Ac24Horas - Portal de notícias do Acre

Rio Branco, Acre, 18 de abril de 2017

Saída de médicos cubanos pode beneficiar acreanos formados na Bolívia

Nelson Liano Jr. 18/04/2017 15:26:08

Uma notícia de caráter político poderá beneficiar centenas de estudantes acreanos na Bolívia. O Governo de Cuba suspendeu o envio de 700 profissionais que integrariam o Programa Mais Médico. Uma retaliação diplomática do presidente cubano Raul Castro que considera o Governo Temer (PMDB) “ilegítimo”. Mas a medida ideológica dos socialistas pode ajudar os estudantes brasileiros que fizeram ou fazem formação em medicina no exterior, principalmente, os acreanos.

Os dois lados da moeda

Ouvi dois parlamentares do Acre sobre o assunto. O deputado federal Flaviano Melo (PMDB), muito próximo do atual Governo Federal e o deputado estadual Jenilson Leite (PC do B), que é médico formado em Cuba.

“Essa é uma boa notícia para todos os brasileiros que estudam na Bolívia. Com o rompimento do contrato com o Governo Cubano os profissionais já inscritos no Mais Médicos, principalmente os acreanos, terão grandes chances de ingressarem. Sem falar nas vagas que virão no futuro para os que ainda estão estudando,” comemorou Flaviano.

Por outro lado, Jenilson lamentou a perda desses profissionais. “A não vinda representa um desfalque para o atendimento de atenção primária em todo o país, sobretudo, nos menores municípios, nas comunidades ribeirinhas e nas populações indígenas. São esses médicos que atendem esse público e os pacientes podem ficar esquecidos. No entanto, é preciso que se abra o convênio para os brasileiros formados no exterior. Só no Acre temos 160 médicos esperando a oportunidade para trabalhar. A medida poderá beneficiar os acreanos que estudaram ou ainda estudam na Bolívia,” argumentou Jenilson.

Ministro confirma vagas para brasileiros

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse, nesta terça, 18, em Brasília, que a saída dos cubanos não irá atrapalhar o programa Mais Médicos. Ele confirmou que essas vagas serão preenchidas por brasileiros formados em medicina no Brasil ou no exterior.

Nota.: O responsável do Ministério da Saúde pelo programa Mais Médico esteve reunido com parlamentares brasileiros e prefeitos acreanos, em Rio Branco, para debater o assunto.




Veja Também