Ac24Horas - Portal de notícias do Acre

Rio Branco, Acre, 6 de janeiro de 2017


Romualdo terá que reconstruir a “saqueada” prefeitura do Bujari

Nelson Liano Jr. - 06/01/2017 12:16:23

img-20170106-wa0006

O mais jovem prefeito acreano da safra de eleitos em 2016, Romualdo Araújo (PC do B), 31 anos, terá uma difícil missão pela frente para servir a população do Bujari. Ele encontrou em escombros a estrutura física de maquinários e financeira da prefeitura do município. Parece que um furacão passou por ali. Os gestores anteriores, Tonheiro (PT) e depois o presidente da Câmara Municipal, Adaildo Oliveira (PT), que o substituiu nos três últimos meses do mandato, parece que não se preocuparam em manter a casa em ordem. Quando Romualdo iniciou o seu trabalho no dia 2 de janeiro descobriu que a energia do prédio da prefeitura estava cortada e funcionava através de um “gato” nas instalações. Recebeu um lote de remédio comprado recentemente por R$ 48 mil, mas que segundo os especialistas não tem mais de R$ 6 mil em medicamentos. A situação é tão grave que Romualdo reuniu os novos vereadores no Secretaria de Obras para mostrar a realidade.

Estive no Bujari com o deputado estadual Jenilson Leite (PC do B), que está ajudando o jovem prefeito a encontrar caminhos à reconstrução da gestão. Conversei com Romualdo, que já foi presidente do PT do municipal e assessor do deputado federal Sibá Machado (PT), antes de ir para o PC do B. Ele contou um pouco da sua história política e a trágica situação em que encontrou o município. O Bujari serve ainda para ilustrar o descaso de alguns gestores com o dinheiro público e o bem estar da população. Uma história que deve se repetir em outros municípios do Estado.

ac24horas – Por que o senhor que foi presidente do PT no Bujari mudou para o PC do B?

Romualdo – Na verdade foi a falta de oportunidade no PT. O PC do B abriu as suas portas, me acolheu e acreditou no meu projeto. Graças a Deus, saímos vitoriosos.

img-20170106-wa0004

ac24horas – Prefeito, depois de cinco dias de gestão, qual a situação que o senhor já detectou da estrutura do município?

R- Primeiro a falta de organização na prefeitura. Estamos tendo muito trabalho para nos organizarmos. Não houve transição e as informações que conseguimos foram através de alguns funcionários de carreira. Recebemos a prefeitura do prefeito anterior que era o vereador Adaildo e apenas dois secretários compareceram na entrega das secretarias. Não recebemos nenhum relatório das pastas. Inclusive estamos fazendo um levantamento para entregar ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) que é para mostrar a atual situação da prefeitura. Recebemos o prédio da prefeitura com a energia cortada. Ontem que começamos a fazer o processo de negociação com a EletroAcre para pagar. Recebemos uma dívida de mais de 300 mil de encargos sociais que o prefeito anterior não pagou e temos que pagar agora senão não poderemos receber novos recursos. Então o momento é de tristeza.

ac24horas – Todas as prefeituras acreanas receberam parcelas do dinheiro repatriado pelo presidente Temer (PMDB). Quanto a prefeitura recebeu desse recurso?

R- O levantamento que fizemos foi um repasse de R$ 328 mil que caiu no começo de dezembro e a última parcela veio junto com o FPM de R$ 202 mil. A de R$ 328 mil foi gasto de uma maneira que ninguém nem viu.

img-20170106-wa0010

ac24horas – Não tem relatório?

R- Infelizmente não, foi pago tudo para o pessoal. E a parcela que caiu no dia 30 felizmente não deu tempo de gastar pela gestão anterior e é o dinheiro junto com o FPM que a gente ficou em caixa.

ac24horas – Como está a situação do funcionalismo da prefeitura? Está com o salário em dia?

