O programa do candidato Tião Viana (PT) na televisão foi muito bom, com uma fala comovente de uma sexagenária e num outro quadro com a família. Tudo muito simples, mas bem atrativo.

Ovo na boca do povo
O programa do Tião Bocalon (DEM) foi a mesmice de sempre: prometendo colocar ovo na boca do povo e com o velho chavão de transformar o Acre no maior produtor agrícola do mundo.

Não foi dos piores
O primeiro programa do candidato ao governo, Márcio Bittar (PSDB), na TV,  na qualidade técnica não foi dos piores, mas, no conteúdo veio com os velhos chavões surrados de consertar o mundo e tornar o Acre o Jardim do Éden.

Junior boca cheia
Costuma-se esquecer seu nome quando se fala nos candidatos com chance para se eleger deputado estadual pelo PSB. Mas, Junior Boca Cheia está no páreo e se tornou competitivo.

Disputa boa
Raimundo Angelim (PT) e César Messias (PSB) travam uma disputa dura para ver quem será o mais votado desta eleição. Junto com o Léo Brito (PT) e Sibá Machado (PT) acho que jantam quatro vagas para Federal na chapa da FPA.

Quinta sem favorito
Já a quinta vaga de Federal na FPA será disputada sem favorito entre Raimundo Vaz, Alan Rick, Regina Lino, Luiz Tchê, Moisés Diniz e Idésio Frank.

“Linguaruda” de Xapuri
Durante sua entrevista na TV-RIO BRANCO, a candidata a vice-governadora do PSOL, agricultora Dani Mendonça, revelou que, por falar muito, seu apelido em Xapuri é “linguaruda”.

Orientação sábia
O blog soube de boa fonte que, marqueteiros do candidato ao Senado, Gladson Cameli (PP), o orientaram a fazer sua campanha sem atacar Tião Viana. Motivo: ele não disputa o governo.

Espião no estúdio?
O blog soube, também, que, antes de ir para o ar, a equipe de campanha de Gladson Cameli (PP) já sabia de todos os detalhes do esquete cômico do PCdoB numa escolinha com ironias a Cameli.

Falando nisso
E falando sobre o Senado, os primeiros programas da Perpétua Almeida (PCdoB) e do Gladson Cameli (PP), no horário eleitoral, foram leves, se equivaleram. Achei o do Roberto Duarte (DEM) muito formal. Muito sisudo, numa biblioteca. Nos próximos programas é que dará para se avaliar as diferenças. Não esperem uma campanha de paz e mor para o Senado.

Nova dobradinha
A candidatura de Regina Lino (PTB) a deputada federal vai pegar vento. Ontem pela manhã, o ex-candidato a Federal, Ronivon Santiago, reuniu seus comitês e os colocou na sua campanha.

Discurso de gratidão
Regina Lino me disse ontem que, a entrada de Ronivon Santiago na sua campanha será um fator decisivo na sua eleição, pela experiência de Ronivon, que tem muitos seguidores fiéis.

É de preocupação
É de muita preocupação na oposição a baixa legenda para deputado federal. Já tem quem diz que de certo podem eleger dois deputados e se muito um terceiro nome na sobra dos votos.

Golpe fatal
A impugnação do registro das candidaturas de Ronivon Santiago (PP) e Vanda Denir (PP) pela justiça eleitoral foi um golpe duro na chapa de deputado federal da oposição.

Chagas Romão
É um dos deputados que melhor se mexe nos bastidores, que é onde se decidem as eleições para a Assembléia Legislativa. Romão tem o apoio ostensivo do amigo Flaviano Melo (PMDB).

Vale do acre
Depois que o prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (PMDB), lançou a filha Jésica Sales (PMDB) a deputada federal, Flaviano Melo resolveu centrar sua campanha no Vale do Acre. Flaviano não faz campanha ostensiva, com farta material publicitário, mas tem eleitores fiéis, e quando as urnas abrem sempre aparece entre os mais votados.

Tem o principal
A deputada federal Antonia Lúcia (PSC) é forte concorrente e com vaga de reeleição bem encaminhada, por dois motivos: é batalhadora e tem uma poderosa estrutura de campanha. Acho que com Flaviano Melo (PMDB) são os nomes mais bem encaminhados na chapa de Federal da oposição.

Metrô de tatu
Quer dizer que, no programa do candidato a governador, Antonio Rocha (PSOL),  ele promete “estatizar os metrôs”?  Diminuir o “preço das passagens das barcas”?   No Acre, no máximo poderá estatizar os buracos de tatus. E diminuir o preço da passagem das últimas catraias que ainda existem no rio Acre. Pegou o programa nacional do PSOL e esqueceu de regionalizar.

Certa base
Na chapa de deputado estadual do PDT, o candidato Heitor Junior tem um ponto a seu favor: tem um trabalho antigo, ou seja, tem base. Isso o coloca com boa chance nesta eleição.

Nome fora
Quem retirou sua candidatura a deputado estadual pelo PDT foi Zenildo Vieira, por problemas de saúde. Era apontado até pelos companheiros de chapa como um forte concorrente.

Se equivalem
No quesito qualidade técnica os programas do Tião Viana (PT), Márcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalon (PSDB) se equivalem.  Diferem apenas no conteúdo. O que se dá para deduzir é que o horário eleitoral não deve ter influência decisiva na eleição majoritária.

Creio com reservas
A direção do PRP acha que faz dois deputados estaduais. Vejo com reserva. O mais certo é um. Seja uma ou duas vagas, Rodrigo Beirute (PRP) é forte candidato a chegar na Assembléia Legislativa. Tem como coordenador de campanha alguém de muita experiência em montagem de bstidores, o vereador Juracy Nogueira (PSB).

Falta um Nabor Junior
Quando se vê uma oposição sem lenço e sem documento, espatifada em duas frentes antagônicas, se chega à conclusão que isso só ocorre pela falta de uma liderança que consiga aglutinar todas as suas correntes. Falta alguém do porte e da respeitabilidade de um Nabor Junior, que conseguiu manter coesa a oposição mesmo nos momentos políticos mais difíceis.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Para falar com Luís Carlos Moreira Jorge use o e-mail [email protected]

Postado em 20 de agosto de 2014

Não haverá razão

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Na avaliação de advogados experientes, após serem prestadas todas as informações pela Vox Populis, não haverá razão para impedir a liberação da pesquisa para a sua publicação na mídia.

