Rio Branco, Acre, 31 de maio de 2017

No fim cada um leva um cascudo e tudo se resolve

Luis Carlos Moreira Jorge 31/05/2017 06:29:59

Ontem, o clima era de revolta pela escolha da Chefe do Gabinete , Márcia Regina, para a suplência do candidato ao Senado, deputado Ney Amorim (PT), os dirigentes dos partidos nanicos ficaram de se reunir para emitir uma “nota de protesto”. “Estava tudo acertado que os suplentes de senadores saíram de indicações de consenso dos dirigentes dos partidos nanicos”, esbravejavam. O presidente do PHS, Manoel Roque (foto), explicou que, o descontentamento não é sobre o nome da Márcia, extremamente qualificado e capaz, mas pelo tratamento de desprezo a que o PT submeteu os nanicos, que não estão sendo ouvidos. O Jorge Viana (PT) teria dito que ele é quem indicará os suplentes da sua chapa. Nesta batida os nanicos não vão escolher nem o porteiro do diretório da campanha, disse em desalento. Mas aproveitou para deixar um recado à cúpula petista: “O PT é um carro com quatro pneus carecas, e os nanicos são a única borracharia disponível”. A revolta do Roque é justa. Mas só ele segura a barra. Acontece é que os demais dirigentes dos nanicos na hora do fechamento da chapa majoritária, cada um vai levar um cascudo do Tião Viana e sairá de fininho sem mover uma palha de protesto. Aposto e pago dobrado. Este é um filme de final melancólico prevista para os nanicos. Sempre foi e sempre será assim. Quem prova do meu pirão, prova do meu cinturão, diz o velho adágio. E peia deve viciar, porque toda campanha é isso mesmo.

Como protestar?
Quem tem mulher, filho, filha, afilhado, mãe, papagaio periquito aboletado em cargos de confiança na prefeitura da Capital e no governo tem moral para trombar com os cardeais do PT? Os dirigentes dos partidos nanicos vão entregar estes cargos? Silêncio, por favor!

A política é dinâmica
O deputado federal Alan Rick, que até outro dia estava no colo do PT, hoje de malas e cuias para entrar no DEM, define em um artigo os petistas como “mestres da manipulação”. Como dizia o filósofo do Abunã, Rapirã e cercanias, Luiz Pereira: – a política é dinâmica.

No mínimo foi deselegante
O Alan tem todo direito de sair do PT, mas não adotando a estratégia da desqualificação, porque até ontem era beneficiado com cargos, teve ajuda na campanha, do mesmo partido que desqualifica. Quando se deixa um partido não se olha para o retrovisor.

Quem garante
É furada a tese de que veio para a oposição porque esta vai ganhar o governo. Égua! Estão com bola de cristal? Esta eleição será disputada, não tem nenhuma galinha morta.

Se saindo bem
Quem está bem desenvolto no mandato é o deputado federal Léo de Brito (PT), que mesmo na crise tem conseguido arrancar recursos para a agricultura e outras áreas e viabilizou o Festival Estudantil da Canção, com abrangência em todo Estado, esta última ação em parceria com o deputado Daniel Zen (PT). O Léo tem sido um bom parlamentar federal.

O direito de escolha
Não pense que a escolha da Chefe de Gabinete, Márcia Regina, não passou pelo crivo do Tião Viana que passou. Só um tonto em política acreditaria que um fato desta importância não teria seu aval. E quanto ao Ney Amorim (PT) não é injusto que participe da escolha do suplente. Tem que ser alguém da sua confiança.

Furando na oposição
O radialista Chiquinho Chaves, de Epitaciolândia, postou que ouviu o vereador Bil (PMDB), lhe dizer que, apoiara ao Senado o candidato a senador, deputado Ney Amorim (PT). Em se tratando do PMDB, tudo é possível. Sua maior figura na região, Aldemir Lopes, não apoiou o Binho? Lembram? Não vejo com nenhuma surpresa.

Fora de hipótese
Por impeachment o presidente Temer não será deposto porque, precisaria o PMDB e o PSDB estar a favor. O mesmo acontece com a PEC do pedido de eleição direta, não tem votos no congresso. E se for cassado pelo TSE, cabe recursos. Ou seja: Temer só sairá se renunciar.

Chamando nas catracas
O deputado Jesus Sérgio (PDT) prometeu acionar o presidente do DEPASA, Edvaldo Magalhães, por “crime de responsabilidade” por dois fatos: a Rua Copacabana, em Tarauacá, onde se gastou 6 milhões de reais, recém asfaltada, derreteu. O mesmo aconteceu com as “Ruas do Povo”. Jesus quer responsabilizar o DEPASA e os empreiteiros pelos serviços mal feitos e dinheiro mal aplicado. Não briguem com Jesus!

Barrada no baile
A deputada Leila Galvão (PT) manifestou aos dirigentes do PT o seu descontentamento de não ter sido convidada para a posse do novo diretório municipal de Epitaciolândia, mesmo estando em Brasiléia. É um menosprezo para a única parlamentar do PT naquela região. Sem dúvida. A explicação foi uma emenda que saiu pior do que o soneto.

Alan Rick
O deputado federal Alan Rick não é a última bolacha do pacote que pensa. Não tem um grupo forte e nem tradição eleitoral. Elegeu-se nas últimas colocações. Mas a sua vinda para a oposição vai somar, afinal, seriam votos que estariam na FPA. Quanto mais cabra mais cabrito.