R- A prefeitura tem uma dívida com os funcionários da administração equivalente a R$ 348 mil referente ao plano de cargos e salários que o prefeito anterior não deu continuidade. Infelizmente a prefeitura está devendo. Mas no final do ano todos os funcionários foram pagos.

ac24horas – O quê o senhor pretende fazer em relação a essa divida?

R- Nós já tivemos uma primeira reunião em dezembro e pedi para os funcionários que tivessem um pouco de paciência porque eu não sabia da situação. Vamos fazer um acordo e tenho certeza que iremos honrar com esse pagamento ao funcionalismo.

img-20170106-wa0005

ac24horas – O senhor estava me contando que houveram compras no final da gestão anterior de remédios e que num primeiro olhar podem existir irregularidades?

R- Bem, houve duas compras de remédios em dezembro. Uma de R$ 18 mil e outra de R$ 30 mil. Infelizmente fomos receber esse remédio e pela experiência do nosso farmacêutico significativamente não tem R$ 6 mil de medicamentos. E o pior de tudo que tem muitas alterações na nota. Remédios descritos que não vieram. Vamos fazer uma reunião com o Conselho Municipal de Saúde para apresentar a situação e encaminharemos o caso para o Ministério Público.

lote_02ac24horas – Qual é o principal problema atualmente do Bujari que o senhor vai atacar para resolver o mais rápido possível?

R- Infraestrutura da cidade. As ruas todas esburacadas, muito sujeira e entulho que precisamos limpar. Algumas ruas na escuridão. As nossas máquinas de trabalho pegamos praticamente todas quebradas. Só funcionam dois caminhões. Infelizmente teremos que trabalhar com essa realidade para buscarmos soluções. Teremos que nos empenhar para tirar a prefeitura do buraco.

ac24horas – O senhor me disse que já fez visitas à bancada federal acreana em Brasília. Tem conversado com deputados federais e senadores tanto da FPA quanto da oposição? Se propuseram a ajuda-lo para tirar o Bujari do caos?

R- Para mim foi gratificante a experiência de ir em Brasília, no mês de outubro. Quem me abriu as portas foi o deputado federal Moisés Diniz (PC do B) e fui recebido pelos oito federais e os três senadores do Acre. Consegui muitos resultados. A nossa expectativa era para R$ 13 milhões de emendas parlamentares e eu acredito que 50% nós já conseguimos. Fui muito bem recebido tanto pelos parlamentares de oposição quanto da FPA. Inclusive recebi um presente de Ano Novo para a prefeitura do Bujari do deputado federal Major Rocha (PSDB) que é um recurso extra-orçamentário de R$ 250 mil para a saúde. O deputado Alan Rick (PRB) já conseguiu muita coisa e vamos divulgar uma ajuda de R$ 1 milhão e seiscentos mil. O senadores Jorge Viana (PT), Petecão (PSD), Gladson Cameli (PP), os deputados César Messias (PSB), Jéssica Sales (PMDB), Flaviano Melo (PMDB), Angelim (PT), Léo de Brito (PT) todos se propuseram a ajudar o Bujari para o bem do povo. O Flaviano conseguiu liberar recentemente uma emenda de R$ 99 mil. Em cada gabinete que entrei deixei claro que represento o Bujari e não um partido.

img-20170106-wa0008

ac24horas – O município ficou muito tempo inadimplente o que impede a chegada de recursos federais. O que senhor pretende fazer para solucionar essa questão?

R- Eu tive uma notícia do nosso técnico da Secretaria de Planejamento. Estamos com nove pontos de inadimplência. O primeiro passo é responsabilizar os gestores anteriores. Vou mandar fazer uma auditoria que já pedi para o TCE. Se não for possível nós iremos contratar uma particular porque preciso mostrar à população a forma que peguei a prefeitura. E daqui um ano ou dois vamos fazer a prestação de contas do nosso trabalho. Foi para isso que ganhei a eleição. O povo acreditou que nós poderíamos ajudar o nosso município.

 

 

 

 





Veja Também