Ac24Horas - Portal de notícias do Acre

Rio Branco, Acre, 14 de julho de 2017

Toinho Alves poderá ser o candidato ao Governo do Acre pela Rede

Nelson Liano Jr. 14/07/2017 11:24:29

O porta-voz estadual da Rede, Carlos Gomes, que foi candidato a prefeito de Rio Branco, em 2016, me garantiu que o partido entrará na disputa das próximas eleições no Acre. Segundo ele, terá postulantes às vagas do Senado e também ao Governo do Estado. O nome que está sendo cogitado, por enquanto, ao Palácio Rio Branco é o do jornalista Toinho Alves (Rede). “É um nome de respeito que temos. É uma possibilidade, mas não estamos preocupados com nomes, o momento demanda responsabilidade com a construção de um programa para o nosso Estado,” disse Carlos Gomes. Quanto ao Senado não existe uma definição, “mas pode ser uma surpresa”, antecipou o porta-voz acreano da Rede. Ele também anunciou para o próximo dia 22, uma plenária do partido com as presenças das ex-senadoras Marina Silva (Rede) e Heloisa Helena (Rede), às 9 hs, no auditório do Hotel Holiday Inn, em Rio Branco. Nesse mesmo dia terá início o Encontro da Juventude da Rede.

A versão do Toinho
O jornalista se manifestou sobre a especulação em torno do seu nome. “Isso de candidatura é só um levantamento interno de opções, não é nenhuma definição. No meu caso, é mais para gerar um debate sobre o perfil de candidato para a Rede,” disse Toinho.

Uma voz no debate
Se confirmada, a candidatura de Toinho Alves será muito positiva ao processo eleitoral. É alguém que conhece bem os problemas do Estado. Participou de várias campanhas da FPA, antes de ir para a Rede. Também esteve diretamente ligado às duas candidaturas de Marina Silva à presidência da República. Acredito que poderá elevar o nível do debate entre os candidatos.

Mudanças naturais
Vejo com bons olhos os nomes colocados para a disputa do Governo do Estado. A oposição virá com o jovem senador Gladson Cameli (PP). Assim a própria FPA teve que apresentar novas alternativas com o prefeito Marcus Alexandre (PT), a vice Nazaré Araújo (PT) e o líder do Governo na ALEAC, Daniel Zen (PT). Toinho pode complementar esse quadro com um debate produtivo para as mudanças que o Acre precisa com urgência.

Ao revés
Toinho Alves havia conversado recentemente comigo sobre a divulgação na mídia de que Marina Silva estaria apoiando as Reformas realizadas pelo presidente Michel Temer (PMDB). “É justamente ao contrário,” afirmou o jornalista.

A posição de Marina
Na sua página no Face, Marina escreveu o seguinte sobre as Reformas: “São muitas as arbitrariedades das propostas de reformas apresentadas pelo governo Temer: “Na Reforma da Previdência, por exemplo, mesmo com 65 anos de idade dificilmente o trabalhador vai conseguir completar 25 anos de contribuição. Na trabalhista, é inadmissível ter trabalhadores que ficam em processo de espera, de forma intermitente, sendo convocados a qualquer momento pelo empregador, sujeito a pagar multa se não estiverem à disposição.”

Questão de credibilidade
É bem verdade que Marina tem se posicionado a favor da necessidade de Reformas na gestão do país. Mas ela faz uma restrição: “O governo precisa ter legitimidade, credibilidade e popularidade para conduzir reformas de tamanha magnitude e alcance. Coisa que esse governo não tem,” escreveu.

Pé na estrada
O presidente da ALEAC, deputado Ney Amorim (PT), vai aproveitar recesso parlamentar para fortalecer sua pré-candidatura ao Senado. “Eu sempre tenho saído de Rio Branco, às sextas-feiras, e andado pelos municípios ouvindo as pessoas. Acho que para chegar ao Senado é preciso dialogar, sobretudo, nesse momento de crise política e institucional. Eu entendo que é preciso haver mudanças profundas nesse momento tanto no Congresso Nacional quanto na gestão do país. São necessários políticos comprometidos para o Brasil volte a se destacar no plano internacional como já esteve por um tempo,” disse ele.

Agenda recheada
No sábado, 15, Ney Amorim estará em Cruzeiro do Sul e de lá segue para Marechal Thaumaturgo. “Precisamos mostrar aos acreanos o que estamos realizando aqui na ALEAC. Apesar de todos as mídias que utilizamos, às vezes, as pessoas lá na ponta não tem conhecimento. O recesso é período ideal para fazer esse trabalho de aproximação com a população,” afirmou Ney.

Vencendo as desconfianças
Quando assumiu a superintendência do INCRA do Acre, o jovem advogado Eduardo Ribeiro, encontrou muitas resistências. Um ano depois mostrou a sua capacidade de gestor vencendo as burocracias internas e garantindo títulos agrários para quase 600 famílias. E a perspectiva, nos próximos meses, é chegar aos 2 mil títulos. Sem falar que conseguiu pacificar divergências internas no órgão federal. Apesar da sua ligação com o PMDB, Eduardo tem dialogado de maneira diplomática com parlamentares de todos os partidos que o procuram.

É do ramo
Essa polêmica em torno da Claudinha Pinho, a mais nova assessora parlamentar do deputado federal Flaviano Melo (PMDB), é ridícula. Claudinha sempre trabalhou como assessora política. É uma profissional. O fato de ter vindo do PC do B não a desqualifica. Quer dizer que para o PT a moça só era respeitável quando estava na FPA? E por ter vindo de um partido da suposta “esquerda” merece a desconfiança da oposição? Todo mundo tem o direito de mudar o rumo de vida e da ideologia de acordo com a sua convicção do momento.

Não tem essa…
Só para dar exemplos sobre as mudanças de rumos naturais na política o candidato mais forte da oposição ao Governo, Gladson Cameli, veio da FPA. Também veio de lá o senador Sérgio Petecão (PSD). Por outro lado, o deputado federal César Messias (PSB) e a vice-prefeita de Rio Branco, Socorro Nery (PSB), têm origens na oposição. Mudar de opinião não é crime.

Peregrinação política
Com o recesso parlamentar a maioria dos políticos acreanos vão andar muito pelo Estado. As próximas eleições serão muito disputadas para todos os cargos. Não adianta esperar o ano que vem. Já dizia o poeta que quem sabe faz a hora e quem quiser sonhar em continuar em mandatos estaduais e federais ou alcançar um novo tem que dialogar com a população. Preparar as suas bases e se articular para não ficar perdido no meio de um tiroteio de propostas. Lembrando sempre que agora as campanhas oficiais são muito rápidas e quem não se preparar vai ficar vendo a banda passar…




Veja Também