Rio Branco, Acre, 1 de agosto de 2017

Empate técnico retrata o equilíbrio eleitoral

Luis Carlos Moreira Jorge 01/08/2017 06:29:56

A pesquisa da VOX POPULIS divulgada ontem pela TV-GAZETA vem com uma roupagem que bisa tudo o que se vêm falando sobre a eleição para governador: uma disputa equilibrada. E com o quadro também esperado: o senador Gladson Cameli (PP) aparece ganhando no interior e Marcus Alexandre (PT) ganhando na Capital. No somatório estão emparelhados em 46%. A pesquisa também deixa claro que, se Cameli quer ganhar a eleição terá que diminuir a vantagem favorável ao atual prefeito na Capital, que é o maior colégio eleitoral. É aqui que terá que travar a sua principal batalha. Se perder de muito poderá comprometer a sua vitória. Aparecer perdendo no interior por uma margem menor do que era esperado foi uma surpresa agradável ao Marcus. Esperava-se que a diferença a favor do senador Gladson Cameli (PP) estivesse bem maior no interior, onde é o seu forte. Mas um ponto tem que se registrar: pesquisa não ganha eleição, mostra um panorama de momento, principalmente, não se estando ainda no ano eleitoral e sem se ter conhecimento nem de como será a chapa completa dos dois candidatos ao governo. Eleição não se ganha antes da campanha começar.

Fim das pré-candidaturas
A pesquisa praticamente oficializa a candidatura de Marcus Alexandre a governador na FPA e deixa sem sentido continuar com quatro pré- candidaturas. Pelo simples fato de que não aparecem na pesquisa espontânea da FPA. Foi um modelo que acabou por se exaurir.

Pesquisa não define
Em candidatura majoritária, principalmente, para governador um fator que pesa e muito será a empatia que o candidato vai conquistar com o eleitorado. Quando o eleitor se identifica com o candidato não tem pesquisa, não tem máquina, não tem nada que o faça mudar o voto.

Pesquisa para o senado
Não foi nenhuma surpresa na pesquisa da VOX POPULIS para o Senado, o senador Jorge Viana (PT) aparecer com 27% bem na dianteira sobre os demais. Márcio Bittar (PSDB) com 14%, Major Rocha (PSDB) com 13% e Sérgio Petecão (PSD) com 11%, empatados tecnicamente.

A porca vai torcer o rabo
Não foi nada bom para a oposição três candidatos ao Senado aparecerem empatados tecnicamente. Por qual motivo? Simples: como a diferença entre os três é diminuta agora é que nenhum deles vai abrir para outro e vão querer esticar a campanha com este argumento.

Mais abaixo
Tião Bocalon (DEM) aparece com 8% para o Senado e Ney Amorim (PT) com 7%.

Nada decidido
Nenhum dos candidatos a senador faça festa ou chore pelos números da VOX POPULIS. A campanha não começou. O candidato que não tiver uma estrutura para colocar o seu nome projetado e com bases em todos os municípios vai ficar em desvantagem. Pesquisa não decide.

Faltou o principal
Na pesquisa da VOX POPULIS não dá para se tecer comentário mais aprofundado porque não foi feita uma pergunta sobre a Rejeição dos candidatos ao Senado e ao Governo. E saber a Rejeição é imprescindível para se ter uma noção de quem pode crescer ou estagnou.

“Cabra bom de voto”
O comentário acima é do senador Sérgio Petecão (PSD) sobre a vitória pela quinta vez do Pastor Pedro Abreu na disputa do comando da Assembléia de Deus. Petecão era um dos mais entusiastas torcedores da eleição do Pastor Pedro Abreu. “Deu um capote”, comentou.

Encontro representativo
No encerramento da eleição tinha cerca de mil Pastores evangélicos de todos os municípios acreanos e não se viu um candidato ao governo. Oportunidade desta não se terá mais antes da eleição do próximo ano. Quem esteve presente do início ao fim foi o senador Sérgio Petecão (PSD) e o deputado Jairo Carvalho (PSD). Política é a arte de estar sempre no momento certo.