Estamos numa democracia
O que consta numa pesquisa é a manifestação real do povo por um ou outro candidato, então, não há nada mais democrático do que se divulgar uma pesquisa.

Colando o mote
Para colar o nome da sua mulher no seu, o ex-prefeito Nilson Areal (PSL), pôs na propaganda da mulher Leuda Areal, candidata à Aleac, o slogan “Leuda do Nilson”, para popularizar.

Viram bananas
Quando figuras desconhecidas surgem eleitas por partidos nanicos a deputado estadual, geralmente, são de baixa qualificação e acabam virando bananas na Assembléia Legislativa.

Fugindo a lógica
O certo seria o Márcio Bittar (PSDB) estar descolado do Tião Bocalon (DEM), mas o que se vê não é isso: Bocalon sem um medalhão na sua chapa disputando voto a voto com o tucano.

Nas boas rodas
O que se ouve nas boas rodas do PT é que a candidatura de Luiz Tchê (PDT) a deputado federal é “competitiva”, por ter recursos financeiros e um partido com boa chapa a deputado estadual.

Favoritos
Chagas Romão (PMDB),Toinha Vieira (PSDB), Gilberto Diniz (PTdoB), Gabriela Câmara (PTC), Romário Tavares (PSDB), estão entre os mais fortes da coligação PMDB-PSDB-PSC-PTC-PTdoB.

Duelo interessante
Um duelo dos mais interessantes e sem um favorito é travado entre os deputados Eber Machado (PSDC) e Edvaldo Sousa (PSDC), pela disputa da provável única vaga à Aleac.

Volto insistir
Muita gente não coloca o deputado federal Sibá Machado (PT) brigando por uma das vagas de Federal da FPA, mas eu coloco. Não fará uma campanha de pedinte e sabe onde buscar votos.

Mais ligado
De todos os integrantes do PT acreano, Sibá Machado é o de maior prestígio com o grupo do ex-ministro Zé Dirceu por ter defendido os envolvidos no Mensalão do PT, na Câmara Federal.

Opinião religiosa
O Pastor Agustinho, da Igreja Batista do Bosque, considera o governador Tião Viana como o mais afável, mais popular, de todos os governadores da FPA, por tratar todos igualmente.

Campanha milionária
Numa enquete ontem na Aleac, entre jornalistas, sobre quem tem a campanha mais milionária entre os candidatos dos chamados partidos nanicos, o deputado Eber Machado (PSDC) venceu.

Até em caminho de paca
A candidata a deputada estadual Leila Galvão (PT) se perder não é por falta de apoio, a direção do PT lhe liberou 14 mil reais em propaganda. Dá para ela por cartazes até em caminho de paca.

Mais que as ruas
Brasiléia é um dos municípios que mais tem candidato a deputado estadual local, o que deixa margem para se dizer que, se alguém conseguir 2 mil votos deve ser visto como um milagre.

Café no bule
Uma figura política do PT elogiava ontem o trabalho do candidato a Federal,  Idésio Frank (PT), de formiguinha, mas fez a ressalva: “se não tiver café no bule na reta final não vai valer nada”.

Como São Tomé, ver para crer
Por mais que tente não consigo ter a mesma leitura de otimismo do candidato a deputado federal Normando Sales (DEM), que a sua coligação elege um Federal. Nesta sou São Tomé.

Nem um santinho
Dona Bebé, mãe do prefeito Rodrigo Damasceno (PT), que faz uma campanha anti-PCdoB com todos que se hospedam no seu Hotel, está fazendo um estrago feio na horta dos comunistas.

Pergunta inevitável
Qualquer candidato a deputado estadual quando chega no bairro recebe a pergunta: “quanto vai pagar no dia?”. Se alguém disser após a eleição que se elegeu sem comprar votos, é papo.

Virou leilão
Infelizmente, a eleição para deputado estadual no Acre virou uma espécie de leilão, leva o mandato quem tiver mais dinheiro para gastar. E não venham com a hipocrisia de contestar.

Correndo atrás
A vereadora Rose Costa (PT) foi a última que entrou em campanha para a Câmara Federal, mas está correndo. No fim de semana percorreu os municípios ao longo da BR-364 buscando votos.

Para ficar democrático
O Senado é o cargo mais importante do Legislativo. Por isso mereceria que as emissoras de televisão promovessem um debate entre os seus candidatos, levando-se ainda em conta que, esta é uma das disputas mais acirradas dos últimos tempos. O candidato teria condição de apresentar as suas propostas e ver o contraditório ser exercido. E ganharia o eleitor que teria condições de medir a potencialidade de cada um dos que brigam pela vaga única de senador.

Postado em 18 de agosto de 2014

Quem tem medo de pesquisas?

Por Luis Carlos Moreira Jorge

A resposta à pergunta acima é simples: quem não consegue decolar na eleição. É o caso do recurso do PSDB contra a divulgação da pesquisa do Vox Populis. Como Márcio Bittar (PSDB) patina, não decola e não conseguiu se aproximar nas outras pesquisas do candidato Tião Viana (PT), tenta impedir a divulgação da Vox. Mas, isso não melhora sua fraca aceitação popular.

Conseguiu a proeza
Um simplório candidato a deputado estadual pelo PTN, Josa da Farmácia, conseguiu colocar mais gente na inauguração do seu comitê que a oposição, no seu comício, em Cruzeiro do Sul.

Melhores momentos
Passei pelas duas festas. Não foi ninguém que me contou. Aliás, o Josa da Farmácia (PTN) é apontado até pela oposição como sério concorrente a ser o mais votado a deputado, no Juruá.

Para não sumir
Mas, com seu fraco discurso, o Josa, se eleito for, tem que contratar bons assessores para não se tornar mais uma sombra na próxima legislatura da Aleac, como tantos já foram até aqui.

Amigo pessoal
Quem pode dar uma embalada na sua candidatura a deputado estadual com a candidatura da Marina (PSB) à Presidência é o Dr. Julinho (PSB). Ambos são amigos muito próximos.

Os mais fortes
Na coligação PRB-PPL-PTN os mais fortes para ficar com as prováveis duas vagas de deputado estadual são Josa da Farmácia (PTN), Dra. Juliana (PRB), Dr. Jeferson (PRB) e Chico Sombra (PTN).

Cavando votos
Quem também esteve no Juruá foi o Pastor da Igreja Batista, Agustinho, com seu candidato a Federal, Alan Rick, conseguindo fechar apoios importantes. Alan está com uma boa campanha.