Dedução do Gehlen
O deputado Gehlen Diniz (PP) fez ontem uma ironia sobre a violência na Capital e municípios: “a culpa não é do governador Tião Viana, não é do secretário de Segurança, Emylson Farias, as únicas culpadas de toda esta mortandade são as vítimas”.  E saiu da tribuna rindo.

Espaço da vice
Cresce no PMDB a tese de que o partido deveria indicar o vice na chapa do candidato ao governo que for definido pela oposição. A deputada Eliane Sinhasique (PMDB) está entre os defensores. E se dependesse dela seria o deputado federal Flaviano Melo (PMDB).

Chapa que não vai zerar
A chapa para a ALEAC, sendo montada pelo PTB-PPS-SOLIDARIEDADE está ficando redonda, sem medalhões, mas competitiva e sem a mínima chance de vir a zerar. Fará deputado.

Tudo é possível
Se a oposição sair com dois candidatos a senador fará um. Se sair com três ou quatro corre o sério risco de não eleger ninguém. A política tem sim uma pequena margem para a lógica.

Salvando vidas
“Hemodiálise funcionando desde 2000 e mais recentemente em três turnos em dois municípios e com 60 máquinas salvadoras de vidas. Mais de 6 mil procedimentos de cateterismo cardíaco desde 2011 e mais de 700 cirurgias cardíacas desde 2012, no HEMOCÁRDIO capitaneados pelo governo do Estado. Mais de 300 transplantes e 2º lugar em transplantes de fígados, UTI, Curso de Medicina”. Foram algumas das conquistas do governador Tião Viana citadas pelo vereador Jackson Ramos (PT), na defesa do sistema de Saúde. Cita ainda Hospital do Juruá, Hospital da Criança, Maternidade reestruturada e Hospital de Brasiléia (em construção).

Completamente certo
Quem criou seus problemas que resolva. O Ministro Gilmar Mendes foi certeiro ao dizer que, o TSE não é um instrumento para acabar as crises políticas. E não será nada de anormal se um ministro pedir vistas do processo de cassação que corre contra a chapa Dilma-Temer, adiando a votação de 6 de junho.

Não tem recuo
O presidente do PDT, Luiz Tchê, diz que não tem recuo na formação de uma “chapinha” numa coligação com partidos nanicos para disputar vagas de deputado federal. E avisa que, não adiantará o PT vir tentar interferir como em outras ocasiões, que não haverá volta.

Pau que dá em Chico….
O vereador Neném (PHS), que é da base da FPA, pulou do berço e mandou um recado duro para o prefeito Marcus Alexandre: “pau que dá em Chico, dá em Francisco”. Se sente desprestigiado em não ser chamado nem para as inaugurações fruto de suas reivindicações.

Denúncia grave
É da maior gravidade a denúncia do deputado Luiz Gonzaga (PSDB) de que o DNIT só tem recursos para recuperar o trecho entre Rio Branco-Tarauacá. Para o restante da 364 tem zero.

Criatório de mosquito da dengue
Perfeito o artigo do Juiz Giordane Dourado sobre os terrenos baldios e nenhuma ação da prefeitura de Rio Branco contra os proprietários para deixarem limpos os seus lotes. Na frente da minha casa, no Tropical, num terreno baldio, viceja um matagal que pode ser um criadouro de mosquitos da dengue. Alguém para tomar uma providência? Bom dia, dia dona SEMSUR!

Merece uma ambulância
O deputado Nelson Sales (PV) tem razão na sua crítica sobre a falta de uma ambulância em Manuel Urbano. O governo compre com recursos próprios. A que lá existe, na última viagem a Rio Branco pregou 18 vezes. O povo já quer jogar dentro do rio Purus, de tão velha que está.

Não discute agora
O senador Jorge Viana mandou uma mensagem que não discute agora esta questão da suplência do Senado. Acha que o processo tem que ser conduzido com calma e boas conversas. E que na hora certa falará com o governador Tião Viana, prefeito Marcus Alexandre e outras lideranças. “É importante, mas não neste momento, penso!”, pontua Viana.

Sem ranço
O senador Jorge Viana (PT) não integra o grupo petista dos “cuecas apertadas”, aceita sempre discutir ouvindo o contraditório. Tem suas posições, mas também ouve, sem aquele ranço.

Ninguém ganhou nada e está tudo aberto
O ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB) fez ontem uma análise desapaixonada da eleição de 2018. Desmontou os setores da oposição que se dizem favoritos: “esta eleição está aberta, ninguém ganhou nada, se engana quem pensar que o PT está derrotado. A pesquisa do DELTA mostrou de forma muito nítida como a eleição será equilibrada, pontua. Bittar enfatiza que, se antes tinha só o PT na lama da corrupção, agora todos os grandes partidos estão na mesma lama. “A vantagem da oposição acabou, quando se fala em corrupção”. Para Bittar, o mais grave é que não se sabe o que vai acontecer amanhã. No quadro atual –diz- tanto o PT pode fazer os dois senadores ou a oposição os dois senadores, ou cada um fazer um. Para o governo a indefinição é a mesma, qualquer um pode eleger o governador, antevê. Sobre sua permanência do PSDB diz desconhecer que perdeu a indicação para o Senado. “Não sei de nada. Estou tocando a minha campanha do Senado e conversando com amigos”, ponderou.


[yottie id="1"]


Veja Também


Ac24Horas – Portal de notícias do Acre

No fim cada um leva um cascudo e tudo se resolve