Ac24Horas - Portal de notícias do Acre

Rio Branco, Acre, 19 de junho de 2017

Jorge Viana quer candidatura forte ao governo para garantir sua reeleição ao Senado

Ray Melo, da editoria de política do ac24horas 19/06/2017 16:09:10

Bom dia! Boa tarde! Boa noite!

Todo “esgualepado” pelos sopapos da vida — como diz um amigo cuiabano – estou de volta ao batente das atualizações desse blog que deve satisfações aos seus três leitores. Bom, vamos falar de treta? Apesar de se esquivar com o velho discurso de unidade, da bonita história da Frente Popular, do projeto de quase 20 anos que “faz bem ao Acre”, principalmente aos aliados que pilotam cargos de confiança, o senador Jorge Viana (PT) estaria preocupado é com sua reeleição. Algumas ameaças estariam à espreita. Uma delas é a possível candidatura de Ney Amorim, um jovem político que vem acumulando apoio e bagagem política para entrar na disputa ao Senado.

O que vou falar agora sobre os irmãos Viana não se trata de minha opinião, mas palavras de um petista de carteirinha. Ele pede para não ser identificado. “Penso que só existem dois seres humanos no Estado, no âmbito do PT e da Frente Popular, que possuem o poder de autorizar que os “jabutis” sejam colocados no alto das árvores. Penso que possa tá existindo uma “saudável” disputa, entre esses dois seres humanos com extremo poder, no âmbito do PT”. A disputa a que o militante das antigas se refere é sobre a escolha do candidato ao governo do Acre. Sebastião vem sinalizando que poderá fazer uma escolher entre Daniel Zen e Emylson Farias.

Jorge Viana, que fez laboratório ao lançar a candidatura e eleger Geraldinho Mesquita ao Senado, mudou o discurso. Ele afirma que não é o momento de fazer laboratório e quer lançar o prefeito Marcus Viana ao governo, quebrando outra regra que ele defendeu no passado, que um político tem que cumprir na íntegra um mandato que foi confiado pelo eleitor. Precisa dizer mais alguma coisa meus três leitores? Essa é ou não uma evidência que JV precisa de um candidato forte para impulsionar seu nome? Sem um palanque com peso político, o cardeal estaria fadado ao fracasso nas urnas diante do desgaste pelos sucessivos escândalos que o PT se envolveu.

Eu também sou mais eu, segundo eu, terceiro eu de novo. Prestem atenção, meus três leitores, só leiam esse blog, rum!

Tudo combinado
Numa ligação que recebi via “zap zap”, já que ninguém é besta de falar em ligação normal, porque corre o risco de ser gravado, um dirigente de partido nanico dispara: “Bom dia, meu amigo Ray. Você acha que a reunião com os nanicos foi um acaso? Foi não. Antes do café com baixaria, Jorge Viana fez conversa prévia com cada dirigente no feriadão no gabinete dele. Deixou tudo amarradinho. Fomos apenas para qualificar o quórum, já que o assunto era de conhecimento e consenso. Ninguém é besta de dizer não ao homem. Afinal, ninguém quer arriscar ficar de fora da divisão do bolo. A coisa tá difícil, principalmente fora da Frente. A oposição não tem o que oferecer”. Eu diria que se reúnem apenas para tirar fotos e tentar impressionar a oposição.

Mais midiáticos que galinha

Os políticos da FPA estão mais midiáticos que galinha quando coloca ovo e plantam mais notícias que os os agricultores que dizem que apoiam no interior do Estado, quando se trata de fazer autopromoção. Sabendo que os jornalistas estão ávidos por notícias quentes, os petistas fizeram um verdadeiro roçado no “zap zap”. A maioria das notas que divulgam não tem o menor sentido. É de conhecimento público que não há essa linda unidade na coligação, mas eles insistem em dizer que estão unidos, debatendo novas propostas. O mesmo, cansado e velho papo de todos os anos. A diferença é que agora eles podem plantar suas notícias em tempo real, via aplicativo.

Comeu o pirão do Temer
A política é mesmo dinâmica. Apesar de criticar e dizer que não sentaria na mesma mesa com “o golpista Michel Temer”, o governador Sebastião Viana (PT) foi um dos 18 gestores estaduais que não recusaram comer o pirão do peemedebista. Atraído pela perspectiva de repactuar as dívidas com o BNDES, Sebastião fez até pose para fotos junto com Temer. Após o banquete em Brasília, um vereador ligar e informa que o petista viajou para o Vale do Juruá. Chegando no interior do Estado, desceu o cinturão em Michel. Segundo o vereador, “comer o pirão do Temer foi muito fácil, o difícil foi resistir em fazer o tradicional discurso de desqualificação do adversário”.

Saia justa
Falando em desqualificar, dizem nos bastidores, não sou eu quem afirma, que fique claro, o governador Sebastião Viana passou por uma saia justa durante o lançamento do Plano Safra, em Rodrigues Alves. O petista teria criticado o trabalho do senador Gladson Cameli (PP/AC) e da deputada federal Jéssica Sales (PMDB/AC) e levou um carão do presidente da Câmara de Rodrigues Alves, Saulo Vasconcelos. O vereador disse que Viana estava no local para falar de políticas públicas para os agricultores não para tentar queimar a imagem de Cameli, dizendo que ele apadrinhou a BR 364, portanto, não podia reclamar que outros deputados não corressem atrás de recursos para a rodovia. É o que dá sair de casa para falar mal do vizinho na casa dele.

Para não dizer que
não falei da oposição

Pela primeira vez nos últimos quase 20 anos de disputa entre os dois principais grupos eleitorais do Estado, eu acredito que a oposição esteja certa em permanecer em silêncio. Quem fala demais dá bom dia a cavalo. Acredito ainda que o bloco tem grandes chances de alcançar êxito nas eleições 2018. Precisam apenas estudar, se preparar, demonstrar ao eleitor que ninguém pode ser dono da máquina pública, que a alternância de poder é necessária e salutar, que podemos colocar os pés no chão e buscarmos o verdadeiro crescimento e parar de viver apenas de propaganda. Afinal, quem vive de bom dia, boa tarde, boa noite é esse blogueiro. A tal sustentabilidade está insustentável.

Investindo no setor produtivo

O vereador Railson Correia (PTN) poderá investir pesado na produção de bananas. Ele promete dedicar as horas vagas a nova atividade e virar o maior produtor da fruta no Estado. Acrelândia que se cuide.




Veja Também