Tese reforçada
Depois dessa viagem ficou ainda mais reforçada a tese de que o governador Tião Viana (PT) poderá sim ser o mais votado entre os candidatos a governador, em Cruzeiro do Sul.

Além do PT
Quem tem um bom discurso de campanha é o professor Marcelo Siqueira, mas, se quiser se eleger deputado estadual tem que buscar votos além do núcleo do PT em Cruzeiro do Sul.

Ninguém entendeu nada
Os comunistas ficaram atônitos quando o vice-prefeito de Rodrigues Alves , Joelson (PCdoB), fez um discurso hipotecando apoio ao Josa da Farmácia (PTN). Complicou a legenda do PCdoB.

Sentimento frustrado
Todo mundo esperava que o Joelson apoiasse a candidata comunista á deputada pelo Juruá, vereadora Iria Matos (PCdoB), que ficou pendurada no pincel sem escada para descer.

Mais cotados
Flaviano Melo (PMDB) e Antonia Lúcia (PSC) são apontados na oposição como os candidatos da oposição, com maiores chances de eleição. O restante deles briga pela terceira vaga.

Chega ser impressionante
É de impressionar qualquer um que chega, em Tarauacá, a briga de foice no escuro entre o PT e PCdoB. Isso é porque o prefeito é do PT e o vice do PCdoB, imagine se estivessem separados.

Coisa de amador
É jogar dinheiro fora se colocar bicicletas com aqueles aparelhos de som fanhosos percorrendo a cidade. Ninguém presta atenção nas gravações. Política não é mais coisa para amador.

Muito cedo
A candidatura Marina ainda está na semana de comoção pela morte de Eduardo Campos, prefiro aguardar as pesquisas de setembro, quando o fato já não contamina os sentimentos.

Visual agressivo
Dos candidatos a deputado estadual do PSDC, Eber Machado é quem está com o visual mais agressivo na rua. Se o PSDC só fizer um deputado não será fácil lhe derrotar, anotem.

Manoel Moraes
Se me perguntarem quem tem a campanha mais ampla e redonda do PSB, não demoraria em responder: deputado Manoel Moraes. É o favorito no PSB para ficar com uma vaga na Aleac.

Quando setembro chegar
O deputado Gilberto Diniz (PTdoB) tem uma explicação política por não ter posto até o momento sua campanha na rua: “começo em setembro, quando a maioria já cansou”.

Disputa séria
Ney Amorim (PT) e Élson Santiago (PEN) disputam o troféu de mais votado para a Aleac.

Bem melhor
Quem está com uma campanha mais azeitada do que na eleição passada é o deputado Astério Moreira (PEN), que ampliou suas alianças além do Vale do Acre e tem a simpatia do Tião Viana.

Reconhecimento pertinente
O reconhecimento é pertinente, como líder do governo, o deputado Astério Moreira (PEN), colocou o cara a tapa nos debates com a oposição e foi extremamente leal ao Tião Viana.

Pedido inusitado
Na sua recente caminhada pelo mercado do Juruá, o governador Tião Viana foi abordado por um senhor dos seus setenta anos, com um pedido inusitado:
- Governador faça uma Lei para impedir que o homem seja punido quando sair com mulheres novas.
Tião Viana colocou a mão no seu ombro e aconselhou:
- Meu amigo peça a carteira de identidade, se for de menor, não saia, é crime. Se for de maior, saia.
Ninguém conseguiu ficar sério com o bom velhinho.

Postado em 16 de agosto de 2014

Fora da fila do gargarejo

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Nada contra sua moral. Mas tudo contra suas posições políticas. Por isso não me posiciono na fila do gargarejo da candidatura Marina Silva à presidência da República. Acenar a bandeira do acreanismo é um bairrismo infantil. O Agronegócio é o maior gerador de divisas para o Brasil. Sem ele, o Brasil teria afundado economicamente. Não posso ser a favor de quem é contra.

Oxigena o debate
O único ponto positivo que vejo na sua possível entrada como candidata à presidência é que oxigena o debate. E tão somente isso. Não a vejo como uma entidade acima do bem e do mal.

Nem gosta
Meu bom amigo Leônidas Badaró liga para dizer que não apóia o candidato “Ceará da Carne de Sol”, e que nem de baião de dois gosta. E se declara militante da FPA. Registro feito.

Velas nas mãos
Neste fim de semana os políticos correm para Cruzeiro do Sul para disputar as primeiras filas da procissão de Nossa Senhora da Glória com velas nas mãos, contritos e cantando louvores.

Concorrente direto
Basta dar uma circulada por Cruzeiro do Sul para notar que, pelo volume de propaganda e as alianças feitas, o deputado Élson Santiago (PEN) é forte candidato a ser um dos mais votados.

Caminhando para isso
Tudo caminha que a disputa para saber quem é o mais votado para deputado estadual desta eleição se dará entre os deputados Ney Amorim (PT) e Élson Santiago (PEN)

Basta ler as entrelinhas
Basta ler nas entrelinhas das declarações, nas entrevistas na televisão, que o candidato ao governo Márcio Bittar (PSDB) se convenceu que está mal, só dá ênfase a um segundo turno.

No prelo
Em vias de ser registrada no TRE-AC mais uma rodada de pesquisas do renomado instituto nacional, o Vox Populis, com resultados para o governo e senador, na Capital e interior.

Não engatou
Não sei se está deixando para deslanchar a partir do próximo mês, mas, até o momento a candidatura do Moisés Diniz (PCdoB) a deputado federal não engatou, não tem visual.

Campeão de truta
Ontem, o radialista Ilson Maninha, da Difusora Acreana, chegou no décimo candidato que promete apoiar para deputado estadual. O Cristo do dia foi o radialista Washigton Aquino.

Nomes mais falados
Antonio Pedro, Louro do Crediário, Nelson Sales, Daniel Boiadeiro, Emerson Leão, são os nomes mais falados e cotados na cúpula da coligação DEM-PV-PMN para a Aleac.

Candidatura redonda
Quando se fala em PSDC se costuma omitir o Artêmio Costa. Pelas informações que tenho recebido, tem apoiadores importantes, e não está fora da disputa de deputado estadual.

Bela ralada
Não podendo contar com os votos das candidaturas de Ronivon Santiago (PP) e de Vanda Denir (PP), a chapa de deputado federal puxada pelo PSDB vai ralar para eleger três.

