Rio Branco, Acre, 2 de agosto de 2017

Pré-candidatos ao Senado avaliam os números da pesquisa Vox Populi

Nelson Liano Jr. 02/08/2017 07:03:40

Conversei com alguns dos principais pré-candidatos ao Senado pelo Acre sobre os números da pesquisa Vox Populi divulgada pela TV Gazeta. Veja o que eles disseram para a coluna.

O presidente da ALEAC, Ney Amorim (PT), pré-candidato pela FPA:

“Avalio positivamente essa pesquisa. Estou com o nome colocado entre outras candidaturas que já disputaram cargos majoritários, Governo e Senado. Eu que ainda não sai da ALEAC para fazer reuniões como pré-candidato, a exceção do Juruá, ter 7% de intenções de votos é promissor. Quero sair da Casa Legislativa, para poder dialogar com as pessoas, acho isso importante para o processo democrático. Nós ainda teremos muito tempo pela frente e muitas coisas ainda irão acontecer,” disse Ney.

Senador Sérgio Petecão (PSD), pré-candidato à reeleição pela oposição:

“Meu foco atual é fortalecer os nossos prefeitos eleitos em 2016. Agora, o que chamou a atenção nessa pesquisa é não ter a rejeição dos candidatos ao Senado e ao Governo. Isso influencia muito. Eu vou continuar fazendo meu trabalho e ajudar a todos os prefeitos indiferente de partido e quero aproveitar esse espaço no Governo Federal para auxiliar as prefeituras que passam por um momento difícil. Sou candidato à reeleição e quantos aos outros postulantes ao Senado essa será uma decisão que será tomada por um colegiado,” afirmou Petecão.

Deputado federal Major Rocha (PSDB), pré-candidato ao Senado pela oposição.

“Pra mim o resultado não foi ruim. Só lembrando que nunca disputei nenhuma eleição majoritária. Tenho duas vitórias eleitorais no meu currículo e já estou em pé de igualdade com os grandes, aqueles que já disputaram cinco ou seis eleições majoritárias e perderam todas. Só questiono a pesquisa não aferir a rejeição dos candidatos. No somatório do voto estimulado tenho 20% na Capital e 10% do interior, e a média daria 15%. E diminuíram um ponto meu. Já o Márcio Bittar (PMDB) aumentaram meio ponto, 12% na Capital e 17% no interior o que na somatória daria 29%, dividido por dois, 14,05% e arredondaram para 15%. Mas isso não influencia muita coisa. E também acho que o número saiu superfaturado em favor do senador Jorge Viana (PT),” disse Rocha.

Ex-deputado federal Márcio Bittar (PMDB), pré-candidato ao Senado pela oposição.

“Fico feliz com o resultado da pesquisa porque na soma do primeiro e segundo voto ao Senado aparecer com 33% de intenção é muita coisa e comove qualquer pessoa. Agora, tenho a noção exata que são momentos e ninguém tem segurança de manter esse patamar. Mas é um momento que causa comoção pelo fato das pessoas lembrarem da minha trajetória. Acho que com calma e cautela o nosso candidato da oposição será o único. E nós conseguiremos achar os dois nomes ao Senado unindo uma chapa. Respeito todos os pré-candidatos e acho que os critérios de aceitação e tamanho de apoio vão acabar prevalecendo e tenho feito o que posso para termos uma única chapa ao Senado,” afirmou.

Bocalom, presidente do DEM no Acre, pré-candidato ao Senado.
“Para quem está grande parte do tempo afastado do Acre, por conta da saúde da minha esposa e, não tem estrutura para viajar o Estado como os outros, estão bons os números. Apareço embolado com os outros candidatos como a opção para o segundo voto ao Senado. Isso está ótimo. Mas ainda vai passar muita água por debaixo da ponte para que tenhamos uma decisão mais exata do quadro de candidatos para a disputa,” afirmou Bocalom.

Senador Jorge Viana (PT), candidato à reeleição pela FPA.
Os números são animadores. Claro que é só uma fotografia do momento e temos que ter a humildade para recebermos esses bons resultados. Mostra que o governador Tião Viana (PT) está certo com os nossos pré-candidatos ao Governo. Sinceramente acho que para o Senado o problema está mais na oposição. Eu fico grato com a manifestação das pessoas com o meu nome, mas eu e o Ney estamos como pré-candidatos e a disputa ainda vai começar. Mas se a gente for bem realista e trabalhar unidos ainda mais, quem sabe a gente ainda tem uma melhor sorte?

Petecão e Rocha podem se unir
O senador Petecão passou boa parte da tarde, desta terça, 1, em conversa com o deputado federal Rocha. “Nós chegamos a um entendimento e vamos caminhar juntos. Falei para o Rocha da importância estarmos unidos na oposição. Perguntei das intenções dele de disputar o Senado e ele me disse que acha complicado mais de duas candidaturas de oposição ao Senado e que não será um empecilho e vai trabalhar pela união. O Rocha acha que a minha vaga à reeleição é natural e disse que o PSDB vai nos apoiar,” afirmou Petecão.

Rocha confirma
Indaguei ao deputado tucano sobre essa possível união com Petecão. “Existe possibilidade sim de apoiar o Petecão. Só para lembrar que o nosso grupo (PSD-PSDB) tem representação em todos os municípios do Acre, “ respondeu Rocha.

Ainda fogo cruzado
Recebi a informação de que Márcio Bittar teria procurado lideranças do PSDB em Brasília para mostrar a pesquisa que o coloca na frente entre os pretendentes da oposição. Ele teria conversado, entre outros, com o senador Aécio Neves (PSDB) e o secretário do partido, deputado federal Silvio Torres (PSDB-SP). Por telefone Bittar confirma ter se encontrado pessoalmente com Aécio, mas, segundo ele, o encontro foi para comunicar o seu desligamento do PSDB. Disse não ter interesse em mostrar essa pesquisa para os tucanos. Ele confirmou que irá se filiar ao PMDB nos próximos dias.

Candidatura da FPA decidida?
Conversei ainda com o presidente do PT do Acre e líder do Governo na ALEAC, deputado estadual Daniel Zen (PT). Quis saber se essa pesquisa encerra a disputa entre os quatro pretendentes ao Governo da FPA. Ele respondeu: “Ainda é cedo para batermos o martelo. Marcus é o prefeito e, como tal, tem trabalhado muito pelo povo de Rio Branco e assim deve continuar até termos uma definição. Pesquisa com mais de um ano antes da eleição não diz muito, mas revela uma forte tendência de que a disputa será voto-a-voto. Sendo o Gladson o único candidato declarado da oposição impressiona o ponto de partida do Marcus Alexandre (PT),” avaliou Zen.

Reflexão sobre o momento político
Pelos comentários que li nas redes sociais relativos a pesquisa para o Governo me pareceu que realmente existe espaço para uma candidatura alternativa, seja de partidos de esquerda ou de direita. Se aparecer alguém novo, com estrutura, fora dos partidos tradicionais e com um discurso de fácil assimilação popular poderá fazer um “susto”. Ou até mesmo decretar um novo destino a essa eleição que parece estar polarizada. Estamos longe ainda de termos um quadro definido para saber quem será o próximo governador do Acre e os dois senadores que representarão o Estado.


[yottie id="1"]


Veja Também


Ac24Horas – Portal de notícias do Acre

Pré-candidatos ao Senado avaliam os números da pesquisa Vox Populi