Jair Bolsonaro
Um fato que chamou a atenção na pesquisa da VOX POPULIS foi que, em todas as simulações o deputado federal Jair Bolsonaro aparecer colado em segundo lugar para a presidência, só perdendo para a Marina Silva. O Bolsonaro é um fenômeno que não se pode levar na brincadeira

Não gosta do lula
A VOX POPULIS veio mais uma vez comprovar que o acreano não gosta do Lula. Em todos os quadros aparece em terceiro e quarto lugar. Se disputar a presidência perde de novo no Acre. O Lula fez muito pelo Acre e isso não se discute, mas seu sangue não cruza com o do acreano.

Volta ao trabalho
Quem estará de volta hoje aos trabalhos é a ALEAC. No primeiro semestre foi palco de debates duros, mas sem perder o respeito e cair para a baixaria. A oposição fez o seu papel cobrando do governo e a base governista defendendo. Parlamento sem debate é boteco de esquina.

Ou tem ou não tem
A adoção do “Distritão” é bem simples: quem tem votos se elege e acaba com a patifaria de ser puxado por legenda. Nada mais democrático que se acatar o que pensa o eleitorado.

Pesquisa comemorada
A pesquisa da VOX POPULIS foi comemorada com euforia no governo, principalmente, pelos números do interior do candidato da FPA. Era esperada uma vantagem maior da oposição.

Sob protestos
E sob protestos da oposição por um público alvo pequeno, sem haver pergunta sobre a Rejeição dos candidatos, e uma suposta terceirização da coleta de dados da VOX POPULIS para uma empresa de Porto Velho. O protesto faz parte de qualquer pesquisa.

Não está fora do jogo
Para o governador Tião Viana, pela pesquisa, o candidato ao Senado, deputado Ney Amorim (PT), não está fora do jogo. Nem poderia estar já que a campanha nem iniciou e os candidatos a senador não estão com as suas candidaturas nas ruas. O jogo ainda está nos vestiários.

Erro de amador
Não sei quem é o orientador político do deputado federal Alan Rick, mas só sei que deve mudar por ser um atrapalhado. Foi um erro de amador jogar pela janela a estrutura do PRB, que estava no seu colo de graça. Os votos agora vão para o Pastor Manuel Marcos à Federal.

Casal de políticos
A deputada Maria Antonia (PROS), além de ter um trabalho social no amparo às famílias que vêm do interior a tratamento médico, ela tem um marido que é um craque na montagem de campanha, o ex-prefeito Francisco Deda. É um casal que respira política. Por isso ela é forte.

Olho nos vices
A escolha do vice dos candidatos Marcus Alexandre (PT) e do senador Gladson Cameli (PP) só deve acontecer no próximo ano. Vice não se lança, mas é o resultado da somatória da simpatia dos partidos e tem que ter, principalmente, a extrema confiança do candidato a governador.

Vice é da confiança
O vice não pode ter uma mancha e precisa ser alguém que venha a somar na chapa com sua imagem. Ter um vice complicado é arrumar confusão para os quatro anos de mandato.

Olhando com lupa
Os deputados do governo estão calados sobre as obras da BR-364, mas não esperem que continue assim. Vão esperar o inverno chegar para cair ou não nos couros do DNIT e da oposição com cobranças. Este é um debate que vai continuar na campanha de 2018.

Certo que assume
O ex-vereador Afonso tem certeza de que assumirá a vaga do vereador Juruna (PSL), porque chegará no estágio em que não dá mais para recorrer da condenação que sofreu da justiça.

Temporada de pesquisa
Com a divulgação ontem dos números do VOX POPULIS está aberta a temporada de pesquisas para o governo e para senador. A pesquisa desperta uma paixão no eleitor e no candidato. Quem perde diz que foi comprada pelo adversário. É e sempre será assim. Eu não discuto pesquisa porque sei que se trata de um retrato do momento e que pode mudar no dia seguinte, principalmente, com o surgimento de novos fatos. Quem decide a eleição é a campanha e o elo de simpatia e confiança que o candidato majoritário conseguir com o eleitorado. Portanto, aguardemos a campanha, que para valer só acontecerá no próximo ano.


[yottie id="1"]


Veja Também


Ac24Horas – Portal de notícias do Acre

Empate técnico retrata o equilíbrio eleitoral