Não com a votação que espera
Na conversa ontem com importante figura de bastidores do PT, ouvi o seguinte: “a ex-prefeita Leila Galvão vai pagar um preço alto por não ter sido política, não terá os votos que espera”.

Apinhado de candidatos
Alie-se a essa afirmação ao fato de Brasiléia estar apinhada de candidatos regionais a deputado estadual. Tem mais candidatos que o número de ruas da cidade.

Ausência sentida
Muito comentada numa roda de deputados, na última quinta-feira, na Aleac, a ausência do senador Jorge Viana (PT) da campanha. Nas outras eleições sempre esteve mais presente.

Não tenho dúvida
Não tenho dúvida que o deputado Luiz Tchê (PDT) é sério candidato a ficar com uma das vagas de deputado federal na coligação da FPA.

Pole-position
A candidatura do professor Marcelo Siqueira (PT) para deputado estadual é mais um pole-position para a sua candidatura a prefeito de Cruzeiro do Sul, em 2016.

Boa votação
Sua eleição a estadual é difícil, está na “chapa da morte”, onde tem sete deputados estaduais, ex-secretários e ex-prefeitos e outros candidatos fortes, mas deverá ser bem votado.

Bons nomes
Dr.Julinho (PSB) e Dr. Jackson Ramos (PT), dois nomes qualificados que disputam vagas na Aleac. Falando no Julinho, com a Marina candidata à presidência, terá a campanha fortalecida.

Passou este tempo
Passou o tempo em que alguém se elegia a cargos majoritários com rancor e ataques pessoais a adversários, quem não souber vender bem as suas propostas está fadado a uma derrota.

Apoio centrado
A ex-prefeita de Cruzeiro do Sul, Zila Bezerra, está acampada em Cruzeiro do Sul, pedindo votos para o governador Tião Viana e para a candidata a deputada federal Regina Lino (PTB).

Sem barulho
A candidatura do ex-secretário José Reis (PT) está sem barulho. Não quer dizer nada. Já vi muito candidato barulhento perder a eleição e candidato calado se eleger deputado.

Lançamento de candidatura
O prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, fará neste fim de semana o lançamento de sua filha Jésica Sales (PMDB) a deputada federal, em ato com a presença de políticos coligados.

Pode ter influência
Para a disputa do governo não deve ter influência porque a distância do Tião Viana (PT) para os seus adversários principais, Márcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalon (DEM) é bem ampla. Mas, para o Senado, onde Perpétua Almeida (PCdoB) e Gladson Cameli (PP) estão no chamado “empate técnico”, o programa eleitoral poderá ter papel decisivo para um dos dois lados. A disputa Perpétua e Gladson será sem dúvida uma briga voto por voto até o fim da campanha.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Para falar com Luís Carlos Moreira Jorge use o e-mail [email protected]

Postado em 14 de agosto de 2014

Meu pirão primeiro

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Pipocam queixas contra o presidente do PT, Ermício Sena, de privilegiar na contratação de equipes para trabalhar nos comitês eleitorais, apenas as indicações de candidatos a deputado estadual do seu partido. Esquece que o PT está numa coligação. E que sem os aliados a chance de eleger o governador seria quase nula. Ou o PT quer os aliados só como mulas de carga?.

Só que não é assim
A direção do PT teria o direito de privilegiar seus candidatos a deputados estaduais e a federais se estivesse disputando a eleição sem aliados. Não é o caso. Por isso, são justas as queixas.

Queixas rotineiras
A situação acima reflete queixas rotineiras feitas pelos candidatos dos demais partidos que integram a FPA, principalmente, dos chamados partidos nanicos, que se sentem preteridos.

Uma interrogação
A direção do PCdoB acredita que fará dois deputados estaduais. Pode até ser, mas, ao dar uma olhada na lista dos candidatos (a maioria fraquinhos), acho muito difícil isso vir a ocorrer.

Melhor organizado
O candidato a deputado estadual Rodrigo Beirute (PRP), que tem no comando da sua campanha o vereador Juracy Nogueira (PSB), está mais forte que na campanha passada.

Ampla chance
Disputa uma vaga no PRP com ampla chance de ficar com uma vaga à Aleac, no PRP.

Buiado e calado
Falando em PRP, seu presidente Julinho, que andava esperneando, depois de receber um generoso repasse para o seu partido se aquietou. Não tem mais do que reclamar de nada.

Vaz, desde criancinha
O radialista Raimundo Fernandes desfila no carro com uma bandeira do Raimundo Vaz.

“Quer no 0800”
Fernandes diz que deixou a campanha do Angelim porque ele quer apoio no 0800(de graça).

Baião de dois
Outro radialista que também resolveu testar sua popularidade como cabo-eleitoral é o craque das transmissões esportivas, Leônidas Badaró, que apóia o Ceará da Carne de Sol para a Aleac.

Marina silva
Está tudo parado na política nacional. Não só pela morte de Eduardo Campos, mas, também pela expectativa para se saber se a Marina Silva (PSB) será ou não candidata à presidência.

Negócio de louco
Uma coisa é certa: se for candidata mexe no quadro eleitoral de uma forma ou de outra. E se conseguir colar na sua imagem o clima de comoção social pela morte de Campos, é um perigo.

Sem problema
No quadro regional a candidatura de Marina Silva não mexeria na aliança do PSB com o PT, por se identificar mais com os Vianas. O que não acontece com Márcio Bittar e Tião Bocalon.

Mudança de roteiro
O governador Tião Viana cancelou a ida ao Recife porque o funeral de Eduardo Campos não foi marcado. Assim, segue hoje para o Juruá, onde cumprirá compromissos em Cruzeiro do Sul.

Posições antagônicas
Não sei em qual discurso do candidato Márcio Bittar crer: no que vai cortar gastos do governo se eleito for ou se criará o 14º salário para os servidores. São dois pontos antagônicos.

Bolo geral
Regina Lino, Idésio Frank, Alan Rick, Raimundo Vaz, Sibá Machado e Moisés Diniz disputam embolados a quarta e a quinta vaga de deputado federal na coligação FPA.

Bocalon, o descrente
O candidato Tião Bocalon é descrente de tudo. Não crê em nenhuma das pesquisas de opinião sobre a disputa do governo. Nem no instituto DELTA, contratado da oposição.

Remando contra a maré
Ronivon Santiago (PP) e Vanda Denir (PP), mesmo com os registros das candidaturas negadas pelo TRE-AC, continuam pedindo votos. É como se remar contra a maré.

Apostando no imponderável
Vanda e Ronivon jogam com a possibilidade do TSE vir a acatar os seus recursos.

Turma de branco
Numa contagem rápida feita ontem com amigos jornalistas se chegou a dez médicos candidatos a deputado estadual. A maioria com remota chance de vir a ser eleita.

Aposta tudo
O candidato a deputado federal Werles Rocha (PSDB) joga todas as suas fichas que o apoio da Márcia Bittar (PSDB) poderá embalar a sua candidatura dentro do PSDB.

Defensor aberto
Nas rodas de deputados na Aleac, Rocha defende ardorosamente Márcia Bittar como “vítima” na briga com a deputada federal Antonia Lúcia (PSC), no comício do Aécio.

Não é parado
Não será fácil tomar a vaga do deputado Eber Machado (PSDC), caso seu partido faça apenas um deputado. Eber anda muito e está com dois anos fazendo campanha.

Opinião
Na opinião do prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, o deputado federal Flaviano Melo (PMDB) deve ser o mais votado desta eleição, mesmo sem o seu apoio.

Não ficou um
No início da montagem das chapas o ex-deputado federal Osmir Lima (PSDC) foi procurado por uma comissão do seu partido com uma conclamação: “Osmir, nos reunimos e chegamos a conclusão que você é o nome ideal do PSDC para disputar uma vaga na Câmara Federal”. Sem muitas delongas, Osmir respondeu: “eu também cheguei á conclusão: coloquem 2 milhões de reais na minha conta que abrimos conversa”. Foi saindo de um a um de fininho.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Para falar com Luís Carlos Moreira Jorge use o e-mail [email protected]

Postado em 14 de agosto de 2014

É o que mostram os números

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Foi uma série de ataques de faniquitos de alguns políticos de oposição, quando coloquei na coluna há um bom tempo, que o governador Tião Viana teria nesta eleição mais facilidade de vencer do que na eleição passada. E não é preciso ser vidente. É só compilar os fatos. Tião sabe usar o poder, faz política,tem um grande poder de mobilização. E as pesquisas mostram isso.

Não se briga com números
Aprendi nas mais de três décadas de jornalismo político que não se briga com pesquisas sérias. E todas as pesquisas divulgadas até aqui mostram Tião Viana descolado de seus adversários.

É muito forte
Na pesquisa do IBOPE, por exemplo, a aceitação do seu governo entre Ótimo e Bom é de 52%. Não é pouca coisa. É um índice muito alto. Fica difícil para uma oposição desunida derrotá-lo.

Dobro da vantagem
E não é uma diferença pequena nas pesquisas. Tião tem mais do dobro dos índices dos seus adversários Márcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalon (DEM), que patinam nos seus baixos índices.

Nem como contestar
Tanto na Vox Populis, como na DELTA, como agora no IBOPE, os números mostram um Tião Viana navegando num mar sereno de aceitação e ganhando no primeiro turno a eleição.

Nada factual
E isso não é nada factual. Tião Viana toda semana é presença constante em municípios. E isso ele faz desde o início do seu mandato. E isso reflete bem nas pesquisas, fruto dessa presença.

Recuperando o prestígio
O deputado Denilson Segóvia (PEN) conseguiu recuperar o prestígio na Igreja Quadrangular. Fez uma grande reunião, em que foi manifestado apoio ao Tião Viana e à sua reeleição.

Entre os mais votados
O deputado Élson Santiago (PEN) está muito bem em Cruzeiro do Sul e nos outros municípios do Juruá, onde deve ficar entre os três mais votados para deputado estadual. Podem anotar.

Metas políticas
Élson Santiago tem duas metas políticas: se reeleger com uma boa votação e ser candidato a mais um mandato como presidente da Assembléia Legislativa, metas estas nada impossíveis.

Grande valtinho!
O deputado Walter Prado (PEN) agradou a gregos e troianos. Metade do seu gabinete apóia a reeleição do deputado Ney Amorim (PT). Outra metade a do deputado Élson Santiago (PEN).

Erro de avaliação
O candidato ao governo Márcio Bittar (PSDB) comete um equívoco político se pensa que pode reverter a sua baixa nas pesquisas atacando a honra do Volvenar Camargo e do Osmir Lima.

Por dois princípios básicos
E isso por dois princípios: de um candidato a cargo majoritário se exige uma postura de estadista e ainda pelo fato de que nem Volvenar e nem Osmir não são candidatos a nada.

Não rende votos
E o eleitor não acolhe quem se dedica ao esporte de fazer ataques pessoais a desafetos.

Difícil de avaliar
Fica difícil se avaliar se Marina Silva (PSB) sendo candidata à presidência pula para a ponta das pesquisas. Mas, se pode dizer que se conseguir incorporar a comoção social se torna perigosa.

Pode embolar
A Marina sendo candidata pode sim embolar o quadro da eleição presidencial.

Bem na dianteira
Em todas as pesquisas ela sempre apareceu na frente de Eduardo Campos e Aécio Neves.

Nas exéquias
O governador Tião Viana cancelou todos os seus compromissos políticos de campanha e embarcou ontem à noite para Recife, onde foi assistir os funerais de Eduardo Campos.

Ninguém respeita
Parece que os candidatos não estão nem aí para a justiça eleitoral. Muitos deles colocam cavaletes com cartazes em bens públicos, ferindo frontalmente o que dita a lei.

Sinal vermelho
O avanço de Gladson Cameli (PP) na Capital, reduto da candidata Perpétua Almeida (PCdoB), acendeu sinal vermelho na campanha da comunista mais do que o empate técnico do IBOPE.

Preocupação pertinente
E é uma preocupação pertinente. É na Capital e Vale do Acre que a candidata Perpétua Almeida tem que descontar a grande vantagem de Gladson Cameli no Vale do Juruá.

Rami-rami
As sessões na Assembléia Legislativa viraram um rami-rami, com poucos deputados. E vai ser assim até o fim da campanha. A partir de agora é a Lei do Murici, onde cada um cuida de si.

Tudo parado
As campanhas majoritárias devem parar por pelo menos dois dias por conta da morte do candidato à presidência Eduardo Campos (PSB). E principalmente no PT, que é aliado antigo do PSB, no Acre. E por conta disso não esperem que a Marina Silva (PSB) sendo candidata à presidência, mude o apoio do PSB à candidatura de Tião Viana (PT) ao governo.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Para falar com Luís Carlos Moreira Jorge use o e-mail [email protected]

Postado em 12 de agosto de 2014

Festa do arromba pra Lula

Por Luis Carlos Moreira Jorge

O PT e os partidos da FPA preparam uma mobilização gigante no sábado para recepcionar o ex-presidente Lula, que vem para inaugurar o frigorífico da Estação de Piscicultura.

Ato político
O governador Tião Viana, por força da legislação eleitoral não irá à festa, mas, está sendo preparado um ato político com o povão para que possa aparecer ao lado do amigo Lula.

Primeiro turno se cristalizando
A pesquisa publicada nesta terça-feira, 12, pelo IBOPE só veio reforçar o que as duas últimas pesquisas já tinham detectado: o governador Tião Viana (FPA) ganhando no primeiro turno. Os números do IBOPE só reforçam a possibilidade: Tião Viana (FPA) 46%, Márcio Bittar (PSDB) 19%, Tião Bocalon (DEM) 18% e Antonia Rocha 2%. A pesquisa abrangeu a Capital e os maiores municípios do Acre. A pesquisa retrata o que venho falando em colunas passadas: não é fácil bater o Tião Viana, porque é político na essência e alia a política a todo ato administrativo. Além de estar no poder. Bem diferente quando Tião disputou na eleição passada fora do poder. Governava o Acre o apolítico Binho Marques.

Aceitação reforça a tese
O IBOPE apurou ainda que o governo Tião Viana tem entre ÓTIMO e BOM 52% de aceitação popular. Um governador com este percentual de aceitação só perde a eleição se acontecer um grave acidente de percurso. E tudo caminha mesmo para a eleição não ter segundo turno.

Teia de aranha
Campanha política é como teia de aranha, quanto mais você se mexe mais se enreda. É o caso de um candidato a estadual de Sena, que fez um empréstimo de 500 mil, já gastou na compra de vereadores e de um prefeito do alto Purus, ficou liso e agora apelou para agiotas. Se ganhar para deputado, não terá como pagar as contas. É o assunto das rodas em Sena Madureira.

Menos, Jamil!
O deputado Jamil Asfury (PEN) fala na tribuna sobre o prefeito Marcus Alexandre, como se tivesse sido decisivo na sua vitória, e os fatos não são bem esses, menos Jamil, menos, menos!.

Vai nevar no acre
Ontem, os deputados Jamil Asfury (PEN) e Werles Rocha (PSDB) se uniram para defender a vice-prefeita de Senador Guiomard, Branca (DEM) e atacar o prefeito James Gomes (PSDB).

Motivos políticos
Não foi uma defesa das virtudes da dona Branca, mas foi por motivos políticos: Branca faz as campanhas de reeleição do deputado Jamil Asfury e do Werles Rocha a deputado federal.

Discordo dos dois
A vice-prefeita Branca não tinha nada de procurar o governador Tião Viana em nome da prefeitura para buscar parceria. Ela não é prefeita. É uma mera substituta eventual. E só!.

Madeira, três vezes!
O deputado Edvaldo Sousa (PSDC) diz que está “andando mais que Matinta Perera”. Foi uma má escolha ornitológica para exemplo. A folclórica Matinta Perera é uma ave de mau agouro.

Briga boa, sem favorito
Deixando isso de lado é uma briga de pitbull, a entre os deputados Edvaldo Sousa (PSDC) e Eber Machado (PSDC), pela provável única vaga a ser ganha pelo PSDC. E sem um favorito.

Assunto do dia
A briga entre a deputada federal Antonia Lúcia (PSC) e a Márcia Bittar (PSDB) foi o assunto do dia em todas as rodas que se chegava. Não se falava em outra coisa pelos cantos da cidade.

Foto antiga
Chegou a circular na rede social uma foto da deputada federal Antonia Lúcia lesionada na costela como se a autora fosse a Márcia Bittar. Não foi. A foto era de 2010, de outro incidente.

Poder criativo
O poder criativo da boataria vai a mil no povão. Chegaram a me perguntar ontem se era verdade que, no meio da briga acertaram por engano um tapa no pescoço do Aécio Neves.

Chega ser um mantra
Quando se conversa com as lideranças mais lúcidas, mais equilibradas, da oposição e se pergunta o que acham da disputa do governo, é um mantra: “é difícil derrotar o Tião Viana.”

Estagnaram nos vinte
E não lhes falta razão para o raciocínio, Márcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalon (DEM) não conseguem sair da casa do pouco mais de 20%, patinam no patamar em todas as pesquisas.

Tem que empolgar
Campanha para o governo é uma campanha diferente, o candidato tem de empolgar o eleitor.

Está na disputa
O empresário Lira (DEM), com base no Vale do Acre, começa a montar bases de sua campanha a deputado federal na Capital. Se a sua coligação fizer um deputado, está na disputa da vaga.

Apoios importantes
A candidata a deputada federal Regina Lino (PTB) montou acampamento em Cruzeiro do Sul, onde conseguiu o apoio do antigo grupo da ex-prefeita Zila Bezerra e de outros redutos.

NO PSB
Para deputado estadual, no PSB, a briga por uma ou duas vagas, está sendo travada entre Manoel Moraes, Dr. Julinho, Junior Boca Cheia e Marcelo Jucá, não vejo outros nomes fortes.

Votação expressiva
Com o apoio da família Lira Moraes, o deputado Jonas Lima (PT) reforçou um muito a sua chance de ter uma boa votação na Capital e é favorito à reeleição na coligação do PT.

Acabou o bairrismo
É tolo apostar no bairrismo do Juruá quando se faz análises políticas. Com a abertura da 364, você sai de manhã e à tarde está em Cruzeiro. Com o fim do isolamento morreu o bairrismo.

Acabou o estigma
E colaborou uma maior presença do governo com obras, a presença amiúde do governador Tião Viana nos municípios do Juruá, que acabou com o gelo e quebrou o estigma do PT.

Raimundo Vaz
É voz corrente dentro do governo que a candidatura do Raimundo Vaz (PRP) se tornou competitiva ao longo da campanha e está na disputa de uma vaga de deputado federal.

Apoio certo
Depois do episódio da briga, Márcia Bittar vai entrar de cabeça na candidatura do Werles Rocha (PSDB) para deputado federal, o que poderá impulsionar muito sua campanha.

Ao Magalhães o que é do Magalhães

Alguém pode não gostar do secretário Edvaldo Magalhães por um ou outro motivo, mas ninguém pode lhe tirar o mérito da competência e de ser o secretário mais político deste governo e de ser bom de gestão. Pegou o complexo da estação de piscicultura na planta, viabilizou e hoje é uma das maiores obras do governo Tião Viana. Só não tem a dimensão desta obra quem nunca a visitou e não conhece o seu potencial econômico de futuro.

As opiniões expressadas em Colunas e Blogs não refletem necessariamente a opinião do Jornal. Todo conteúdo é de inteira responsabilidade de seus autores. Para falar com Luís Carlos Moreira Jorge use o e-mail [email protected]

Postado em 12 de agosto de 2014

Como tivesse ebola

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Um político amigo que assistiu a cena me contou que nunca tinha visto algo tão constrangedor como a expulsão do ex-deputado federal Ronivon Santiago (PP) da pista do aeroporto a mando do candidato ao governo Márcio Bittar (PSDB), enquanto esperava a chegada de Aécio Neves. “O Márcio pediu a sua expulsão, como se o Ronivon estive com ebola”, revelou.

“Nunca vi”
“Nunca vi nada tão humilhante na minha vida política do que o episódio”, disse este deputado, para quem deveriam ter avisado antes o Ronivon para ele não passar essa vergonha pública.

Mais quer os votos
O interessante é que o ex-deputado federal Ronivon Santiago (PP) é candidato da coligação do Márcio Bittar. Uma pergunta: “se a figura do Roni é execrável, os seus votos também são?”.

Olhos voltados
Após a humilhação, todos os olhos estão voltados para saber se Ronivon Santiago (PP) ainda terá coragem de pedir votos para a candidatura de Márcio Bittar (PSDB) ao governo.

Clima tenso
A briga entre Tião Bocalon (DEM) e Márcio Bittar (PSDB), com Normando Sales (DEM) no meio já foi manchete no fim de semana. Agora é o episódio do Ronivon. Como briga essa oposição!.

“Foi uma irresponsabilidade”
O dirigente tucano Rodrigo Fernandes ligou para dizer que foi “irresponsabilidade”, de Normando Sales lhe envolver no vazamento do suposto calote de 250 mil reais por Bocalon.

É quem vai resolver
Este é um caso que será resolvido na justiça, já que a dona da produtora supostamente lesada em 250 milhões por trabalho na campanha tucana entrará com ação judicial para receber o valor.

O que houve?
O deputado Ney Amorim (PT), que tinha sua campanha colada no apoio a Léo Brito (PT) a federal, passou a dividir com o candidato Angelim, já se vê o nome dos dois na mesma placa.

Choveu no roçado?
O candidato a deputado federal José Afonso (PSDC), que reclamava falta de apoio financeiro do PT, colocou sua campanha na rua. Uma pergunta: choveu forte no roçado do PSDC?

Clima de guerra
Enquanto isso, entre os candidatos a deputado estadual do PSDC de pouco poder aquisitivo o clima é de revolta. Reclamam dos poucos santinhos à estrutura para fazerem a campanha.

Recurso, não é problema
Mas, isso não é problema para os deputados Eber Machado (PSC) e Edvaldo Sousa (PSDC), que possuem estrutura financeira para fazer uma campanha portentosa e sem reclamações.

Armou e se deu bem
Quem mais apareceu na fita na visita de Aécio Neves a Rio Branco foi o Tião Bocalon (DEM), que teve seu comitê inaugurado pelo tucano, recebeu elogios e se apropriou da festa do PSDB.

Nomes em concordância
Eleição é eleição. Mas, se não acontecer algo imprevisto na campanha, o deputado federal Flaviano Melo (PMDB) caminha bem para a reeleição. É o que sinto nas minhas andanças..

Melhor estruturado
O deputado Astério Moreira (PEN) está com uma campanha mais redonda e organizada de que na eleição passada, com apoios de votos que não teve antes, o que o torna muito mais forte.

Fato de campanha
A FPA colocou os seus principais candidatos para pedalar numa grande cicleata, no último domingo, com Jorge Viana, Tião Viana e Marcus Alexandre.

Guerra do marketing
Começa na próxima semana o horário no rádio e televisão. Márcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalon (DEM) trouxeram marqueteiros de fora, o PT apostará na Companhia de Selva, também de fora.

Não define, mas pode atrapalhar
Quando um programa na televisão é bem feito, não elege o candidato majoritário, mas ajuda na imagem. Mas, quando o programa é ruim, sem conteúdo, leva o candidato para o buraco.

Está no meio de cobras
O candidato a deputado federal Moisés Diniz (PCdoB) tem que criar fatos políticos, colocar a sua campanha de fato na rua, se quiser ter competitividade numa chapa de cobras criadas.

É isso mesmo
Quero dizer ao Adécio Nogueira, do Movimento Comunitário, que concordo quando diz que o fato de alguém ser da imprensa não significa que se elegerá, já vi muitos colegas na balsa.

Tábua de salvação
Um amigo da oposição comentava ontem que, se o Márcio Bittar (PSDB) não vir a reverter no horário eleitoral, prestes a começar, a desvantagem nas pesquisas, ele perde a eleição.

Semana de brigas
Acha que fica difícil tocar uma campanha com tantas brigas internas estampadas na mídia.

Vídeo nas redes
Ontem, por exemplo, rodava nas redes um vídeo da briga feia entre a deputada federal Antonia Lúcia (PSC) e Márcia Bittar (PSDB), no comício do candidato a presidente Aécio Neves.

Acabou na PF
A briga teve ontem novo desfecho, com uma postagem de Antonia Lúcia no Facebook atacando Márcia Bittar, e acabou na Polícia Federal, onde Antonia Lúcia registrou queixa.

Semana encrencada
Semaninha encrencada foi a semana passada para os candidatos ao governo da oposição!.

Na banguela e sem freio
Cabe ao Fernando Melo, como coordenador de campanha, fazer seu compadre Roberto da Princesinha deputado federal. É mais fácil conter carro na banguela sem freio ladeira abaixo.

Puxão de orelha
Ao ver pouco mais de 20 pessoas numa reunião na semana passada, para receber a comitiva do candidato ao governo, Márcio Bittar (PSDB), em Assis Brasil, o prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, destemperou e não deixou por menos a indignação: “em Cruzeiro, com um grito eu reúno 200 pessoas e você, prefeito Betinho, não consegue reunir 40 pessoas para receber o candidato ao governo?”. Dito isso no discurso, Vagner Sales abandonou bravo a reunião.

Postado em 10 de agosto de 2014

Toma que o filho é teu

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Virou escândalo político a briga entre os candidatos ao governo, Márcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalon (DEM) para ver quem assume a dívida de 250 mil de reais com uma produtora de campanha. Bocalon diz que foi paga pelo PSDB. Bittar nega e diz que o PSDB não pagou a dívida por entender ser dívida pessoal de Bocalon, acabando com sua tese de que nada deve.

Desmentido público
Foi um desmentido público do Márcio Bittar, de que a dívida foi paga, o que deixa Tião Bocalon  mal na fita. E Bittar colocou por terra a tese de que a dívida não existe e que é armação do PT.

O dinheiro veio
Márcio, que assumiu o PSDB após a saída de Bocalon foi ferino na sua declaração: quando Bocalon era presidente do PSDB, recebeu muito dinheiro da executiva nacional.

Corda esticada
A corda está esticada
Márcio Bittar diz que a dívida existe, que o PSDB não vai pagar porque é dívida pessoal de Tião Bocalon e que não tem nada a ver com isso. Naquela de que: quem comeu o pirão que pague.

Mais que um caso judicial
A produtora já acionou Tião Bocalon e Márcio Bittar, este como devedor solidário, por ser o presidente do PSDB. Isso é mais que um caso judicial e escancara a briga interna entre ambos.

Tem que receber
Não interessa quem vai pagar, se o PSDB ou Tião Bocalon, o certo é que existe um calote na produtora que fez o programa de televisão do Bocalon e que tem direito de receber pelo trabalho.

Troco a cavalo
O troco veio a cavalo e no galope pelo ex-coordenador de campanha de Bocalom, Normando Sales. “Foi um ataque traiçoeiro e  covarde… Eu e o Bocalon nunca procuramos divulgar problemas políticos do Márcio Bittar, as dívidas dele não cumpridas com o ex-vereador Hilder Amorim, com o vereador Mangaba, no Jordão, e tantas outras, mas quero dizer a ele que não vamos nos encolher ante os ataques de quem sabe que a sua campanha não decolou, está sendo rejeitada pela população. A gente esperava que o Márcio Bittar não fosse valente com o DEM, que é oposição de fato, mas com seus amigos do PT, aos quais poupa, os quais sempre preservou”, disparou Normando Sales.

“Topo a briga”
“O Tião Bocalon não vai se meter nesta briga, mas, como ex-dirigente do PSDB eu topo e tenho muita munição para brigar com o Márcio, se ele quer assim, assim será”, disse Normando.

Sujeitos da oração
Normando acusa os coordenadores da campanha de Bittar, Rodrigo Fernandes e Correinha de vazar á imprensa a notícia que considerou falsa a dívida de 250 mil reais para queimar o Tião Bocalom. Mas, responsabiliza diretamente o presidente do PSDB, Márcio Bittar.

Brigar com o chefe
“Não vou brigar com eles, vou brigar com o chefe deles, o Márcio Bittar”, promete Normando Sales.

Documento que desmente
Normando Sales diz ter documento assinado pelo ex-presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, assumindo a dívida da produtora, que segundo Normando é de apenas 50 mil reais.

Abrir a caixa preta
Normando Sales alertou que como ex-dirigente do PSDB sabe de muita coisa e promete “revelar” caso o grupo do Márcio Bittar insista em tentar desmoralizar o Tião Bocalon.

“Cara decente”
Irritado, Normando Sales diz o que mais lhe chateia com a tentativa de desmoralização é ser Tião Bocalon um cara decente. “Não vão desmoralizar o Bocalon, vou para o pau”, adverte.

Banana madura
Normando diz que ainda vão tentar muitas mentiras para tentar evitar a queda como banana madura do cacho da candidatura do Márcio Bittar e que está preparado para dar troco duro.

Comentário meu
Com esta briga escancarada, alguém acha que havendo segundo turno, o perdedor vai apoiar o ganhador? Não adianta, brigam pelo mesmo espaço político, os ranços vão ficar e é inevitável. A piada de tudo isso é colocar a culpa da briga do PT, que não tem absolutamente nada com a história.

Bem organizada
Estava conversando ontem pela manhã com um político experiente. Disse que, nunca viu uma campanha tão bem organizada do PT, na Capital, como a organizada pelo Marcus Alexandre.

Fator fundamental
Acha que além das obras do governo, a simpatia do Tião Viana, o prefeito Marcus Alexandre vai dar uma boa colaborada para que o petista vença com boa margem a eleição na Capital.

Pergunta do leitor
E-mail com uma pergunta de um leitor: “se o Henrique Afonso tivesse sido eleito prefeito de Cruzeiro do Sul não estaria babando o Tião Viana, ao invés de atacá-lo, como ele faz?”.

Não tirem do páreo
A deputada federal Antonia Lúcia (PSC) faz sempre uma campanha política financeira agressiva na busca de alianças, por isso não temo em colocá-la como forte candidata à reeleição.

Muito difícil
Em política existem as surpresas, mas, acho que neste caso não haverá: só por uma zebra, Flaviano Melo (PMDB) e Antonia Lúcia (PSC) não se reelegerão deputados federais.

Sabe de nada, inocente!
O ex-deputado Chico Sombra (PTN) acha que terá em Tarauacá o apoio do empresário Rodrigo Damasceno, que não enfia prego sem estopa. O grosso do seu apoio será do Ney Amorim (PT).

Não mexe
A presença do candidato à presidência Aécio Neves (PSDB), ontem, em Rio Branco, não mexe nas posições dos candidatos da oposição ao governo. Funciona apenas como bolo de festa.

Campanha lisa
Um empresário experiente em campanhas políticas previu ontem uma campanha difícil, financeiramente, nesta eleição, para os candidatos ao governo da oposição. “Empresário nenhum investe em quem não decola nas pesquisas”, explicou. Alia a isso também o fato de que a maioria das empresas está com o caixa baixo para fazer doações eleitorais.

 

Página 1 de 7112345678910...Última »

Notícias Acre Classificados AC